Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

Chuvas interrompem parte das buscas por desaparecidos em Pernambuco; estado tem 93 mortos

Até a noite da segunda (30), 93 corpos haviam sido localizados no Grande Recife. Número de desabrigados no estado chegou a 6.170.

Por Bruno Marinho, g1 PE

Pernambuco chega, nesta terça-feira (31), ao quarto dia de buscas por vítimas das chuvas que provocaram alagamentos e deslizamentos de barreiras no Grande Recife e na Zona da Mata. No entanto, entre a madrugada e a manhã, o temporal atrapalhou parte das operações e as equipes precisaram suspender as buscas devido ao risco de novos desabamentos em alguns pontos.

O desastre deixou pessoas mortas, desaparecidas, desalojadas e desabrigadas, além de ter feito, ao menos, 14 cidades decretarem situação de emergência.

No balanço mais recente, divulgado pelo governo do estado no final da manhã da segunda-feira (30), contabilizou 91 mortes e 26 desaparecidos. No entanto, durante a tarde, outros dois corpos que ainda não estavam incluídos nas estatísticas oficiais foram encontrados, aumentando o total de óbitos para, ao menos, 93.

O ponto mais crítico é Jardim Monte Verde, no limite entre o Recife e Jaboatão. Morreram mais de 20 pessoas no local. Por volta das 3h, os bombeiros e Exército suspenderam as buscas por causa da chuva. Às 6h, o trabalho foi retomado.

O problema também ocorre na comunidade Vila dos Milagres, entre os bairros do Ibura e Barro, na Zona Oeste. De acordo com o major Everton Marinho, que comanda a operação nesse local, a suspensão ocorre por questão de segurança das equipes.

“Temos um risco de novos deslizamentos, novos soterramentos e da equipe ser coberta pelo barro que é muito denso e muito forte. […] As buscas seguem gradualmente. Ela tem que ser lenta, não pode ser tão rápido, porque o trabalho de remoção de barro é um trabalho pesado e contamos com os riscos de novos deslizamentos e a chuva que não para e deixa o ambiente todo encharcado”, explicou.

Um dos dois corpos encontrados na segunda-feira foi retirado por bombeiros dos escombros de uma barreira que deslizou na comunidade do Areeiro, em Camaragibe, na Região Metropolitana. A vítima foi uma dona de casa de 49 anos identificada como Rute Soares Nascimento.

O outro corpo foi encontrado em Jardim Monte Verde. A vítima foi a engenheira civil Thais Regina Ramos Feitosa, de 31 anos.

O local onde o corpo de Thais foi achado é o principal ponto de buscas de desaparecidos. Segundo o Corpo de Bombeiros, ainda há vítimas desaparecidas no local.

Até a noite da segunda-feira (30), o número de desabrigados no estado devido à tragédia estava em 6.170, de acordo com o tenente-coronel Leonardo Rodrigues, que é secretário executivo de Defesa Civil de Pernambuco.

Buscas

Além de bombeiros militares de Pernambuco, as operações de buscas contam com bombeiros de outros estados brasileiros, como Paraíba, Minas Gerais e Rio Grande do Norte. Também participam policiais militares, guardas municipais e funcionários da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), assim como militares do Exército, profissionais da Marinha e policiais civis.

Nas buscas, salvamentos e fornecimento de mantimentos para populações de áreas afetadas, são utilizadas embarcações e seis aeronaves, sendo três do Grupamento Tático Aéreo da Secretaria de Defesa Social e três da Polícia Rodoviária Federal.

Locais onde ocorreram as mortes provocadas pelas chuvas no Grande Recife — Foto: Arte/g1

Locais onde ocorreram as mortes provocadas pelas chuvas no Grande Recife — Foto: Arte/g1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cantor Piettro Dias, esposa e filho morrem em acidente na BR-364, entre Frutal e Planura

Óbito do artista foi confirmado ainda no local; as outras duas vítimas foram socorridas com vida, mas não resistiram aos ferimentos. Acidente ocorreu na noite deste sábado (28).

