IML confirma identidade de piloto morto em queda de avião na Região Noroeste de BH

Por G1 Minas — Belo Horizonte

Francisco Fabiano Gontijo tinha 47 anos e foi identificado pelo IML neste domingo (14).  — Foto: Reprodução/TV Globo

Francisco Fabiano Gontijo tinha 47 anos e foi identificado pelo IML neste domingo (14). — Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil de Minas Gerais confirmou, neste domingo (14), que Francisco Fabiano Gontijo é a vítima do acidente com um avião que ocorreu na tarde de sábado (13), no bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte. O homem de 47 anos foi identificado pelo Instituto Médico Legal (IML) através de exames de impressão digital e arcada dentária.

De acordo com a polícia, ele teve 95% do corpo carbonizado. A Rua Minerva, onde houve a queda do avião, passou por perícia do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), nesta manhã.

A aeronave foi recolhida no início da tarde e técnicos da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) trabalhavam para reestabelecer a energia em 14 residências que ficaram sem luz desde o acidente.

A ação do Cenipa, segundo a FAB, tem o objetivo “de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram”. A cena foi fotografada, partes da aeronave foram levadas para análise, documentos e relatos foram recolhidos pelos profissionais do centro de investigação.

Francisco Fabiano Gontijo era o dono da aeronave e amigos já haviam dito que era ele quem pilotava o avião no momento do acidente. De acordo com o Corpo de Bombeiros, testemunhas relataram explosões após a queda. A aeronave – um monomotor modelo Socata ST-10, matrícula PT-DME – foi destruída pelo fogo. As chamas e a fumaça puderam ser vistas de longe.

De acordo com Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o avião havia decolado, por volta das 15h15, do Aeroporto Carlos Prates, também na Região Noroeste. Pelo registro de voo, o pouso seria feito no mesmo local.

Na consulta ao Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), consta que a aeronave está com o certificado de aeronavegabilidade suspenso. O G1aguarda um posicionamento da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Avião de pequeno porte caiu em Belo Horizonte. — Foto: Reprodução/GloboNews

Avião de pequeno porte caiu em Belo Horizonte. — Foto: Reprodução/GloboNews

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Policial armado e à paisana é perseguido por colegas e morre em Contagem, na Grande BH

Por G1 Minas

Um policial militar que estava armado e à paisana foi perseguido por colegas de corporação em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, neste sábado. De acordo com a Polícia Militar (PM), ele foi atingido por tiros, socorrido e levado para o hospital da cidade, mas morreu na manhã deste domingo (14).

De acordo com o boletim de ocorrência, o 18º Batalhão da PM foi acionado para atender uma pessoa que denunciava a presença de um homem armado tentando entrar em uma casa. No local, os policiais encontraram o suspeito e deram uma ordem de parada. Ele entrou no carro e arrancou o veículo sobre os militares, que se defenderam com tiros.

O suspeito seguiu em alta velocidade e foi abordado por outra guarnição no bairro Chácara Cotia, ignorando mais uma ordem de parada. Segundo a PM, um dos militares desceu da viatura para tentar contê-lo, mas, como a velocidade do carro do suspeito estava alta, este PM efetuou 16 disparos contra o veículo, que mesmo assim não parou.

A perseguição continuou e outros 23 tiros foram disparados contra o veículo para tentar freá-lo. Na Rua Três, o motorista perdeu o controle da direção, subiu no passeio e bateu em uma placa de sinalização. Os PMs pediram que ele saísse do carro e realizaram a busca pessoal. Nesse momento, o suspeito disse que também era policial militar, fato que foi comprovado com sua carteira especial funcional.

O cabo lotado no 35º Batalhão de Santa Luzia, também na Grande BH, disse que aos colegas de corporação que estava resolvendo “alguma coisa referente a uma mulher”. Ele estava sangrando e foi levado ao Hospital Municipal de Contagem, onde foi operado. Na manhã deste domingo (14), segundo a polícia, ele não resistiu aos ferimentos e faleceu.

A arma que estava com o PM à paisana foi apreendida, assim como as armas usadas pelos policiais em serviço, e estão à disposição da Justiça Militar Estadual. Ainda segundo a PM, a perícia técnica da Polícia Civil esteve no local.

