Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

CBF pede à Fifa punição de Zuñiga por falta em Neymar

16hhhhhhh4r743r0422--2-r-v5b6yn7un7um7-65A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou neste domingo (6) que pediu à Comissão Disciplinar da Federação Internacional de Futebol (Fifa) que o jogador colombiano Camilo Zuñiga seja punido pela agressão que tirou o jogador Neymar da Copa do Mundo. Durante o jogo entre Brasil e Colômbia, nessa sexta-feira (4), Neymar levou uma joelhada na região lombar e quebrou uma vértebra. O tempo de recuperação será de aproximadamente 45 dias.

No fim da partida, Zuñiga declarou que a pancada foi uma jogada normal e lamentou a contusão do jogador brasileiro. “Te admiro, respeito e considero um dos melhores jogadores do mundo. Espero sua recuperação para que continue a ver o futebol como um esporte cheio de virtudes e qualidades, que, sem dúvida, sempre pus em prática há mais de 12 anos como jogador profissional”, disse o colombiano, por meio de uma rede social.

A CBF também pediu à Fifa a anulação do cartão amarelo recebido pelo zagueiro Thiago Silva, na partida contra a Colômbia. Ele está fora da semifinal contra a Alemanha, na próxima terça-feira (8), por ter recebido o terceiro cartão seguido na competição.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Odd Andersen / AFP

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Fifa avalia pedido de anulação de cartão de Thiago Silva

A Fifa confirmou neste domingo que a CBF entrou com um pedido formal junto à entidade para reverter o cartão amarelo dado a Thiago Silva na partida contra a Colômbia. A punição, considerada injusta pela comissão técnica do Brasil, tirou o capitão da semifinal contra a Alemanha, nesta terça-feira, em Belo Horizonte. Pelas regras da Copa do Mundo, todos os cartões são anulados depois dos jogos das quartas de final desde que o atleta pendurado não receba nova advertência, como ocorreu com o zagueiro brasileiro.

“Recebemos o pedido e vamos avaliar a partir de agora”, declarou Delia Fischer, porta-voz da Fifa. Segundo ela, o Comitê de Disciplina examina a situação, mesmo que com ceticismo, já que o artigo 37 do Código de Disciplina da Fifa impede que uma seleção faça um recurso contra cartões amarelos. Não existe prazo para uma resposta.

A CBF pediu à comissão de arbitragem da Fifa para que pelo menos seus delegados analisem com carinho as imagens da jogada em que Thiago Silva foi punido. Ocorreu no segundo tempo, quando o Brasil atacava a Colômbia em jogada de bola parada, que acabou nas mãos do goleiro Ospina. O colombiano não viu que o capitão brasileiro estava atrás dele na hora de repor a bola em jogo. Ao fazer o movimento do chute, deixou a bola no ar. Foi nesse instante que Thiago tomou-lhe a frente. Ospina ainda chutou o defensor brasileiro na continuação do movimento. A bola sobrou limpa para o zagueiro chutá-la para o gol.

Na visão do árbitro espanhol Carlos Velasco Carballo, o zagueiro cometeu infração e, como impediu o que seria um “lançamento” do time adversário, recebeu o cartão amarelo. A cartilha de arbitragem da Fifa permite a contestação das seleções que se sintam prejudicadas por uma advertência de jogo, mas não há qualquer caso em Copas, de acordo com informações da CBF, em que a punição tenha sido modificada.

Na Uefa, o cancelamento de cartões amarelos já foi rejeitado pela entidade em outras ocasiões. Neste ano, o Real Madrid pediu o cancelamento do cartão de Xabi Alonso para a final na Liga dos Campeões. Mas a entidade rejeitou o pedido. Na Fifa, assessores legais também não são otimistas com a possibilidade de reverter o cartão de Thiago Silva.

A Fifa também avalia o pedido para uma punição contra Camilo Zuñiga, o colombiano que acertou uma joelhada em Neymar e tirou o brasileiro do Mundial.