Por g1 Triângulo e Alto Paranaíba e TV Integração — Frutal

cantor Piettro Dias morreu na noite deste sábado, em um grave acidente na altura do km 6 da BR-364, entre os municípios de Frutal e Planura. A esposa dele e o filho do casal, de idades não informadas, chegaram a ser socorridos por ambulâncias de Planura, mas não resistiram aos ferimentos e faleceram posteriormente.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o veículo conduzido pelo artista, que seguia sentido Frutal, teria colidido contra um caminhão, vindo de Planura. O corpo de Piettro ficou preso às ferragens, e o óbito foi constatado ainda no local.

O motorista do caminhão não sofreu ferimentos e dispensou atendimento médico.

Ainda conforme os bombeiros, foi necessário aplicar serragem na pista, devido ao vazamento de óleo dos veículos.

Cantor Piettro Dias morre em acidente na BR-364, entre Frutal e Planura (MG)

A Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) também atuaram na ocorrência. O corpo foi liberado após os trabalhos da perícia.

Nota de pesar e luto oficla

Pelas redes sociais, o perfil oficial da Expo Frutal, evento que acontecerá entre os dias 26 de junho e 3 de julho, e que contaria com a apresentação do sertanejo, lamentou o acidente e a perda do artista. “Jovem, carismático e muito talentoso, Piettro há alguns anos vem se apresentando na Expo Frutal. Neste momento de dor, deixamos aqui nossos sentimentos aos familiares, amigos e admiradores do seu trabalho”. O Sindicato Rural de Frutal também compartilhou o texto.

Pedro Henrique dos Santos Silva era natural de Indaiatuba (SP), mas morava no Triângulo Mineiro, onde se apresentava em festas da região.

Pittro Dias Expofrutal — Foto: Reprodução Redes Sociais

Pittro Dias Expofrutal — Foto: Reprodução Redes Sociais

O prefeito de Frutal Bruno Augusto de Jesus Ferreira decretou luto oficial de 3 dias no município.

Reunião extraordinária para discutir situação da BR-364

Durante a tarde de domingo (29), o chefe do Executivo de Frutal Bruno Augusto de Jesus Ferreira, acompanhado do vice Francisco Antônio do Nascimento Filho (Chico Veio), de vereadores da Câmara Municipal local, além do deputado Arnaldo Silva, do juiz de Direito André Botasso e de representantes da comunidade, se reuniram em assembleia extraordinária para discutir a situação da BR-364, rodovia onde aconteceu o acidente, que encontra-se em más condições de trafegabilidade na região do Triângulo Mineiro.

O prefeito da vizinha Planura, Antônio Luiz Botelho, mais conhecido como Tuniquim Botelho, também esteve no encontro.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem é agredido com chutes por guardas civis em Embu das Artes, na Grande SP; prefeito afirma que afastou agentes

Agressão teria ocorrido no Parque Pirajussara, no entorno do Centro Cultural da cidade, na noite deste sábado (29).

Por g1 SP e TV Globo — São Paulo

Guardas civis de Embu das Artes agridem homem com chutes em SP

Um homem foi agredido com chutes por guardas civis da cidade de Embu das Artes, na Grande São Paulo, na noite deste sábado (29).

Imagens que circulam nas redes sociais mostram dois agentes que, simultaneamente, chutam um homem que tenta se levantar do chão. A agressão teria ocorrido no Parque Pirajussara, no entorno do Centro Cultural da cidade.

Pelas redes sociais, o prefeito de Embu das Artes, Ney Santos (Republicanos) disse que determinou “o imediato afastamento de ambos e abertura de processo administrativo para que sejam aplicadas as punições cabíveis”.

Para Ariel de Castro Alves, advogado, especialista em direitos humanos pela PUC- SP e presidente do Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo, a ação dos guardas configura crime de tortura.

