Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Dólar tem dia de sobe e desce e bate R$ 5,08 pela 1 vez

Na segunda-feira, moeda dos EUA fechou acima de R$ 5 pela 1ª vez na história, negociada a R$ 5,0612.

Por G1

O dólar é negociado sem uma direção única nesta terça-feira (17), chegando a bater pela primeira vez R$ 5,08, em dia em que foi confirmada a primeira morte por coronavírus no Brasil. No foco dos investidores, além dos impactos da pandemia na economia global, também está a decisão sobre a taxa básica de juros, a ser anunciada na quarta-feira.

Às 13h13, a moeda norte-americana caía 0,91%, negociada a R$ 5,0149. Na máxima até o momento, bateu R$ 5,0845 – maior cotação nominal (sem considerar a inflação) já registrada no país. Na abertura, recuou a R$ 5,0099. Veja mais cotações.

O dólar se manteve acima de R$ 5, mesmo após o Banco Central realizar nesta manhã leilão de linha — venda com compromisso de recompra — com oferta de até R$ 2 bilhões.

Um leilão semelhante já havia sido realizado na sexta-feira, a primeira vez que o BC fez oferta líquida de moeda nessa modalidade desde 17 e 18 de dezembro do ano passado, destaca a Reuters.

Na segunda-feira, o dólar fechou em alta de 5,16%, negociado a R$ 5,0612 – novo recorde nominal (sem considerar a inflação). Foi também a alta foi a mais intensa desde a disparada de 8,15% de 18 de maio de 2017. No ano, o dólar passou a acumular avanço de mais de 26%.

Após o fechamento dos mercados, o governo anunciou um conjunto de medidas, que preveem injeção de R$ 147,3 bilhões na economia.

Medidas anunciadas por Guedes

O conjunto de medidas anunciadas na véspera pelo Ministério do Economia prevê injetar R$ 147,3 bilhões na economia. O pacote amplia crédito a aposentados e pequenas empresas, suspende temporariamente o recolhimento de tributos e inclui também a antecipação do 13º do INSS e o reforço do Bolsa Família.

Segundo economistas ouvidos pelo G1, as podem ter algum impacto para mitigar os efeitos do coronavírus na economia brasileira, mas são insuficientes para reverter o quadro de piora da atividade. Analistas observaram também que nem todas as medidas anunciadas são fontes novas de recursos, o que acaba reduzindo o alcance real do pacote.

As projeções para a alta do PIB do Brasil em 2020 vem sendo reduzidas e parte dos analistas já projetam um crescimento mais próximo de 1% do que de 1,5%.

Na visão do economista-chefe do banco Julius Baer, Janwillem Acket, os mercados financeiros estão precificando uma recessão global, apesar de ações coordenadas de política monetária, dos esforços para lidar com a liquidez e as restrições de crédito.

Expectativa de corte de juros no Brasil

As atenções da semana também estão voltadas para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que anuncia nesta quarta-feira (18) a nova taxa básica de juros. Com o novo corte surpresa nos juros anunciado pelo Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), aumentam as apostas do mercado de um corte mais expressivo na taxa Selic, atualmente em 4,25%.

Recentemente, os patamares cada vez menores da Selic foram apontados como um fator responsável pela disparada do dólar. A redução do diferencial de juros entre o Brasil e outros países torna rendimentos locais baseados na taxa básica de juros menos atraentes para o investidor estrangeiro, o que reduz a entrada de fluxos nos mercados brasileiros.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Guia do isolamento domiciliar: como preparar sua casa para conviver com suspeitos de infecção por coronavírus

Usar máscara em ambientes compartilhados, não dividir itens pessoais e desinfetar áreas comuns são alguns dos cuidados que se deve ter com um paciente suspeito ou infectado.

Por Thaís Matos, G1

Ministério da Saúde recomendou, na quinta-feira (12), o isolamento domiciliar para casos suspeitos ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus e para viajantes que cheguem ao Brasil vindos do exterior.

isolamento domiciliar requer cuidados específicos, como a separação de objetos pessoaislimpeza imediata de banheiros após o uso e a separação de indivíduos em cômodos diferentes da casa.

De acordo com a médica infectologista Roberta Schiavon, integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a primeira orientação é destinar um quarto e um banheiro para uso exclusivo da pessoa infectada ou com suspeita de infecção.

Nos casos de domicílios que não tenham mais de um quarto e mais de um banheiro, a recomendação é deixar o quarto para a pessoa suspeita. “Se a pessoa compartilha o quarto, o ideal é que quem não apresente sintomas durma na sala, por exemplo”, orienta Schiavon.

cômodo com o paciente isolado deve ficar todo o tempo com a porta fechada. Mas é necessário manter a janela aberta para que haja uma fonte de ventilação e entrada de luz solar.

pessoa infectada ou com suspeita de infecção tem de trocar a própria roupa de cama. Se houver secreções na roupa de cama, ela deve embalar em um saco plástico antes de levar à máquina de lavar ou ao tanque.

Também é importante manter uma lixeira ao lado da cama, com saco plástico, para jogar o lixo. Quando o recipiente estiver cheio, a pessoa deve fechar a sacola e só depois despejar em lixeiras comuns, seja da casa, da rua ou do prédio.

“Moradores de casas menores e com número maior de pessoas precisarão ter mais cuidados higiênicos quanto a espirro, tosse e compartilhamento de objetos”, alerta Renato Grinbaum infectologista e consultor da SBI.

Nos casos de salas compartilhadas ou casas com apenas um cômodo, pessoas infectadas e pessoas sem a doença não podem compartilhar o mesmo sofá ou colchão. “Se for possível, a recomendação é manter 2 metros de distância da pessoa infectada ou suspeita”, diz Schiavon, da SBI.

Guia de isolamento domiciliar por causa do novo coronavírus — Foto: Arte/G1

Guia de isolamento domiciliar por causa do novo coronavírus — Foto: Arte/G1

Segundo os especialistas, não é necessário manter isolamento de animais de estimação. “Os animais pegam outro tipo de coronavírus, inclusive prevenido pelas vacinas V8 e V10, recomendada para cães”, explicou Schiavon.

Ambientes compartilhados

Quando estão dividindo cômodo, pessoas infectadas precisam estar com um lenço de papel ou papel higiênico que cubra o nariz e a boca em caso de tosse e espirro. Se as pessoas não tiverem esse lenço, precisam tossir e espirrar no antebraço e lavar os braços e as mãos imediatamente.

Nesses ambientes compartilhados, a pessoa infectada precisa estar o tempo todo com máscara. Segundo a alergista e imunologista Patrícia Schlinkert, a recomendação é que pessoas infectadas nunca passem o dia inteiro no mesmo cômodo em que ficam as não infectadas.

“A minha sugestão, nos casos de residentes em domicílios de apenas um cômodo, é que as pessoas saudáveis procurem a casa de algum parente. É quase certo que compartilhar o ambiente vai gerar transmissão, mesmo que se tomem os cuidados de higienização necessários, porque isso não impede a transmissão, apenas diminui a possibilidade”, explica a médica.

Ela também orienta que a comunicação seja feita por meios indiretos, como o telefone.

Como dividir o banheiro

Quando o banheiro é compartilhado, o paciente infectado ou com suspeita de estar infectado precisa desinfetar todas as superfícies usadas por ele: vaso sanitário, interruptores, maçaneta, descarga, box e regulador de temperatura do chuveiro, por exemplo.

Objetos que antes eram compartilhados, como pasta de dente, sabonete de pia e toalha de rosto devem passar a ser individuais. Também é necessário tirar a escova de dente da pessoa infectada ou com suspeita de infecção do mesmo recipiente das demais.

