Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Sport anuncia contratação do meia Thiago Lopes

Atleta de 24 anos defendeu o Vitória na última temporada e tem maior parte da carreira no Coritiba, clube pelo qual formou-se e foi revelado

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Após confirmar a chegada do atacante Maxwell, o Sport anunciou a contratação do meia Thiago Lopes como reforço para temporada de 2021. Aos 24 anos, o atleta assina em definitivo com o Rubro-negro, segundo confirmado pela assessoria de imprensa.

Natural de Mogi Mirim, em São Paulo, o meia estava no Vitória na última temporada e agora defenderá o quarto clube da carreira. Ele tem passagens também por Londrina e Coritiba – onde formou-se e foi revelado, em 2015, e declarou-se satisfeito com o acordo na Ilha do Retiro.

“Muito feliz em chegar a um clube que faz parte dos maiores do Brasil e em ter essa oportunidade de jogar na elite. O Sport é reconhecido por todos como uma camisa de peso e tradição e fico muito feliz em fazer parte disso. Espero começar a treinar, trabalhar duro e consequentemente poder ser uma opção para o treinador.”

Thiago Lopes chega para reforçar um dos setores mais carentes do elenco rubro-negro neste momento, uma vez que a equipe conta apenas com Thiago Neves e o prata da casa Gustavo. Desde o fim do ano passado, o clube terminou perdendo dois atletas que atuavam no setor: caso de Lucas Mugni, que recusou a renovação de contrato, e Jonatan Gómez, que acionou o Leão na Justiça.

O meia torna-se a quarta contratação do Sport para esta temporada. Até o momento, o clube pernambucano anunciou outros três atacantes: Jonas Toró, Neílton e Maxwell.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

FPF anuncia que São Bento x Palmeiras não será mais em Belo Horizonte

Governo mineiro comunicou nesta terça a entrada na fase mais rígida de combate à Covid-19

Por Emilio Botta — Sorocaba, SP

Globo Esporte

A Federação Paulista de Futebol divulgou nesta terça-feira que a partida entre São Bento e Palmeiras não mais será disputada no estádio Independência, em Belo Horizonte. Agora, resta a definição da nova data e do novo local.

Inicialmente marcada para a próxima quarta-feira, às 19h, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, a partida válida pela terceira rodada do Campeonato Paulista foi transferida para Belo Horizonte, em virtude de fase mais restrita no estado de São Paulo por conta da disseminação da Covid-19.

Nesta quarta-feira, porém, tudo mudou. O governo de Minas Gerais anunciou a proibição de jogos de futebol de equipes de outros estados em território mineiro. Minas entra, nesta quarta, na “Onda Roxa” do Minas Consciente, programa de enfrentamento à Covid-19, com medidas mais duras para tentar conter o avanço da pandemia, válidas por 15 dias e obrigatórias para todas as cidades mineiras.

– Penso que tudo acontece para o bem. Se foi cancelado, é isso que era para ser – disse o presidente do São Bento, Almir Laurindo.

Independência — Foto: Divulgação

Independência — Foto: Divulgação

Três partidas, envolvendo equipes de fora de MG, estavam previstas em BH e no interior, a partir de quarta-feira. Além de São Bento e Palmeiras, pelo Paulistão, dois jogos pela Copa do Brasil seriam disputados em solo mineiro: Marília x Criciúma, na quarta, em Varginha, além de Palmas x Avaí, em Belo Horizonte.

Veja a nota da Federação:

Em razão das novas medidas de restrição anunciadas pelo Governo de Minas Gerais, a Federação Paulista de Futebol informa que está suspensa a partida entre São Bento e Palmeiras, que ocorreria na noite desta quarta-feira (17), no estádio Independência.