O major Santiago, chefe de comunicação da PMMG, informou que os moradores da casa que teria sido invadida pelo policial foram convocados a prestar depoimento.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Desmoronou tudo em cima de mim’, diz morador que sobreviveu a desabamento de prédios na Muzema

Por Diego Haidar, Fernanda Rouvenat, Genilson Araújo, Guilherme Peixoto, Raísa Pires e Ricardo Abreu, G1 Rio, TV Globo e Globo News

Moradores que conseguiram escapar do desabamento de dois prédios na comunidade da Muzema, Zona Oeste do Rio, relataram como tudo aconteceu.

Um homem, que morava há dois anos no primeiro andar do prédio, disse que só conseguiu sair dos escombros porque retiraram uma parede que estava na frente dele após o desabamento.

“Eu estava no quarto, corri pra sala e quando cheguei na sala desmoronou tudo em cima de mim. Foi muito rápido, muita poeira. Fique num bolsão de ar. Os meninos tiraram uma parede que estava na frente e eu consegui sair. Só consegui sair porque eu corri pra sala na hora”, disse Edvaldo.

Os imóveis que desabaram, segundo a prefeitura, eram construções irregulares. Os desabamentos aconteceram por volta das 7h desta sexta-feira (12). Dezenas de moradores e bombeiros vasculhavam os escombros para tentar localizar vítimas.

Edvaldo morava sozinho e ficou apenas com escoriações nos pés e nos braços. Segundo ele, o prédio tinha seis andares.

“Quero ficar bem longe disso aí. Não tem psicológico pra chegar perto. Na hora do desespero, você não quer nem chegar perto do prédio mais”, completou o morador.

Até as 8h20, os bombeiros confirmavam dois mortos e três pessoas feridas no local. Ao menos outros 19 moradores estavam desaparecidos.

Moradores ajudam no resgate de vítimas de prédio que desabou na MuzemaBom Dia Rio00:09/01:51

‘Explosões constantes’

Uma moradora da região tentava encontrar a mãe nos escombros.

“Meu padrasto está vindo pra cá, mas a minha mãe está gritando ali. Os moradores que estão ajudando foram até ali e ouviram uma senhora gritar exatamente no quarto dela”, disse Erica.

De acordo com ela, os moradores estavam preocupados com as consequências da chuva e as construções que não paravam.

“Eles construindo sem fim, sem parar. Uma construção atrás da outra, uma loucura. Era retroescavadeira, explosões constantes. Só querem construir e vender”, relatou a moradora.

Também na busca por informações, Roseane Pereira tentava saber notícias da amiga que estava desaparecida nos escombros dos prédios. Venilda Bispo Amorim é da Bahia e não tem parentes na cidade.

“Minha vizinha está lá dentro. Ela e o filhinho dela. Ela não tem parentes no Rio. Só os amigos que podem procurar por ela agora. A minha esperança é que ela esteja viva”, disse Roseana Pereira.

Muitos outros moradores, vizinhos e parentes de desaparecidos esperavam apreensivos por informações.

Damião Bezerra, era um deles. Ele tinha saído para trabalhar e voltou ao local quando soube da notícia para procurar pela mulher. Antônia Deiva Sampaio estava dormindo quando os prédios desabaram.

Bombeiros vasculham escombros de prédios que desabaram na comunidade da Muzema — Foto: Reprodução/ TV Globo

Bombeiros vasculham escombros de prédios que desabaram na comunidade da Muzema — Foto: Reprodução/ TV Globo

Risco de novos desabamentos

Bombeiros que trabalhavam no resgate das vítimas orientavam os moradores ao redor a ficarem afastados porque ainda havia o risco de outros desabamentos no local.

“As vigas estavam todas quebradas. Não tem viga”, afirmou um outro morador que estava no local ajudando a encontrar vítimas.

Segundo o repórter Genilson Araújo, há cerca de 60 prédios em construção na região. Reportagem do RJ2 mostrou que os criminosos atuam na construção e venda de imóveis irregulares.

Moradores retiraram homem dos escombros apoiado em uma porta, que foi usada como maca — Foto: Reprodução/ TV Globo

Moradores retiraram homem dos escombros apoiado em uma porta, que foi usada como maca — Foto: Reprodução/ TV Globo

Comunidade foi uma das mais afetadas pela chuva

Quatro dias após o temporal que deixou a cidade do Rio de Janeiro em estado de crise, ruas da comunidade da Muzema continuavam alagadas. A região foi uma das mais atingidas pelo temporal que começou na noite da última segunda-feira (8).

