Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Operação mira integrantes de facção criminosa suspeita de matar ao menos 30 pessoas no DF

Por Mara Puljiz, Rita Yoshimine e Letícia Carvalho, TV Globo e G1 DF

Operação mira integrantes de facção criminosa suspeita de matar ao menos 30 pessoas no DF; drogas foram apreendidas — Foto: PCDF/Divulgação

Operação mira integrantes de facção criminosa suspeita de matar ao menos 30 pessoas no DF; drogas foram apreendidas — Foto: PCDF/Divulgação

Uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal cumpre, na manhã desta terça-feira (13), 49 mandados de prisão preventiva e seis de temporária contra integrantes de uma facção criminosa suspeita de ter assassinado ao menos 30 pessoas na capital federal nos últimos seis anos.

Cerca de 350 policiais foram às ruas. Em Teresina, no Piauí, duas pessoas foram detidas.

Segundo a Coordenação de Repressão a Homicídios e de Proteção à Pessoa – responsável pela operação –, os crimes foram motivados pela guerra de tráfico de drogas entre grupos.

“As facções também disputavam territórios e vingavam a morte dos comparsas, causando risco à população”, explicou o coordenador de repressão a homídios da PCDF, Fernando César Costa.

“O número de homicídios é impactante, mas também a violência com que eles praticavam esses homicídios. Eles faziam questão de praticar esses crimes com armamento pesado, número excessivo de tiros e sempre deixando isso como uma marca de atuação.”

Os criminosos ainda atuavam na porta de cadeias e de fóruns do DF. Em um dos crimes, em 2016, um homem foi morto com 30 tiros em frente ao fórum de Santa Maria. Dias depois, o tio da vítima também foi assassinado, com 50 tiros, na porta do mesmo prédio.

De acordo com as investigações, a facção apresentava “alto grau de periculosidade” e usava armamentos como pistolas, revólveres, submetralhadoras e até fuzil nos crimes.

A operação da Coordenação de Repressão a Homicídios e de Proteção à Pessoa da PCDF é feita em conjunto com as promotorias criminais do Riacho Fundo e do Recanto das Emas e com o Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional (Nupri), do Ministério Público. Ela recebeu o nome de Rosário.

As investigações começaram em março deste ano. Para o delegado da 1° Divisão de Repressão a Homicídios, Thiago Boeing, a operação desta terça vai resultar na queda da criminalidade:

“Esses criminosos estão envolvidos em vários homicídios. A tendência é que, principalmente, as comunidades do Riacho Fundo, Recanto das Emas, Ceilândia e Gama – que eram palco dos conflitos – sintam os índices de violência diminuírem”.

Operação mira integrantes de facção criminosa suspeita de matar ao menos 30 pessoas no DF; arma apreendida em casa dos suspeitos — Foto: PCDF/Divulgação

Operação mira integrantes de facção criminosa suspeita de matar ao menos 30 pessoas no DF; arma apreendida em casa dos suspeitos — Foto: PCDF/Divulgação

Divisão de tarefas

Segundo os investigadores, a facção tinha um esquema de atuação organizado – que contava com pessoas responsáveis por roubos de carros, clonadores, motoristas que faziam o transporte de drogas para o DF e advogados. Os suspeitos também atuavam no comércio de armas.

Além disso, a facção ainda praticava rufianismo, que é a exploração da prostituição. De acordo com a polícia, o grupo chegava a cobrar diária de R$100 de prostitutas de Taguatinga para que elas pudessem explorar algum ponto da cidade.

Com a atuação no DF, os suspeitos construíram patrimônio, conforme apontam as apurações da PCDF. A Justiça autorizou a apreensão de 17 veículos, alguns de luxo, e o bloqueio de 60 contas bancárias de pessoas ligadas aos integrantes da facção. Ao todo, 11 imóveis dos criminosos também deverão ir a leilão.

Os suspeitos presos vão responder pelos homicídios que cometeram, por organização criminosa e também por lavagem de dinheiro, além de eventuais crimes identificados ao longo das investigações.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Eletrobras registra lucro de R$ 5,5 bilhões no 2º trimestre

Por G1

A Eletrobras (Centrais Elétricas Brasileiras) registrou lucro líquido de R$ 5,56 bilhões no segundo trimestre, valor que representa uma alta de 305% em relação ao resultado do mesmo trimestre do ano passado (R$ 1,372 bilhão).