Confira abaixo a nota oficial do São Bento:

A partida entre São Bento x Palmeiras válida pela 3° rodada do Campeonato Paulista A1, que aconteceria em Belo Horizonte foi suspensa pela FPF. Aguardamos maiores informações na reunião de hoje, às 15h, entre presidentes dos clubes e FPF.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sport inicia semana focado em resolver dívidas que rendem punições na FIFA e na CNRD

Clube promete pagar débito de R$ 6 milhões com o Sporting, de Portugal, e tenta negociar soma de R$ 1 milhão que sobre casos ligados a Agenor, Marquinhos e Leandro Pereira

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Sem poder contar com parte do elenco para a temporada 2021, o Sport inicia a semana focado em solucionar as dívidas pendentes na Fifa e na Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF. Isso porque o Rubro-negro está punido com a proibição de inscrever novos jogadores e precisa pagar um débito somado em cerca de R$ 7 milhões nas entidades.

No último domingo, inclusive, o técnico Jair Ventura afirmou que a sanção ordenada pela CNRD impede o clube até mesmo de registrar renovaçõesDiferentemente do posicionamento oficial da Confederação Brasileira de Futebol, via assessoria de imprensa.

A principal preocupação da diretoria neste momento tem sido o caso na FIFA, devido ao risco de sofrer novas sanções – como retirada de pontos e rebaixamento. O clube deve € 907.500,00 (cerca de R$ 6 milhões) ao Sporting, referente à compra do atacante André, e promete pagar aos portugueses no início desta semana, segundo o presidente licenciado do Leão, Milton Bivar.

Nos bastidores, o Sporting confirma que está em contato com a equipe pernambucana, mas ainda não recebeu o pagamento correspondente. Por considerar o Rubro-negro como mau pagador, os portugueses só aceitam receber o valor total da dívida. Desde o ano passado, inclusive, o clube negou propostas de parcelamento e até negociação de percentuais de pratas da casa do Leão – caso do zagueiro Adryelson e do atacante Juninho na época.

Na Câmara Nacional de Resolução de Disputas da CBF, o montante soma cerca de R$ 1 milhão e corresponde aos casos envolvendo o goleiro Agenor, e os atacantes Marquinhos e Leandro Pereira.

O plano da diretoria do Sport neste momento é tentar uma negociação para postegar o prazo de pagamento ou dividir o valor. No entanto, no que depender dos representantes das ações sobre Agenor e Marquinhos, há uma tendência de que o clube encontre resistência por um novo acordo.

Isso porque o Rubro-negro chegou a acertar um parcelamento das dívidas no ano passado, mas pagou apenas parte das parcelas – ao fim do ano passado – alegando dificuldades financeiras por conta da pandemia causada pela Covid-19. Com o débito mantido, a CNRD ordenou o bloqueio de inscrições ao clube, válido desde o dia 8 de março.

O que é fato sobre as punições até aqui

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Satisfeito com mudança de postura, Brigatti vê início de nova fase no Santa Cruz

Treinador coral mostrou-se feliz com a atitude do time no segundo tempo diante do Sport

Do Globo Esporte PE

Melhores momentos: Santa Cruz 1 x 1 Sport pela 3ª rodada do Campeonato Pernambucano

Mesmo sem vencer vencer desde o dia 24 de fevereiro, com apenas um triunfo em seis jogos, o técnico João Brigatti vibrou com o empate em casa diante do Sport. Nem tanto pelo resultado diante do arquirrival, conquistado nos minutos finais do clássico deste domingo, mas pela mudança de postura do Santa Cruz. Para o comandante, sinal de uma nova fase no Arruda.

– O que estou mais feliz hoje, um resultado de empate, a gente poderia ter vencido, poderia ter perdido, é a mudança de comportamento dos atletas, dentro da competição, dentro da partida. Hoje inicia-se uma nova fase dentro do Santa Cruz. Pode ter certeza. Que é com esse espírito que a gente vai estar sempre cobrando os atletas, sempre buscando a vitória. É um perfil meu e não vou abrir mão disso.

Brigatti, contudo, voltou a defender seu trabalho, resgatando reclamações que já haviam sido colocadas em público depois dos primeiros tropeços. Queixando-se do calendário apertado, principalmente.