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mais de 100 torcedores têm ingresso roubado no perímetro Fifa do Castelão

Mais de 100 torcedores que disseram ter sido roubados do lado de fora do Castelão, já dentro do perímetro Fifa, fizeram um protesto na área interna do estádio, em frente ao Juizado Especial Criminal. Brasileiros de diversas partes do país e também colombianos relataram o roubo de seus ingressos e foram direcionados ao posto da delegacia Civil para registrar a ocorrência. 

O caso foi levado ao Juizado, e a magistrada de plantão no estádio, identificada como Maria José, concedeu uma liminar exigindo a liberação da entrada dos torcedores. Cerca de 40 minutos antes do início da partida, ninguém da Fifa havia se apresentado para resolver a questão, o que gerou protestos dos torcedores. Eles começaram a gritar palavras de ordem, como “Queremos meu ingresso”, “Sou brasileiro, mas que vergonha, a Fifa não funciona”, “Não é mole não, nesse país só quem ganha é o ladrão”. Revoltados, alguns dos torcedores que se sentiram prejudicados tentaram invadir a área VIP e passar pela entrada de fotógrafos e cinegrafistas, mas foram contidos pela polícia.

Mais tarde, alguns dos ingressos foram recuperados e levados à delegacia do Castelão. Os donos dos bilhetes foram identificados e levados, por uma escolta, para dentro do estádio, quando o jogo estava aos cinco minutos do segundo tempo.

Até o fim do primeiro tempo, os torcedores seguiam próximo à área VIP, vigiados por seguranças da Fifa e policiais militares, sem permissão de entrar no estádio.

Antes, o promotor do Núcleo do Torcedor do Ceará, Ednaldo França, esteve no local e prometeu buscar uma alternativa para resolver a situação o mais rapidamente possível, para que os torcedores não fossem prejudicados.

Torcedor Ingresso Roubado (Foto: Marcelo Baltar)Torcedor lamenta após ser impedida de entrar no estádio (Foto: Marcelo Baltar)

– Um roubo ou outro nas imediações do estádio, infelizmente, acontecem com frequência em todos os jogos. Mas não no volume apresentando dessa vez. Vamos investigar o mais rapidamente possível para que os torcedores possam assistir à partida – disse.

Dois torcedores, os irmãos Renato Sousa e Roberto Filho, de Acaraú, interior do Ceará, conseguiram recuperar os ingressos, depois que policiais prenderam dois dos ladrões. Um deles foi identificado como Felipe da Silva, de 26 anos.

torcida Confusão Ingresso Castelão (Foto: Thais jorge)
Policiais entram em ação para conter confusão após roubo
de ingressos no Castelão (Foto: Thais jorge)
Globo Esporte

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Neymar fratura a vértebra e está fora da Copa do Mundo

Apesar da vitória e da classificação para as semifinais da Copa do Mundo, o clima foi triste na Seleção Brasileira após a confronto com a Colômbia nesta sexta-feira, na Arena Castelão (CE). O atacante Neymar sofreu uma fratura na terceira vértebra e está fora do Mundial. O jogador sofreu entrada dura do colombiano Zuñiga e saiu do gramado antes do fim do jogo. Ele chegou ao hospital chorando e terá um tempo de recuperação que varia entre quatro a seis semanas.

Os jogadores brasileiros foram comunicados sobre a ausência de Neymar ainda no Castelão. O atacante Fred foi o mais emocionado sobre a situação. “É triste porque o Neymar é um cara que trabalhou tanto para ficar com a gente. Lógico que vamos olhar para o grupo que tem muita qualidade. Estamos junto nessa”, disse.

O goleiro Júlio César foi outro a lamentar a perda do companheiro. “A gente sabe o quanto o Ney queria ganhar o Mundial. É uma tristeza enorme, mas se ele tivesse aqui iria mandar o recado para não desanimar”.

Ainda na coletiva pós-jogo, e sem saber da real situação do atacante, o técnico Luiz Felipe Scolari criticou a postura da arbitragem que nem deu amarelo para o Zuñiga. “O Thiago estava voltando para o campo dele e recebeu amarelo, enquanto que o lance do Neymar nem deu cartão”, reclamou.

