Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Cria do Sport, Adryelson faz dois gols em dois jogos pelo Al-Wasl e desperta interesse no mercado

Zagueiro tem contrato com Rubro-negro até julho de 2023, mas está emprestado até a metade deste ano; times do Brasil, Estados Unidos e Emirados Árabes fizeram sondagens

Por Camila Alves — Recife

Globo Esporte

Adryelson chegou aos Emirados Árabes – por empréstimo do Sport – após se destacar no Campeonato Brasileiro. Agora, o zagueiro de 23 anos volta a despertar interesse no mercado por um novo motivo. Marcou dois gols nas duas últimas partidas do Al-Wasl e faz uma temporada de bons números pela equipe.

O defensor balançou as redes na vitória por 5 a 0 sobre o Al Urooba e na derrota por 4 a 3 para o Al Ain. Ao longo das últimas semanas, clubes do Brasil, Estados Unidos e Emirados Árabes chegaram a procurar os representantes do zagueiro.

– Tem alguns clubes do Brasil procurando saber a situação dele. De fora do país também, para saber questões de valores. Não teve proposta oficial ainda, até porque sabem que é complexo o acerto, por ele estar emprestado – afirma o empresário Eduardo Cornacini.

Adryelson está emprestado ao Al-Wasl até a metade deste ano e tem contrato definitivo com o Sport até julho de 2023. Apesar disso, uma volta do zagueiro ao Rubro-negro se torna improvável no momento devido aos valores dos salários envolvidos.

O Al-Wasl, por sua vez, tem uma cláusula de compra prevista em contrato – para ser exercida até maio. Em meio a este cenário, o empresário de Adryelson esteve nos Emirados Árabes no último mês para avaliar a situação do atleta.

– O clube ainda não se manifestou em relação a compra, mas eles têm até dia 31 de maio para isso. Acredito que vão esperar até mais próximo do fim do campeonato – afirma.

O valor de compra está estipulado em 1,5 milhão de dólares (R$ 8,45 milhões na cotação atual). Mas o Sport só tem direito a cerca de 25% do montante no negócio.

Contratado pelo Al-Wasl em 2021, Adryelson atuou em todas as 17 partidas do clube nesta temporada. Foram sete vitórias, seis empates e quatro derrotas. Um aproveitamento de 52,9% em campo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morre João Caixero, ex-presidente do Santa Cruz, aos 86 anos

Morte ocorreu na madrugada desta sexta-feira (7). Ele estava internado desde a última semana de dezembro de 2021.

Por g1 PE e TV Globo

João Caixero, ex-presidente do Santa Cruz, morreu na madrugada desta sexta-feira (7). Ele tinha 86 anos e estava internado desde a última semana de dezembro de 2021 .

O nome do hospital onde João Caixero estava internado e a causa da morte dele não foram informados pela família.

Apaixonado pelo Santa Cruz, João Caixero foi presidente do clube em 1974. Além disso, passou 22 anos escrevendo um livro sobre a história do time de futebol. “Santa Cruz de corpo e alma” foi lançado em 2016.

João Caixero era apaixonado pelo Santa Cruz, clube do qual foi presidente em 1974 — Foto: Reprodução/TV Globo

João Caixero era apaixonado pelo Santa Cruz, clube do qual foi presidente em 1974 — Foto: Reprodução/TV Globo

O dinheiro arrecadado com a venda do livro foi utilizado para ajudar na construção do Centro de Treinamento do Santa Cruz. João Caixero esteve à frente da obra, que era um grande sonho dele.

De acordo com a família de João Caixero, o velório dele é realizado, a partir das 10h desta sexta-feira (7), na sede do Santa Cruz, localizado no bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife. O local e o horário do enterro não foram divulgados até a última atualização desta reportagem.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sem acordo, Sport descarta renovação de contrato com o atacante Vander Vieira

Atacante está na Ilha do Retiro desde a última temporada, mas não estreou por conta do erro nas inscrições dos reforços contratados na reta final do Brasileiro

Por Camila Alves — Recife

Globo Esporte

Vander Vieira não permanecerá no Sport. Após o término do contrato com o atacante, o clube apresentou uma proposta de renovação ainda em dezembro. Mas as partes não chegaram a um consenso sobre os valores.

