Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Kleina exalta fase de Jean Carlos no Náutico, mas diz: “Não podemos ser dependentes de jogador algum”

Meia deve voltar ao time no duelo com Botafogo-SP no próximo sábado após sentir desconforto muscular

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Artilheiro e líder em assistências do Náutico na temporada, o meia Jean Carlos deve voltar ao time titular no jogo contra o Botafogo-SP, às 19h do próximo sábado, nos Aflitos, após ser poupado da última rodada por sentir um desconforto muscular. O retorno do atleta representa um ganho no poder de fogo. Fato que é reconhecido pelo técnico Gilson Kleina. Mas, por outro lado, o comandante alvirrubro trabalha para construir uma equipe que não dependa apenas de um jogador.

– Nós não podemos ser dependentes de jogador algum. Nós sabemos da referência, da qualidade de Jean Carlos e dos outros jogadores. Todo mundo tem seu talento para vestir a camisa do Náutico, declarou Kleina, usando como parâmetro a última rodada em que o Náutico foi derrotado por 2 a 1 para o Brasil de Pelotas, mas teve bom desempenho ofensivo.

Kleina, para o futuro alvirrubro, projeta um jogo coletivo. Por isso, prefere apontar para a necessidade de todos os atletas estarem bem condicionados fisicamente para responder ao comandos de uma equipe que mira ser protagonista na Série B.

– Tem que ser coletivo, todos têm que estar se preparando para fazer o melhor. O conceito de jogo que estamos implementando passa por essa situação, por jogadores que têm de estar bem fisicamente, com uma concentração altíssima, porque a gente busca um bloco mais compactado. Então, a gente não pode ter essa dependência. A gente sabe que é um ótimo jogador. Hoje, sem dúvida, está entre os melhores do campeonato, mas o Náutico não pode ser dependente, refém de jogador nenhum.

Em 2020, Jean Carlos vive a melhor temporada da carreira em números e desempenho. Até o momento, são nove em 21 partidas, além de seis assistências diretas para gols de companheiros.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pipico ganha tempo para se recuperar e deve reforçar Santa Cruz contra Remo

Atacante ficou de fora da derrota para Vila Nova de última hora após testes físicos no hotel; reavaliado diariamente, camisa 9 deve ter tempo hábil para ficar 100%

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Por precaução, o departamento médico e a comissão técnica do Santa Cruz resolveram poupar Pipico do jogo contra o Vila Nova, no último sábado – o Santa perdeu por 1 a 0. O atacante chegou viajar com a delegação e fez um teste físico no hotel, mas o clube achou prudente tirá-lo de ação até que fique totalmente recuperado de uma lesão na coxa esquerda.

+ Veja mais notícias do Santa Cruz

Como a próxima partida do Santa Cruz é somente no próximo domingo, dia 13 de setembro, contra o Remo, no Arruda, Pipico deve ter tempo hábil para ficar 100% fisicamente. Ele já vinha participando dos treinamentos com o grupo.

Curiosamente, Pipico vivia seu pior jejum com a camisa do Santa Cruz quando se machucou. Eram sete jogos sem balançar as redes. O problema é que seu substituto, Victor Rangel, também não conseguiu fazer gols. Aliás, o último gol de Victor foi na vitória de 2 a 0 sobre o Náutico, ainda em março, pelo Campeonato Pernambucano.

Com sete gols em 20 jogos, Pipico é o artilheiro do Santa Cruz na temporada. No ano passado, ele também foi o artilheiro do time, além de ser um dos goleadores da Copa do Brasil. Desde 2018 no clube, ele acumula 59 partidas disputadas e 29 gols marcados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após vitória sobre Grêmio, Patric destaca papel de Jair Ventura no Sport: “Tirando da zona de conforto”

Autor de golaço que abriu placar do Rubro-negro na noite do último domingo, lateral-direito ressaltou dedicação do treinador; Leão venceu Tricolor por 2 a 1 e deixou Z-A da Série A

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Gol do Sport! Patric recebe a bola e manda no ânulo do gol abrindo o placar para o Sport, aos 4 do 1º tempo

Patric balançou as redes, pela primeira vez desde a chegada na Ilha do Retiro, e abriu o placar pelo Sport sobre o Grêmio, na noite da última quinta-feira. Após a vitória por 2 a 1 como visitante, que tirou o Leão da zona de rebaixamento, o lateral-direito destacou o papel de Jair Ventura para que a equipe conquistasse um resultado considerado como improvável.

“Ele tem uma dinâmica diferente, está conversando com todos os jogadores individualmente, está tirando todo mundo da zona de conforto, mostrando o que é possível fazer. Tem muita conversa, muito vídeo. É um cara que estamos encantados pelo trabalho que vem fazendo, é um pai para nós, apesar de tão pouca idade.”