Arena das Nações

Fotos: AFP

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

1 Pessoa já Comentou

Brasil faz melhor apresentação na Copa, não dá chances para a Colômbia e avança para as semifinais

16tttttttttrf47r44r2025-5202-5025-2

David Luiz marcou um dos gols brasileiros. Foto: AFP

Não teve vez para James Rodríguez nem para a melhor geração da Colômbia. A melhor atuação do Brasil nesta Copa do Mundo não foi o suficiente para os Cafeteros, que sucumbiram ao time de Luiz Felipe Scolari na Arena Castelão, nesta sexta-feira (4), pelas quartas de final do Mundial. A Seleção Brasileira finalmente mostrou quem manda na sua casa e venceu por 2×1. Os zagueiros Thiago Silva e David Luiz foram a força de ataque brasileira com um gol cada um, curiosamente em jogadas de bola parada. Thiago marcou após escanteio e espantou toda a desconfiança em torno do nosso capitão, enquanto David fez um belo gol de falta e mostrou toda a sua vibração característica.

O gol de James Rodríguez no segundo tempo serviu apenas para isolá-lo na artilharia da Copa do Mundo, com seis gols, e para assustar a torcida brasileira, que ficou com o coração na mão nos minutos finais da partida. Mas pelo bem do Brasil, não houve empate. David Luiz, Thiago Silva, Fred, Neymar e companhia estão nas semfinais do Mundial. Essa é 11ª vez que a Seleção Brasileira consegue chegar a esse estágio da competição. Em sete, chegou na final, sendo campeão em cinco. Será que chegou a vez da oitava final? A Alemanha está pela frente, também bringando pela oitava decisão.

Mais informações em instantes.

Arena das Nações

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Brasil tenta controlar nervos para encarar a Colômbia

Em busca de uma vaga nas semifinais da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira tentará superar dois adversários nesta sexta-feira (4), às 17 horas, no Castelão, em Fortaleza. A equipe dirigida por Luiz Felipe Scolari terá que vencer a talentosa seleção da Colômbia e a sua própria tensão, controlando os nervos para manter vivo o sonho de conquistar o hexacampeonato mundial.

Afinal, mais do que as duas defesas do goleiro Julio Cesar na disputa de pênaltis contra o Chile, que assegurou a passagem da seleção para as quartas de final, o que mais repercutiu nos últimos dias foi mesmo o abalo emocional exibido por jogadores, e até por membros da CBF, na primeira decisão do Brasil na Copa.

Lágrimas escorreram pelos rostos de vários jogadores antes mesmo da definição do confronto, incluindo o zagueiro e capitão Thiago Silva, colocando em dúvida se esse grupo da seleção tem condições de suportar a pressão de conduzir o Brasil a mais um título mundial, dessa vez atuando em casa. E isso estará em jogo no Castelão nesta sexta-feira.

Os jogadores, porém, tentam minimizar o que foi visto como um descontrole no Mineirão. “Foi a emoção pela partida. Jogar 90 minutos, depois prorrogação e pênaltis, com muito calor e mais de 200 milhões de brasileiros na torcida. O time está preparado para lidar com essa questão emocional dentro e fora do campo”, disse o volante Ramires.

O que se viu nos últimos dias, então, foi uma seleção que evitou mostrar os seus sentimentos. É exatamente o que se espera ser visto dentro de campo, diante da Colômbia. E até a psicóloga Regina Brandão foi acionada nos últimos dias para ajudar a controlar os nervos dos jogadores, contribuindo para uma mudança de comportamento dentro de campo em Fortaleza.

E a versão adotada pelos jogadores foi de que eles externaram a emoção por estarem focados na Copa. “O pessoal está colocando a questão emocional como um peso. Não vejo assim. Os jogadores estão vivendo essa Copa de forma muito intensa”, disse o goleiro Victor.

SUPERAÇÃO – Além de lidar com os seus nervos, a seleção também terá que superar um recente trauma na Copa. Afinal, após a conquista do pentacampeonato mundial em 2002, a seleção não foi além das quartas de final. Foi nesta fase que o Brasil perdeu em 2006 para a França e em 2010 para a Holanda, encerrando a sua participação no torneio.