“Mais um caso de tortura envolvendo guardas municipais, esse foi em Embu das Artes, São Paulo, e ocorreu ontem à noite, no Parque do Centro Cultural da Cidade”, declarou o advogado, pelas redes sociais.

Agressão na Cracolândia

Prefeitura afasta guardas civis que agrediram mulher na Cracolândia

No sábado (28), outro caso de agressão por guardas civis foi registrado na região central de São Paulo.

Uma mulher foi agredida com golpes de cassetete e gás de pimenta durante uma abordagem da Guarda Civil Metropolitana (GCM) na região da Cracolândia.

As imagens do videorreporter Caio Castor, que circulam nas redes sociais, mostram a ação de três GCMs na Rua Helvetia, na região da Cracolândia, por volta das 12h. Um dos guardas acerta a mulher com o cassetete e, depois, outro oficial utiliza gás de pimenta diretamente contra o seu rosto, a uma curta distância.

Em nota, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, responsável pela GCM, afirmou que afastou os agentes e abriu sindicância para investigar a conduta.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Lamborghini avaliada em até R$ 1,4 mi colide com caminhão e fica destruída em acidente na BR-040, em Nova Lima

Passageiro foi encaminhado para o Hospital João XXIII; segundo caminhoneiro, carro de luxo estava em alta velocidade

Por Rodrigo Salgado, g1 Minas — Belo Horizonte

Uma Lamborghini Gallardo, avaliada em até R$ 1,4 milhão, ficou destruída após bater em um caminhão na manhã deste domingo na BR-040, na altura de Nova Lima, próximo ao Viaduto da Mutuca. O passageiro ficou ferido e foi encaminhado ao Hospital João XXIII.

De acordo com o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi chamada por volta das 10h27. De acordo com o motorista do caminhão, o carro de luxo vinha em “altíssima velocidade” pela pista.

Os motoristas dos dois veículos não sofreram ferimentos. O passageiro do carro, entretanto, teve ferimentos e precisou ser encaminhado para o pronto socorro do Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, que não divulga estado de saúde dos pacientes.

A faixa foi interditada no sentido BH. Ainda não há detalhes sobre a dinâmica e a motivação do acidente.

Para-choque e para-brisa ficaram destruídos — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Para-choque e para-brisa ficaram destruídos — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Rio começa a aplicar dose de reforço da vacina contra a Covid em adolescentes entre 12 e 17 anos

Imunização começa nesta segunda-feira (30) nos postos de saúde da capital e é preciso respeitar o intervalo de quatro meses entre a 2ª dose e a 3ª dose.

Por Luana Alves, Bom Dia Rio

O Rio começa a aplicar, nesta segunda-feira (30), a dose de reforço contra a Covid-19 nos adolescentes de 12 a 17 anos. O intervalo recomendado é de quatro meses depois da segunda dose. A vacinação será realizada em todos os postos de saúde da capital.

A dose de reforço deve ser preferencialmente da Pfizer, mas também pode ser usada a Coronavac, de acordo com a disponibilidade nas unidades.

As vacinas da AstraZeneca e da Janssen não têm aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em pessoas menores de idade.

Imunossuprimidos e idosos

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ainda podem receber a 4ª dose (2ª de reforço) da vacina contra a Covid pessoas com imunossupressão grave (mediante comprovação) com 12 anos ou mais. Também é necessário respeitar o intervalo de quatro meses depois da 3ª dose.

Idosos com 60 anos ou mais também devem tomar a 4ª dose com, pelo menos, quatro meses de intervalo da 3ª dose.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morador de São Paulo ganha sorteio e é novo dono do ‘triplex de Guarujá’ avaliado em R$ 3 milhões

Imóvel que já foi atribuído ao ex-presidente Lula (PT) foi sorteado na noite de sábado (28) com base nos números da Loteria Federal da Caixa. Participantes do sorteio pagavam mensalidades de R$ 19,90 desde novembro de 2021.