Limpeza da casa

A limpeza de alguns móveis e objetos precisará ser feita diversas vezes ao dia e seguindo cuidados específicos:

  • a pessoa que for limpar a casa precisa estar com máscara, luva, óculos e avental;
  • todas as superfícies de contatos constantes devem ser limpas: pia, maçanetas, mesas, interruptores, assentos de sofá, cadeiras e vaso sanitário, torneiras, etc;
  • sabão, álcool acima de 70 e e desinfetantes são eficientes para a limpeza;
  • manter as lixeiras com tampas fechadas e usar saco hermeticamente fechado;
  • as roupas e acessórios de cama e banho do infectado sempre precisam ser lavadas após o uso e secas em local arejado.
Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

834 presos fugiram em rebeliões em SP e 517 foram recapturados após Justiça suspender saída por causa de coronavírus

Fugas e rebeliões ocorreram em cinco unidades contra veto à saída de presos do semiaberto para evitar propagação do coronavírus em São Paulo. Outros fugitivos são procurados.

Por G1 SP, TV Globo e Gnews — São Paulo

Fugas e rebeliões em todo o estado

Fugas e rebeliões em todo o estado

Pelo menos 834 presos fugiram de quatro unidades prisionais do estado de São Paulo durante rebeliões, na segunda-feira (16), contra decisão da Justiça em suspender a saída temporária de mais de 34 mil detentos para evitar risco de contágio pelo coronavírus. Um quinto presídio teve princípio de rebelião, mas não fuga (veja abaixo quais são os presídios e a situação de cada um deles).

Até as 8h55 desta terça-feira (17), 517 presos tinham sido recapturados pela Polícia Militar (PM), segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP). Outros fugitivos são procurados. Vídeos que circulam nas redes sociais mostram as confusões nos presídios (veja nesta reportagem).

Os dados foram divulgados nesta manhã pela Secretaria da Administração Penitenciária. O número de presos que fugiram deve aumentar, no entanto, já que a pasta ainda contabilizada o total de fugitivos.

Todos os presos que participaram das fugas e rebeliões são do regime semiaberto em unidades nas seguintes cidades:

  • Mongaguá577 detentos fugiram e ao menos 172 tinha sido recapturados até a manhã desta terça
  • Porto Felizao menos 178 fugitivos foram recapturados
  • Tremembéao menos 82 presos recapturados
  • Mirandópolis: houve incêndio com feridos, mas sem fuga
  • Sumaré4 presos fugiram e foram recapturados

Nesta terça-feira (17) estava prevista a saída temporária deles para ficarem com suas famílias. Os fugitivos, que já trabalham durante o dia e retornavam à noite para os presídios, voltariam às suas unidades após sete dias.

Diante do aumento do número de casos de coronavírus, a SAP pediu à Justiça que essa saída fosse barrada para evitar que os presos saíssem e voltassem infectados, contaminando assim outros detentos.

“Nós temos que diminuir a contaminação dessa população [carcerária] por coronavírus”, disse Nivaldo Restivo, secretário da Administração Penitenciária, na manhã desta terça-feira (17) à TV Globo. “Não sabíamos como eles voltariam sem um controle sanitário, sem um acompanhamento de saúde. Isso poderia provocar uma proliferação da doença nas unidades”.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou na manhã desta terça que os governos estaduais têm autonomia para administrar seus sistemas penitenciários.

“Houve essa decisão, gerou uma reação de presos que não entenderam. A informação que eu tenho que boa parte, grande parte, mais de 400 já foram recapturados. E vão ser recapturados. Vão prestar conta por esse comportamento”, falou Moro.

Mongaguá

Preso grava fuga de detentos de dentro de presídio em Mongaguá, SP — Foto: G1 Santos

Preso grava fuga de detentos de dentro de presídio em Mongaguá, SP — Foto: G1 Santos

No Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Mongaguá, no litoral paulista, 577 presos fugiram durante a rebelião e 172 foram recapturados. Nove agentes penitenciários foram mantidos reféns, mas todos foram liberados sem ferimentos pelos detentos. Nenhum preso ficou ferido.

Parentes dos presos disseram à reportagem que não há água, que a comida está estragada e que há percevejos no local. Os detentos reclamam da superlotação. A capacidade do CPP é de 1.700 detentos, mas tem cerca de 2.800.

Porto Feliz

Penitenciária de Porto Feliz registra rebelião e fuga de presos em massa

Penitenciária de Porto Feliz registra rebelião e fuga de presos em massa

Em Porto Feliz, interior paulista, 178 presos que fugiram do Centro de Progressão Penitenciária durante a rebelião foram recapturados. A SAP não divulgou o número total de fugas nesta unidade. Segundo a pasta, não há informações de reféns e feridos.

Vídeos mostram os presos correndo em ruas e estradas de Porto Feliz.

Durante a fuga, detentos colocaram fogo num canavial próximo a unidade prisional. Outros incendiaram colchões e danificaram a unidade. Há relatos de bombas e tiros usados por policiais e agentes prisionais para conter o tumulto. Parentes dos presos foram ao local em busca de informações. O CPP abrigava quase 2 mil presos do regime semi aberto.

Tremembé

Em Tremembé, interior de São Paulo, 82 presos que fugiram do presídio Doutor Edgar Magalhães Noronha, conhecido como Pemano, durante a rebelião, foram recapturados. A SAP não informou o total de fugas nesta unidade. A pasta informou que não houve reféns e nem feridos no presídio.

Mirandópolis

Na Penitenciária de Mirandópolis, interior paulista, não teve fuga, segundo a SAP. Apesar disso, nove detentos ficaram feridos durante a rebelião, sendo dois deles em estado grave por briga interna entre os presos. Não há registro de agente penitenciário ferido ou mantido refém.

Os presos queimaram colchões durante a rebelião.

Sumaré

A SAP não considerou o que ocorreu no Centro de Ressocialização (CR) de Sumaré como uma rebelião. De acordo com a pasta o que teve lá foi um caso pontual de uma agente penitenciário que foi mantido refém, mas depois foi liberado pelos presos. Apesar disso, quatro detentos fugiram na confusão, mas foram recapturados à noite.

O local tem 218 presos em regime semiaberto. A capacidade é para 223 pessoas.

O que diz o secretário de Administração Penitenciária

“Diante de um problema [coronavírus], o governo agiu da maneira de optar por aquele que fosse menos lesivo à sociedade”, disse Nivaldo Restivo, secretário da Administração Penitenciária. “O povo paulista precisa ser preservado acima de qualquer outra opção”.

Em nota emitida no final da noite de segunda, a Secretaria de Administração Penitenciária informou que a situação estava “controlada nos Centros de Progressão Penitenciária de Mongaguá, Tremembé e Porto Feliz, além da ala de semiaberto da Penitenciária II de Mirandópolis, onde houve evasão de presos e ato de insubordinação”.

“O Grupo de Intervenção Rápida controlou a situação nos presídios de forma imediata”, informa o comunicado da SAP.

A nota informou ainda que “até as 22h30, 174 presos foram recapturados pela Polícia Militar com apoio de agentes de segurança penitenciária. A SAP realiza a contagem para determinar o número exato de fugitivos”.

Em outra nota, divulgada na tarde de segunda, a SAP informou que “a medida [de suspender as saídas temporárias] foi necessária pois o benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto que, retornando ao cárcere, teriam elevado potencial para instalar e propagar o coronavírus em uma população vulnerável, gerando riscos à saúde de servidores e de custodiados.”

Restrição de circulação

Na quinta-feira (12), órgãos públicos cujas sedes estão instaladas na cidade de São Paulo implementaram restrições à entrada e à circulação de pessoas como forma de contenção e prevenção de infecções por coronavírus.

Nesta segunda, o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu suspender audiências consideradas não urgentes e vetou a presença do público em julgamentos e em fóruns para evitar o contágio do coronavírus. A recomendação é que só sejam atendidos casos considerados urgentes.

São considerados casos urgentes em audiências aqueles que envolvem réus presos, menores infratores e alguns casos da área de família.

A Superintendência da Polícia Federal em São Paulo suspendeu as visitas às pessoas custodiadas na sede da PF.

