Governo divulga aumento do piso salarial de professores do ensino básico, já previsto em lei de 2008

Por Marcelo Valadares e Mateus Ferreira, G1

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub anunciaram, nesta quinta-feira (16), em uma Live o aumento do piso salarial dos professores da educação básica em início de carreira, de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24.

Este reajuste já estava previsto na Lei do Piso (Lei 11.738), de 2008, que estabelece aumento anual no mês de janeiro.

Na prática, o governo apenas aplicou um reajuste automático e previsto na legislação. A lei determina o cálculo base do reajuste na variação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Como, neste ano, Estados e municípios tiveram uma receita maior, o valor mínimo repassado para alunos foi reajustado em 12, 84% — porcentagem de aumento nos salários base dos professores (entenda o cálculo abaixo).

Entenda o cálculo

O Fundeb, criado em 2007 por uma lei que expira em 2020, reúne parte dos impostos arrecadados pelos estados e pelo Distrito Federal ao longo do ano. A União participa com 10% adicionais sobre esse somatório. Em 2019, o Fundeb reuniu R$ 166,61 bilhões.

Esse montante, uma vez reunido, é repassado para as unidades da Federação que tiveram a menor arrecadação (e com isso, o menor investimento) por aluno. Em 2019, nove estados do Norte e do Nordeste receberam essa complementação.

A previsão do governo era de que, com esse repasse, os alunos desses nove estados receberiam um investimento mínimo de R$ 3.238,52 por ano – valor 6,22% maior que o de 2018.

Com a melhora na arrecadação dos estados, no fim do ano, esse valor subiu para R$ 3.440,29 – alta de 12,84%. Isso significa que, no ano passado, esse foi o investimento mínimo por aluno nos estados que investiram menos.


A Lei do Piso prevê que esses mesmos 12,84%, referentes à alta no Fundeb por aluno, devem incidir sobre o piso dos professores. É por isso que, em 2020, o piso do magistério subirá de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morte de macacos por febre amarela aumenta alerta em três estados

Do Jornal Nacional

O ano começou com a volta de uma outra ameaça à saúde pública: a febre amarela.

O primeiro sinal de alerta vem dos macacos e eles estão morrendo por causa da febre amarela. Foi o que o Ministério da Saúde observou em três estados das regiões Sul e Sudeste. De julho de 2019 a 8 de janeiro de 2020, 38 animais morreram em São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

O que preocupa é que, nesses lugares, muita gente não tomou a vacina contra febre amarela, segundo o ministério, e os casos da doença podem aumentar no verão.

O vírus da febre amarela é transmitido aos macacos por meio da picada de mosquitos contaminados e pode ser transmitido para humanos que entram em uma área de mata sem estar vacinados e que venham a ser picados por esses mosquitos que circulam no meio silvestre.

“Tinha momentos de pessoas que estavam achando então que: ‘vamos começar a exterminar os macacos’. De jeito nenhum. O macaco é o nosso sentinela, que nos aponta onde o vírus da febre amarela está circulando”, explicou Helena Sato, diretora técnica do Centro de Vigilância Epidemiológica-São Paulo.

Nessa época de vai e vem de férias e carnaval, o Ministério da Saúde recomenda que a vacina da febre amarela faça parte do planejamento da viagem. Ela deve ser tomada pelo menos dez dias antes da data da partida, porque o nosso organismo precisa desse tempo para produzir os anticorpos.

Uma dose da vacina vale para a vida toda e é recomendada para pessoas até 59 anos de idade. Mas crianças que tomam a vacina aos nove meses devem tomar um reforço aos quatro anos de idade.

E quem tomou apenas uma dose fracionada da vacina deve tomar outra de reforço após dez anos.

O Ministério da Saúde já adquiriu 71 milhões de doses para 2020, suficientes para atender o país por cerca de três anos. No Nordeste, 1.100 municípios que ainda não faziam parte da área de recomendação da vacina vão passar a receber as doses gradativamente.