– Lógico que nós precisamos de tempo de treinamento e não temos tempo para treinamentos. Estamos escalando a equipe e passando as informações a respeito da equipe adversária em cima do quadro tático. Isso é muito difícil. Você trocando pneu de uma carreta em descida, em alta velocidade. Isso é cruel. Mas não estou aqui para pedir calma.. que respeite a gente pelo menos. Estamos sendo execrados por um início ruim. Mas tudo tem um motivo. Todos nós queremos vencer. Mas é preciso se preparar para a vitória. É isso que estamos fazendo aqui. Trabalhando muito, dia e noite, para que a gente possa fazer um Santa Cruz vencedor, um Santa Cruz campeão. Somos trabalhadores. E, principalmente, somos qualificados para poder trabalhar no Santa Cruz.

Em relação às dificuldades no clássico, principalmente no início, o treinador coral preferiu elogiar o rival. Mas depois destacando o poder de reação do Santa.

– Principalmente no primeiro tempo, nós pegamos uma equipe que está acostumada a jogar reativa, até pelo Campeonato Brasileiro da Série A, uma equipe muito bem montada pelo Jair, uma qualidade técnica e física dos atletas do Sport que nos trouxeram problemas. Mas jamais deixamos de propor jogo. Fomos para cima do Sport desde o primeiro tempo. Só que nossa equipe estava insistindo com bolas por dentro. E era tudo que o Sport queria. Tanto que o gol, na saída eles conseguiram fazer um abafa em cima de nossa defesa, e conseguiram o 1×0 no primeiro tempo, justificou.

E já emendando a análise sobre a segunda metade do clássico.

– No segundo tempo nós mudamos mudamos algumas peças, acho que a equipe teve uma evolução maior, adiantamos as linhas de marcações, trabalhamos por dentro também, trabalhamos pelos lados, enfim, eu acho que o resultado reflete a mudança de comportamento dentro do gramado. E isso me deixa muito feliz porque vislumbra uma equipe guerreira, uma equipe qualificada, que você pode ter certeza que será o Santa Cruz.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Hélio dos Anjos vai aproveitar jogo-treino com Palmeira-RN para dar ritmo e fazer testes no Náutico

Partida com caráter de amistoso acontece na segunda-feira, às 15h30, no CT Wilson Campos e serve, entre outras coisas, para não deixar ritmo do time cair com parada de 15 dias sem jogos oficiais

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

No meio de um intervalo de 15 dias sem jogos, o Náutico fará, nesta segunda-feira, no CT Wilson Campos, um jogo-treino contra o Palmeira-RN. Será oportunidade para Hélio dos Anjos dar ritmo de jogo à equipe, que só disputou dois duelos oficiais na temporada, e para fazer testes na equipe.

Hélio decidiu marcar essa partida amistosa para que o time não perca totalmente o ritmo. O treinador chegou a afirmar que, embora goste de ter tempo para trabalhar o tempo, preferia não ter intervalos tão grandes entre partidas (o Náutico jogou contra o Sete de Setembro no dia sete de março e só volta a jogar pelo Pernambucano no dia 21, contra o Vera Cruz).

Por isso, o jogo-treino serve para simular a exigência de um jogo competitivo, em geral maior do que em treinamentos coletivos.

Além disso, Hélio usará a partida para fazer testes e dar condição a alguns jogadores. Dois deles, principalmente: o lateral-esquerdo Rafinha, contratado com a temporada em andamento, e o meia-atacante Matheus Carvalho, que se recuperou de uma lesão muscular recente e não joga uma partida oficial desde fevereiro do ano passado.

Rafinha, provavelmente, começará jogando, embora provavelmente não tenha condições de atuar a partida inteira. O duelo contra o Palmeira vai servir como uma espécie de ensaio para o jogo do domingo seguinte, contra o Vera Cruz, quando, aí sim, Hélio dos Anjos conta com ele para a maior parte do tempo.