A informação havia sido divulgada inicialmente pelo canal Eu Pratico Sport e foi confirmada pelo vice-presidente de futebol do Leão, Augusto Carreras.

– Não houve acordo para renovação do contrato – afirma o dirigente.

O Rubro-negro pernambucano havia demonstrado interesse em contar com o atacante para 2022 e apresentou uma proposta nas últimas semanas. Mas os valores requisitados estiveram acima do orçamento do clube, que disputará a Série B neste ano.

Vander Vieira chegou ao Sport em setembro do ano passado, com a equipe sob o comando do técnico Gustavo Florentín, mas não pôde estrear pelo Leão. Ele estava em meio aos quatro atletas não inscritos na Série A, por conta do erro que derrubou a diretoria de futebol do clube, no início de outubro.

Diretoria do Sport deixa o clube após erros na inscrição de jogadores

Com a saída confirmada do atacante, apenas o goleiro Saulo permanece, dentre os quatro não inscritos por erro do departamento de futebol. O volante Nicolás Aguirre voltou para a Argentina, ainda durante a última temporada, e o lateral-direito Jefferson foi emprestado ao Náutico.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Gustavo Florentín quer Sport protagonista em 2022 e pede união à torcida: “Objetivo muito grande”

Após recesso no Paraguai, treinador comanda preparação do time para a nova temporada; clube disputa a Série B do Brasileiro, além do Pernambucano, Nordestão e Copa do Brasil

Por Redação do ge — Recife

Gustavo Florentín iniciou nesta terça-feira a preparação do Sport para a temporada de 2022. De contrato renovado na Ilha do Retiro, o técnico paraguaio tem quatro competições pela frente e diz trabalhar em busca de um Rubro-negro protagonista neste ano.

Com a meta de retomar espaço na Série A do Brasileiro, o comandante pede união à torcida leonina – em vídeo divulgado pelo clube.

– Precisamos de todos os torcedores. Que sejamos unidos, que possamos ter o apoio de todos como sempre demonstraram desde a nossa chegada. O carinho que temos de vocês é muito bom e agora preciso de um pouco mais. Porque o objetivo de 2022 é muito grande e para poder cumprir com todos os nossos desejos, precisamos que a família esteja unida – disse o comandante.

O Sport estreia em competições oficiais a partir do dia 22 de janeiro, com duelos previstos para o Campeonato Pernambucano e a Copa do Nordeste. A equipe ainda disputa a Série B do Brasileiro e a Copa do Brasil.

– Vamos tratar de levar cada campeonato como correspondem e tratar de ser protagonista – diz Florentín.

O Rubro-negro ainda está em processo de formação, com apenas um reforço anunciado até o momento. Caso do volante Nicolás Watson. Apesar disso, o clube também recebeu o volante Pedro Naressi e o atacante Ray Vanegas na reapresentação desta terça-feira. Ambos passam por exames médicos antes de ter as respectivas contratações anunciadas.

– Vamos buscar ter uma grande equipe, ter um grupo de jogadores que possam dar todo o melhor neste desafio que estamos tendo.

A lista de atletas que se apresentaram nesta terça-feira

  • Goleiros: Mailson – Carlos Eduardo – Saulo – Denival
  • Laterais-direito: Ewerthon e Elias
  • Zagueiros: Rafael Thyere – Renzo – Chico
  • Laterais-esquerdo: Luciano Juba – Victor Gabriel
  • Volantes: Ronaldo – Pedro – Nicolás Watson – Italo – Weverson – Alê Santos – Pedro Naressi
  • Meias: Adryan – Thiago Lopes
  • Atacantes: Ray Vanegas – Cristiano – Everton Felipe – Flavio

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após duas lesões e um ano parado, Magno se aproxima de retorno no Náutico

Atacante, que passou por cirurgias no tornozelo e sequer estreou, vai estender vínculo até o fim de 2022

Por Rafael Cabral — Recife

Globo Esporte

Contratado em dezembro de 2020, o atacante Magno chegou ao Náutico para ser mais uma opção ofensiva do time que lutava para não cair na Série B. Porém, seis dias após o anúncio, o jogador sofreu uma ruptura do tendão de Aquiles e precisou passar por cirurgia. Quatro meses depois, teve outra lesão, no mesmo local e foi operado novamente. Passados sete meses de recuperação, Magno se aproxima do retorno e terá o contrato renovado pela cláusula de estabilidade de contusões.