O resultado foi impulsionado pela privatização da Amazonas Energia. A Eletrobras disse que a venda da distribuidora levou a um ganho de 5,26 bilhões de reais com a reversão de patrimônio líquido negativo.

A venda selou a saída da estatal do ramo de distribuição, no qual a Eletrobras controlava seis distribuidoras no Norte e Nordeste que foram negociadas ao longo do ano passado. A subsidiária do Amazonas era de longe a mais deficitária dentre elas, destaca a Reuters.

A Eletrobras somou ainda um ganho de R$ 1,69 bilhão com um registro a valor justo de indenizações pela renovação de contratos antigos de transmissão (RBSE), decorrente da variação da taxa de desconto NTN-B.

Por outro lado, a companhia realizou provisão de R$ 921 milhões por créditos da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) cedidos pela Amazonas Energia à Eletrobras antes da privatização, além de R$ 329 milhões em provisões para contingências.

Segundo o balanço trimestral, considerando apenas as operações continuadas, o lucro líquido foi de R$ 301 milhões.

A receita operacional líquida apresentou crescimento de 12%, atingindo R$ 6,643 bilhões no 2º trimestre.

Já os investimentos registraram queda de 41%, recuando para R$ 578 milhões ante R$ 978 milhões no 2º trimestre de 2018, em meio a uma reestruturação da companhia nos últimos anos que desacelerou os aportes. No acumulado do ano até o final do primeiro semestre os investimentos somavam R$ 1,09 bilhão, queda também de 41% ante os R$ 1,85 bilhão do ano anterior.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Governo realiza leilão de 3 áreas portuárias nesta terça

Por G1

Três áreas portuárias - duas em Santos e uma em Paranaguá - serão leiloadas nesta terça-feira pelo governo federal — Foto:  Sérgio Furtado/Divulgação/Ministério da Infraestrutura

Três áreas portuárias – duas em Santos e uma em Paranaguá – serão leiloadas nesta terça-feira pelo governo federal — Foto: Sérgio Furtado/Divulgação/Ministério da Infraestrutura

O governo federal irá realizar nesta terça-feira (13) o leilão de arrendamento de três terminais portuários. Serão oferecidos à iniciativa privadas duas áreas no Porto Santos, em São Paulo, e uma área no Porto de Paranaguá, no Paraná.

O leilão está marcado para começar a partir das 10h, na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3.

A previsão de investimentos é de cerca de R$ 420 milhões durante os 25 anos de arrendamento.

Os terminais em Santos são destinadas à movimentação de graneis líquidos combustíveis (STS13A), e fertilizantes e sal (STS20). No Porto de Paranaguá, a área que será arrendada é destinada à movimentação de carga geral, especialmente papel e celulose.

De acordo com as regras previstas no edital, as empresas e/ou consórcios puderam apresentar as propostas no dia 6 de agosto e vencerá o certame quem oferecer o maior valor de outorga, que começará em R$ 1.

Os 3 terminais fazem parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

“Esse ano, além dessas, tivemos outras 10 áreas leiloadas e isso mostra o interesse do investidor nesses ativos. Com certeza, será um motivador de novas áreas portuárias entrarem na carteira do PPI para concessões futuras”, afirmou a secretária especial do PPI, Martha Seillier.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Tentativa de roubo de carro e perseguição deixam feridos na Linha Vermelha, no Rio

Por G1 Rio

Oito pessoas ficaram feridas – incluindo uma mulher grávida – após uma perseguição na Linha Vermelha, na altura de Vigário Geral, na Zona Norte do Rio, na manhã desta terça-feira (13).

De acordo com a polícia, quatro homens armados praticavam assaltos na via quando foram perseguidos por agentes na pista sentido Centro. Houve confronto e o carro dos assaltantes capotou na pista e atingiu três veículos, deixando oito pessoas feridas.

Ainda segundo a corporação, todos tiveram ferimentos leves e uma mulher grávida estava em estado de choque. De acordo com o Corpo de Bombeiros, três vítimas foram encaminhadas ao Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias.