Essa entrada é importante porque o Timbu só conta com ele para a posição, já que o outro lateral-esquerdo do elenco, Kevyn, está em uma batalha jurídica com o clube.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jogo suspenso ou encerrado? Definição de Juazeirense x Sport deve ir para o STJD

Árbitro quis reiniciar partida após mais de uma hora de paralisação, mas Leão se recusou a voltar, alegando iluminação precária; antes, baianos usaram a mesma reclamação; Rubro-negro pedirá perícia do estádio

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Melhores momentos: Juazeirense 3 x 2 Sport, pela primeira fase da Copa do Brasil

A partida entre Juazeirense e Sport, paralisada por mais de uma hora por queda de energia elétrica no Estádio Adauto Morais, no Sertão baiano, deve ser definida nos tribunais. A equipe pernambucana perdia por 3 a 2, resultado que a eliminaria da Copa do Brasil, quando o duelo foi suspenso, faltando cinco minutos para terminar de acordo com o cronômetro.

Inconformado com os acontecimentos, o Rubro-negro pedirá uma perícia no estádio (veja abaixo o posicionamento jurídico dos pernambucanos).

Depois de esperar dois períodos de trinta minutos pelo restabelecimento da energia, como manda o Regulamento Geral das Competições da CBF, o árbitro catarinense Ramon Abatti Abel tentou recomeçar a partida. Mas o time do Sport se recusou a continuar, alegando iluminação precária no estádio. No início da confusão, foi a Juazeirense que havia reclamado do mesmo problema.

Sandro Meira Ricci analisa as confusões do jogo entre Juazeirense e Sport

Refletores se apagam, no jogo entre Juazeirense e Sport, pela Copa do Brasil

Na súmula do jogo, o árbitro relata as quedas de energia, mas deixa claro que a partida não foi reiniciada por conta da recusa do Sport, em decorrência da pouca iluminação.

– Aos 51 minutos houve nova queda de energia e a iluminação ficou novamente insuficiente, após 30 minutos os refletores foram parcialmente religados. Mesmo nessas condições, decidi com a equipe de arbitragem que havia condições de reinício de jogo e comuniquei as equipes, mediante seus capitães, o Sr. Wagner Henrique dos Santos Silva, nº 05, da equipe mandante e o sr. Patric Cabral Lalau, nº 02, da equipe visitante. Nesse momento, o capitão da equipe visitante informou que iria esperar o retorno da iluminação total. Aguardei mais 20 minutos para ver se a condição melhorava, o que não aconteceu. Novamente conversei com os capitães das equipes e informei que a partida seria reiniciada em 10 minutos, já que para mim a iluminação era suficiente. Solicitei que comunicassem suas equipes que havia condições de jogo.

– Transcorridos estes 10 minutos, me posicionei com equipe de arbitragem no campo de jogo para o reinício dos 5 minutos restantes da partida. A equipe mandante posicionou-se prontamente para o reinicio, porém a equipe visitante negou-se a se posicionar para o reinício da partida, assim me dirigi ao banco de reservas onde a equipe se encontrava e fui informado pelo capitão sr. Patric Cabral Lalau que a equipe não retornaria para reinício do jogo. Diante da negativa da equipe do Sport em não retornar à formação para o reinício do jogo, informei a todos que por este motivo a partida estava encerrada.

O Sport, por sua vez, solicitou à CBF uma perícia no estádio. A intenção do clube pernambucano é saber se a Juazeirense tem responsabilidade nas ocorrências, situação que daria ao Leão a chance de mudar o resultado do jogo no STJD. É o que diz o vice-presidente jurídico rubro-negro, Manoel Veloso.

– Devido aos impressionantes e injustificáveis eventos ocorridos na noite desta quarta-feira no jogo Juazeirense x Sport, pedimos que o Delegado do Jogo e/ou a CBF determine a realização de uma perícia detalhada no local, devendo passar pelo estádio e o campo de jogo. Perícia esta que deve se dar especificamente no sistema de irrigação do campo, refletores e suas conexões elétricas, geradores de energia, parte elétrica do estádio, parte elétrica no entorno do estádio (para atestar se houve queda de energia por culpa da companhia elétrica), assim como demais instalações físicas do estádio.