O atacante compareceu à reapresentação do elenco e realizou um trabalho à parte, junto com Kieza. Os dois estão na fase de transição e se recuperam da mesma lesão, no tornozelo. Magno ficou dando voltas ao redor do gramado e fazendo exercícios de movimentação e fortalecimento.

Contratado junto ao Cascavel-PR, Magno chegou com a expectativa de melhorar o rendimento do time no ataque, tendo feito cinco gols em 21 partidas pela equipe paranaense. Ele ainda tinha passagens por Paraupebas, Ariquemes, Londrina, Remo, Independente Tucuruí, Grêmio Anápolis, Paysandu e Leixões-POR.

Na fase final de recuperação, o jogador vai estender o vínculo com o Náutico até o fim da temporada por conta da cláusula de estabilidade de lesão, que impõe que o clube permaneça com o atleta até seu restabelecimento completo.

Magno irá compor um setor em déficit no Náutico. Saíram nove atacantes – Giovanny, Matheus Carvalho, Vinícius, Tailson, Murillo, Iago Dias, Colmán, Paiva e Caio Dantas – e só Ewandro foi contratado até o momento. O clube ainda busca mais dois atletas para a posição.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Sport tenta buscar acordo por atrasados de Marcão, que deixou clube para disputar Série A

Volante alega um ano de vencimentos em aberto com Rubro-negro em despedida, pouco antes de ser anunciado pelo Cuiabá para 2022

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Sport iniciou os planos para a temporada de 2022, mas ainda precisa solucionar pendências do ano passado. A começar pelo caso de Marcão. O volante estava nos planos do clube, mas se despediu alegando pelo menos um ano de salários atrasados. Agora, o Rubro-negro trabalha para buscar um acordo sobre a dívida com o atleta. É o que explica o presidente do clube, Yuri Romão.

O volante, inclusive, chegou a conversar com a diretoria antes de divulgar a nota de despedida, no dia 28 de dezembro. Marcão estava em fim de contrato com o Sport e assinou com o Cuiabá para 2022.

– Marcão acertou com um clube da Série A, tinha falado conosco e está indo para outro clube. Obrigatoriamente, a gente precisa fazer algo sobre a dívida. É buscar acordo, não tem como fugir. Tem que fazer acordo para quitar o débito – explica o mandatário.

Sport ainda planeja, até o dia 10 de janeiro, pagar a folha salarial de dezembro na Ilha do Retiro e os valores referentes aos 30% dos vencimentos “suspensos” com o elenco na temporada de 2021.

No caso de Marcão, o volante diz que há pelo menos um ano de pagamentos em aberto na Ilha do Retiro. Seriam quatro meses de 2018, ainda na primeira passagem pelo clube, além de oito meses referentes a 2019/2020 e valores de 2021 (não especificados pelo atleta).

O Rubro-negro pernambucano, por sua vez, reconhece a existência de um débito extenso com o volante, mas ainda não especifica valores. O clube tem quatro temporadas de vínculo com Marcão, desde 2018, sendo que o atleta chegou a atuar nos Emirados Árabes no início de 2019, antes de voltar ao Sport.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Com reforços e sem Jean Carlos, Náutico se reapresenta para início de pré-temporada

Timbu tem quatro de cinco contratados em primeiro treino do ano, nesta segunda-feira, enquanto meia Jean Carlos ainda é esperado

Por Rafael Cabral — Recife

Globo Esporte

A temporada de 2022 começou oficialmente para o Náutico. Na reapresentação, nesta segunda-feira, no CT Wilson Campos, 25 jogadores compareceram para dar início aos trabalhos visando à estreia do time no ano, contra o Íbis, dia 22 de janeiro, pelo Campeonato Pernambucano, nos Aflitos. As únicas ausências no grupo foram Jean Carlos e o novo contratado, Eduardo Teixeira, que não conseguiram voo para Recife e se apresentarão nesta terça.

No grupo que se reapresentou, estiveram jogadores importantes que foram mantidos como Camutanga, Hereda, Rhaldney e Kieza, que se recupera de lesão. A lista também contou com dois jovens alçados ao grupo profissional – Felipe Cabeleira e Kauã Maranhão. Miro, outro jovem da base, também está integrado ao elenco. Os outros contratados, Lucas Perri, Wellington, João Paulo e Ewandro estiveram no CT.