Um dos homens armados foi preso pelos agentes e uma pistola e o carro que estava com ele também foram apreendidos.

Segundo o Centro de Operações Rio, uma faixa da Linha Vermelha estava interditada no sentido Centro por volta das 7h, na altura de Vigário Geral. Os reflexos no trânsito iam da Rodovia Presidente Dutra até o local do acidente, e do Hospital do Fundão até o Caju.

Dois carros e um táxi foram atingidos durante a perseguição — Foto: Divulgação/Centro de Operações Rio

Dois carros e um táxi foram atingidos durante a perseguição — Foto: Divulgação/Centro de Operações Rio

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem morre por bala perdida em Magé, RJ; protesto depreda prefeitura

Por G1

Um rapaz de 19 anos morreu vítima de uma bala perdida durante um tiroteio que envolveu a polícia e criminosos em Magé, na Baixada Fluminense, nesta segunda-feira (12).

A PM afirma que encontrou armas e drogas com o jovem. A família nega e garante que o adolescente era repositor em um supermercado.

Henrico de Jesus Viegas de Menezes Júnior foi baleado durante um tiroteio no meio da tarde na Comunidade Terra Nova, no Bairro Lagoa. Segundo um parente, o jovem saiu de casa para checar o reparo de sua motocicleta e foi atingido por uma bala perdida.

De acordo com a Prefeitura de Magé, Henrico chegou morto ao Hospital Municipal.

Henrico de Jesus Viegas de Menezes Júnior, morto em Magé — Foto: Reprodução/TV Globo

Henrico de Jesus Viegas de Menezes Júnior, morto em Magé — Foto: Reprodução/TV Globo

Protesto

Após a confirmação da morte do rapaz, moradores da região foram ao Centro da cidade para protestar e invadiram o Palácio Anchieta, sede do governo municipal. Houve quebradeira, fogo em pneus e ruas bloqueadas por manifestantes.

Ônibus e caminhões de coleta de lixo deixaram de circular a partir das 20h. O lixo que seria coletado acabou espalhado pelas ruas da cidade.

A manifestação foi contida no final da noite, informou a Polícia Militar (PM).

Ninguém foi preso pelo protesto, e não há relatos sobre feridos.

Portas quebradas na sede da Prefeitura de Magé após morte de jovem — Foto: Reprodução/TV Globo

Portas quebradas na sede da Prefeitura de Magé após morte de jovem — Foto: Reprodução/TV Globo

Sem perícia

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense registrou o caso como homicídio decorrente de intervenção policial.

Um investigador conversou com o Bom Dia Rio. Ele contou que os dois PMs que socorreram o rapaz disseram em depoimento que foram recebidos a tiros por traficantes da Favela Terra Nova. Disseram ainda que faziam um patrulhamento de rotina e que apreenderam armas e drogas com Henrico.

A DH não fez perícia no local do crime e aguarda a família de Henrico comparecer à delegacia para prestar depoimento.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Casa desaba em Curicica, na Zona Oeste do Rio

Por Bom Dia Rio

Uma casa de três andares desabou em Curicica, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta segunda-feira (12). Por volta das 7h, bombeiros tinham isolado a área e tentavam localizar possíveis vítimas do desabamento.

Em um dos pavimentos, os bombeiros tentam cavar os escombros. De acordo com as primeiras informações, duas pessoas estão desaparecidas.

O desabamento ocorreu em um imóvel que fica às margens de um rio na região. Imagens do Globocop mostram que as paredes da casa ficaram com grandes rachaduras após o desabamento.

Imóveis que ficam ao redor também correm risco. Pouco antes das 8h, um homem usando um capacete entrou na casa que desabou para retirar gaiolas de passarinho do local.

Ambulância tenta chegar ao local de desabamento em Curicica, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Ambulância tenta chegar ao local de desabamento em Curicica, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

País precisa qualificar 10,5 milhões de trabalhadores na indústria até 2023, diz CNI

Por G1

Brasil terá que qualificar 10,5 milhões de trabalhadores na indústria até 2023 — Foto: Reprodução/Globo

Brasil terá que qualificar 10,5 milhões de trabalhadores na indústria até 2023 — Foto: Reprodução/Globo

O Brasil terá que qualificar 10,5 milhões de trabalhadores na indústria até 2023, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com o estudo, a demanda será por qualificação para trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento.