As medidas de segurança para prevenir o contágio pela doença foram anunciadas na sexta (13) e sábado (14) pelo Tribunal de Justiça. As recomendações seguem as orientações divulgadas pelo Conselho Superior de Magistratura.

Fugas e rebeliões — Foto: Arte/G1

Fugas e rebeliões — Foto: Arte/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Aneel vai discutir devolução bilionária de parte de imposto cobrado nas contas de luz

Justiça considerou irregular fórmula que inclui o ICMS na base de cálculo do Pis/Pasep e da Cofins. Distribuidoras podem ficar com parte do dinheiro ou receber ‘prêmio’.

Por Fábio Amato, G1 — Brasília

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai começar a debater como será feita a devolução aos consumidores de uma parte do PIS/Pasep e da Cofins cobrados nas contas de luz nos últimos anos, informou ao G1 o diretor-geral da agência, André Pepitone.

Apesar de o assunto estar em discussão no Supremo Tribunal Federal (STF), já há sentenças transitadas em julgado que reconhecem o direito a essa devolução. Por isso, há expectativa de que o Supremo acompanhe este entendimento, em decisão que deve sair ainda no primeiro semestre de 2020.

Não há estimativa do valor que será devolvido, mas, de acordo com Pepitone, a cifra deve atingir “alguns bilhões”.

Entenda

O PIS/Pasep (Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e a Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) são tributos federais. A devolução, portanto, deve gerar uma queda na arrecadação do governo federal.

Nos últimos anos, diversas empresas, entre elas distribuidoras de energia elétrica, moveram ações judiciais questionando a forma como são calculados esses tributos. A discordância é sobre a inclusão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), um imposto estadual, na base da conta.

Tomando-se como exemplo uma conta de luz de R$ 100 e sobre a qual incida ICMS de 30% (valor final de R$ 130). Para o governo, o Pis/Pasep e a Cofins devem ser calculados sobre os R$ 130. Nas ações judiciais, as empresas defendem que a conta deve ser feita sobre os R$ 100.

Pelo menos duas distribuidoras – Cemig, que atende ao estado de Minas Gerais, e Light, que atende parte dos consumidores do Rio de Janeiro – conseguiram decisão judicial transitada em julgado reconhecendo que o cálculo não deve considerar o ICMS.

As decisões, do ano passado, geraram um redução imediata no valor das tarifas de energia, de 1%, para os mineiros, e de 2%, para os cariocas.

Entretanto, as decisões judiciais têm efeito retroativo, ou seja, têm validade a partir da data de entrada da ação. É esse valor, chamado de passivo, que a Aneel vai discutir como devolver aos consumidores.

Apenas a Light, que entrou com a ação em 2007, estima que têm a receber R$ 3,6 bilhões do governo federal.

Já a Cemig prevê ter direito a outros R$ 4,1 bilhões em imposto repassado a mais nos últimos dez anos.

‘Prêmio’ para as distribuidoras

A Aneel não sabe quantas distribuidoras conseguiram decisão da Justiça retirando o ICMS do cálculo do Pis/Pasep e da Cofins. Por isso, vai anunciar ainda nesta semana a abertura de um processo para ouvir as distribuidoras, estimar o valor do passivo a ser devolvido aos consumidores e definir de que forma isso será feito. O resultado deve sair em cerca de 30 dias.

De acordo com Pepitone, “há teses jurídicas” que indicam que uma parte desse dinheiro deve ficar com as distribuidoras. Uma dessas teses aponta que apenas o imposto a mais cobrado nos últimos 10 anos devem ser devolvido aos consumidores. Outra defende que deve ser restituído apenas o que foi cobrado a mais nos últimos cinco anos.

O processo movido pela Cemig teve decisão em 2019 mas os seus efeitos retroagem a 2003. Se fosse aplicada a tese de devolução de apenas 5 anos de imposto à população, a empresa poderia embolsar o equivalente a 11 anos de Pis/Pasep e Cofins cobrado a mais.

Subestação de energia da Cemig em Varginha (MG) — Foto: Reprodução/EPTV

Subestação de energia da Cemig em Varginha (MG) — Foto: Reprodução/EPTV

A possibilidade de ficar com uma parte do imposto, diz Pepitone, foi o que levou as distribuidoras a mover as ações – os tributos, independente da forma como são calculados nas contas de luz, são repassados integralmente aos consumidores, ou seja, não afetam o caixa das distribuidoras.

“A Aneel já tem o entendimento de que esse recurso é todo do consumidor”, disse o diretor-geral da Aneel.

Questionada pelo G1, a Light informou que moveu a ação porque “entende haver bitributação ao incluir o ICMS na base de cálculo da apuração do Pis/Cofins.” Já a Cemig disse que “entendia que a inclusão do ICMS na base de cálculo do Pasep/Cofins era inconstitucional.”

Pepitone apontou, entretanto, que pode ser discutido o pagamento de um “prêmio” às distribuidoras, para, por exemplo, cobrir os custos com o processo.

“A gente reconhece que esse recurso [a ser devolvido aos consumidores] só existe pelo fato de a distribuidora ter ido litigar em juízo. Se não tivesse feito isso, não teria esse passivo que estamos falando. Então, vamos discutir com o mercado se é justo ou não o reconhecimento de um prêmio”, disse Pepitone.

Conversa com o governo

O diretor-geral da Aneel disse ainda que vai procurar o governo para discutir a devolução dos valores aos consumidores. De acordo com ele, o Ministério de Minas e Energia vai intermediar esse debate.

A retirada do ICMS da base de cálculo do Pis/Pasep e Cofins reduz o valor que o governo federal arrecada com os tributos sobre a conta de luz. E a devolução de parte do valor recolhido em anos anteriores deve prejudicar ainda mais as contas públicas, que vêm registrando rombos bilionários nos últimos anos.

Procurado pelo G1, o Ministério da Economia informou que “não se manifesta sobre matéria ainda em estudo, análise e/ou não publicada.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Maia diz ver com ‘perplexidade’ participação de Jair Bolsonaro em manifestação

Presidente da Câmara diz que Bolsonaro ‘desautoriza ministro da Saúde’ ao apertar a mão de apoiadores, rompendo monitoramento. Maia diz esperar que presidente ‘trabalhe de forma harmônica’ com outros poderes.

Por Claudia Bomtempo e Mateus Rodrigues, TV Globo e G1 — Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou neste domingo (15) a participação do presidente Jair Bolsonaro em uma manifestação a favor do governo e com críticas aos poderes Legislativo e Judiciário.

Segundo Maia, o presidente “desautoriza o ministro da Saúde”, Luiz Henrique Mandetta, ao romper o monitoramento recomendado e apertar a mão de apoiadores em frente ao Palácio do Planalto.

“O que nos preocupa, o que nos deixa em perplexidade é o presidente participando desses atos. Num momento onde se pediu, na sexta-feira, que não houvesse aglomerações, o próprio presidente desautoriza o seu ministro da Saúde”, declarou à TV Globo.

“Nós temos o risco de estar vivendo a maior crise, né, que o Brasil viveu nos últimos cem anos. Com impacto na vida dos brasileiros, na saúde dos brasileiros, no emprego, na renda, aumento da pobreza. E nós temos um presidente que estimula manifestações contra outras instituições.”

Maia disse esperar que “o presidente assuma a Presidência da República” e trabalhe “de forma harmônica” com os outros poderes.

“Não é um momento simples, não é um momento fácil, o que nós esperamos é que o presidente assuma a Presidência da República […] O que nós precisamos é que ele, que foi eleito de forma legítima, cumpra o seu papel de presidente do Poder Executivo e trabalhe de forma harmônica com o Poder Legislativo e o Poder Judiciário”, afirmou.

Crise do coronavírus

Na entrevista exclusiva à TV Globo, Rodrigo Maia também manifestou críticas ao comando de Jair Bolsonaro frente à crise do novo coronavírus. Para o deputado, seria preciso que o Palácio do Planalto comandasse “o processo” e “as respostas” a essa crise.