Como é natural no início de temporada, o trabalho teve foco na preparação física, já que os atletas vêm de um período de férias e precisam de adaptação às cargas de treino novamente. Sob o comando do preparador físico Robson Gomes, os jogadores foram submetidos a exercícios de retomada da capacidade muscular e tiros curtos de velocidade.

A ideia do clube é ter em uma semana a chegada de todos os reforços, para deixar o grupo na mesma condição e poder iniciar o o período de concentração isolada no CT.

– Queremos ter o grupo completo até a próxima semana e iniciar o período de concentração aqui no CT dia 10 (de janeiro). Os atletas ficarão conosco 24 horas. O ideal seriam 30 dias, mas como só temos 19 dias até a estreia, vamos aumentar a minutagem dos atletas nos treinos – explicou Robson Gomes, que completou afirmando que o clube não pretender fazer amistosos, apenas jogos-treino.

Lista dos jogadores que se reapresentaram:

Goleiros

  • Lucas Perri
  • Renan
  • Bruno

Zagueiros

  • Carlão
  • Rafael Ribeiro
  • Camutanga
  • João Paulo
  • Welington

Laterais

  • Thassio
  • Jr. Tavares
  • Hereda
  • Bryan

Volantes

  • Djavan
  • Miro
  • Rhaldney
  • Wagninho

Meias

  • Lucas Paraíba
  • Vargas
  • Juninho Carpina
  • Felipe Cabeleira

Atacantes

  • Magno
  • Ewandro
  • Kauã Maranhão
  • Kieza
  • Álvaro

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Santa Cruz vence União ABC na estreia da Copa São Paulo de Juniores e se credencia por vaga

Tricolor bateu a equipe do Mato Grosso do Sul por 2 a 0 e larga na segunda posição do Grupo 9, com os mesmos três pontos do Novorizontino; os dois primeiros seguem na competição

Por Redação ge — Recife

Globo Esporte

O Santa Cruz estreou com vitória na Copa São Paulo de Juniores ao bater o União ABC-MS por 2 a 0, na cidade de Iacanga, distante 376 quilômetros da capital paulista. Com o resultado o tricolor pernambucano já dá um passo importante para a classificação à segunda fase, uma vez que os dois primeiros de cada grupo avançam.

Na outra partida do Grupo 9, o Novorizontino goleou o estreante União Iacanga por 4 a 1. Na sexta-feira, às 15h15, o Santa Cruz enfrenta o Novorizontino. Um dia antes, às 13h, União Iacanga e União ABC fazem o jogo dos desesperados.

Vale lembrar que na sua última passagem na Copa São Paulo, em 2020 (a competição não foi disputada no ano passado devido à pandemia da Covid-19), o Santa Cruz conseguiu chegar na terceira fase.

A partida de estreia começou truncada e com a equipe do Mato Grosso do Sul levemente melhor. Porém, quando teve a sua melhor oportunidade, a Cobra Coral foi fatal, com o atacante Felipe Tenório abrindo o placar aos 43 minutos.

Na etapa final, com a vantagem no marcador, o time pernambucano soube administrar o ritmo do jogo, valorizando a posse de bola, e sacramentando a vitória aos 24 minutos, com o zagueiro Cristiano, de cabeça, após cobrança de escanteio.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Efeito borboleta: Sport deixa 2021 após uma temporada marcada por polêmicas, erros e acertos

Rubro-negro tem ascensão da base e austeridade financeira como pontos positivos, mas precisará lembrar problemas enfrentados para não repetir histórico em 2022

Por Camila Alves — Recife

Globo Esporte

O efeito borboleta faz parte da Teoria do Caos. É uma metáfora, criada na década de 1960, para explicar os comportamentos do universo. Mostra como ações, mesmo aparentemente insignificantes, geram mudanças drásticas ao longo do tempo. A teoria parece ficção, mas virou realidade científica. E está aqui porque tem o poder de explicar o comportamento do Sport em 2021.