A maior demanda por qualificação deverá ser pelo aperfeiçoamento de trabalhadores já empregados – apenas 22% será para capacitação daqueles que ainda vão ingressar no mercado de trabalho.

O levantamento aponta que as áreas que mais vão demandar formação profissional são transversais (1,7 milhão), metalmecânica (1,6 milhão), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentos (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecomunicações (359 mil).

Crescimento

A CNI aponta que, em relação aos novos empregos, as maiores taxas de crescimento devem vir de ocupações que têm a tecnologia como base. Além dos condutores de processos robotizados, estão pesquisadores de engenharia e tecnologia (aumento de 17,9%); engenheiros de controle e automação, engenheiros mecatrônicos e afins (14,2%); diretores de serviços de informática (13,8%); e operadores de máquinas de usinagem CNC (13,6%).

Ocupações que mais devem crescer até 2023

OcupaçãoFormaçãoNovos empregos (2019 a 2023)Taxa de crescimento até 2023
Condutores de processos robotizadosQualificação + 200h25122,40%
Técnicos em mecânica veicularTécnica1.31119,90%
Engenheiros ambientais e afinsSuperior56619,40%
Pesquisadores de engenharia e tecnologiaSuperior1.99117,90%
Profissionais de planejamento, programação e controles logisticosTécnica37317,30%
Montadores de sistemas e estruturas de aeronavesTécnica28115,50%
Engenheiros agrimensores e engenheiros cartógrafosSuperior15415,20%
Gerentes de operações de serviços em empresa de transporte, de comunicação e de logística (armazenagem e distribuição)Superior1.37315,10%
Engenheiros de alimentos e afinsSuperior9415,10%
Instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos, telefônicos e de comunicação de dadosQualificação + 200h14.36715,00%
Engenheiros de controle e automação, engenheiros mecatrônicos e afinsSuperior32714,20%
Técnicos em eletromecânicaTécnica1.78814,00%
Diretores de serviços de informáticaSuperior13013,80%
Operadores de máquinas de usinagem CNCQualificação + 200h5.35613,60%
Supervisores de manutenção eletromecânicaTécnica91513,10%
Técnicos mecânicos na manutenção de máquinas, sistemas e instrumentosTécnica3.56013,10%
Pesquisadores das ciências naturais e exatasSuperior20512,50%
Desenhistas projetistas da eletrônicaTécnica41112,50%

Fonte: CNI

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Fonte vandalizada com sabão em pó é esvaziada para limpeza no interior de SP

Por G1 Sorocaba e Jundiaí

Praça em São Roque amanheceu com espuma — Foto: Marcelo Roque/Arquivo pessoal

Praça em São Roque amanheceu com espuma — Foto: Marcelo Roque/Arquivo pessoal

A fonte que amanheceu coberta por espuma no domingo (11) após ser vandalizada com sabão em pó, na área central de São Roque, precisou ser esvaziada e passar por um processo de limpeza por uma equipe do Departamento de Obras da cidade.

Segundo a Guarda Civil Municipal, vândalos teriam jogado sabão em pó durante a madrugada de domingo. Como a fonte estava ligada, a pressão movimentou a água e acabou gerando a espuma no chafariz do local conhecido como “Praça da Preguiça”.

De acordo com a prefeitura, a fonte é desligada automaticamente diariamente às 21h. Os vândalos quebraram o cadeado da porta da sala de bombas e ligaram os equipamentos manualmente, informou a Guarda.

A estudante Vitória Savioli mora perto da praça e conta que sempre que pode leva os irmãos para passearem perto da fonte. Ela diz que no sábado passou no local 21h e estava normal.

Contudo, quando voltou às 23h, a fonte já estava lotada de espuma, o que chamou a atenção dos moradores.

Uma equipe do Departamento de Obras esteve na praça para tirar a água e a espuma. A próxima etapa será a limpeza do chafariz.