+ Com 26% de posse, Sport vê Grêmio finalizar 31 vezes, mas vence a primeira com Jair Ventura

+ De volta após quase dois anos, Jair Ventura celebra novo momento no Sport: “Mudança de ambiente”

Gol de Patric pelo Sport contra o Grêmio — Foto: Reprodução

+ Sport apronta na Arena, volta a vencer no Brasileiro e põe o Grêmio à beira do Z-4

Jair Ventura assumiu o Sport após quase dois anos distante do futebol, uma vez que, segundo ele, dedicou a última temporada aos estudos e cuidados da filha. Estreou diante do Coritiba e, sobre o Grêmio, comandou a segunda partida como técnico da equipe. Apesar do curto período, Patric ressaltou a dedicação do treinador.

“Estuda muito, lê muito as jogadas, ele não tem modelo de jogo engessado, está sempre criando alternativa, isso vai nos ajudar.”

Melhores momentos de Grêmio 1 x 2 Sport pela 7ª rodada do Brasileirão 2020

Com o resultado sobre o Tricolor, o Sport chegou a sete pontos na competição, deixou a zona de rebaixamento e passou a ocupar a 14ª colocação. Cenário que será importante para a confiança da equipe na continuidade da competição, avalia Patric.

– O Jair chegou com filosofia, trabalho. Não conseguimos a vitória no primeiro confronto pelo detalhe. Agora, conseguimos. Dá mais segurança. Crescemos, demos mais um passo. No começo, eu dizia que confio nesse grupo, agora que conseguimos uma vitória e fomos para sete pontos, digo novamente. Sabemos de toda dificuldade, mas estamos muito comprometidos e focados no que nós queremos e vamos entregar ao clube.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Rhaldney se firma entre titulares do Náutico e ganha moral de Kleina; veja números

Volante de 21 anos subiu aos profissionais no ano passado, mas vem conseguindo espaço apenas nesta temporada e, hoje, é titular do time

Por Rômulo Alcoforado — Recife

Globo Esporte

O volante Rhaldney começou a temporada sem muita expectativa. Havia subido aos profissionais do Náutico no ano anterior, mas fez apenas três jogos – nos quais não demonstrou muito brilho individual. Começou abaixo de opções como Josa, Luanderson e de Wagninho, prata da casa, que, à altura do começo de 2020, tinha mais moral. No decorrer do ano, no entanto, Rhaldney cresceu, se firmou e hoje é titular do time.

Aos 21 anos, o volante começou jogando 10 das 11 partidas do Náutico após a pausa da pandemia. Só não jogou contra o Vitória, na quarta rodada da Série B, porque estava suspenso. Assim que voltou a ficar à disposição, retomou seu lugar no time – mantido nos três jogos da equipe sob o comando de Gilson Kleina.

O treinador está satisfeito com o desempenho do volante, embora enxergue pontos em que o jovem precisa evoluir.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ainda sem gols na Série C, ataque do Santa Cruz é defendido por Danny Morais

Zagueiro destaca conjunto e diz que unidade tem sido o ponto forte do Tricolor na Série C

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Quatro jogos, sete gols e nenhum deles feito por atacantes. Líder do Grupo A da Série C, o Santa Cruz tenta encerrar a má fase do setor diante do Vila Nova-GO, neste sábado, em Goiânia. Capitão da equipe, o zagueiro Danny Morais saiu em defesa dos atletas do sistema ofensivo.

“A gente tem uma defesa sólida, mas a defesa não é só a linha de quatro. Se o atacante não marcar o volante, os adversários terão mais liberdade. A gente trabalha com unidade. Para que eu faça um gol de cabeça, o Didira ou Chiquinho tem que cruzar. Trabalho muito mais com unidade, é um conjunto.”

Recuperado de uma lesão na coxa, Danny Morais se colocou à disposição do técnico Itamar Schülle, mas deixou claro que aceitará tranquilamente caso o técnico opte por não o escalar de frente.

“Estou à disposição para ajudar dentro ou fora de campo, da melhor maneira que for para o professor Itamar. Independentemente de quem jogue, temos que ter cuidado.”

Atualmente na liderança do Grupo A, com 10 pontos, o Santa Cruz tenta se consolidar na liderança do Grupo A diante do Vila Nova-GO, que tem a metade dos pontos conquistados pelo Tricolor. Apesar da distância na tabela, Danny Morais prega cautela diante do adversário.