“O mais grave é que não se cria uma estrutura no Palácio do Planalto para comandar o processo dessa crise, para comandar as respostas a essa crise. É isso que a população espera do seu presidente, que na sexta disse, junto do ministro da Saúde, que não poderia existir aglomerações. E vai a uma aglomeração estimular, estimula aglomeração, desfazendo aquilo que foi dito pelo ministro da Saúde”.

“O que a gente espera, a partir de amanhã, é que o governo assuma o seu papel, o Palácio do Planalto. Não há poder derivado, o poder é do presidente. Nenhum ministro pode cumprir o papel que o presidente da República precisa cumprir nessa crise”, afirmou Maia.

Manifestação

O presidente Jair Bolsonaro descumpriu, neste domingo, a recomendação de monitoramento dada por médicos do governo em razão do novo coronavírus. Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada no início da tarde e participou de uma manifestação a favor do governo.

Presidente Jair Bolsonaro cumprimentou apoiadores em manifestação em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Presidente Jair Bolsonaro cumprimentou apoiadores em manifestação em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Em um primeiro momento, o presidente percorreu o lado oposto da Esplanada dos Ministérios, de carro, e recebeu acenos dos manifestantes. Em seguida, fez o caminho de volta e entrou no Palácio do Planalto.

Minutos depois, foi até a grade e apertou a mão de apoiadores. O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, apareceu ao lado de Bolsonaro nas imagens.

Questionada, a assessoria da Anvisa informou que Torres “recebeu um convite do presidente para uma conversa informal, aceitou e foi”. A agência não quis comentar o risco associado a esse tipo de aglomeração.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cidades brasileiras têm atos pró-governo

Capitais como Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Belém registraram protestos pacíficos. Com a pandemia de coronavírus, autoridades de Saúde haviam pedido que população evitasse eventos com grandes aglomerações.

Por G1

Capitais brasileiras e cidades do interior registraram, na manhã deste domingo (15), atos de apoio ao governo de Jair Bolsonaro. Capitais como Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Belém (PA), Maceió (AL) registraram protestos pacíficos.

Apesar da orientação de autoridades da Saúde de vários estados e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para suspender a realização de eventos com grandes aglomerações para evitar a disseminação do novo coronavírus (Sars-Cov-2), apoiadores do governo não atenderam ao apelo.

Na quinta-feira (12), em pronunciamento em rede nacional, Bolsonaro afirmou que as manifestações marcadas para este domingo (15) deveriam ser repensadas diante do cenário de pandemia do coronavírus. O presidente havia dito que os movimentos eram “legítimos e espontâneos”, mas que não se podia colocar em risco a saúde da população em razão da pandemia de Covid-19.

Porém, neste domingo, em uma rede social, o presidente compartilhou vídeos de manifestações em cidades como Salvador, Belém e Brasília.

Veja os atos em cada estado:

Rio de Janeiro

Na capital do Rio, manifestantes se reuniram na Orla de Copacabana. Eles estavam vestidos com as cores da bandeira do Brasil e exibiam faixas e cartazes em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Justiça Sergio Moro.

Os cartazes mostravam dizeres como: “Congresso e STF matam mais que coronavírus” e “Fora Rodrigo Maia e companhia”. Algumas pessoas usavam máscara facial. O ato terminou por volta de 13h30.

Em Nova Friburgo, manifestantes começaram a se concentrar às 15h na Praça Dermeval Barbosa Moreira.

Em Petrópolis, carreatas saíram dos bairros Bingen e Quitandinha e do distrito de Itaipava. Manifestantes também se concentraram na Praça Dom Pedro, no Centro Histórico, com cartazes e gritos de apoio ao presidente Bolsonaro e críticas à atuação do Congresso Nacional.

São Paulo

Na capital, manifestantes pró-governo se reúnem na Avenida Paulista. O ato em defesa de Bolsonaro começou por volta das 13h como uma carreata. Em seguida, participantes foram à rua e ocuparam os dois sentidos de um trecho da via.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), há bloqueio de ambos os sentidos da Paulista, próximo à Rua Pamplona. O grupo está concentrado em frente ao prédio da Fiesp.

Os manifestantes exibiram faixas e cartazes, com criticas ao Congresso, algumas delas com propostas inconstitucionais e ilegais, como intervenção militar, fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

Alguns manifestantes protestam usando proteção no rosto. Máscaras cirúrgicas e frascos de álcool gel também são vendidos durante a manifestação.

No interior de São Paulo, atos aconteceram em Campinas, Mogi das Cruzes, Jundiaí, Ribeirão Preto, Bauru, Laranjal Paulista, Piracicaba, Araçatuba e Franca.

Em Campinas, o ato começou no Largo do Rosário por volta das 09h30. Os manifestantes seguiram em direção à prefeitura da cidade. Alguns usavam máscaras. A dispersão aconteceu por volta de 12h.

Manifestantes em Ribeirão Preto — Foto: EPTV

Manifestantes em Ribeirão Preto — Foto: EPTV

Em Ribeirão Preto, a concentração começou às 10h. Os manifestantes rezaram e, por volta de 11h, começaram a caminhar pela Avenida 9 de Julho. Eles gritaram palavras de ordem em defesa do presidente e contra o Congresso até por volta de 12h.

Em Piracicaba, o ato aconteceu na Praça José Bonifácio, com carros de som, das 10h30 às 12h. Vários manifestantes usaram verde e amarelo. Alguns foram com máscaras.

Em Bauru, manifestantes se reuniram em uma carreata da Avenida Nações Norte até a Avenida Duque de Caxias, por volta das 10h. Em seguida, retornaram ao ponto de partida. Alguns vestiam máscaras e carregavam bandeiras e balões com as cores do Brasil. A dispersão aconteceu por volta de 12h.

Em Jundiaí, a manifestação começou na Avenida 9 de julho, às 10h. Participantes estavam vestidos de verde e amarelo e protestaram contra o Congresso, alguns parlamentares e em apoio a Bolsonaro. Houve carreata até a Vila Hortolândia. O ato terminou por volta de 11h30.

Em Laranjal Paulista, um grupo saiu da praça da Avenida da Saudade e seguiu até o Centro. Na praça da Avenida Armando Salles de Oliveira, os manifestantes cantaram o hino nacional e encerraram o ato pro volta de 13h.

Em Araçatuba, o ato aconteceu entre 10h e 11h30. Moradores se concentraram na Avenida dos Araçás e seguiram para o Tiro de Guerra.

Em Mogi das Cruzes, manifestantes se reuniram na Avenida Cívica, no bairro do Mogilar, entre 10h e 12h30.

Em Franca, um grupo se reuniu na praça Nossa Senhora da Conceição às 15h. Depois, saiu em carreata até a Avenida Rio Negro para encerrar o ato em um terreno ao lado de um shopping, por volta de 16h.

Em Santos, o ato começou às 14h na Praça da Independência, no bairro Gonzaga. O grupo se manifesta contra o STF e a Câmara dos Deputados, afirmando que ambos prejudicam o trabalho do presidente. As vias já foram liberadas.

Em Marília, manifestantes se reuniram durante a tarde na Avenida Sampaio Vidal, em frente à prefeitura. Vestidos com as cores do Brasil, a manifestação começou 16h e o ato foi encerrado pelas 17h. Eles também carregavam bandeiras e cartazes em apoio ao governo. Alguns até utilizaram máscaras em referência ao combate do coronavírus.

Em Sorocaba, o ato começou por volta das 16h e durou cerca de 1h30. Os manifestantes ficaram concentrados na Praça do Campolim.

Em Itapetininga, motoristas e motociclistas realizaram uma carreata. A concentração começou por volta das 16h na Rua Virgílio Rezende e foram em direção da praça Peixoto Gomide, no centro.