A Guarda Civil informou que tenta identificar os responsáveis pela ação e câmeras de segurança do entorno devem ser usadas para tentar identificar os suspeitos.

Ainda de acordo com a corporação, os moradores que tiverem informação sobre o suspeito podem denunciar o caso. Destruir, inutilizar ou deteriorar o bem ou serviços da união, estado ou município é considerado crime contra o patrimônio público.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Brumadinho: Buscas por vítimas completam 200 dias nesta segunda-feira

Por G1 Minas — Belo Horizonte

As buscas por vítimas da tragédia de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, completam 200 dias nesta segunda-feira (12). De acordo com último balanço da Defesa Civil, 248 corpos foram identificados e 22 pessoas continuam desaparecidas.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros Pedro Aihara, esta já é a maior operação de busca e resgate do Brasil, ultrapassando o trabalho realizado nos deslizamentos na Região Serrana do Rio de Janeiro, em 2011.

Cerca de 140 bombeiros seguem em Brumadinho. Dois cães farejadores e 180 máquinas participam das buscas em duas frentes. Os trabalhos seguem ininterruptos desde o dia 25 de janeiro, data do rompimento da Barragem de Córrego do Feijão, da Vale.

Lama da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte — Foto: Ibama/Divulgação

Lama da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte — Foto: Ibama/Divulgação

Os rejeitos de minério devastaram a área administrativa da mineradora, incluindo o refeitório da Vale, onde muitos trabalhadores almoçavam. A lama também destruiu plantações e casas de moradores da região.

O Rio Paraopeba, um dos afluentes do São Francisco, foi contaminado. A captação de água está interrompida desde o dia do rompimento.

A operação só será encerrada quando todas as vítimas forem encontradas ou quando não houver mais condições biológicas de buscas.

Método

Conhecer detalhes e hábitos de quem trabalhava na Mina do Córrego do Feijão faz parte do trabalho de inteligência desenvolvido pelos bombeiros.

As fotos de cada uma das vítimas ainda não encontradas, coladas entre mapas e esboços do trabalho de buscas na parede da sala de comando do Corpo de Bombeiros, na Base Bravo, faz parte da estratégia da equipe de inteligência.

Os nomes, hábitos, roupas e locais onde essas pessoas possivelmente estavam e com quem estavam no momento da tragédia é de conhecimento de todos os militares que estão à frente do planejamento das ações de resgate.

Identificação

O número de mortos identificados no desastre da Mina do Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana, está há mais de um mês sem sofrer alterações, segundo a Polícia Civil.

O Instituto Médico Legal (IML) afirmou que continua recebendo fragmentos de corpos. Um equipamento sequenciador de DNA – chamado Illumina – está em fase de instalação e um perito passa por treinamento nesta semana no Rio Grande do Sul para realizar as identificações.

Ainda segundo a corporação, o funcionário levou 52 amostras para extração de DNA. A expectativa da polícia é que ele volte com o maior número possível de amostras analisadas.

Aproximadamente 70 casos foram identificados por meio de DNA em junho e julho. A polícia relatou que as amostras eram de pessoas que já haviam sido identificadas anteriormente.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Setor de serviços cai 1% em junho e tem maior queda do ano

Por Darlan Alvarenga e Daniel Silveira, G1

O volume do setor de serviços caiu 1% em junho, na comparação com o mês anterior, eliminando o ganho acumulado de 0,4% observado entre abril e maio, segundo divulgou nesta sexta-feira (9) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a quarta e mais intensa queda no ano.

Na comparação com junho do ano passado, a queda foi de 3,6%.

O resultado veio mais fraco do que o esperado. As expectativas em pesquisa da Reuters eram de quedas de 0,4% na comparação mensal e de 2,1% por cento na base anual.

O IBGE também informou que receita nominal de serviços (que não desconta a inflação) encolheu 1,1% em junho, frente ao mês imediatamente anterior, mas teve elevação de 0,4% no confronto com mesmo mês de 2018. No ano, a receita nominal acumula alta de 4,3% e, em 12 meses, apresenta avanço de 4,1%.

Queda de 0,6% no trimestre

Como a indústria e o comércio, o setor de serviços também fechou o 2º trimestre no vermelho (-0,6%), na comparação com os 3 primeiros meses do ano. Já no acumulado nos 6 primeiros meses do ano, houve alta de 0,6%.