Na manhã de quinta-feira (11), a principal avenida de ligação do bairro, que também dá acesso ao Rio das Pedras, continuava alagada e interditada.

Moradores buscavam informações sobre parentes que estavam desaparecidos nos escombros — Foto: Raísa Pires / G1

Moradores buscavam informações sobre parentes que estavam desaparecidos nos escombros — Foto: Raísa Pires / G1

Desabamento atinge dois prédios na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Desabamento atinge dois prédios na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Bombeiros trabalham no resgate de vítimas de desabamento na comunidade da Muzema, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Bombeiros trabalham no resgate de vítimas de desabamento na comunidade da Muzema, no Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Bombeiros vasculham escombros de prédios que desabaram na comunidade da Muzema — Foto: Reprodução/ TV Globo

Bombeiros vasculham escombros de prédios que desabaram na comunidade da Muzema — Foto: Reprodução/ TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Um milagre’, diz irmão de juiz que teve carro esmagado por carretas na BR-040, em Belo Horizonte

Por Cristina Mara, TV Globo — Belo Horizonte

“Um milagre”, disse um irmão do juiz que teve o carro esmagado por duas carretas na BR-040, em Belo Horizonte.

Mateus Cardoso confirmou à TV Globo na manhã desta sexta-feira (12) que o irmão, o juiz Davi Pinter Cardoso, de 35 anos, está internado em observação, em um hospital particular, na Região Centro-Sul.

Mateus disse que a família ficou assustada com a situação e que prefere não dar entrevista.

Davi Pinter Cardoso voltava de Ribeirão da Neves, na Região metropolitana de Belo Horizonte, onde trabalha, quando sofreu o acidente na BR-040, no bairro Califórnia, na Região Noroeste.

Ele ficou preso às ferragens por quase 3 horas, foi socorrido por um helicóptero do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII

Carro prensado por carretas na BR-040 — Foto: Reprodução/Globo

Carro prensado por carretas na BR-040 — Foto: Reprodução/Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após suspeita de tumor no útero, mulher descobre que está grávida de quíntuplos, em Chopinzinho

Por Wesley Bischoff, G1 PR

Após uma suspeita de ter um tumor no útero, uma mulher descobriu que está grávida de cinco bebês em Chopinzinho, no sudoeste do Paraná. De acordo com o casal, que teve a confirmação da gravidez no dia 5 de abril, a fecundação ocorreu naturalmente.

Quando Anieli Camargo Kurpel, 24 anos, começou a se sentir diferente, logo desconfiou que estava grávida. As primeiras dores começaram ainda em março. Mas, quando a jovem foi procurar por atendimento para fazer um exame, veio o susto.

O médico disse que ela não estava grávida e que poderia ter um cisto no ovário ou até um tumor no útero. Anieli recebeu medicamentos para acalmar as dores, mas não confiou muito no diagnóstico.

“Você sabe, coração de mãe. Ela decidiu esperar mais um pouco”, contou o marido Luis Fernando Araújo, de 33 anos.

E o coração dela estava certo. Porém, no momento do ultrassom, a surpresa. Anieli não esperava apenas um bebê. Cinco batidas de corações puderam ser ouvidas durante o exame de ultrassom. A jovem entrava na sétima semana de gestação. V

“Na hora fiquei um pouco assustada, mas fiquei muito feliz porque eu queria mais filhos. Todo dia rezava para Deus e pedia por mais um filho”, conta Anieli.

Aniele Kurpel e Luis Fernando Araújo esperam pelos primeiros cinco filhos do casal — Foto: Arquivo Pessoal

Aniele Kurpel e Luis Fernando Araújo esperam pelos primeiros cinco filhos do casal — Foto: Arquivo Pessoal

Caminho até a confirmação

Entre a desconfiança de uma gravidez e a confirmação dos cinco bebês, o casal viveu momentos de altos e baixos. Luis Fernando conta que eles estavam tentando ter um filho há quatro meses. Anieli já tem um menino, de 6 anos, de um outro relacionamento. Ele será pai pela primeira vez.

Após passar por uma consulta, ela recebeu um atestado médico de quatro dias. Na volta para o serviço, foi demitida. Ela havia sido recém-contratada para trabalhar como auxiliar administrativa de um posto de combustíveis.