“A gente não conversa sobre o que passou, vive o presente, o momento maravilhoso da carreira de cada um. Até mesmo os jogadores que estiveram nas últimas Copas. Evitamos falar do que aconteceu. Estamos focados no presente”, disse o volante Fernandinho.

Agora, diante da Colômbia, a seleção tenta avançar nas quartas de final para chegar viva na semana final da Copa. Para isso, porém, não basta controlar os nervos. Afinal, o Brasil tem oscilado demais desde a abertura da competição, com pouca compactação entre os setores e movimentação escassa no setor ofensivo.

Por isso, Felipão fez alguns testes nos últimos dias, como escalar um time com três zagueiros e sem um centroavante, em um indicativo de insatisfação com as atuações apagadas de Fred, mas só deve mesmo fazer uma mudança, obrigatória, para começar o jogo contra a Colômbia. Com Luiz Gustavo suspenso, Paulinho retorna ao time após ficar fora da partida com o Chile por opção do próprio treinador.

Assim, Fernandinho deve atuar como primeiro volante, ao contrário do que aconteceu no jogo com o Chile, quando ficou com a vaga de Paulinho. “Fui convocado como primeiro volante, joguei a temporada passada toda assim na Inglaterra (no Manchester City). Se ele optar por isso, não tem problema nenhum”, disse.

Os cartões amarelos, aliás, são outra preocupação para o jogo com a Colômbia. Afinal, o capitão Thiago Silva, os atacantes Neymar e Hulk e o lateral-direito Daniel Alves, além dos reservas Ramires e Jô, estão pendurados com um cartão amarelo e caso voltem a ser advertidos, ficarão fora de uma eventual semifinal.

CONFRONTO DIRETO – O principal temor, claro, envolve Neymar. Afinal, o craque é o principal jogador da seleção. E ele precisou superar dores no joelho direito e na coxa esquerda para enfrentar a Colômbia. Mas ele garante que a situação não vai atrapalhá-lo em campo. “Estou bem, não sinto dor. Pode ficar tranquilo”, afirmou.

E, nesta sexta-feira, o brasileiro terá pela frente o seu primeiro confronto direto com outro protagonista desta Copa. Se trata do meia James Rodríguez, o camisa 10 da Colômbia, que possui números até melhores do que o brasileiro, sendo o artilheiro da competição, com cinco gols. “James Rodríguez é um excelente jogador, um craque, apesar da pouca idade. Temos 22 anos. Espero que o ciclo dele acabe agora e a seleção siga na Copa”, disse Neymar.

O atacante brasileiro garante, inclusive, que não se incomoda com a pressão de ter que liderar a seleção em campo. “É uma responsabilidade gostosa que eu assimilo e gosto, sempre com ousadia e alegria, e de vencer sempre”, comentou a principal esperança de conduzir o Brasil às semifinais.

Enquanto isso, James Rodríguez comanda a seleção colombiana, uma das sensações dessa Copa, com 100% de aproveitamento em quatro jogos e uma classificação tranquila para as quartas de final, com a vitória por 2 a 0 sobre o Uruguai. E tentando levar a Colômbia para a sua primeira semifinal na história do torneio, o técnico Jose Pekerman deve repetir a mesma formação do triunfo sobre os uruguaios.

Entre eles, além de James Rodríguez, está o criativo e rápido meia Juan Guillermo Cuadrado. Serão esses dois jogadores colombianos e os próprios nervos que a seleção precisará controlar para voltar a disputar uma semifinal de Copa depois de 12 anos.

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Além do jogo do Brasil, sexta-feira reserva clássico europeu pela Copa do Mundo

Nesta sexta-feira (4) tem início as quartas de final da Copa do Mundo. Das 32 seleções que começaram no Mundial, apenas oito restaram no caminho em que só uma se consagrará campeã no próximo dia 13. E no primeiro dia desta etapa da competição tem Brasil em campo. A Seleção enfrenta a Colômbia, às 17h, na Arena Castelão, em Fortaleza, no Ceará.