O Rubro-negro sofreu com os efeitos da pandemia e criou os próprios. Fez uma temporada marcada por mudanças de calendário, quatro presidentes e erros administrativos nos bastidores. Ao mesmo tempo, tem pontos positivos para levar ao futuro. Como o desenvolvimento da base e o efetivo início da busca por austeridade financeira.

Às vésperas do “novo tempo”, portanto, traçamos o retrospecto da trajetória do Sport em 2021: um ano marcado por polêmicas, acertos e erros na Ilha do Retiro.

Quatro presidentes

Os problemas do Sport começaram ainda no dia 30 de dezembro de 2020, quando o Conselho Deliberativo do clube aprovou o adiamento das eleições para 2021. O pleito estava previsto para março, mas só aconteceu em abril – com Milton Bivar reeleito na votação mais acirrada da história do Leão.

Em votação apertada, Milton Bivar é reeleito presidente do Sport

Dois meses depois, no entanto, Bivar e o vice Carlos Frederico renunciaram aos cargos. O Sport passou um mês com um presidente provisório (Pedro Leonardo Lacerda) e só definiu o novo mandatário em julho, com a eleição de Leonardo Lopes. Em outubro, ele tirou licença do cargo e Yuri Romão precisou assumir o posto.

As mudanças, portanto, fizeram o Sport ter quatro presidentes a frente do clube em 2021.

Duas eliminações e um vice

O futebol do Sport seguia a mesma tônica das mudanças administrativas. No início do ano, a equipe conquistou a permanência na Série A 2020 e estreou nas competições de 2021 logo em seguida.

Apesar do bom resultado no Brasileiro, o Leão acumulou decepções no primeiro semestre: caiu na primeira fase da Copa do Brasil e repetiu o desempenho no Nordestão, fazendo a pior campanha da história do clube (com uma vitória, dois empates e quatro derrotas).

Sport perde para Juazeirense e está fora da Copa do Brasil

No Pernambucano, chegou até a final da disputa, mas perdeu o título para o Náutico nos pênaltis.

Três técnicos

Os resultados em campo – assim como as próprias eleições – motivaram mudanças no comando técnico da equipe.

O Sport iniciou 2021 com Jair Ventura e demitiu o treinador após a queda na Copa do Nordeste, pouco antes da primeira eleição do ano. Na sequência, contratou Umberto Louzer e seguiu com o técnico até agosto (quando o terceiro presidente, Leonardo Lopes, chegou ao comando do clube).

Naquele momento, por fim, o Sport trouxe o paraguaio Gustavo Florentín para a reta final do Brasileiro. Não conseguiu a permanência na Série A, mas mostrou-se satisfeito com o trabalho e renovou com o técnico para 2022. É um dos pontos que seguirá ao lado do clube no próximo ano.

Erros no futebol e polêmicas

Os problemas no departamento de futebol acompanharam o Sport durante todo o ano.

Em julho, o clube enfrentou uma crise entre diretoria e elenco – quando o presidente provisório estava no comando. Havia-se divulgado o pagamento dos salários atrasados na imprensa, e os jogadores foram às redes sociais desmentir o mandatário. A confusão teve até desabafo do centroavante André, que reclamou de mentiras e pediu um novo presidente na Ilha do Retiro.

“Precisamos de um novo presidente” – André sobre a situação dos salários atrasados

As polêmicas cessaram naquele momento, mas voltaram a aparecer no fim de setembro. O Sport descobriu um erro na inscrição dos últimos quatro reforços contratados e não pode contar com nenhum deles no Brasileiro.

O problema derrubou a diretoria de futebol e aconteceu ao mesmo tempo em que os medalhões Thiago Neves e André decidiram deixar o clube. Só Hernanes – em meio às referências – permaneceu na Ilha.

Diretoria do Sport deixa o clube após erros na inscrição de jogadores

O erro impediu o técnico Gustavo Florentín de utilizar os poucos reforços que havia escolhido e tem rendido consequências para 2022: o clube pretende criar um departamento diretamente responsável por essas inscrições.

O Sport também teve uma suspeita de escalação irregular do zagueiro Pedro Henrique durante o Brasileiro e foi denunciado no STJD por nove clubes da Série A. Mas o órgão arquivou a denúncia.

A ascensão da base

Com a ausência de reforços e a saída dos medalhões, o Sport terminou recorrendo às categorias de base. A postura faz parte da filosofia de Florentín e rendeu ao clube um dos principais pontos positivos de 2021.