Distrito Federal

Manifestantes se reúnem em Brasília em ato pró-governo — Foto: TV Globo/Reprodução

Manifestantes se reúnem em Brasília em ato pró-governo — Foto: TV Globo/Reprodução

Em Brasília, manifestantes se concentraram em frente à Biblioteca Nacional pela manhã deste domingo (15) e caminharam em direção ao Congresso. Eles exibiam faixas contra o Supremo Tribunal Federal (STF), o Congresso e contra a secretária especial de Cultura, Regina Duarte.

Uma carreta saiu por volta das 10h30. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF, a carreata não estava prevista. A Polícia Militar monitorou a situação. O Batalhão de Trânsito enviou sete viaturas para acompanhar o deslocamento dos manifestantes e minimizar os transtornos no trânsito.

Presidente Jair Bolsonaro cumprimentou apoiadores em manifestação em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Presidente Jair Bolsonaro cumprimentou apoiadores em manifestação em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Mesmo com a recomendação de monitoramento por coronavírus, Bolsonaro participou do ato, de carro. Depois, foi ao Palácio do Planalto, onde cumprimentou apoiadores que se reuniram na rua. Ele mostrou o momento numa transmissão ao vivo pela internet.

Carreata em Brasília em ato pró governo — Foto: TV Globo/Reprodução

Carreata em Brasília em ato pró governo — Foto: TV Globo/Reprodução

Alagoas

Em Maceió, manifestantes iniciaram uma caminhada na avenida da orla às 9h. Eles estavam vestidos com as cores do Brasil e exibiam bandeiras do país, além de cartazes com frases como “Todo poder emana do povo”. Algumas pessoas estavam de máscara. O ato terminou por volta de 11h.

Bahia

Em Salvador, um grupo de manifestantes se concentrou no Farol da Barra e, às 11h, iniciou uma caminhada em direção ao Morro do Cristo. Algumas pessoas usavam máscaras. A maioria vestia as cores do Brasil e camisetas em apoio a Bolsonaro, muitos levavam a bandeira do país. A dispersão aconteceu por volta de 13h30.

Pará

Em Belém, o ato se concentrou na Escadinha da Estação das Docas. Os manifestantes saíram por volta das 8h30 pela avenida Presidente Vargas, e seguiram pela avenida Doca de Souza Franco. Eles portavam bandeiras do Brasil e estavam vestidos de verde e amarelo. A dispersão ocorreu por volta do meio-dia.

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, manifestantes começaram a se reunir às 10h na Praça da Liberdade. Muitos foram vestidos de verde amarelo. Eles levaram cartazes e estenderam uma bandeira do Brasil sobre a praça. O ato aconteceu até por volta de 14h.

Protesto pró-governo em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo

Protesto pró-governo em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo

Em Governador Valadares, o ato aconteceu entre 10h e 11h30, na Praça dos Pioneiros. Manifestantes defenderam o fim da imunidade parlamentar, fim da corrupção e manifestaram apoio ao presidente.

Em Juiz de Fora, o ato teve início por volta das 10h, com concentração no Parque Halfeld, em frente à Câmara Municipal. Em seguida, o grupo de manifestantes seguiu em direção à parte baixa da Rua Halfeld e se concentrou na Praça da Estação, onde houve a dispersão do movimento por volta das 12h.

Em Uberlândia, um grupo de pessoas vestidas de verde e amarelo se concentrou por volta das 10h30 na Praça Tubal Vilela, onde cantou o hino nacional e, em seguida, caminhou pelas ruas centrais da cidade com faixas, cartazes e bandeiras. O ato terminou por volta de 12h.

Em Uberaba, manifestantes se reuniram a partir das 10h30 na Praça Manoel Terra, próximo à histórica Igreja Santa Rita, onde deram as mãos e oraram pela saúde do presidente. No ato, que durou cerca de uma hora, o grupo vestia camisas e levava balões também nas cores verde e amarelo.

Maranhão

Em São Luis, a concentração aconteceu às 9h na Praça do Pescador, na orla marítima da cidade. Os participantes levaram bandeiras e se manifestaram em defesa de Bolsonaro até por volta de 13h.

Piauí

Em Teresina, o ato começou às 16h. Os manifestantes se concentraram na Avenida Raul Lopes, Zona Leste da Capital. A organização informou que não sabe se eles irão fazer passeata ou se ficarão concentrados na avenida. A dispersão aconteceu às 19h.

Em Parnaíba, manifestantes se reuniram entre as 8h e as 11h. Os manifestantes saíram em passeata do Balão da Guarita até o Mercado do Caramuru. O ato foi organizado pelo prefeito Mão Santa (DEM), em defesa de Bolsonaro.

Pernambuco

Manifestantes se reúnem na orla da Zona Sul do Recife, no bairro de Boa Viagem, ocupando um trecho da Avenida Boa Viagem. O ato começou por volta das 14h. A dispersão aconteceu por volta das 17h.

Durante o protesto, palavras de ordem em defesa de Bolsonaro e contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal são ditas de cima de um carro de som. Faixas e placas nesse sentido são levadas pelos participantes, muitos de máscara.

Centenas de pessoas se reúnem na Avenida Boa Viagem, na orla do Recife, em manifestação contra o Congresso e o STF — Foto: Reprodução/TV Globo

Centenas de pessoas se reúnem na Avenida Boa Viagem, na orla do Recife, em manifestação contra o Congresso e o STF — Foto: Reprodução/TV Globo

Santa Catarina

Em Florianópolis, o ato começou às 15h30 na Av. Beira-Mar Norte e seguiu até o prédio da Polícia Federal e encerrou por volta das 18h30. Havia uma faixa grande no trio elétrico dizendo “somos todos Bolsomourão” e outros cartazes de apoio a Bolsonaro.

Na cidade de Blumenau, a manifestação aconteceu em frente à prefeitura, na praça Victor Konder. Participaram do ato o Grupo Bolsonaro Blumenau, o Instituto Verdade e Liberdade, Aliança do Brasil e o Movimento Conservador Blumenau. O ato teve início por volta das 16h e encerrou às 18h.

Em Chapecó, manifestantes começaram a se reunir na Praça Coronel Bertaso às 13h30. Eles planejavam seguir pela Avenida Getúlio Vargas. Rodrigo Maia aparece em uma ilustração com o rosto no corpo do personagem Nhonho, do seriado “Chaves”. A dispersão aconteceu por volta de 16h.

Em Joinville, a concentração ocorre na Praça da Bandeira, ao lado do terminal central de ônibus. O coordenador do Movimento Direita Joinville, um dos que convocaram o ato, disse que a manifestação é em favor do governo Bolsonaro. Há uma bandeira com a foto do presidente e gritos de “Fora Maia”.

Em Criciúma, a concentração começou em um bar por volta de 15h. Há cartazes favoráveis ao presidente e contra o Congresso, o STF e a corrupção.

Goiás

Em Goiânia, o ato pró-Bolsonaro acontece na Praça Cívica, sede do governo estadual. Os manifestantes começaram a se reunir por volta de 15h.

O governador proibiu o uso de carro de som no local. Os participantes planejam fazer uma caminhada até a sede da Polícia Federal. Há cartazes e gritos com a frase: “Fora Maia e Alcolumbre”.

Paraná

Em Curitiba, os manifestantes começaram a se reunir por volta das 14h, no calçadão da Rua XV, no Centro. Vestidos de verde e amarelo ao redor de três carros de som, eles cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Segundo a Polícia Militar, a manifestação é pacífica, sem ocorrências de confusões. Alguns manifestantes usam máscaras no nariz e boca. O ato encerrou por volta das 17h.

Em Foz do Iguaçu, ocorreu uma passeata por ruas da cidade entre 9h e 12h. Os manifestantes vestiam roupas com as cores da bandeira do Brasil e levaram faixas com frases pró-governo. Alguns usavam máscaras.