“Hoje a vacina de febre amarela está indicada para qualquer pessoa que vai se deslocar dentro desse país. Então, é fundamental que tome a vacina da febre amarela”, afirmou Helena Sato.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Enem 2019: resultado é divulgado nesta sexta-feira pelo Inep; saiba como consultar a nota

Por G1

Enem 2019, caderno azul para PPL e quem pediu reaplicação da prova — Foto: Reprodução/Inep

Enem 2019, caderno azul para PPL e quem pediu reaplicação da prova — Foto: Reprodução/Inep

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 foram divulgadas nesta sexta-feira (17) por volta de 8h30. Para acessar o resultado, os candidatos que fizeram o exame devem entrar na Página do Participante (https://enem.inep.gov.br/participante/), incluir o CPF e a senha cadastrada (veja abaixo como recuperar a senha para consultar resultado).

Os participantes poderão consultar a nota da redação (que varia de zero a 1 mil) e o desempenho em cada área de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

De acordo com o Inep, 3.709.809 pessoas fizeram as provas do Enem 2019 – em 3 e 10 de novembro – 72,81% dos 5.095.388 inscritos.

Quem fez a prova como “treineiro”, ou seja, aqueles que ainda não concluíram o ensino médio, terão que esperar até março do ano que vem para acessar o boletim individual.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, vão conceder uma entrevista coletiva para apresentarem os resultados, às 10 horas, desta sexta-feira (17).

Espera

A espera pela divulgação dos resultados individuais gerou alguns memes nas redes sociais.

Confira abaixo:

𝙵𝙸𝚁𝙴 𝚀𝚄𝙴𝙴𝙽 @BeatrizSesti

INEP: Divulgaremos a nota do ENEM 10h da manhã

Eu indo abrir o site 7:30 da manha:#Enem2019 #Enem

Embedded video

6007:48 AM – Jan 17, 2020Twitter Ads info and privacy271 people are talking about this

lua LG6 is coming??@jenniferanistow

depois de receber minha nota do Enem

View image on Twitter

1658:00 AM – Jan 17, 2020Twitter Ads info and privacy91 people are talking about this

victor@ncteiI

INEP: nota do Enem dia 17 de janeiro

* chega dia 17 *

eu: INEP cadê a nota?

o INEP:

Embedded video

827:55 AM – Jan 17, 2020Twitter Ads info and privacy26 people are talking about this

srta.stark@ririwilliams18

Eu nem dormi pensando no Enem ainda nem vi e já tô sofrendo e pensando no que vou fazer se a nota tiver aquela boniteza

Embedded video

418:01 AM – Jan 17, 2020Twitter Ads info and privacySee srta.stark’s other Tweets

Como recuperar a senha do Enem?

Para quem não se lembra da senha para acessar a Página do participante, é importante já iniciar o processo para a sua recuperação. O procedimento pode ser feito através do portal e do aplicativo do Enem.

Passo a passo para recuperar a senha da página do participante:

  • Acesse o endereço eletrônico https://enem.inep.gov.br/participante/#!/
  • Responda ao desafio de figuras solicitado no campo
  • Insira seu CPF
  • Clique em “esqueci minha senha” no canto inferior direito da tela
  • Clique em “enviar senha”
  • Aguarde uma nova senha ser enviada para o seu e-mail cadastrado
  • Assim que tiver a nova senha, digite-a no sistema para conferir seu resultado

Com a nota do Enem em mãos o estudante pode candidatar à vagas de diversas universidades (públicas e particulares) e aos programas de acesso ao ensino superior – Sisu, Prouni e Fies.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o Enem é a segunda maior prova do tipo no mundo, só perdendo para o “gao kao”, prova de admissão ao ensino superior da China, com 9 milhões de candidatos.

G1 organizou os cronogramas do Sisu, Prouni e Fies, confira:

Quando se inscrever no Sisu 2020?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema do MEC que reúne centenas de milhares de vagas de graduação em universidades públicas brasileiras. Para participar do Sisu em 2020, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019, e não ter tirado nota zero na prova de redação.

Com a nota do Enem 2019, os candidatos podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2020. O prazo começa na próxima terça (21) e encerra as 23h59, na sexta-feira (24). A inscrição é feita pelo site do programa: http://sisu.mec.gov.br/.

Neste primeiro semestre, serão ofertadas 237.128 vagas em 128 instituições de todo o país. No site do Sisu é possível escolher duas opções de curso. Quem teve melhor pontuação no Enem tem mais chances de conquistar a vaga.