“O acumulado do ano cresceu 0,6%, com ligeira perda de dinamismo frente ao segundo semestre de 2018 (0,8%). Já o acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de 1,1% em maio para 0,7% em junho de 2019, voltou a assinalar perda de ritmo de crescimento”, destacou o IBGE.

De acordo com o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, com o resultado de junho o setor de serviços atingiu o terceiro patamar mais baixo da série histórica, iniciada em 2011, e se encontra 12,8% abaixo do ponto mais alto, registrado em novembro de 2014.

“[Este patamar] só perde para maio de 2018, quando ocorreu a greve dos caminhoneiros, movimento que provocou um quadro atípico na economia brasileira e levou o setor de serviços ao patamar mais baixo, e também para março de 2017, que foi quando o setor começou a reagir após dois anos de quedas”, disse.

Quedas em todas as atividades em junho

O desempenho negativo do setor de serviços foi acompanhado por todas as 5 principais atividades pesquisadas, o que não acontecia desde maio de 2018, mês da greve dos caminhoneiros, segundo o IBGE. Regionalmente, 19 das 27 unidades da federação registraram retração, com destaque para São Paulo (-1,6%) e Rio de Janeiro (-2,6%).

Variação do volume de serviços em junho, por atividade:

Serviços prestados às famílias: -0,2%

  • Serviços de alojamento e alimentação: 0,3%
  • Outros serviços prestados às famílias: -3,8%

Serviços de informação e comunicação: -2,6%

  • Serviços de tecnologia da informação e comunicação: -2,2%
  • Telecomunicações: -0,3%
  • Serviços de tecnologia da informação: -10,1%
  • Serviços audiovisuais: -4%

Serviços profissionais, administrativos e complementares: -0,1%

  • Serviços técnico-profissionais: 0,3%
  • Serviços administrativos e complementares: -0,2%

Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio: -1%

  • Transporte terrestre: 0,3%
  • Transporte aquaviário: -3,1%
  • Transporte aéreo: -4,4%
  • Armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio: -1,2%

Outros serviços: -2,3%

Serviços de informação e transportes puxam queda

A queda em junho foi puxada pelo comportamento mais fraco das atividades de transportes e de comunicação e informação, que caíram 1% e 2,6% em junho, respectivamente. Juntas, elas representam quase dois terços do volume total de serviços.

Com exceção dos transportes terrestres, todos os grupos dessas duas atividades tiveram queda no mês, o que ajuda a explicar o resultado negativo de junho, segundo o IBGE.

O maior impacto, destacou Lobo, partiu dos Serviços de Informação e Comunicação. “Dentro dele, a gente tem o setor de TI, que em maio chegou à sua taxa mais alta da série histórica, mas que em junho recuou 10,1%, puxado especialmente pelas atividades de desenvolvimento de softwares”, afirmou.

O segundo principal impacto veio dos transportes, principalmente o de cargas, devido à relevância que essa atividade tem na economia brasileira. “Aliado a ele, mas com peso não tão importante, o transporte aéreo teve queda significativa em função de preço”, disse o pesquisador, explicando que a alta nas passagens impacta diretamente no volume de receitas do setor.

Fraqueza da economia e perspectivas

Os indicadores já divulgados continuaram a mostrar uma fraqueza da economia em junho e no 2º trimestre, após uma queda de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no 1º trimestre.

A indústria brasileira registrou queda de 0,6% em junho e fechou o primeiro semestre com um recuo de 1,6% em sua produção. No período entre abril e junho, a indústria recuou 0,7%, na comparação com o primeiro trimestre – o terceiro trimestre seguido de contração.

Já as vendas do comércio cresceram 0,1% em junho, na primeira alta desde março. No 2º trimestre, o setor registrou queda de 0,3%, na comparação com o primeiro trimestre. No semestre, o volume do comércio varejista cresceu 0,6%, frente a igual período do ano anterior.

A projeção do mercado financeiro para estimativa de alta do PIB deste ano permanece em 0,82%, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central. Para 2020, a previsão de crescimento é de 2,1%.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.