Mas a sexta-feira de Copa reserva muito mais do que simplesmente o jogo do Brasil contra a Colômbia. Mais cedo, às 13h, França e Alemanha abrem os duelos das quartas de final no Maracanã, Rio de Janeiro. Para o clássico europeu, o técnico francês Didier Deschamps quer que a equipe aprimore todos os seus setores e apresente um futebol melhor do que aquele do jogo contra a Nigéria. “Precisamos continuar fazendo o que vínhamos fazendo até aqui, mas melhorar em todos os níveis”, declarou o técnico.

Quem também não está muito confiante em sua seleção é o alemão Neuer. Apesar de ser constantemente elogiado por suas atuações, o goleiro admitiu que o time está ciente que o rendimento pode ser melhor, mas também defendeu os companheiros, alegando que os resultados estão sendo positivos mesmo assim. “Não estamos felizes com nossas atuações, mas no final sempre estamos saindo como vencedores, com merecimento. É a vitória que importa”, disse.

Depois do duelo europeu, aí sim chega a vez do torcedor brasileiro juntar as forças para torcer pela seleção nacional, que apesar de ter pela frente um adversário que garantiu um aproveitamento de 100% em suas primeiras partidas e que conta com o atual artilheiro desta Copa – James Rodríguez -, ainda é considerada favorita no confronto, principalmente por jogar em casa.

No jogo em que desclassificaram os chilenos, alguns dos principais atletas brasileiros chegaram a chorar, tamanho era o nervosismo antes da disputa por pênaltis. “Foi a emoção pela partida. Jogar 90 minutos, depois prorrogação e pênaltis, com muito calor e mais de 200 milhões de brasileiros na torcida. O time está preparado para lidar com essa questão emocional dentro e fora do campo”, justificou o volante Ramires. Durante a última semana, uma psicóloga foi à Granja Comary, em Teresópolis, onde a Seleção está concentrada, para conversar com os jogadores.

Do outro lado, a seleção colombiana vem embalada da vitória de 2×0 sobre o Uruguai, pelas oitavas de final. Caso superem o Brasil no Castelão, conquistam pela primeira vez na história do futebol do país uma vaga para a semifinal da Copa. A expectativa é que o técnico Jose Pekerman siga o velho ditado “em time que está ganhando não se mexe” e entre com a mesma escalação de titulares que bateu a Celeste.

Entre eles, além de James Rodríguez, estão o meia Cuadrado e o lateral Armero, que já garantiu que, apesar do bom momento que vivem os cafeteros, não se pode dar bobeira contra os canarinhos. “O Brasil não é fraco, se você me perguntar. O que está acontecendo é que todas as equipes querem ir longe, é uma coisa que estamos vendo desde o início do Mundial. Todas as seleções querem vencer e estão mostrando isso. Também temos de reconhecer que o Chile é um oponente duro, com alguns grandes jogadores”, afirmou Armero.

As duas seleções que saírem vitoriosas nesta sexta se enfrentam na próxima terça (8), às 17h, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Confira as fichas técnicas:

Ficha Técnica: França x Alemanha

França: França: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny (Sakho), Evra; Cabaye, Matuidi, Sissoko (Pogba); Valbuena, Griezmann (Giroud), Benzema. Técnico: Didier Deschamps

Alemanha: Neuer; Boateng (Mustafi), Mertesacker, Hummels, Howedes; Lahm, Khedira (Schweinsteiger), Kroos; Ozil, Gotze, Muller. Técnico: Joachim Low

Quartas de final (Copa do Mundo). Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ). Sexta-feira (4), às 13h. Árbitro: Nestor Pitana (Argentina). Assistentes: Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti (ambos da Argentina)

Ficha Técnica: Brasil x Colômbia

Brasil: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Paulinho, Fernandinho e Oscar; Neymar, Hulk e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Colômbia: Ospina; Zúñiga, Zapata, Yepes e Armero; Aguilar, Sánchez, Cuadrado e James Rodríguez; Teófilo Gutiérrez e Ibarbo (Mejía). Técnico: Jose Pekerman.