Cronograma do Sisu 2020:

  • Abertura das inscrições: 21 de janeiro
  • Fim das inscrições: 23h59 de 24 de janeiro
  • Resultado: 28 de janeiro

Além do Sisu, as notas do Enem podem ser usadas pelos candidatos no Programa Universidade para Todos (ProUni), Financiamento Estudantil (Fies), e em 37 universidades de Portugal.

Veja abaixo os cronogramas para o Prouni e para o Fies.

Quando abre Prouni?

O Programa Universidade Para Todos (Prouni) oferece bolsas de estudo parciais (que cobrem 50% da mensalidade) e integrais em universidades privadas em cursos de graduação e de cursos sequenciais de formação específica.

O programa tem dois critérios de avaliação: desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a avaliação da renda familiar.

Cronograma do Prouni 2020:

  • Início das inscrições: 28 de janeiro
  • Fim das inscrições: 31 de janeiro
  • Primeira chamada: 4 de fevereiro
  • Entrega dos documentos para garantir a matrícula: 4 a 11 de fevereiro
  • Segunda chamada: 18 de fevereiro
  • Entrega dos documentos para garantir a matrícula: 18 a 28 de fevereiro
  • Adesão à lista de espera: 6 a 9 de março

Quando abre o Fies 2020?

O Programa de financiamento Estudantil (Fies) é um programa de financiamento para estudantes cursarem o ensino superior em universidades privadas e, atualmente, possui duas categorias: a primeira, oferece vagas com juros zero para os estudantes com renda mensal familiar de até três salários mínimos.

Já a segunda, chamada P-Fies, é direcionada para os estudantes com renda mensal familiar de até cinco salários mínimos.

Cronograma do Fies 2020:

  • Inscrições: 5 a 12 de fevereiro
  • Pré-seleção: 26 de fevereiro
  • Chamada da lista de espera: 26 de fevereiro a 31 de março

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Preço do aluguel residencial novo subiu acima da inflação em 2019, diz FipeZap

Por Paula Salati, G1

Valor médio por metro quadrado ficou em R$ 29,95 — Foto: Reprodução/TV Integração

Valor médio por metro quadrado ficou em R$ 29,95 — Foto: Reprodução/TV Integração

O preço médio dos novos contratos de aluguéis residenciais anunciados em 25 cidades brasileiras subiu 4,93% em 2019, acima da inflação do período, que acumulou alta de 4,31%. Os dados são do Índice FipeZap divulgados nesta quinta-feira (16).

Os valores das locações não subiam acima do IPCA desde 2013. Ao descontar a inflação, o preço médio dos contratos registra alta real de 0,60%.

Variação do aluguel em relação ao IPCAEm %IPCAÍndice FipeZap (preço do aluguel)20092010201120122013201420152016201720182019-505101520Fonte: FipeZap e IBGE

Entre as 25 capitais monitoradas, Florianópolis encerrou o ano com alta de 14,79%, o maior aumento nominal (sem considerar a inflação), seguida por Curitiba (+12,39%) e Brasília (+7,81%).

Já Salvador foi a única das capitais monitoradas a registrar queda no preço do aluguel residencial (-1,96%) em 2019.

Quanto às cidades mais representativas no Índice FipeZap, São Paulo encerrou 2019 com alta de 7,60% no valor médio da locação. Esse avanço superou a alta de 7,30%, no ano passado, do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), que reajusta os contratos de aluguel.

Em outra grande capital, no Rio de Janeiro, a variação observada foi de 1,47%.

Preço por metro quadrado

Considerando as 25 cidades monitoradas, o preço médio de locação encerrou 2019 em R$ 29,95 por metro quadrado. Entre as 11 capitais, o município de São Paulo se manteve como a capital com o preço médio de locação residencial mais elevado em R$ 40,10 por metro quadrado.

Em seguida, está Brasília (R$ 31,02/m²), que ultrapassou o registrado para o Rio de Janeiro (R$ 30,65/m²).

Já entre as capitais com menor valor de locação residencial em dezembro, destacaram-se: Goiânia (R$ 16,82/m²), Fortaleza (R$ 17,73/m²) e Curitiba (R$ 20,74/m²).Preço médio do aluguel (por m²)Valores para locação residencial nas cidades

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após 20 anos, pesquisa da UFMG, dona da maior coleção arqueológica antártica do mundo, é cortada do Proantar

Por Thais Pimentel, G1 Minas — Belo Horizonte

O professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Andrés Zarankin costumava tomar um café na antiga Estação Antártica Comandante Ferraz, que pegou fogo em 2012, antes de sair em expedição. Agora, ele teme não conhecer a nova estrutura inaugurada nesta quarta-feira (15) porque sua pesquisa foi cortada do Programa Antártico Brasileiro (Proantar).