Por Brenda Bento, g1 Santos

O triplex que já foi atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em Guarujá, no litoral de São Paulo, foi sorteado na noite de sábado (28) com base na Loteria Federal da Caixa. Segundo apurado pelo g1, um morador do Jardim Iguatemi, na capital paulista, foi o sortudo e ganhou o prêmio milionário. O número sorteado foi 0196198.

A empresa ‘Pancadão de Prêmios’ informou ao g1, neste domingo (29), que começará o processo para a entrega do imóvel ao vencedor nesta segunda-feira (30). A identidade do novo proprietário do imóvel não foi divulgada.

A campanha para sortear o triplex avaliado em R$ 3 milhões foi iniciada em 20 de novembro de 2021. Os candidatos a dono do imóvel precisaram pagar uma mensalidade de R$ 19,90 ao mês para participar do sorteio até 23h59 de sexta-feira (27).

O apartamento 164-A de três andares, no Condomínio Solaris, está localizado na Avenida General Monteiro de Barros, 638, no bairro Vila Luis Antonio, em Guarujá.

O dono

Em entrevista ao g1 em abril, o ex-proprietário, Fernando Gontijo, comentou sobre a visibilidade do imóvel. Segundo ele, a propriedade faz parte da história do Brasil.

“Ele tem um valor não só do ponto de vista do mercado imobiliário, mas também outro, que a gente não consegue nem mensurar, por conta de toda a sua fama. Ele desperta curiosidade na maioria das pessoas”, declarou à época.

Triplex

O juiz Sérgio Moro ordenou a venda do triplex em leilão público realizado em janeiro de 2018. O ex-presidente Lula, por sua vez, foi condenado em duas instâncias no processo que envolve o imóvel. Em primeira instância, a pena fixada foi de 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. Na segunda, foram 12 anos e 1 mês de prisão, com início em regime fechado.

Lula foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber propina da empreiteira OAS. A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma conta de propina destinada ao partido do político, o PT, em troca do favorecimento da empresa em contratos na Petrobras.

Lula nega as acusações e afirma ser inocente. Em dezembro de 2021, a Procuradoria da República no Distrito Federal pediu o arquivamento do caso, apontando para a prescrição – fim do prazo para punição – dos supostos crimes cometidos pelo ex-presidente.

A manifestação foi motivada pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que em abril considerou suspeita a atuação do ex-juiz Sérgio Moro no caso e anulou a condenação de Lula. Assim, a investigação foi encaminhada para a Justiça Federal, em Brasília.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Todo mundo morreu e eu fiquei’, diz jovem resgatado de deslizamento em que perdeu mãe, avós e primos

Thiago Estêvão foi atingido por barreira no sábado (28), quando foi à casa de avó tentar salvar parentes. A família morava em Jardim Monte Verde, no limite entre o Recife e Jaboatão.

Por Pedro Alves, g1 PE

‘Morreu todo mundo e eu fiquei’, diz sobrevivente de deslizamento de barreira no Recife

“Eu moro mais em cima, só que ontem aconteceu a tragédia, aí eu fui na casa dos meus avós. Fui chamar eles, tentar salvar eles. Todo mundo morreu e eu fiquei”. O depoimento é do auxiliar de pedreiro Thiago Estêvão, um dos sobreviventes do deslizamento de barreira que matou dezenas de pessoas em Jardim Monte Verde, no limite entre o Recife e Jaboatão.

Desde quarta-feira (25), Pernambuco contabiliza mais de 50 mortesprovocadas pelas fortes chuvas, além de 56 desaparecidos.

O acidente ocorreu no sábado (28). Thiago perdeu a mãe, os avós e primos. Na manhã deste domingo (29) ainda havia uma pessoa da família dele soterrada em meio aos escombros. Cinco pessoas ainda estão desaparecidas no local, segundo o Corpo de Bombeiros.