“Fora de casa, temos que tomar nossos cuidados. Tivemos um exemplo contra o Paysandu. Atualmente ocupamos a liderança e temos que pensar em vencer, mas jogar com inteligência.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Gilson Kleina mira retomada com terceiro acesso à Série A e futebol de “protagonista” no Náutico

Ao podcast Embolada, técnico alvirrubro afirmou que espera repetir a dose dos feitos de 2011, na Ponte Preta, e de 2013, quando foi campeão da Série B com o Palmeiras

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte PE

O técnico Gilson Kleina tem uma missão: devolver o Náutico à Série A do futebol nacional após sete anos. Para chegar lá, o técnico conta com a experiência de quem já alcançou o feito duas vezes – com Palmeiras e Ponte Preta – e tem um estilo definido de jogar. Segundo o treinador, o Timbu tentará ser “protagonista” nos jogos, o que significa que terá uma forma de atuar ofensiva e coragem de tomar a iniciativa das partidas.

– A gente vem com a expectativa de poder trabalhar o Náutico do patamar da tabela de cima, poder entrar no G-4, porque esse é um campeonato que te dá quatro vagas para acessar a elite do futebol brasileiro. Esse é o trabalho que a gente está fazendo. Com o pouco tempo que temos, fazer o melhor diagnóstico de elenco, mas o mais importante é poder arrumar como está acontecendo, com vitórias. O Náutico vem campeão da Série C e a gente espera continuar nessa toada, que é importante.

Um acesso não seria importante apenas para o Náutico. Também seria para Kleina, que vive momento irregular na carreira. O último grande trabalho foi na Ponte Preta que chegou à final do Paulistão de 2017. Desde então, o treinador vem sofrendo para ter uma sequência nos clubes em que atuou.

Para voltar a aparecer em destaque no mercado, Kleina quer aliar resultado com desempenho nos Aflitos. Não quer só vencer – mas convencer. Sempre, no entanto, com os pés no chão e respeitando os limites do grupo de jogadores.

– Trabalho mais a parte ofensiva, gosto mais do jogo apoiado, mas respeitando as características que temos no elenco.

Segundo Kleina, no entanto, só o seu desejo não levará o Náutico para a Série A. Ele sabe que precisa dos jogadores e garante que cobrará deles empenho e, sobretudo, ambição.

– Tem que ter ambição. Hoje os atletas têm dois, três anos de contrato, entram na zona de conforto. Que eles possam fazer, a cada jogo, uma decisão. Essa decisão faz com que você possa subir um degrau a cada jogo. É isso que a gente tem que fazer. Quando você quer um objetivo mais alto, a cobrança é maior, o trabalho é maior, porque você tem que brigar lá de cima. Nesses acessos (da carreira), foi dessa maneira, sempre deixando o atleta em posição de ambição maior, saindo da zona de conforto.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Provável titular no Sport, Juba vive expectativa pela carreira: “Sempre sonhei ajudar minha família”

Formado na base do Rubro-negro, lateral-esquerdo ganhou a preferência do treinador

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Após Sander sinalizar a saída da Ilha do Retiro na última terça-feira, a titularidade do lateral-esquerdo Luciano Juba no Sport tornou-se ainda mais provável. Formado na base do clube, o atleta deve estrear, com o técnico Jair Ventura, no confronto diante do Grêmio, às 19h da quinta-feira, pela Série A.

Aos 21 anos, ele chama a atenção pelo desempenho na equipe principal e vive a expectativa de deslanchar na carreira.

“Sempre sonhei ajudar minha família, dar uma condição melhor e está começando a ser realizado esse sonho. Daqui para frente é só trabalhar para que possa dar mais certo. Ajudar meus avós, que moro com eles, minha mãe.”

Juba estava no grupo de atletas da base promovidos ao profissional no início desta temporada, mas foi um dos poucos a permanecer no plantel depois da reformulação no elenco. Companheiros de categoria como o meia Pablo Pardal, por exemplo, terminaram sendo emprestados. O lateral fez dez partidas pela equipe, sendo sete como titular.

– É um negócio que a gente não sabe nem como explicar. Alguns dias atrás estava na base e do nada subi para o profissional, depois da boa campanha que fizemos no Sub-20. Estou correspondendo bem quando estou entrando. Daqui para frente é só assim, dar meu melhor e ajudar meus companheiros.

A posição de lateral-esquerdo, inclusive, foi a única para a qual o Sport não contratou nesta temporada. Assim, Juba e Sander vinham revezando na função. Diante do Santos, inclusive, ainda com o técnico Daniel Paulista, o prata da casa conquistou a titularidade.

Com Jair Ventura, ele chegou a atuar por 12 minutos contra o Coritiba, mas deve retomar o posto na escalação principal para o confronto desta quinta-feira. Condição que o atleta vê com tranquilidade.