Zarankin coordena um estudo que pode reescrever a história do continente gelado. A equipe dele tenta provar que o homem chegou à Antártica muito antes das expedições de europeus no século XIX e início do século XX.

A nova estação brasileira na Antártica foi inaugurada nesta quarta-feira (15) pela Marinha — Foto: Divulgação Marinha do Brasil

A nova estação brasileira na Antártica foi inaugurada nesta quarta-feira (15) pela Marinha — Foto: Divulgação Marinha do Brasil

Segundo o pesquisador, a UFMG tem hoje a maior coleção de objetos arqueológicos antárticos do mundo no laboratório do Departamento de Arqueologia. Porém, não há recursos para mantê-la e a situação é dramática.

“A coisa que mais me incomoda é que o nosso projeto foi cortado em um momento que alcançamos o máximo de amadurecimento tanto a nível teórico como a nível metodológico e técnico”, disse ele que visita a Antártica há mais de 20 anos.

A pesquisa já escaneou 70% dos sítios arqueológicos e o material, em 3D, está disponível na internet a estudiosos de todo mundo. A ideia era chegar aos 100% em dois anos.

“Para mim é o resultado de políticas públicas de marginalização das ciências sociais e ciências humanas”, falou Zarankin que teve recursos negados depois que o projeto dele foi cortado em uma banca de avaliadores formada por especialistas em outras ciências.

Em 2017, por exemplo, os pesquisadores encontraram restos de sapatos e garrafas de vinho e cerveja que provavelmente foram deixados ali por caçadores de focas, baleias e leões-marinhos do fim do século XVIII.

Agora, com os cortes sistemáticos de bolsas como a do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o investimento caiu para um décimo do que era originalmente, segundo o professor. A pesquisa vai continuar na Terra do Fogo, na Patagônia, longe dos sítios arqueológicos da Antártica, fontes principais do estudo.

O investimento na nova Estação Comandante Ferraz foi de US$ 99,6 milhões (cerca de R$ 400 milhões). E vai abrigar 64 profissionais do Proantar. Nenhum deles faz parte da equipe coordenada por Zarankin.

Eles costumavam acampar em vários pontos do continente gelado e chegavam a usar a antiga estação como base para tomar pelo menos um cafezinho. “Agora nem isso”, disse ele.

Em 2019, o CNPq operou durante mais de dez meses com um déficit orçamentário de cerca de R$ 300 milhões, devido ao corte da verba entre 2018 e 2019. Um reforço orçamentário de R$ 250 milhões só foi liberado no fim de outubro, para garantir o pagamento mensal a quase 80 mil bolsistas.

G1 procurou o CNPq e aguarda posicionamento sobre esta pesquisa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Guarda morre agredido em parque após pedir para grupo parar de fumar narguilé

Por Bom Dia SP e G1 SP

Um guarda civil municipal de Santo André, no ABC paulista, morreu depois de ser agredido dentro do parque Celso Daniel, localizado no Centro da cidade.

O guarda pediu a um grupo de jovens que parasse de fumar narguilé dentro do parquinho infantil do parque.

Só que um dos jovens abordados não concordou com o pedido e passou a agredir o guarda, informou a GCM.

O agente teve três paradas cardíacas e não resistiu aos ferimentos, morrendo a caminho do hospital. O velório e o enterro dele serão no Cemitério Curuçá, em Santo André.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Justiça Federal no Rio de Janeiro manda interditar arenas olímpicas

Por Marcelo Gomes, GloboNews

A Justiça Federal no Rio de Janeiro determinou nesta quarta-feira (15) a interdição das instalações construídas para a Olimpíada de 2016, num prazo de 48 horas.

A decisão atende a um pedido do Ministério Público Federal, que alegou que essas instalações não podem ser usadas por causa da ausência das licenças que atestam os requisitos de segurança desses locais, como o laudo de vistoria do Corpo de Bombeiros e o “habite-se” da Prefeitura do Rio.