“Eu só pensava em Deus, eu estava até a testa sufocado pela lama. Fui tentar salvar meus avós, minha mãe foi junto”, disse.

Thiago disse que foi à casa dos avós no momento em que ouviu parte da barreira deslizando. A intenção era tirar os parentes da casa para salvar a vida deles. Junto com ele foi a mãe, Rosenilda Maria Oliveira da Silva, de 42 anos.

Segundo os moradores, a barreira cedeu em três momentos diferentes. O terceiro foi o pior, que atingiu a família de Thiago.

“Quando cheguei na casa dos meus avós, só escutei um estalo. Quando vi, a barreira engoliu tudo. Eu pensei que ia morrer, porque não conseguia respirar, porque a areia estava pressionando tudo”, afirmou o jovem.

Foi o pedreiro Washington Xavier que encontrou o amigo em meio à lama. Ele disse que, quando viu a barreira caída, entrou na casa da família de Thiago por intuição. Ele ajudou a tirar várias pessoas de dentro dos escombros.

“Quando vi, eu estava andando sobre as telhas da casa. Ele estava enterrado embaixo de uma coluna. Só vi a cabeça dele, ai puxei logo. Ele estava todo roxo, cheio de barro na boca. Eu tirei o barro e dei uns dois tapa na cara dele, foi aí que ele reagiu. Depois, vi a mãe dele, que ainda estava viva, mas não resistiu”, afirmou.

Ao todo, sete casas foram atingidas num dos pontos de deslizamento do Jardim Monte Verde. Seis delas eram de parentes de Thiago.

“Perdi minha mãe, três primos meus que têm entre 7 e 8 anos, meu primo mais velho, de 25, além da minha prima, que é mãe das crianças. Meus avós também morreram e minha prima está soterrada. Ainda consegui tirar meu tio e minha tia, que quebrou a perna”, contou.

Moradores ajudam no trabalho de buscas por desaparecidos em Jardim Monte Verde, localidade mais atingida pelo deslizamento de barreira — Foto: Reprodução/TV Globo

Moradores ajudam no trabalho de buscas por desaparecidos em Jardim Monte Verde, localidade mais atingida pelo deslizamento de barreira — Foto: Reprodução/TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morte de homem asfixiado é caso de tortura, avalia professor : ‘Polícia se sente legitimada por presidente’

Em entrevista a Renata Lo Prete, Oscar Vilhena critica distorção dos escopos das polícias no governo Bolsonaro.

Por g1

Um dia após a segunda operação mais violenta da história do Rio de Janeiro, o Brasil assistiu a mais cenas estarrecedoras de abuso das forças de segurança pública. Em Sergipe, um homem negro foi morto por asfixia durante uma abordagem após ser colocado em uma viatura com gás.

Em entrevista a Renata Lo Prete, o professor de direito constitucional da FGV de São Paulo e integrante da Comissão Arns Oscar Vilhena relembra dos decretos dos ministros da Justiça de Bolsonaro que distorceram os escopos constitucionais das polícias.

“A polícia se sente legitimada pelo próprio presidente da República, que foi o primeiro a parabenizar a conduta dos policiais”, diz.

Homem morre após ser colocado em viatura com fumaça por policiais rodoviários federais em Sergipe — Foto: Montagem/g1

Homem morre após ser colocado em viatura com fumaça por policiais rodoviários federais em Sergipe — Foto: Montagem/g1

“Nenhuma outra democracia no mundo jamais chegou a padrões de tanta violência quanto a polícia brasileira”, resume Oscar Vilhena, ao falar da ação de policiais rodoviários que resultaram na morte de Genivaldo de Jesus. Para o especialista, trata-se de um caso de tortura, seguida de morte, com cargas dramáticas ao caso George Floyd.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PRF afasta policiais envolvidos em abordagem que terminou com morte em Sergipe

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu após abordagem de agentes da Polícia Rodoviária Federal. Policiais admitiram que usaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo dentro de viatura. Vídeos mostraram ação dos agentes.