Quartas de final (Copa do Mundo). Estádio: Arena Castelão, Fortaleza (CE). Sexta-feira (4), às 17h. Árbitro: Carlos Velasco (Espanha). Assistentes: Roberto Alonso Fernandez e Juan Yuste (ambos da Espanha).

Do NE10

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Felipão descarta clima de guerra em jogo com Colômbia no Castelão

Luiz Felipe Scolari não espera uma guerra diante da Colômbia, nesta sexta-feira, em Fortaleza, na disputa por uma vaga à semifinal da Copa do Mundo. O treinador da seleção disse que o jogo dos colombianos é parecido com o do Brasil e a tendência é de um futebol mais leal no Castelão. Bem-humorado, mas sem deixar de ser duro, Felipão garantiu que o discurso otimista a respeito do favoritismo brasileiro continua de pé. Nem poderia ser diferente.

“O Parreira tem toda a razão, somos, sim, favoritos. Dissemos que eram sete degraus (para ser campeão), já estamos no quinto. O discurso está certo. Nem poderia se diferente. Nosso torcedor não quer ouvir que não somos os favoritos”, avisou Felipão.

Para chegar ao sexto degrau (a semifinal da Copa), Felipão disse que é preciso respeitar a Colômbia, adversário no Castelão. Respeito, mas não entende o confronto como uma batalha. “O jogo com a Colômbia vai ser muito difícil, mas muito difícil mesmo. Mas bem diferente do que enfrentamos contra o Chile. Quando jogamos com os chilenos, uruguaios e argentinos, o clima é de guerra. Eles sempre têm uma artimanha, um jeito duro… é uma guerra”, explicou.

Nesse clima menos bélico, o técnico da seleção garantiu que não vai mudar o esquema tático do time e adiantou que não vai fazer uma marcação especial no meia James Rodríguez, a sensação da Colômbia e da Copa.

“O James é muito bom, a Colômbia tem grandes jogadores, mas não vamos fazer uma marcação individual. Nenhuma seleção nessa Copa fez uma marcação individual. A única que fez foi a Holanda no jogo contra o Chile com o Kuyt marcando aquele menino do Barcelona, o Alexis Sánchez. O Brasil vai marcar por setor, como sempre fizemos”, contou Felipão.

Depois de falar do adversário, Felipão voltou ao assunto da conversa reservada que teve com seis jornalistas durante a semana na Granja Comary. Questionado se estava arrependido de ter selecionado apenas seis profissionais no amplo universo da imprensa que acompanha a seleção na cobertura da Copa, o treinador voltou ao seu velho estilo.

“Não me arrependo. Que mal tem conversar com jornalistas que eu conheço há mais de 20 anos, que eu respeito, que são amigos? Conversei porque queria ouvir deles a respeito do nosso trabalho Qual é o problema? Quem não foi convidado achou ruim… fazer o quê? Ciúme de homem é ‘brabo’. Quem não gostou que vai pro inferno”, disparou o treinador.

Felipão disse ainda que não trocaria um dos 23 jogadores convocados por um que ele não chamou para a Copa. “O que disse é que acrescentaria um que tenha característica que se encaixa nos jogos que vamos ter daqui para frente. Só isso. Chamei 23, confio neles e vamos abraçados até o fim”, garantiu.

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pekerman quer que Colômbia esqueça invencibilidade

A Colômbia chegou às quartas de final como uma das duas únicas equipes a vencer todos os quatro jogos que fez até aqui na Copa do Mundo. Mas o técnico José Pekerman quer que a sua seleção esqueça esse histórico para o confronto desta sexta-feira, contra o Brasil, em Fortaleza, que vale classificação inédita para as semifinais de um Mundial.

“A chave é não pensar no que aconteceu antes. Para a Colômbia, cada partida é um novo desafio. Não podemos olhar atrás e pensar no que já fizemos. Temos que fazer nossa partida de acordo com o que estamos fazendo, com confiança, sem sentir que há um favorito. Encarar como temos encarado cada um dos rivais”, disse o treinador argentino da seleção colombiana, nesta quinta, na entrevista coletiva pré-jogo.