O dirigente finaliza dizendo que o clube vai arcar com os custos e que também solicitou à CBF que oficie a companhia de energia elétrica da cidade de Juazeiro para informar se houve alguma queda no local e no horário da partida entre os clubes.

Caso consiga provar alguma interferência da Juazeirense nas quedas de energia, o Sport tentará fazer com que o adversário seja punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O responsável pela causa da paralisação seria declarado perdedor por 3 a 0, independentemente do placar em campo, segundo o artigo 19 do regulamento. Se a Juazeirense, neste caso, não for considerada culpada, permanece o resultado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Súmula relata recusa do Sport como determinante para término da partida contra a Juazeirense

Árbitro Ramon Abatti Abel afirma que, mesmo após o aval do trio de arbitragem, Rubro-negro recusou-se a se posicionar para o reinício da partida

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

No que depender da súmula do árbitro catarinense, Ramon Abatti Abel, o Sport terá dificuldades para mudar o resultado da derrota por 3 a 2 para a Juazeirense, na última quarta-feira. Isso porque, embora tenha relatado as duas quedas de energia, o juiz deixou claro no documento que o encerramento do jogo foi motivado pela recusa do Rubro-negro, por conta da pouca iluminação.

Nos relatos, ele ainda evidencia que a equipe mandante aceitou as condições de jogo, que teriam sido aprovadas pelo trio de arbitragem.

Segundo Ramon Abatti Abel, o trio de arbitragem optou pelo retorno da partida após a segunda queda de energia. Neste momento, o lateral Patric, capitão do time pernambucano, relatou que esperaria o retorno total da iluminação. O que não aconteceu e fez com que o Rubro-negro optasse por não se posicionar para o reinício. Confira a súmula abaixo.

Súmula do jogo entre Juazeirense e Sport — Foto: Reprodução

Súmula do jogo entre Juazeirense e Sport — Foto: Reprodução

Antes mesmo da publicação do documento, o vice-presidente jurídico do Sport, Manoel Veloso, decidiu por solicitar à CBF uma perícia no estádio, que será custeada pelo Rubro-negro. A ideia do clube pernambucano é tentar esclarecer se houve interferência da Juazeirense nas quedas de energia.

– Devido aos impressionantes e injustificáveis eventos ocorridos na noite desta quarta-feira no jogo Juazeirense x Sport, pedimos que o Delegado do Jogo e/ou a CBF determine a realização de uma perícia detalhada no local, devendo passar pelo estádio e o campo de jogo. Perícia esta que deve se dar especificamente no sistema de irrigação do campo, refletores e suas conexões elétricas, geradores de energia, parte elétrica do estádio, parte elétrica no entorno do estádio (para atestar se houve queda de energia por culpa da companhia elétrica), assim como demais instalações físicas do estádio.

Sandro Meira Ricci analisa as confusões do jogo entre Juazeirense e Sport

Caso prove alguma interferência da Juazeirense nas quedas de energia, o Sport tentará fazer com que o adversário seja punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. De acordo com o artigo 19 do regulamento, o responsável pela causa da paralisação seria declarado perdedor por 3 a 0, independentemente do placar em campo. Se a Juazeirense, neste caso, não for considerada culpada, permanece o resultado.

VEJA O QUE DIZ A SÚMULA DO JOGO

 Informo que aos 50 minutos do segundo tempo houve uma queda de energia em duas torres de iluminação do estádio, fato este que impossibilitou a sequência do jogo. Após 20 minutos de paralisação, a iluminação se restabeleceu e a partida foi reiniciada. Aos 51 minutos houve nova queda de energia e a iluminação ficou novamente insuficiente, após 30 minutos os refletores foram parcialmente religados. Mesmo nessas condições, decidi com a equipe de arbitragem que havia condições de reinício de jogo e comuniquei as equipes mediante seus capitães o sr. Wagner Henrique dos Santos Silva, nº 05 da equipe mandante e o sr. Patric Cabral Lalau, nº 02 da equipe visitante. Nesse momento, o capitão da equipe visitante informou que iria esperar o retorno da iluminação total.