Por g1 SE

Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou, nesta quinta-feira (26), que afastou os policiais envolvidos em abordagem que terminou com a morte de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, no município de Umbaúba, no sul do estado de Sergipe, a cerca de 100 km de Aracaju.

Em nota, a PRF disse que “está comprometida com a apuração inequívoca das circunstâncias relativas à ocorrência no estado, colaborando com as autoridades responsáveis pela investigação”. A instituição disse ainda que “reforça o compromisso com a transparência e isenção”.

Repercussão

O ministro da Justiça, Anderson Torres, se manifestou sobre o assunto “ Determinei a abertura de investigação pela Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal sobre a abordagem policial de ontem, em Sergipe. Nosso objetivo é esclarecer o episódio com a brevidade que o caso requer”, disse.

A organização internacional não governamental Human Rights Watch, que defende e realiza pesquisas sobre os direitos humanos, se manifestou, através de nota, sobre o caso e disse que está ‘consternada e chocada com a morte de Genivaldo de Jesus Santos, um homem negro de 38 anos e com deficiência psicossocial, nas mãos da Polícia Rodoviária Federal em Sergipe.

‘Vai matar o cara’: moradores acompanharam abordagem que terminou em morte em SE

“O Ministério Público Federal deveria investigar imediatamente a motivação da prisão de Genivaldo e as circunstâncias de sua morte, incluindo indícios de tortura. Também deveria avaliar se a Polícia Rodoviária Federal possui protocolos e treinamento adequados para a abordagem de pessoas com deficiências psicossociais. As autoridades brasileiras têm a obrigação, conforme a legislação brasileira e o direito internacional de direitos humanos, de investigar o homicídio de Genivaldo e de levar à justiça os responsáveis por violações da lei”, informou a nota.

O que diz especialista sobre a ação

Uma portaria de 2010, que regulamenta uso de força policial, e uma lei de 2014, que disciplina o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo pelos agentes de segurança pública, não foram respeitadas por agentes da Polícia Rodoviária Federal de Sergipe durante abordagem que terminou na morte de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos. A afirmação foi feita pela diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno.

“A utilização de gás de pimenta como instrumento de menor potencial ofensivo é comum entre as polícias, geralmente para dissipar multidões, mas jamais deve ser feito em ambientes fechados ou por períodos prolongados numa pessoa. Sua má utilização pode ocasionar a morte”, disse Samira Bueno ao g1 nesta quinta-feira (26).

De acordo com a portaria interministerial nº 4.226, de 2010, o uso da força pelos agentes de segurança pública deverá se pautar nos documentos internacionais de proteção aos direitos humanos e deverá obedecer aos princípios da legalidade, necessidade, proporcionalidade, moderação e conveniência.

O documento determina ainda os procedimentos de habilitação para o uso de cada tipo de arma de fogo ou instrumento de menor potencial ofensivo, o que inclui avaliação técnica, psicológica, física e treinamento específico, com revisão periódica. Nenhum profissional de segurança deverá portar instrumento de menor potencial ofensivo para o qual não esteja devidamente habilitado.

Genivaldo de Jesus Santos, morto durante ação da PRF, em Umbaúba (SE) — Foto: Arquivo pessoal

Genivaldo de Jesus Santos, morto durante ação da PRF, em Umbaúba (SE) — Foto: Arquivo pessoal

Além disso, o texto afirma que os critérios de recrutamento e seleção para os agentes de segurança pública deverão levar em consideração o perfil psicológico necessário para lidar com situações de estresse e uso da força e arma de fogo.

Segundo a nota técnica divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, “a morte de Genivaldo Jesus Santos chocou a sociedade brasileira pelo nível de sua brutalidade, expondo o despreparo da instituição em garantir que seus agentes obedeçam a procedimentos básicos de abordagem que orientam os trabalhos das forças de segurança no Brasil”.