A jovem continuou fazendo exames de gravidez, sempre com resultados positivos. No dia 1º de abril, o casal voltou ao posto de saúde. Anieli estava com dores e a médica suspeitou de uma gravidez molar, que é quando a placenta desenvolve um tipo de tumor.

Antes de ser encaminhada para o especialista, a jovem ouviu que havia a possibilidade de que ela perdesse o útero. Quatro dias depois, recebeu a notícia de que na verdade carregava cinco bebês na barriga

“Foi único. Eu senti uma emoção muito grande. Escutar cada coração foi lindo, foi um presente de Deus”, afirma a jovem.

Gravidez rara

O primeiro filho de Anieli, Davi, teve as preces mais que atendidas. A jovem conta que o menino queria muito um irmão. Agora, serão cinco de uma vez. “Ele está muito feliz”, diz.

O caso, que repercutiu na cidade de 19 mil habitantes, também virou motivo de curiosidade entre médicos. O ginecologista Tiago Wainberg foi quem fez o exame de ultrassom em Anieli. Com carreira recente, o médico disse que nunca tinha visto um caso parecido – apenas nos livros.

De acordo com o médico, as estatísticas mostram que as chances de uma gravidez de gêmeos é de 3,4%. Já no caso de Anieli, quase não há estatísticas de gravidez para quíntuplos. “É um achado médico, praticamente impossível”, conta Wainberg.

A gravidez da jovem requer muitos cuidados, segundo o médico, pois é de alto risco.

“Ela é uma paciente muito especial. Vai ser observada semana após semana. Essa paciente vai sofrer alterações no corpo durante toda a gravidez. Tudo que uma mulher grávida passa, ela vai passar cinco vezes”, diz o médico.

Além da preocupação com a saúde dos bebês, o casal agora pensa em como irá se preparar. Eles contam que não tem condições financeiras, já que vão precisar de muitas roupas, fraldas e leite.

“Por mais que sejam cinco bebês e na hora a gente ficar assustada, já amo todos e quero todos. Estou bem confiante”, comemora Anieli.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

STJ nega pedido do MPF e mantém internação de João de Deus em Goiânia

Por G1 GO

O colegiado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido do Ministério Público Federal (MPF) para que João de Deus voltasse à prisão. De acordo com a decisão da sexta turma do STJ, deve ser mantida a determinação do ministro Nefi Cordeiro para que o médium fique internado no Instituto de Neurologia de Goiânia. O religioso está preso desde 16 de dezembro de 2018 e é réu em processos por abusos sexuais, mas sempre negou os crimes.

O MPF havia entrado com pedido para revisão da decisão liminar no ministro Nefi alegando “ser necessária a prisão cautelar do paciente, pois os requisitos da prisão preventiva foram fundamentados de maneira robusta”.

O órgão também argumentou que a situação de saúde do preso não havia sido analisada e pedia uma nova perícia médica, porque haviam “contradições apontadas entre os documentos apresentados pela defesa e as conclusões do relatório apresentado pelo serviço de saúde do estabelecimento prisional”.

Apesar do pedido do MPF, o STJ afirmou que o motivo de autorizar a internação do médium não é a falta de provas para que ele fique preso e sim “direito fundamental à saúde do paciente”.

João de Deus está internado na unidade de saúde desde o último dia 22 de março. Ele foi encaminhado ao hospital depois que um laudo, feito à pedido da defesa do médium, apontou que ele tem um aneurisma na região abdominal e que ele corre risco de morrer se o aneurisma se romper.

Outro laudo médico, feito por médicos do Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, onde o médium estava preso, havia apontado que João de Deus não precisava ser internado e que estava bem.

Pedidos de habeas corpus

A defesa de João de Deus vem tentando a soltura dele ou a transferência para prisão domiciliar. O médium teve habeas corpus negado em caráter liminar no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) e no STJ.

A corte especial do TJ-GO concedeu habeas corpus ao médium na denúncia por coação de testemunhas, mas ele não foi liberado porque existem outros dois mandados de prisão contra ele. O mesmo foi concedido ao filho dele, Sandro Teixeira, que responde à mesma acusação e foi solto.