Pekerman, como não poderia ser diferente, disse que espera uma partida difícil. “São quartas de final, briga-se para entrar entre os quatro semifinalistas. Chegar à semifinal é um salto altíssimo e por isso é uma partida determinante. Respeitamos e sabemos que o Brasil tem grandes jogadores, mas todos já viram que a Colômbia também tem”, comentou.

Ele elogiou a forma como a sua equipe vem se comportando durante a Copa do Mundo, tendo inclusive o artilheiro do Mundial, o meia James Rodrigues, que já fez cinco gols. “Havia uma curiosidade de como a Colômbia viria para esta Copa e a equipe esteve à altura da Colômbia e à altura do que é o futebol de hoje.”

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Seguro, Thiago Silva vê grupo da seleção em bom estado emocional

O capitão Thiago Silva disse não ter do que se desculpar pelo “chororô” na partida contra o Chile, duelo dramático até a última cobrança de pênalti, desperdiçada por Jara, sábado passado, no Mineirão. Em entrevista nesta quinta-feira, o zagueiro da seleção manteve a postura sem se abalar com tudo o que foi dito dele, na mídia e na rua, e garantiu ter a confiança de quem mais lhe interessa, o chefe Luiz Felipe Scolari, que estava ao seu lado na coletiva no Castelão.

“Não tenho nada engasgado sobre isso. Pelo contrário. Não escutei tudo o que disseram nem li todos os comentários. O que foi dito de negativo não vai me agregar em nada”, disse Thiago Silva, para depois reconhecer suas características emotivas numa partida dura para a seleção.

“É a coisa mais natural do mundo esse tipo de pressão. Quando a gente se entrega ao que ama fazer, é assim mesmo. Tive uma descarga emocional (na hora dos pênaltis). Se a gente perdesse, voltaria para casa. Havia muita pressão para ganhar o jogo. Mas estamos bem em termos psicológicos. Eu me entrego de corpo e alma ao que faço. Não tem como não se emocionar. Mas estamos tranquilos para o jogo com a Colômbia”, disse Thiago Silva, sempre de cara fechada.

O zagueiro continuará com a tarja de capitão até o fim da Copa. Isso não muda. O que poderá mudar é sua postura emocional em campo. Thiago Silva entendeu que o momento é do Brasil por estar jogando em casa, que essa força da torcida mostrada nos estádios deve ser capitalizada como algo positivo e não para aumentar a pressão do time. “Se tivesse de dizer alguma coisa para o grupo, diria isso. ‘É o nosso momento'”, revelou.

Nesses três dias em Teresópolis antes da viagem para Fortaleza, Felipão tratou de colocar um ponto final nas fraquezas emotivas de seus jogadores. O que passou na decisão contra o Chile ficou para trás. Esse é o recado da comissão técnica. Dessa forma, a liderança arranhada do capitão será retomada com o apoio do grupo.

Thiago Silva se apega ao fato de o treinador não contestar seu comportamento. Nem Felipão nem os colegas. “Em nenhum momento o comandante contestou minha atitude. O próprio Marin (José Maria Marin, presidente da CBF) me ligou para me dar tranquilidade. Não tenho de ligar para o que as pessoas falam. A emoção é uma coisa natural e ela não me atrapalha em campo. Tem gente falando muita bobagem”, afirmou.

Para rebater as críticas, Thiago Silva recorreu ao seu passado e lembrou que é um vencedor por já ter derrotado uma tuberculose. “Já passei por um momento difícil na vida, que foi vencer a tuberculose. Corri risco de morte. Sei que tenho minhas responsabilidades. As opiniões sobre o que nos aconteceu contra o Chile (um time visivelmente abatido emocionalmente) estão divididas. Precisamos do apoio de todos e não deixaremos entrar no nosso ambiente nada de negativo”, avisou o capitão.

Fonte: Agência Estado

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.