Já a lei 13.060, que disciplina o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo pelos agentes de segurança pública em todo o país, determina, no artigo 3º, que “cursos de formação e capacitação dos agentes de segurança pública deverão incluir conteúdo programático que os habilite ao uso dos instrumentos não letais”.

A utilização de spray de pimenta e gás lacrimogênio como instrumento de menor potencial ofensivo é comum entre as polícias, mas deve ser feito obedecendo aos procedimentos, com distância mínima, por períodos curtos e jamais em ambientes fechados, sob o risco de ocasionar a morte.

Entenda o caso

Genivaldo morreu após ser preso no porta-malas de uma viatura durante uma abordagem de policiais rodoviários federais no município de Umbaúba, no sul do estado de Sergipe, a cerca de 100 km de Aracaju. O caso aconteceu na tarde desta quarta-feira (25).

Homem morre após ser ser colocado em porta-malas de viatura da PRF e aspirar fumaça em SE

Os agentes da Polícia Rodoviária Federal envolvidos na abordagem admitiram que fizeram uso de spray de pimenta e gás lacrimogêneo, de acordo com o boletim divulgado pela PRF nesta quinta-feira (26).

No boletim de ocorrência, os agentes também afirmam que Genivaldo faleceu “possivelmente devido a um mal súbito”. A Polícia Federal disse ao g1 que não vai revelar os nomes dos policiais.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Sergipe, Genivaldo morreu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Homem é morto por agentes da PRF em Umbaúba (SE) — Foto: Arte g1

Homem é morto por agentes da PRF em Umbaúba (SE) — Foto: Arte g1

Enterro

Sepultamento de Genivaldo de Jesus Santos que morreu após abordagem da PRF em Umbaúba — Foto: Reprodução/TV Sergipe

Sepultamento de Genivaldo de Jesus Santos que morreu após abordagem da PRF em Umbaúba — Foto: Reprodução/TV Sergipe

Com pedidos de “justiça” pela população, Genivaldo foi sepultado no final da manhã desta quinta-feira em um cemitério de Umbaúba. Segundo familiares, a vítima tinha esquizofrenia e tomava remédios controlados havia cerca de 20 anos.

Um sobrinho da vítima, Wallison de Jesus, viu a ação dos agentes. Segundo ele, o tio pilotava uma motocicleta quando foi abordado.

“Eu estava próximo e vi tudo. Informei aos agentes que o meu tio tinha transtorno mental. Eles pediram para que ele levantasse as mãos e encontraram no bolso dele cartelas de medicamentos. Meu tio ficou nervoso e perguntou o que tinha feito. Eu pedi que ele se acalmasse e que me ouvisse”, disse Wallyson.

Segundo Wallyson, mesmo diante da sua tentativa de diálogo, os policiais fizeram o uso de spray de pimenta e o colocaram dentro do porta-malas da viatura. “Eles jogaram um tipo de gás dentro da mala, foram para delegacia, mas meu tio estava desacordado. Diante disso, os policiais levaram ele para o hospital, mas já era tarde”.

A família diz que ele chegou sem vida ao hospital, que afirma ter tentado manobras para reanimá-lo.

“Eu vivo com ele há 17 anos, ele tem 20 anos que tem o problema dele. Nunca agrediu ninguém, nunca fez nada de errado. Sempre fazendo as coisas pelo certo. E num momento desses pegaram ele e fizeram o que fizeram”, disse a viúva da vítima, Maria Fabiana dos Santos.

Investigação

A PRF também afirma que abriu um procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos. A Polícia Federal vai investigar o caso.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe disse que está acompanhando os desdobramentos e que “tem respeito pelas instituições, mas não compactua com qualquer tipo de violência ou de tortura”.