Aguardei mais 20 minutos para ver se a condição melhorava, o que não aconteceu. Novamente conversei com os capitães das equipes e informei que a partida seria reiniciada em 10 minutos, já que para mim a iluminação era suficiente. Solicitei que comunicassem suas equipes que havia condições de jogo.

Transcorridos estes 10 minutos, me posicionei com equipe de arbitragem no campo de jogo para o reinício dos 5 min restantes da partida. A equipe mandante posicionou-se prontamente para o reinício. Porém a equipe visitante negou-se a se posicionar para o reinício da partida. Assim me dirigi ao banco de reservas onde a equipe se encontrava e fui informado pelo capitão sr. Patric Cabral Lalau que a equipe não retornaria para reinício do jogo. Diante da negativa da equipe do Sport em não retornar a formação para o reinício do jogo, informei a todos que por este motivo a partida estava encerrada.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Governo de São Paulo estuda paralisar o Campeonato Paulista

Procurador-geral de Justiça havia sugerido que competição parasse; Federação Paulista de Futebol marca reunião para tentar manter a disputa

Por Redação do ge — São Paulo

Globo Esporte

O governo do Estado de São Paulo estuda paralisar o Campeonato Paulista.

A decisão deve ser anunciada nesta quarta-feira, como consequência do agravamento da pandemia no Estado. A competição teve disputadas as três rodadas iniciais, de um total de 12, da primeira fase.

Segundo a Rádio CBN, o governador João Doria (PSDB) anunciará a suspensão das partidas em entrevista coletiva na quarta.

Em nota, o governo do Estado de São Paulo confirmou ao ge que estuda a paralisação. Diz a nota:

“O Governo de SP analisa a recomendação do Procurador-Geral de Justiça, Mario Sarrubo, de acordo com os parâmetros científicos e em conjunto com a equipe técnica do Centro de Contingência. Tão logo tenha a decisão consolidada, o Estado vai comunicar de forma clara e transparente. Todas as medidas adotadas pelo Governo de SP são avaliadas pelo Centro de Contingência e pela Vigilância Sanitária Estadual, que baseia-se em critérios técnicos e de saúde, e podem ser ajustadas mediante parecer e recomendação dos especialistas e autoridades sanitárias”

Federação tenta manter o campeonato

A Federação Paulista de Futebol tenta manter o campeonato em andamento. Também na quarta, às 10h, antes da entrevista de Doria, a entidade terá uma reunião virtual com o Ministério Público Estadual – e articula para que o governo paulista também esteja presente.

A possibilidade de paralisação ocorre depois de o Procurador-geral de Justiça, Mario Luiz Sarrubbo, ter sugerido a suspensão de atividades esportivas e religiosas enquanto durasse a fase vermelha (a mais restritiva) do Plano São Paulo de combate à pandemia do novo coronavírus. Estão liberadas apenas as atividades consideradas essenciais.

A ideia sofre resistência dos clubes participantes do Paulistão e da própria Federação Paulista de Futebol. Em nota, a entidade que comanda o futebol em São Paulo manifestou “contrariedade à recomendação”, citando “critérios científicos” para defender a continuidade do torneio.

Se a decisão de parar o Paulistão for confirmada, será a segunda paralisação em um intervalo de um ano. Em 16 de março de 2020, quando a pandemia começava a se espalhar pelo Brasil, a Federação Paulista anunciou que o futebol estava suspenso no estado. Os jogos só voltaram quatro meses depois, em 22 de julho.