Resumo do caso

  • Ações na Justiça: João de Deus já virou réu três vezes por violação sexual e estupro de vulnerável. A mulher dele, Ana Keyla Teixeira, também foi denunciada no crime envolvendo os armamentos e negou saber das armas. Já o filho, Sandro Teixeira, por intimidação das testemunhas;
  • Apuração no MP: O órgão segue colhendo e analisando novas denúncias de mulheres que se dizem vítimas do médium.
  • Investigação: Polícia Civil aguarda laudos para concluir a investigação sobre lavagem de dinheiro, devido aos mais de R$ 1,6 milhão e pedras preciosas aprendidos em imóveis do médium.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bandidos levam mesa da estátua de Noel Rosa, em Vila Isabel

Por Bom Dia Rio

A escultura de Noel Rosa desaparece aos poucos em Vila Isabel. Bandidos levaram a mesa da escultura do compositor, localizada na Avenida 28 de setembro, a principal do bairro.

Segundo moradores, parte de uma das cadeiras, que também faz parte da obra, também foi levada por assaltantes.

O Bom Dia Rio procurou a Secretaria Municipal de Conservação – segundo o órgão, o caso será registrado em delegacia. O órgão informou, ainda, que fará uma licitação para substituir a peça.

Inaugurada em 1996, a estátua de Noel Rosa é um dos marcos bairro.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Prefeito decreta estado de calamidade pública na cidade do Rio de Janeiro por causa da chuva

Por Cristina Boeckel, G1 Rio

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decretou nesta quinta-feira (11) Estado de Calamidade Pública por causa da chuva. O decreto foi publicado no Diário Oficial do município e garante à Prefeitura o poder de, por exemplo, executar medidas excepcionais sem autorização do Legislativo. Isso inclui a realocação de verbas e cortes de serviços para priorização em outras áreas.

Com o decreto, de validade de 180 dias, também fica autorizado o descumprimento de alguns artigos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A contratação sem licitação fica permitida para casos de situações graves.

Também no Diário Oficial do município do Rio foi publicada a liberação de R$ 40 milhões em verbas contigenciadas desde fevereiro. Este recurso, segundo o decreto, será usado em investimento de drenagem e manutenção da rede de águas pluviais da Zona Oeste da cidade, uma das regiões mais afetadas.

Decreto de estado de calamidade do município do Rio de Janeiro, publicado nesta quinta-feira (11) no Diário Oficial — Foto: Reprodução/GloboNews

Decreto de estado de calamidade do município do Rio de Janeiro, publicado nesta quinta-feira (11) no Diário Oficial — Foto: Reprodução/GloboNews

Chuva mais forte em 22 anos

O temporal que atingiu a capital fluminense a partir do fim da tarde de segunda (8) causou a morte de 10 pessoas. Segundo o Alerta Rio, órgão da Prefeitura, foi a chuva mais forte dos últimos 22 anos.

Houve deslizamentos de terra, ruas alagadas e carros ficaram boiando na água em bairros das zonas Sul e Oeste. O estágio de crise começou às 20h55 de segunda-feira e permanecia na manhã desta quinta, quase 60 horas depois, quando a Região Metropolitana do Rio ainda vivia os impactos do temporal e sete vias da capital permaneciam interditadas.

Dentre as vítimas do temporal, uma senhora, a neta e um taxista morreram dentro de um táxi ao serem soterrados durante um deslizamento de terra em Botafogo. No Leme, outro deslizamento causou a morte de duas irmãs que moravam em casas vizinhas no Morro da Babilônia.

A ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, caiu pela 4ª vez. Aulas chegaram a ser suspensas, e só começaram a ser retomadas na quarta-feira.

O decreto

O estado de calamidade também possibilita que a União envie equipes da Força Nacional e solicite a cooperação de regiões vizinhas. Crivella autoriza ainda, no decreto, que órgãos públicos façam requisição administrativa de propriedades particulares quando houver perigo iminente, no caso de necessidade de uso por técnicos do município ou como local de abrigo.

“Considerando que as fortes chuvas que atingiram o município nos últimos dias resultaram em enchentes e deslizamentos em encostas que colocam em risco inúmeras habitações, expondo a risco de morte considerado contingente de pessoas, além de danos materiais, ambientais e prejuízos econômicos, o que denota situação necessária à declaração de Estado de Calamidade Pública”, afirma o texto da publicação.

A decisão afirma ainda que o decreto auxilia na tomada imediata de medidas emergenciais para que, em cooperação com outras esferas de governo, os problemas causados pela chuva sejam combatidos.