Ainda segundo o MPF, “a Autoridade de Governança do Legado Olímpico, a AGLO – autarquia federal responsável pelo gerenciamento e cuidado das instalações olímpicas – foi extinta em junho do ano passado, o que contribuiu para o estado de abandono dos locais, tendo havido furto de equipamentos e cabos de energia”.

Na decisão, o juiz federal Eugenio Araujo, da 17ª Vara Federal, escreveu que, enquanto isso, normalmente são realizados eventos de grande apelo, como shows e festivais, que recebem milhares de pessoas, principalmente no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

O magistrado afirma também que “esse cenário, composto por locais castigados pela falta de cuidado e pela presença de milhares de pessoas, pode resultar em tragédias”.

A Prefeitura do Rio informou que irá recorrer da decisão. E o Corpo de Bombeiros disse que não foi notificado da decisão judicial até o momento.

A corporação acrescentou que “mantém a postura de acatar quaisquer determinações do poder judiciário e aproveita para se colocar à disposição para esclarecimentos”.

Sobre a regularização das arenas olímpicas, o Corpo de Bombeiros comunicou que “os equipamentos estão com a documentação válida e que as licenças permitem a utilização dos espaços, além de regular lotação e demais exigências previstas na legislação de segurança contra incêndio e pânico”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Temporal provoca alagamentos em vias de Belo Horizonte

Por G1 Minas — Belo Horizonte

Igreja é alagada na Região do Barreiro, durante temporal em BH — Foto: Reprodução/Redes sociais

Igreja é alagada na Região do Barreiro, durante temporal em BH — Foto: Reprodução/Redes sociais

Um temporal caiu na noite desta quarta-feira (15) e alagou vias em regiões de Belo Horizonte. Os principais pontos de alagamento foram registrados na Região do Barreiro e Região Oeste, onde o Ribeirão Arrudas transbordou e inundou a Avenida Tereza Cristina.

Segundo a Defesa Civil, a chuva em Belo Horizonte nesta noite foi a que provocou o maior número de fechamento de vias. A Avenida Tereza Cristina foi a primeira a ser fechada preventivamente. De acordo com a Defesa Civil, a medida foi tomada por risco de transbordamento dos córregos Ferrugem com Arrudas. O transbordamento se confirmou e a avenida foi totalmente tomada pela água.

A Defesa Civil também emitiu alerta de transbordamento do Córrego Jatobá, na Região do Barreiro. A imagem acima mostra o alagamento da Rua Francisco Martins Marques com Avenida Perimetral 2, no Vale do Jatobá. No bairro, uma igreja foi tomada pela água e fiéis que estavam no local se assustaram.

Também ocorreu alerta de risco de transbordamento de córrego na Regional da Pampulha. A Avenida Heráclito Mourão de Miranda foi fechada.

No Centro da capital, o córrego do Leitão também encheu. Por causa disso, a Rua Mato Grosso com Tamoios foi fechada.

Anda conforme o órgão, as duas regiões mais afetadas pela chuva foram Oeste e Noroeste. Em cerca de uma hora e meia choveu nas regiões mais de 70 milímetros.

Acumulado de chuva das 20h30 até as 22h:

  • Barreiro – 36,4 mm
  • Centro Sul – 43 mm
  • Leste – 3,4 mm
  • Nordeste – 36,8 mm
  • Noroeste – 75,2 mm
  • Norte – 27,2 mm
  • Oeste – 76,2 mm
  • Pampulha – 53,6 mm
  • Venda Nova – 0

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Nova base brasileira na Antártica é inaugurada

Por G1

Em cerimônia com Mourão, Brasil inaugura base na Antártica — Foto: Reprodução/NBR

Em cerimônia com Mourão, Brasil inaugura base na Antártica — Foto: Reprodução/NBR

A nova Estação Antártica Comandante Ferraz está sendo inaugurada na noite desta quarta-feira (15), com a presença de autoridades brasileiras e pesquisadores. O evento começou por volta das 20h30 no horário de Brasília. A operação e a logística da base estão encarregadas à Marinha, com a apoio da Aeronáutica.

Brasil inaugura nova base na Antártica

Brasil inaugura nova base na Antártica

O vice-presidente Hamilton Mourão viajou ao continente gelado para participar da reinauguração como o principal representante do governo brasileiro. A cerimônia estava prevista para terça (14) mas foi adiada por causa do mau tempo.