O Rubro-negro promoveu o centroavante Mikael e o meia Gustavo ao time titular, teve os pratas da casa como destaques do time e agora prospecta negociações para ambos. Nomes como Mailson, Ewerthon e Luciano Juba também chamaram a atenção nesta reta final.

O rebaixamento

O Sport ainda conseguiu uma sobrevida com os pratas da casa, auxiliados pela experiência de Hernanes – contratado em agosto para a disputa da Série A. No entanto, apesar das tentativas, a equipe terminou rebaixada em penúltimo lugar no Brasileiro, com 38 pontos.

Cabral Neto analisa os fatores que levaram ao rebaixamento do Sport

Controle de gastos

Com o rebaixamento consumado, restou ao Rubro-negro buscar a última meta estipulada pela atual diretoria: terminar 2021 sem as dívidas criadas no (curto) período da nova gestão. O plano, segundo a própria administração leonina, tem sido cumprido.

O presidente pretende quitar – agora em janeiro – a folha de dezembro e o acordo com o elenco, que suspendeu 30% dos salários dos jogadores até o fim da temporada. Antes disso, a diretoria também fez cortes de orçamento e agora busca iniciar 2022 respeitando a realidade dos cofres da Ilha do Retiro.

A (quase) volta de Diego Souza

Nos últimos dias de 2021, o Sport ainda viveu movimentações intensas nos bastidores. Planejando a nova temporada, entrou em negociação com Diego Souza, mas viu o meia-atacante optar por voltar ao Grêmio, no dia 30 de dezembro.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Adeus ano velho: Santa Cruz viveu em 2021 uma temporada cheia de fracassos, sofrimento e lições

Retrospectiva coral é marcada por despedidas precoces, o retorno à Série D e uma eliminação que comprometeu financeiramente a temporada 2022

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Contrariando o que diz o senso comum, o ano de 2021 do Santa Cruz não deve ser esquecido. A temporada, marcada por fracassos do princípio ao fim, deve ser lembrada justamente para que os erros não se repitam no futuro que começa no sábado, o primeiro dia de 2022. O início de um novo tempo, esperam os tricolores.

Encontrar uma boa lembrança que seja de 2021 é difícil. Em 40 jogos, foram somente sete vitórias. No mais, 12 empates e 21 derrotas. Há mais números para reforçar os erros. Exemplo da quantidade de atletas contratados: 41, quase quatro times completos. Três eliminações e um rebaixamento para a Série D; 35 gols marcados, 44 gols sofridos.

Rebaixado, Santa Cruz vai disputar a Série D pela quarta vez em sua história

Confira um retrospecto da trajetória do Santa Cruz em 2021, um ano que o clube espera não mais reviver em sua história.

Três eliminações de cara

A temporada do Santa Cruz começou com triunfo: 2 a 0 sobre o Vitória, pelo Campeonato Pernambucano, no Arruda. Aquela seria uma das sete vezes em que o Tricolor venceu no ano. Sete vitórias em 40 jogos. Uma trajetória que culminou, no primeiro semestre, em três eliminações precoces.

A primeira queda foi na Copa do Nordeste. O time foi eliminado como lanterna do Grupo A, com sete derrotas e apenas uma vitória. Esta, aliás, foi um dos poucos momentos de empolgação tricolor na temporada. Ao bater o Fortaleza, por 1 a 0, no Castelão, o time alimentou a esperança de uma reação, não concretizada.

A segunda queda foi na Copa do Brasil. Na segunda fase, o Santa Cruz foi eliminado pelo Cianorte, ao perder por 1 a 0.

Por fim, veio a queda no Campeonato Pernambucano. Após uma classificação sofrida na primeira fase, o Santa Cruz passou nos pênaltis pelo Afogados nas quartas de final, na disputa por pênaltis; mas perdeu na semifinal para o Náutico, nos Aflitos, por 2 a 1.

Um rebaixamento

As três eliminações do Santa Cruz no primeiro semestre machucaram o torcedor, mas o pior veio na segunda metade do ano. O Tricolor deu sequência aos fracassos na Série C. Nos dez primeiros jogos, sete derrotas e três empates. Uma arrancada rumo à Série D, confirmada apesar da reação protagonizada no mês de agosto – ficou quatro partidas sem perder, com duas vitórias e dois empates.