Em Londrina, o protesto começou por volta das 15h e ocorreu na rotatória das avenidas Juscelino Kubitschek e Higienópolis. Vestidos de verde e amarelo, acompanhados de um carro de som, mostraram apoio ao Governo Federal, e criticaram o STF, e o Congresso Nacional. Após cantarem o hino nacional, os manifestantes saíram em passeata até o Calçadão de Londrina. Muitos manifestantes utilizavam máscaras.

Em Cascavel, no oeste do Paraná, os manifestantes se reuniram próximo a prefeitura, por volta das 14h, e saíram em passeata pela Avenida Brasil. Durante o percurso de cerca de 14 quilômetros, os participantes buzinavam pela avenida e carregavam bandeiras do Brasil.

Em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, houve uma passeata em uma das principais avenidas da cidade. O evento começou por volta das 15h e contou com um caminhão que carregava uma enorme bandeira do Brasil. Muitos participantes seguravam bexigas verdes e amarelas.

Em Cianorte, no noroeste do Paraná, houve uma pequena concentração em frente a prefeitura da cidade. Um grupo de pessoas se reuniu e levou bandeiras para a manifestação.

Paraíba

O ato em João Pessoa começou às 14h, na Praça da Independência, no Centro da cidade. O plano dos organizadores é que manifestantes percorram pelo menos 12 bairros. Uma carreata foi até a praia, onde encontrou um grupo de pessoas e um trio elétrico.

Amazonas

Grupos pró-Bolsonaro se reúnem em duas áreas diferentes de Manaus. Um grupo faz carreata pela Avenida das Torres, na Zona Centro-Sul da cidade, e outro se aglomera na Ponta Negra, na Zona Oeste.

As manifestações tiveram início por volta das 14h30. Com camisas e bandeiras do país, os grupos defendem o governo.

Sergipe

Em Aracaju, os manifestantes se reuniram nos Arcos da Orla da Atalaia, onde iniciaram uma carreata em apoio ao governo pelas avenidas da capital sergipana por volta das 14h. O ato encerrou por volta das 17h45.

Rondônia

Manifestantes se reúnem em um ato a favor do governo no Espaço Alternativo, em Porto Velho. A maioria dos participantes estão vestidos de verde amarelo e seguram a bandeira do Brasil. De acordo com Márcio Melo, organizador do evento, a movimentação começou pelas 9h e o ato deve se estender até às 18h.

Espírito Santo

Um grupo de manifestantes fechou a Terceira Ponte, principal ligação entre Vitória e Vila Velha, por volta de 15h deste domingo. Os dois sentidos foram completamente interditados. Por volta das 18h, o sentido Vitória para Vila Velha foi liberado.

O grupo saiu de Vila Velha com destino à Praça do Papa, em Vitória. Eles defendem o governo e levantaram cartazes contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Mato Grosso

Manifestação em Cuiabá teve início às 15h30, na Praça das Bandeiras, e seguiu até a Praça 8 de Abril. A previsão de término é 18h.

Manifestantes em Cuiabá — Foto: G1 MT

Manifestantes em Cuiabá — Foto: G1 MT

Ceará

Em Fortaleza, manifestantes vestidos de verde e amarelo levaram bandeiras do Brasil, faixas e placas, criticando o Congresso Nacional e em apoio ao Governo Bolsonaro.

Embora sem casos de coronavírus confirmados no Ceará, muitos manifestantes usavam máscaras cirúrgicas coloridas de verde e amarela. O ato começou às 16h, na praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz, no bairro Dionísio Torres, e deve se estender até o início da noite.

Manifestantes se reuniram em Fortaleza — Foto: G1 CE

Manifestantes se reuniram em Fortaleza — Foto: G1 CE

Mato Grosso do Sul

A manifestação começou por volta das 16h30 nos altos da avenida Afonso Pena, em Campo Grande. Em razão da epidemia, o que antes era uma caminhada, se transformou em uma carreata. Duas faixas da avenida Afonso Pena estão tomada pelos participantes, que percorrem a via. Por volta das 18h30, o ato dispersou.

Tocantins

Um grupo de manifestantes se reuniu na tarde deste domingo (15) na Praça dos Girassóis, no centro de Palmas, para um ato pró-governo. Eles se concentraram na área próxima ao memorial Coluna Prestes, na parte sul da praça. A concentração começou por volta das 16h e o grupo se dispersou por volta de 18h30.

Os manifestantes foram ao local com carros de som, faixas e cartazes. Vestidos de verde e amarelo, eles demonstram apoio ao presidente Jair Bolsonaro e fazem críticas ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, o protesto começou por volta das 15h na Avenida Goethe, uma das principais da cidade. Os manifestantes vestiam verde e amarelo e levaram cartazes de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Justiça, Sergio Moro. Eles também pediram a extinção do fundo eleitoral, o fim da imunidade parlamentar e a prisão dos presidentes da câmara, Rodrigo Maia, e do senado, Davi Alcolumbre. O ato terminou por volta das 17h.

Manifestantes se reuniram na Avenida Goethe, em Porto Alegre — Foto: G1 RS

Manifestantes se reuniram na Avenida Goethe, em Porto Alegre — Foto: G1 RS

Protestos também na Serra. Em Caxias do Sul, os manifestantes participaram de uma caminhada por ruas e avenidas da cidade, defendendo o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. A manifestação que começou por volta das 15h40 encerrou às 17h.

Na Região Norte, manifestantes fizeram uma carreata pelas ruas de Erechim, as 14h30. Os manifestantes se reuniram em frente à prefeitura e saíram em caminhada pela Avenida Maurício Cardoso, a principal da cidade.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Funcionários públicos de SP com mais de 60 anos vão trabalhar de casa e museus e bibliotecas fecharão, anuncia Doria

As exceções são servidores ligados à Segurança e à Saúde. Governador de SP também recomendou o fechamento de cinemas e casas de espetáculos.

Por G1 SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou neste domingo (15), que todos os funcionários públicos do estado com mais de 60 anos trabalharão de casa a partir de terça-feira (17).

As exceções são servidores ligados à Segurança e à Saúde. O governador também recomendou o fechamento de cinemas e casas de espetáculos. As férias e as licenças dos servidores de saúde foram suspensas por 60 dias.

Doria também voltou a falar sobre o fechamento de museus e bibliotecas.

Veja como ficam os serviços públicos de São Paulo a partir desta segunda-feira:

Educação: escolas públicas e particulares começam a ser fechadas a partir desta segunda-feira (16). Na próxima segunda-feira (23), elas estarão completamente fechadas. USP e Unesp também suspenderam as aulas a partir desta segunda. Unifesp suspendeu apenas atividades extracurriculares.

Transporte público: Os funcionários que trabalham em bilheteria passarão a utilizar luvas e terão álcool gel à disposição. Reforçou também a necessidade do uso de máscara, luvas e óculos de proteção nos atendimentos de primeiros socorros.A higienização de trens e estações, que já ocorre diariamente, será intensificada, como também dos banheiros e uma atenção maior a reposição de sabonetes. Os passageiros receberão orientações pelos monitores de TV existentes no interior dos trens por meio de mensagens institucionais do Governo do Estado de São Paulo e os lojistas estabelecidos nas estações receberão comunicados com dicas de higienização de seus espaços.

O Metrô liberou para home office todos os funcionários com idade igual ou superior a 70 anos e aqueles que retornaram de viagens a outros países, suspendeu reuniões e treinamentos presenciais e vai custear parcialmente vacinas contra a gripe para os empregados com menos de 55 anos.

A CPTM intensificou a higienização, que é diária, nas estações e nos trens, assim como a fiscalização de reposições de itens de limpeza dos banheiros públicos, como sabonete, papel higiênico e papel toalha. Todas as estações possuem cartazes informando os meios de se prevenir contra a doença, de acordo com as orientações da Secretaria Estadual de Saúde. Também são divulgadas as orientações por meio de avisos sonoros nos trens e estações e nos monitores de TV.