A família registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil, que já ouviu testemunhas sobre o caso. Através de nota, a Polícia Federal informou que diligências acerca do caso já foram iniciadas, e a PF trabalha para esclarecer o ocorrido o mais breve possível.

“Diante dos delitos de desobediência e resistência, após ter sido empregado legitimidade o uso diferenciado da força, tem-se por ocorrida uma fatalidade, desvinculada da ação policial legítima”, disse a Polícia Rodoviária Federal por meio de boletim.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Jovem foge de motorista de aplicativo em SP após ficar tonta com ‘cheiro estranho’

Motorista questionou se a mulher, de Santos (SP), estava sentindo o cheiro. A empresa afirma que trata todas as denúncias com a máxima seriedade para tomar as medidas cabíveis.

Por Caroline Melo e Gyovanna Soares, g1 Santos

Uma jovem de 21 anos alega que um motorista de aplicativo em Santos, no litoral de São Paulo, tentou dopá-la durante uma corrida. A suposta vítima conta que, durante o trajeto, o condutor perguntou diversas vezes se ela sentia algum “cheiro estranho” e pouco tempo depois começou a se sentir tonta. Assustada, relata ter escapado do veículo antes de perder a consciência. Ela registrou um boletim de ocorrência eletrônico na última quarta-feira (24).

“Ele estava com as janelas fechadas e, depois de um tempo, me perguntou se eu estava sentindo algum cheiro diferente, algum cheiro estranho. Eu realmente não estava sentindo nada, mas ele continuou insistindo no cheiro e perguntou se eu tinha certeza se não sentia nada. Ele disse que tinha comprado ‘algo’ com um cara. Depois disso eu comecei a ficar tonta”, lembra.

O caso ocorreu no último dia 18, pouco tempo após a jovem ter entrado no veículo, por volta de 18h40. A assistente de importação, de 21 anos, que prefere não se identificar, contou ao g1 os momentos de desespero ao quase ser dopada enquanto se dirigia a um hospital da cidade.

“Eu peguei o Uber no Canal 2 e estava indo até a Santa Casa de Santos para encontrar a minha avó. Eu sempre verifico a placa do carro antes de entrar e ‘batia’ com o que estava no aplicativo, então não tive receio de entrar”. A jovem relata que não se lembra do rosto do motorista, então não tem como confirmar se é o mesmo da foto de identificação no aplicativo.

Segundo ela, assim que entrou no carro o motorista perguntou em qual entrada do hospital iria descer. Após responder foi que o homem começou a questionar sobre o tal “cheiro”. “Entrei em desespero. Abri a porta do carro, sai correndo e nem olhei pra trás”.

“Tive a sorte dele ter parado no sinal vermelho e abri a porta”, completou a assistente de expedição, que seguiu caminhando até o hospital, onde encontrou com a avó.

A mulher conta que devido a tensão não pensou em registrar um boletim de ocorrência, mas pediu a uma amiga para publicar em um grupo nas redes sociais para alertar possíveis vítimas. “Quis fazer [o post] como alerta. Sempre vi relatos, mas nunca pensamos que pode acontecer com a gente”.

Mulher alega quase ter sido dopada e publica caso nas redes sociais — Foto: Reprodução

Mulher alega quase ter sido dopada e publica caso nas redes sociais — Foto: Reprodução

Confira o posicionamento da Uber na íntegra:

“A Uber trata todas as denúncias com a máxima seriedade e avalia cada caso individualmente para tomar as medidas cabíveis. A empresa permanece com seu canal de ajuda sempre aberto para oferecer suporte e receber denúncias pelo aplicativo e informa que segue à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, na forma da lei.

De qualquer forma, a única denúncia dessa natureza relativa a viagens no aplicativo da Uber que já teve a investigação concluída pela Polícia, até onde temos conhecimento, ocorreu em Canoas (RS) e o caso foi encerrado após o inquérito policial, já que, de acordo com as autoridades, não houve elementos de prática de crime”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.