No fim, mais uma lanterna para a coleção: o Santa Cruz terminou a última colocação do Grupo A, com 12 pontos em 18 jogos.

Santa Cruz coleciona mais um rebaixamento e passado de glórias fica cada vez mais distante

Uma eliminação extra

Para completar, um fracasso da temporada 2021 que repercutirá em 2022. O Santa Cruz perdeu a chance de garantir um calendário mais recheado em 2022 ao ser eliminado na seletiva da Copa do Nordeste para o Floresta, no Arruda. Após empate em 3 a 3, a eliminação veio nos pênaltis.

Quatro técnicos

Um dos fatores que é explicação e consequência do fracasso tricolor na temporada é a alta rotatividade de técnicos. Foram quatro titulares, um interino. A temporada começou com João Brigatti, que terminou o ano com o melhor aproveitamento entre os comandantes.

Brigatti foi demitido após o término da Copa do Nordeste, às vésperas do duelo da Copa do Brasil pela segunda fase, contra o Cianorte, no qual o time foi comandado pelo interino Roberto de Jesus.

O sucessor de João Brigatti no comando tricolor foi Alexandre Galloque dirigiu o time por apenas três jogos e deixou o Arruda fazendo críticas à estrutura do clube.

Depois de Alexandre Gallo, o Santa Cruz investiu em Bolívar – o time estava na reta final do Campeonato PernambucanoEm início de carreira, buscando espaço no mercado, ele não foi bem. Sua gestão durou seis jogos – nenhuma vitória. Foi demitido após a derrota para o Ferroviário-CE, na terceira rodada da Série C.

A última tentativa coral em busca de uma reação na temporada – já imerso na briga contra o rebaixamento à Série D – atendeu pelo nome de Roberto Fernandes. O treinador assumiu as rédeas da equipe coral na quarta rodada da Série C e não mudou muito a situação da equipe. Ainda esboçou uma reação no início do returno, mas a situação era crítica e a queda foi confirmada na penúltima rodada da competição, na derrota para o Tombense.

Aproveitamento dos técnicos

TécnicoJogosVitóriasEmpatesDerrotasAproveitamento
João Brigatti1342735,8%
Alexandre Gallo301211,1%
Bolívar603316,6%
Roberto Fernandes1525824%

Dois presidentes (ou seriam três)?

A crise em campo esteve atrelada, durante todo o ano, com a instabilidade nos bastidores. O Santa Cruz viveu em 2021 um ano de rupturas, que teve como ponto de partida a eleição de Joaquim Bezerra, candidato de oposição, para a presidência.

As mudanças esperadas em todos os departamentos aconteceram. Inclusive no time, com uma reformulação no elenco no início da temporada marcada pelas dispensas de Paulinho e Didira, que compuseram a espinha dorsal tricolor em 2020.

Os resultados não apareceram e a pressão começou a pesar nos ombros do presidente. A situação desandou e chegou ao extremo quando o vice-presidente do clube, André Frutuoso, sofreu um ataque em seu escritório de advocacia. Após o episódio, ele pediu afastamento do cargo.

Isolado e convivendo com pedidos para que renunciasse, o presidente Joaquim Bezerra pediu licença da presidência do Santa Cruz após a eliminação coral no Pré-Nordestão – classificatória para a edição 2022. O clube passou a ser comandado pelo presidente do Conselho Deliberativo, Marino Abreu. Na verdade, o comando efetivo do futebol coral passou às mãos de Abdias Venceslau, contratado para a função de CEO.

Joaquim Bezerra retornou da licença em novembro, mas não voltou só. Ao reassumir o clube, na intenção de pacificar as Repúblicas Independentes do Arruda, anunciou a formação de um conselho consultivo com a presença de ex-presidentes tricolores. Entre eles, Antônio Luiz Neto, que administrou o clube entre 2011 e 2014, período de renascimento do clube.

41 reforços

O elevado número de contratados pelo Santa Cruz na temporada é outro indicativo dos erros e fracassos cometidos pelo clube em 2021. Ao todo, 41 “reforços” foram anunciados durante a temporada. A maioria deles não deu certo. Tanto que apenas dois desses jogadores vão permanecer no Arruda para a temporada 2022.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.