Demora nas ações

Na terça-feira (9), o prefeito do Rio admitiu, em entrevista à TV Globo, que houve falha de planejamento e demora nas ações durante o temporal. Segundo informações do RJ2, desde o início da sua gestão a Secretaria de Conservação tinha 200 homens prontos para entrar em ação em caso de chuva, mas só 20 homens foram às ruas na noite de segunda-feira (8), como o próprio Crivella explicou.

“Na verdade, esses homens são contratados. A prefeitura não tem esses homens próprios, nós temos seis empresas que fazem esses contratos, tanto de conservação como de drenagem, são mobilizados, no momento em que a gente precisa a gente chama e as pessoas vêm e trabalham intensamente (…) Foram mobilizados, o que atrasou foi porque houve um trânsito intenso na hora em que as pessoas estavam saindo do trabalho pra ir pra casa, e aí realmente houve atraso nos pontos principais da cidade”, disse o prefeito na terça.

Na mesma entrevista, questionado sobre a demora, o prefeito disse que o protocolo foi mudado após reunião. “O que vamos fazer a partir de agora é reunir, no exato momento em que for pra [estágio de] atenção, o prefeito e mais todos os secretários da cidade, e aí nós vamos decidir juntos em que locais vamos colocar nossas equipes.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Laudo do IML diz que universitária Natália Costa morreu por afogamento

Por Afonso Ferreira e Clara Franco, TV Globo e G1 DF

Corpo de Natália Costa, de 19 anos, foi encontrado há 10 dias no Lago Paranoá — Foto: Arquivo pessoal

Corpo de Natália Costa, de 19 anos, foi encontrado há 10 dias no Lago Paranoá — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil do Distrito Federal divulgou nesta quarta-feira (10) que a causa da morte de Natália Costa, encontrada no Lago Paranoá no dia 1º de abril, foi asfixia por afogamento. Além disso, as marcas e escoriações encontradas no corpo da universitária aconteceram após a morte, diz o documento.

As informações fazem parte do laudo cadavérico concluído parcialmente pelo Instituto Médico Legal (IML). O documento também descarta a possibilidade de agressão física e não indica traumatismo no corpo da universitária.

A polícia diz que aguarda uma complementação do laudo com o exame toxicológico, para analisar se a estudante usou drogas. São aguardados também os exames da arcada dentária para verificar se a mordida no braço de Wendel Yuri de Souza Caldas são da universitária.

Wendel foi a última pessoa a ser vista com Natália, viva. Os dois estavam em um churrasco no Clube Almirante Alexandrino, em Brasília, no domingo, 31 de maio.

Defesa de Wendel diz que não houve feminicídio

Durante uma entrevista coletiva nesta quarta-feira, o defensor público Carlos Praxedesdescartou as hipóteses de feminicídio e de homicídio culposo. Segundo ele, pelo que foi apresentado, não há indícios para sustentar as hipóteses.

Praxedes defende Wendel e alegou que seu cliente “estava muito bêbado no churrasco, o que agravaria a consciência do jovem de 19 anos”. Segundo ele, a hipótese de omissão de socorro também não tem como ser cogitada devido ao estado “alterado” que Wendel Yuri se encontrava.

“Nos parece algo pouco crível.”

Depoimentos

Na semana passada, duas amigas de Natália que estavam presentes no churrasco do dia 31 de março deram depoimentos à polícia. Ambas testemunhas confirmam que Wendel estava embriagado.

Uma das testemunhas contou que ela, Natália e outra amiga foram até o parquinho do clube, onde viram Wendel deitado, “parecendo que estava dormindo”.

A amiga disse à polícia que Natália jogou um copo de bebida no rapaz e falou: “acorda que você tá muito louco, está passando vergonha”.

Wendel teria acordado e dito para Natália: “você é muito linda, quero ficar com você”.

Ainda de acordo com o depoimento da amiga da universitária, Natália teria respondido: “me respeita , você está ficando louco”. Na visão da testemunha, tudo não passou de uma brincadeira. Logo depois, os dois teriam começado a correr em direção ao lago e saíram do campo de vista.

A amiga disse ter acreditado que Natália estivesse ficando com Wendel e, por isso, ela e a outra amiga decidiram esperar no portão do clube, que estava fechando.