A CPTM liberou para home office todos os funcionários com idade igual ou superior a 70 anos e aqueles que retornaram de viagens a outros países. Também suspendeu reuniões e treinamentos presenciais. Os funcionários que trabalham em bilheteria passarão a utilizar luvas e terão álcool gel à disposição. Reforçou também a necessidade do uso de máscara, luvas e óculos de proteção nos atendimentos de primeiros-socorros. Os lojistas estabelecidos nas estações receberão comunicados com dicas de higienização de seus espaços.

A CPTM também cancelou todas as viagens do Expresso Turístico por tempo indeterminado. A Companhia também suspendeu as vendas de bilhetes para as próximas datas do passeio e informa que irá anunciar as regras para remarcação ou pedido de reembolso.

Ônibus serão higienizados pelo menos duas vezes ao dia

Serviços de saúde: foram suspensas as férias de profissionais da Saúde até dia 15 de maio. Também foram suspensas as licenças dos funcionários da Saúde por 60 dias.

Aumento de mil leitos de UTI no estado, 600 na capital e restante no estado. Previsão de aumentar a quantidade de unidades básicas de saúde que funcionam durante toda a semana na capital.

Eventos culturais: há a recomendação para cancelamento de atividades com mais de 500 pessoas. Apresentações no Theatro Municipal estão canceladas, exposições na Praça das Artes, atividades esportivas comunitários nos 46 CEUs, programação do Centro Cultural São Paulo, fechamento do Instituto Butanan, concertos na Sala São Paulo adiados, programas públicos do Masp serão interrompidos

Mutirões: Mutirão do emprego, na Lapa, foi cancelado. Feirão Limpa Nome será só online.

Presídios: visitas seguem permitidas. A Secretaria de Administração Penitenciária orientou seus funcionários a ficarem atentos a qualquer pessoa que apresente sintomas ou tenha viajado para locais com alto índice de contaminação. Se o visitante se enquadrar nessa situação não poderá visitar o preso, para não expor a população prisional em risco. Os visitantes também estão sendo orientados sobre as melhores formas de prevenção, como lavar as mãos com frequência.

Isolamento domiciliar: Há a recomendação para que pessoas de baixa imunidade não saiam de casa (asma, pneumonia, tuberculose, câncer, doentes crônicos e transplantados)

Centro de Referência do Idoso: os chamados CRIs, serão fechados. Eles prestam atendimento médico e odontológico aos idosos.

Câmara Municipal de São Paulo: A Câmara informou que vai restringir, a partir de segunda-feira (16), o acesso ao Palácio Anchieta apenas a vereadores, funcionários e fornecedores, de modo que as atividades legislativas serão mantidas. No entanto, eventos coletivos, como sessões solenes, reuniões de lideranças partidárias e visitação institucional estão suspensas. .

Defensoria Pública: A Defensoria Pública do Estado de São Paulo decidiu restringir a partir de sexta-feira (13) o atendimento presencial apenas a casos urgentes, que impliquem risco de perecimento de direitos. Os casos considerados urgentes podem ser consultados no site da instituição.

O órgão informa que está mantida a presença de integrantes da Defensoria em todos os atos realizados no âmbito do Judiciário e o fornecimento de informações por meios telefônicos ou digitais.

Justiça do Trabalho: O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) divulgou que: os funcionários de todas as unidades do tribunal devem informar imediatamente se apresentarem febre ou sintomas respiratórios, e enviar atestado médico por e-mail para a Secretaria de Saúde para afastamento;

•funcionários que chegarem de países com circulação de COVID-19 deverão se afastar por duas semanas;

•servidores com mais de 60 anos ou portadores de doenças crônicas podem optar pelo trabalho remoto;

•privilegiar reuniões por videoconferência e, quando presencial, evitar cumprimentos e guardar distância mínima de um metro do interlocutor, inclusive nas audiências;

•restrição de acesso às salas de audiência, de julgamento e ao plenário às partes e seus advogados;

•recomenda ao público o atendimento virtual, por telefone ou e-mail, e comparecimento aos fóruns quando estritamente necessário.

Justiça Estadual: O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) afastou por 30 dias os servidores com mais de 60 anos, e por 14 dias, os que tenham voltado de regiões endêmicas do coronavírus ou que tenham tido contato com pessoas que voltaram desses lugares. A licença é compulsória e sem ônus.

O órgão estima que tenha entre 3 mil e 4 mil servidores com mais de 60 anos no estado de São Paulo. Eles farão home office. A medida não vale para juízes e desembargadores.

Polícia Federal: A Polícia Federal em São Paulo começa na segunda-feira (16) novo procedimento para o atendimento de imigrantes que buscam regularização na sede da Superintendência da PF em São Paulo, na Lapa, Zona Oeste da cidade.

Serviços afetados:

  • registro de imigrantes; autorizações de residência;
  • naturalização;
  • solicitação de refúgio;
  • solicitações relacionadas à Carteira de Registro Nacional Migratório, como retirada, renovação, troca, segunda via e outras informações

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Veja os serviços do RJ alterados a partir desta segunda-feira devido ao novo coronavírus

Escolas municipais e estaduais terão aulas suspensas, a partir desta segunda.

Por G1 Rio, TV Globo e GloboNews

Devido à pandemia de coronavírus, escolas e universidades, órgãos públicos, serviços e eventos culturais e esportivos do Rio de Janeiro operam em regime especial para conter a proliferação da doença no estado. Várias destas restrições entram em vigor nesta segunda-feira.

Veja abaixo as principais mudanças

Educação

Escolas públicas – As aulas estarão suspensas a partir desta segunda no estado e em vários municípios. No estado, as unidades fecham por 15 dias antecipando as férias escolares. Na capital, o fechamento é por pelo menos uma semana.

Escolas particulares – O Sindicato das Escolas Particulares informou que seguirá a determinação do governador Wilson Witzel sobre suspensão das aulas. Segundo a entidade, as escolas já estão sendo comunicadas sobre a decisão.

Universidades – A Universidade Federal Fluminense (UFF) decidiu adiar por uma semana o início do período letivo. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também vai suspender as aulas por 15 dias. A instituição já havia suspendido as atividades extracurriculares. Uerj e Unirio anunciaram que as aulas estão suspensas até o final do mês.

IFRJ – O Instituto Federal do Rio de Janeiro também suspendeu as aulas da instituição.Atividades nos campi e na Reitoria estão suspensas até terça-feira (17).

Cecierj – A Fundação informa que as atividades nos polos Cederj, escolas Ceja e unidades do Pré-vestibular Social terão recesso de 15 dias, a partir desta segunda (16). A volta às aulas será informada pelo nosso site, redes sociais oficiais e pelas plataformas educacionais.

Rioprevidência

O Rioprevidência, por exemplo, informou que está suspensa a prova de vida para aposentados e pensionistas.

Detran

No Detran-RJ, todos os licenciamentos de 2020 estão suspensos. O serviço só vai ser vir para quem vai tirar licenciamento atrasado, de 2019 para trás. Deste ano, todas das placas, inclusive com os finais 0 e 1, os licenciamentos estão suspensos.

Os vencimentos foram prorrogados por 30 dias. As autoescolas e as clínicas onde são feitos os exames para habilitação estão fechadas.

O atendimento para retirada de identificação civil, habilitação e documentação de veículos vai ser reduzido à medade.

Petrobras

A empresa anunciou nesta sexta-feira (13) que reuniões, treinamentos e eventos com mais de 20 pessoas seriam suspensos ou cancelados. A preferência é que reuniões aconteçam por videoconferências e viagens ao exterior canceladas.