Ele foi acompanhado pelos ministros Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), além de representantes da Marinha e outras autoridades.

O complexo de mais de 4,5 mil m² foi entregue quase oito anos após o incêndio que destruiu a base anterior. Pesquisadores brasileiros estão há mais de três décadas no continente.

A nova estação é sustentável e de baixo impacto ambiental. Toda a estrutura usada na construção é desmontável e reciclável.

Os módulos foram feitos em contêineres fáceis de serem transportados por qualquer navio. Além disso, os acabamentos e parte da montagem da estrutura foram feitos fora da Antártica, o que diminuiu o impacto por transporte, otimizando a logística.

A questão energética também foi pensada no projeto para ser menos dependente de energias não renováveis.

Por isso, foram instalados painéis fotovoltaicos e geradores eólicos que produzem cerca de 30% da energia consumida na estação.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Supermercados do RJ estão proibidos de oferecer sacolas plásticas grátis

Por Raoni Alves, G1 Rio

Começa nesta quarta-feira (15) a cobrança pelas sacolas plásticas em supermercados

Começa nesta quarta-feira (15) a cobrança pelas sacolas plásticas em supermercados

A partir desta quarta-feira (15), todos os supermercados do estado do Rio de Janeiro não são mais obrigados a oferecer gratuitamente nenhum dos modelos de sacolinhas plásticas para seus clientes.

A determinação faz parte da lei que restringe a oferta de sacolas plásticas nos supermercados do Rio. Estima-se que, por ano, cerca de 4 bilhões de bolsas desse tipo são distribuídas no Rio de Janeiro. Isso dá uma média de 233 sacolinhas por habitante.

Supermercados do RJ estão proibidos de oferecer sacolas plásticas grátis — Foto: Reprodução TV Globo

Supermercados do RJ estão proibidos de oferecer sacolas plásticas grátis — Foto: Reprodução TV Globo

Segundo a Associação de Supermercados do Rio (ASSERJ), a meta é reduzir pela metade a distribuição de sacolas por ano.

A primeira etapa da nova regra começou a vigorar em junho de 2019, quando os supermercados foram obrigados a substituírem as bolsas plásticas convencionais (produzidas com 100% de petróleo) por modelos feitos com 51% de material renovável.

A lei garantia um período de adaptação para os consumidores, que passaram a ter apenas duas sacolas grátis por compra. Em seis meses, um bilhão delas saíram de circulação.

Essa foi a maior retirada de circulação de sacolinhas no mercado brasileiro em tão pouco tempo. Isso corresponde a 25% do total disponibilizado por ano, de acordo com a Associação de Supermercados do Rio.

Consumidores passaram a utilizar as sacolas retornáveis — Foto: Reprodução TV Globo

Consumidores passaram a utilizar as sacolas retornáveis — Foto: Reprodução TV Globo

“Nós sempre acreditamos que o setor conseguiria mostrar sua preocupação com o meio ambiente. Temos a certeza de que podemos evoluir bastante nesse sentido. O primeiro passo já foi dado e o impacto gera resultados expressivos”, comentou Fábio Queiróz, presidente da ASSERJ.

De acordo com Queiróz, o hábito da população mudou com a chegada da nova legislação.

“A população passou a levar para o supermercado as sacolas retornáveis. Elas são muito melhores do que as sacolas com 51% de material renovável. A sacola retornável resolve o problema porque ela não usa nenhum plástico”, explicou Fábio Queiróz.

O presidente da ASSERJ disse ao G1 que espera reduzir pela metade o número de sacolas distribuídas em todo o estado do RJ.

“Nossa expectativa é que aumente essa conscientização dos clientes. Nossa meta é atingir, em um ano, 2 bilhões de sacolas a menos no meio ambiente. Isso representa metade do total produzido no estado”, revelou Queiróz.

RJ sai na frente

O Rio de Janeiro foi o primeiro estado do país a banir a distribuição das sacolas plásticas nos estabelecimentos comerciais. Em 2011, a cidade de Belo Horizonte implementou uma lei municipal com a proibição das sacolas. Já a cidade de São Paulo também tinha uma determinação municipal que entrou em vigor em 2015.

A meta é reduzir pela metade a distribuição de sacolas plásticas por ano — Foto: Reprodução TV Globo

A meta é reduzir pela metade a distribuição de sacolas plásticas por ano — Foto: Reprodução TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.