Outra testemunha disse à polícia que foi chamada para ir ao parquinho e viu Natália e Wendel Yuri deitados na grama, brincando juntos. Ela também disse que o rapaz se levantou e que ouviu Natália dizer: “ah, então é pra morder?”. Os dois teriam, então, começado a correr em direção ao lago.

Quando Wendel voltou do lago, a testemunha teria perguntado onde estava Natália e o jovem respondeu que não sabia, porque estava muito bêbado e “mal conseguia falar”.

A testemunha contou, ainda, que chegou a procurar Natália na beira do lago, mas que ela e outra amiga resolveram ir embora, por acreditar que Natália também tivesse ido.

O que diz a advogada da família

Juliana Porcaro, advogada que acompanha a família de Natália, disse que não irá se pronunciar até que tenha acesso ao laudo. Ela espera que amanhã, por volta das 12h, consiga ter o laudo.

Na terça-feira (9), um segundo celular, que pertencia a estudante, foi entregue à polícia pela advogada. De acordo com ela, o celular pode ajudar nas investigações.

Para Porcaro, houve “descaso” na condução das investigações. A advogada entregou nessa terça-feira (9) uma representação na Corregedoria da Polícia Civil do DF. Em nota enviada ao G1, a polícia confirmou que a Corregedoria recebeu o documento e que “ele será avaliado”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

TCU proíbe Infraero de pagar salários acima do teto e Eletrobras de dar reajuste a funcionários

Por Laís Lis, G1 — Brasília

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira (10) uma cautelar – decisão provisória – que proíbe a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) de pagar salários acima do teto constitucional para funcionários ou diretores. Atualmente o teto constitucional para remuneração é de R$ 39,2 mil.

A cautelar também proíbe que a Infraero pague participação nos lucros para funcionários e diretores.

Em outra cautelar, o TCU também proibiu que o Conselho de Administração da Eletrobras vote o reajuste de salários ou de qualquer outra remuneração de diretores e trabalhadores.

Segundo o ministro Bruno Dantas, que propôs a cautelar da Eletrobras, após anos de prejuízo, a diretoria da Eletrobras “teve o desplante de propor o reajuste da remuneração de seus diretores na ordem de 147%”.

As cautelares foram votadas durante a análise de um processo do TCU que analisa a dependência que as estatais têm com o Tesouro Nacional.

No processo, o ministro Vital do Rêgo aponta que algumas estatais, consideradas não dependentes do Tesouro e que, por isso, têm liberdade para pagarem salários acima do teto constitucional, são, na verdade, dependentes da União (leia mais sobre a denominação ao final da reportagem).

Por isso, para o ministro, as estatais têm de ser enquadradas nas regras que estabelecem o teto constitucional para remuneração.

O processo do ministro não chegou a ser votado por causa de um pedido de vistas, mas os ministros do tribunal decidiram aprovar as duas propostas de cautelar até que o processo volte a ser julgado.

A auditoria do TCU identificou indícios de que, entre 2013 e 2017, seis estatais receberam recursos da União para pagar despesas de custeio, como o pagamento de funcionários, o que indicaria que essas empresas são dependentes da União.

Entre essas estatais, está a Infraero, que recebeu R$ 11,2 bilhões de um total de R$ 18,5 bilhões em recursos que o Tesouro Nacional aplicou nas estatais entre 2013 e 2017.

“Dos cinco exercícios analisados, a Infraero apresentou sinalização de dependência em três deles”, afirmou o ministro Vital do Rêgo.

Segundo o ministro, em 2018, a estatal também recebeu mais de R$ 1 bilhão e em 2019 prevê receber mais R$ 1 bilhão da União.

“Confirmando a tendência de recebimento de recursos para custear suas despesas. Todas essas informações levam a crer que a Infraero vem, ano a ano, experimentando de fato a condição de estatal dependente do Tesouro”, afirmou.

Estatais

Estatais dependentes: são estatais com o orçamento vinculado ao da União. Por receberem aportes do Tesouro Nacional, essas empresas não podem pagar salários acima do teto constitucional e também não podem pagar participação nos lucros.

Estatais não dependentes: não recebem recursos da União para despesas de custeio, como pagamento de pessoal. Essas empresas não precisam cumprir a regra do teto constitucional e também podem pagar participação nos lucros a seus funcionários.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.