Futebol

A rodada do Campeonato Carioca neste fim de semana será realizada com portões fechados e sem a presença da torcida, por determinação da CBF. Nesta segunda-feira há um jogo:

  • 16h – Madureira x Volta Redonda – Conselheiro Galvão

Cultura

O prefeito Marcelo Crivella anunciou as seguintes medidas na cidade:

  • não dar licença e cancelar alvarás de eventos com aglomeração de pessoas (taxas de alvará e ingressos serão reembolsados;
  • suspender atividades em cinemas, lonas culturais, teatros e museus

Feiras, teatros e museus

Entre as atividades já adiadas na cidade estão:

  • Super Rio Food, prevista para começar domingo no Riocentro
  • Feira Rio Artes Manuais, no Centro de Convenções SulAmérica
  • Estreia da peça “Quarta-feira, sem falta, lá em casa”, no Teatro Claro
  • Espaço Oi Futuro, no Flamengo, suspendeu atividades do Centro Cultural e do Musehum (Museu das Comunicações e Humanidades) a partir de sábado (14).
  • Aquario – Ficará fechado para visitação, por um período de 15 dias, a partir de segunda-feira (16).

Polícia Militar

A PM está adotando uma escala de serviço diferenciada a partir desta sexta (13) e o governador Wilson Witzel afirmou que férias estão suspensas. Os atendimentos no Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, Câmara Municipal e Assembleia Legislativa, por exemplo, passam a funcionar de maneira restrita a partir desta segunda (16).

Em comunicado interno, a corporação determinou que os comandantes adotem a escala de expediente administrativo no modelo de revezamento desta sexta. Até o momento, não há alteração nas escalas dos policiais que atuam nas ruas.

Delegacias

O acesso será restrito nas unidades para evitar filas e aglomeração no atendimento. Só serã atendidos os casos de homicídio, prisões em flagrante e roubo de veículos. Os outros casos devem ser registrados através da Delegacia Online, no site da Polícia Civil.

Tribunal de Justiça

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro anunciou modificações nos eventos para diminuir a circulação de pessoas nos prédios a partir desta segunda-feira (16).

Entre as medidas anunciadas, estão:

  • As audiências de primeiro e segundo grau serão suspensas por 60 dias;
  • Os prazos dos processos físicos serão suspensos por 14 dias, podendo ser prorrogados, caso necessário;
  • Já os prazos dos processos eletrônicos correm normalmente.

Justiça Federal

O órgão informou medidas para atender magistrados e servidores. Afastamento por 14 dias de magistrados e servidores que retornarem de viagem a áreas com circulação sustentada do Covid-19; a possibilidade de trabalho remoto para aqueles com mais de 60 anos, portadores de doenças crônicas e gestantes; a suspensão de atendimentos presenciais a partes e advogados, quando puderem ser feitos pela internet ou por telefone;

Tribunal de Contas do Estado

No Tribunal de Contas do Estado do Rio, as instituições vão editar os atos normativos nesta sexta, que serão publicados no Diário Oficial nesta segunda (16), com anúncio das medidas emergenciais que serão adotadas.

Alerj

Algumas medidas também serão adotadas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro na próxima semana e vão durar 30 dias. As sessões deliberativas no plenário, no entanto, seguem mantidas. Confira:

  • Acesso restrito a deputados, funcionários e imprensa;
  • Visitas guiadas e audiências públicas serão suspensas;
  • Comissões especiais terão audiências por vídeoconferências;

Câmara Municipal

A Câmara dos Vereadores permitirá apenas a entrada de parlamentares, servidores, estagiários, terceirizados, profissionais de imprensa, assessores de entidades e órgãos públicos e representantes de instituições de âmbito nacional.

Visitantes só terão acessos de autorizados pelos respectivos gabinetes e cadastrados. Eventos não relacionados com as atividades legislativas estão suspensas.

Sessões solenes também deverão ser evitadas e o número de convidados para os debates de audiências públicas será reduzido.

A visitação pública e o uso das galerias A e B também estará suspenso. As medidas serão publicadas no Diário Oficial desta sexta.

OAB-RJ

Em ato publicado na tarde desta quinta-feira (12), o presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, suspendeu temporariamente as cerimônias de entrega de carteira aos novos inscritos.

A decisão foi tomada após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar estado de pandemia a propagação do novo Corona Vírus (Covid-19).

Os novos inscritos já podem retirar os documentos de identificação profissional. Para isso, é preciso procurar o Departamento de Seleção e Inscrição e formalizar o termo de compromisso por escrito.

Academia Brasileira de Letras

A Academia Brasileira de Letras suspendeu suas atividades abertas à sociedade por causa da pandemia do novo coronavírus na quinta-feira (12).

Segundo a academia, os atendimentos nas bibliotecas Rodolfo Garcia e Lúcio de Mendonça e no arquivo Múcio Leão foram encerrados temporariamente.

Transportes

 VLT vai liberar automaticamente o serviço de portas para que os usuários não precisem tocar no botão — Foto: Divulgação

VLT vai liberar automaticamente o serviço de portas para que os usuários não precisem tocar no botão — Foto: Divulgação

As empresas que administram os transportes públicos do RJ já adotaram medidas de segurança para conter a Covid-19.

  • BARCAS
  • A CCR Barcas disponibilizou dispensers com álcool gel a 70% nas estações e informa, por meio de locuções e de um banner no site da empresa, sobre as ações preventivas contra a propagação do vírus
  • TRENS
  • A SuperVia criou um comitê interno e irá contratar equipes especiais para executar trabalhos de desinfecção interna dos trens. As ações serão tomadas gradativamente, considerando o nível de alerta oficial emitido pelas autoridades públicas
  • BRT
  • O BRT Rio começou a divulgar as informações oficiais das autoridades de saúde para esclarecer as principais dúvidas de passageiros e colaboradores sobre a doença. Há cartazes no sistema informando sobre a Covid-19
  • VLT
  • O VLT Carioca vai liberar automaticamente o serviço de portas para que os usuários não precisem tocar no botão. A empresa disse que vai intensificar suas ações de limpeza das composições e dos aparelhos de ar-condicionado
  • METRÔ
  • O MetrôRio reforçou a limpeza nos trens e estações. A concessionária também está veiculando campanhas educativas a fim de orientar os passageiros e colaboradores.
Ciclo do coronavírus — Foto: Arte/G1

Ciclo do coronavírus — Foto: Arte/G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Criança morre após ser atingida por bala perdida dentro de casa em Salvador

Conforme Cicom, vítima tinha 11 anos e morreu após ser atingida por bala perdida, dentro de casa. PM disse que ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Por G1 BA

Uma criança de 11 anos morreu após ser atingida por uma bala perdida dentro de casa, em Sussuarana, bairro de Salvador, na noite de domingo (15). As informações foram confirmadas pela Polícia Militar e também pelo Centro Centro Integrado de Comunicação (Cicom) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA).

Segundo a PM, guarnições da Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) foram até a Rua Santíssima Trindade, após chamados, quando constataram a criança baleada, por volta das 23h.

De acordo com o Cicom, a situação aconteceu durante uma troca de tiros do bairro. Não há detalhes sobre as circunstâncias da situação. Também não há informações sobre prisões.

Ainda conforme a PM, a criança chegou a ser socorrida para Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), mas não resistiu aos ferimentos. O corpo dela foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). Não há detalhes sobre o enterro.

O caso é investigado pela Polícia Civil.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após protesto pró-governo neste domingo, pessoa é baleada na Avenida Paulista

Vítima foi levada ao Hospital das Clínicas, segundo Polícia Militar. Usuários de redes sociais relatam briga em frente ao Shopping Center 3.

Por G1 SP e TV Globo — São Paulo

Uma pessoa foi baleada na Avenida Paulista por volta das 16h55 deste domingo (15). Mais cedo, outro trecho da via foi palco de um ato em defesa do presidente Jair Bolsonaro. A vítima de arma de fogo foi levada ao Hospital das Clínicas, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo. O caso foi encaminhado ao 78º Delegacia de Polícia (DP) , nos Jardins.

Segundo relatos de usuários de redes sociais, uma briga envolvendo dois homens, um deles carregando uma bandeira do Brasil, e duas mulheres, teria ocorrido em frente ao Shopping Center 3, próximo à esquina da Paulista com a Rua Augusta. Um vídeo publicado nas redes mostra um desses homens com uma arma na mão.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com