São Paulo registra mais de 62 mil mortes por Covid – e mais de 2 milhões de casos. A taxa de ocupação de UTI supera os 80% no Estado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Carente de atacantes, Santa Cruz aposta nos jovens canhotos Madson e Quiñonez como pontas

Com Pipico sendo o único remanescente da temporada passada no ataque, direção coral foi ao mercado e trouxe dois jovens jogadores para reforçar elenco

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Depois das chegadas dos goleiros Filipe Silva e Martín Rodríguez, o Santa Cruz foi ao mercado e já confirmou a contratação de mais cinco jogadores – Alan Cardoso, Elicarlos, Marcos Vinícius, Quiñonez e Madson.

Da lista, os atacantes e canhotos Jean Quiñonez e Madson são também os mais jovens entre os nomes recém-anunciados. Eles chegam para minimizar um problema que o Tricolor apresenta desde a temporada passada – a ausência de opções para os lados do ataque.

Entre os atletas que se apresentaram para o início da temporada, Pipico é o único remanescente do plantel que disputou a Série C. Léo Gaúcho, Vinicius Balotelli, Arian, Felipe Almeida e Ytalo Araújo estão entre os atletas oriundos das categorias de base e promovidos ao elenco principal.

Neste início de temporada, o técnico João Brigatti tem apostado num esquema com três zagueiros, fazendo com que os meias Didira e Chiquinho sejam as peças que mais encostam em Pipico. Dos jogadores de lado de campo, Felipe Almeida é o que mais tem recebido oportunidades no setor. Sem Leonan, Vinicius Balotelli vem sendo um dos atletas testados na ala esquerda.

Madson

Com passagens pelas categorias de base de Joinville e Corinthians, Madson é um jogador de extrema, caindo tanto pela esquerda quanto pela direita. Seu melhor momento foi pelo sub-20 do Timão em 2019, quando marcou seis gols em competições oficiais após disputar o Campeonato Goiano pelo Atlético-GO.

No ano passado, o atleta de 21 anos chegou a ser aproveitado pelo técnico Tiago Nunes na Pré-Libertadores, diante do Guaraní-PAR. Sem espaço no Corinthians, foi emprestado na sequência para Fortaleza e Oeste. Seu contrato com o alvinegro paulista vai até junho de 2023.

Jean Quiñonez

Equatoriano de 19 anos, Jean Carlos Quiñonez Preciado chegou ao Brasil no ano passado e foi campeão paulista com o sub-20 do Palmeiras. Na maioria dos jogos, foi utilizado como lateral-esquerdo e foi relacionado pelo técnico Abel Ferreira para duas partidas do time principal.

Assim como Madson, Quiñonez já treina com o restante do elenco e se mostrou apto a entrar em campo com a camisa do Santa Cruz. Ele vinha treinando normalmente no Palmeiras, até que não teve seu contrato renovado e acertou em definitivo com o Tricolor do Arruda.

Na temporada 2020, a posição foi alvo de diversas cobranças do técnico Itamar Schulle – que falou da necessidade de contratar peças com característica de drible. Durante o ano, atletas como Didira, Chiquinho, Mayco Félix e Victor Rangel foram utilizados no setor.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Emprestado pelo São Paulo, Toró viaja ao Recife para assinar com o Sport

Para poder inscrevê-lo, clube pernambucano terá que quitar dívida com o Sporting, de Portugal, que foi parar na Fifa

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Emprestado pelo São Paulo ao Sport até o final desta temporada, o atacante Toró viajou nesta terça-feira ao Recife para assinar com o novo clube. Para inscrevê-lo, entretanto, o clube pernambucano terá que quitar a dívida com o Sporting pela compra do atacante André. A questão foi parar na Fifa, que o puniu impedindo de registrar novos atletas.

Revelado em Cotia, Toró está inscrito no Campeonato Paulista, e entrou em campo apenas no último jogo, na vitória sobre o Santos, por 4 a 0. Com o técnico Fernando Diniz, o atacante foi pouco utilizado na temporada passada.

Toró tem contrato com o São Paulo até dezembro de 2022 e ficará no clube pernambucano até o fim desta temporada.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.