“Estou vendo como uma responsabilidade, mas a cabeça está tranquila para jogar. Antes de começar o jogo a gente sente aquele frio na barriga. Que é normal, todo mundo sente. Mas depois que começa, a gente vai tocando na bola, pegando ritmo e vai ficando tranquilo.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Liberado após lesão, Pipico reforça Santa Cruz sob expectativa de encerrar jejum de gols

Artilheiro do Tricolor na temporada estava sem marcar há sete partidas quando virou desfalque

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Artilheiro do Santa Cruz na temporada, com sete gols, o atacante Pipico está liberado para enfrentar o Vila Nova-GO, neste sábado. Recuperado de uma lesão na coxa esquerda, o jogador vive a expectativa não só de voltar a campo, mas principalmente balançar as redes novamente.

Afinal, antes da lesão que o tirou dos dois últimos jogos, o atacante não marcava há sete partidas. O recorde desde que chegou ao Tricolor, em 2018.

“Sempre fiz gols e agora esse momento estou há seis ou sete jogos sem fazer gols. Isso acontece com qualquer jogador, mas estou trabalhando forte para poder voltar e fazer gol, também” – disse o atacante.

Sobre o adversário deste sábado, mesmo com o Vila Nova-GO fora do G-4 da competição, Pipico acredita que o Tricolor não terá vida fácil em Goiânia.

“Sabemos que vai ser um jogo difícil. A gente conhece um pouco o adversário, mas a gente está bem preparado para fazer um grande jogo lá. Estou treinando forte com o grupo e já me preparando para poder jogar sábado.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Penúltima colocação no início da Série A liga sinal de alerta em técnico Jair Ventura no Sport

Após seis jogos, com uma vitória, um empate e quatro derrotas, Leão é 19º colocado; após estreia, Jair Ventura diz que elenco comprou a ideia e confia em reviravolta no Brasileirão

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Sport, após seis jogos, é o vice-lanterna da Série A. Tem quatro pontos e fica à frente do Atlético-GO apenas pelos critérios de desempate. Embora a competição esteja no início, a posição na tabela liga o alerta do treinador Jair Ventura, recém-chegado que tem a missão de alavancar o Leão na classificação.

– A posição na tabela nos incomoda. Eu bati muito nessa tecla com os jogadores. Tem que nos incomodar. Na minha primeira coletiva, falei e volto a repetir: temos que fazer os detalhes passarem para o lado do Sport – afirmou.

O tipo de detalhe que o treinador fala é, por exemplo, o pênalti que Maílson cometeu nos minutos finais do jogo do último domingo, contra o Coritiba, e acabou transformando um empate numa derrota diante de um adversário que, àquela altura, estava atrás do Leão.

Jair Ventura ainda ponderou os obstáculos que o Leão tem à sua frente, mas garantiu que acredita em uma retomada e caminhada mais tranquila na Série A.

– Eles (jogadores) estão incomodados com o momento, abraçaram a ideia. A gente sabe que não vai ser fácil. Sabemos a situação difícil, a questão financeira. Mas, com organização e trabalho, vamos alcançar nossos objetivos.

Jair ainda afirma que o trabalho de mudança de estilo e implantação de conceitos precisa ser feito de forma progressiva – não mexendo em tudo de uma vez.

– Pontos positivos e coisas a corrigir teremos em todos os resultados. Não só na derrota. Eu sou um cara muito exigente. Tem muita coisa ainda para implementar. Não posso encher a cabeça dos jogadores com muita informação e acabar travando. Isso vai ser de maneira gradativa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Santa Cruz inicia preparação para encarar o Vila Nova de olho no DM

Expectativa do técnico Itamar Schülle é ganhar reforços para a partida do sábado

Por Redação do ge — Recife

Globo Esporte

Com uma semana de preparação até o jogo contra o Vila Nova-GO, no sábado, o técnico Itamar Schülle inicia a semana de olho no departamento médico do Santa Cruz. A expectativa do treinador é ganhar reforços para a partida.

Artilheiro da equipe na temporada, o atacante Pipico deve ganhar condições de jogo. Afinal, iniciou os trabalhos de transição física na última quinta-feira. Com isso, a tendência é de que Victor Rangel volte para o banco de reservas.

Quem também deve ganhar condição de jogo é o zagueiro Célio. No entanto, com a boa atuação de Denilson diante do Imperatriz, a probabilidade é que Célio seja opção para a lateral esquerda, onde Júnior vem atuando improvisado.

Quem dificilmente terá condição de jogar é o zagueiro Danny Morais. Ainda entregue ao departamento médico, por conta de uma lesão muscular na coxa esquerda, ele deve iniciar a transição nesta semana. No entanto, como a viagem para Goiânia acontece na quinta-feira, o atleta terá pouco tempo para reabilitação.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com