Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Bombeiros resgatam 11 turistas da mesma família que se afogavam ao mesmo tempo, em praia da PB

Segundo o Corpo de Bombeiros, família de turistas, composta por três adultos e oito crianças, é de Brasília. Eles caíram em uma vala enquanto passeavam na praia de Coqueirinho, no município de Conde.

Por g1 PB

O Corpo de Bombeiros resgatou 11 turistas de Brasília, da mesma família, que estavam se afogando na praia de Coqueirinho, em Conde, na grande João Pessoa. O fato aconteceu no final da tarde desta sexta-feira (21), quando três adultos e oito crianças caíram em uma vala.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, os turistas acessaram o banco de areia da praia pelas pedras. Na hora de retornar, ao invés de voltar pelas pedras, resolveram seguir por dentro da praia, quando caíram dentro de uma vala e começaram a se afogar.

No momento, os guarda-vidas presentes na praia de Coqueirinho já estavam indo ao encontro deles para alertar sobre a existência da vala. A equipe utilizou flutuadores e conseguiu resgatar todos a tempo. Nenhum deles precisou de atendimento médico.

Orientações do Corpo de Bombeiros

Nas redes sociais, o Corpo de Bombeiro divulgou cinco orientações para que turistas e moradores curtam a praia com mais segurança. Entre as indicações está respeitar as sinalizações e avisos. “Não entre na água com bandeira vermelha”, sugere a corporação.

Além disso, os banhistas devem:

  • Aproveitar a praia somente na presença de guarda vidas e nunca alcoolizado;
  • Costões e locais com pedras são impróprios, não entre na água, risco de morte;
  • Ajude um afogado ligando 193, e ao invés de entrar para salvar, jogue um material flutuante e aguarde o socorro profissional chegar.

Os bombeiros sugerem também que qualquer pessoa, ao entrar no mar, sempre fique de olho do nível na água — quando ela estiver no umbigo, por exemplo, é um sinal de perigo. “Caso seja pego por uma corrente fique calmo, não lute contra, flutue e acene por ajuda imediatamente”, informa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Grupo que ficou perdido 18h em mata é resgatado pelos Bombeiros em Pindamonhangaba

Segundo chamado recebido pela corporação, após uma cabeça d’água na tarde de sábado (22) na região de Piracuama, grupo ficou ilhado e se perdeu ao sair de trilha.

Por g1 Vale do Paraíba e Região

Grupo que ficou perdido em mata é resgatado pelos Bombeiros em Pindamonhangaba — Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

Grupo que ficou perdido em mata é resgatado pelos Bombeiros em Pindamonhangaba — Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

O Corpo de Bombeiros resgatou neste domingo (23) um grupo de sete pessoas que ficou cerca de 18h perdido na mata em Pindamonhangaba (SP).

De acordo com o chamado recebido pela corporação, houve uma cabeça d’água na região de Piracuama no fim da tarde de sábado (22) e o grupo teria ficado ilhado. Os integrantes se perderam após saírem de uma trilha que liga Campos do Jordão a Pindamonhangaba.

Segundo os bombeiros, todos os resgatados são homens com idades entre 17 e 54 anos. O mais velho deles teve uma contusão no ombro direito e recebeu atendimento. Os outros não se feriram.

O grupo relatou que teve dificuldade em prosseguir com a trilha após a cabeça d’água. Participaram do resgate equipes dos bombeiros de Pinda e de Campos do Jordão.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cearense se inspira em praia de nudismo e cria barbearia com funcionários e clientes nus

Clientes têm a opção de ficar sem roupa, já os funcionários sempre atendem nus.

Por Lena Sena, g1 CE

Rodney Araújo, 28 anos, criou uma barbearia em Fortaleza onde funcionários atendem os clientes nus. — Foto: Arquivo pessoal

Rodney Araújo, 28 anos, criou uma barbearia em Fortaleza onde funcionários atendem os clientes nus. — Foto: Arquivo pessoal

O desejo de poder conhecer uma praia de nudismo e a curiosidade sobre como seria oferecer serviços neste tipo de local foi o ponto de partida para que o cearense Rodney Araújo, 28 anos, criasse em Fortaleza uma barbearia definida por ele como “naturista”, que oferece serviços de beleza para homens com funcionários e clientes nus.

O empreendimento funciona a há 9 meses e possui duas filiais na capital cearense: uma no Bairro Parangaba e outra na Praia de Iracema. A barbearia conta com seis funcionários, que realizam cortes de cabelo, barba, depilação, banho de lua, limpeza de pela, massagem corporal, entre outros serviços.

A concretização do negócio veio durante a pandemia, com a diminuição de clientes no espaço de bronzeamento da mãe de Rodney, onde ele trabalhava atendendo o público masculino.

“Sempre que via algo sobre o assunto despertava a minha curiosidade. Um belo dia vi uma matéria em uma dessas praias e comecei a pensar como seria oferecer serviços nesses locais. Uma sementinha que ficou. Com a pandemia, os clientes foram se afastando. Conversando com um amigo barbeiro joguei a ideia dele cortar cabelo pelado, ele topou e comecei a divulgar o serviço”, relata Rodney.

Procura pelo serviço

O empresário usou as redes sociais para divulgar a barbearia onde as pessoas podiam ficar peladas e, segundo ele, o serviço logo recebeu muitos homens interessados em conhecer o local. Com a alta demanda, Rodney alugou um espaço, fez um curso de barbeiro e também passou a atender os clientes.

“Comecei a fazer vários agendamentos. Você não tem noção do tanto de tabu que a gente quebrou, gente que tinha vergonha do próprio corpo e quando chega aqui se sente à vontade. A gente desconstrói esse desbloqueio do corpo”, afirma.

No início, ele teve dificuldade de encontrar outros profissionais que aceitassem trabalhar sem roupa, pois muitos tinham vergonha. Para preservar a imagem dos funcionários que aceitaram, ele passou a adotar apelidos que são usados também no marketing da empresa, para atrair clientes.

“Não posso esconder o fato de que muita gente vem através de fetiche e no começo os profissionais não queriam ter a identidade revelada. Então eles começaram a usar apelidos como o ‘barbeiro urso’, ‘barbeiro hétero’, ‘ex-motorista de aplicativo’. Trago o povo pela curiosidade, mas sempre tento mostrar que é um trabalho normal, é um trabalho tranquilo”, disse.

Os clientes têm a opção de ficar sem roupa ou, se preferir, ficar de cueca, roupão ou toalha. Já os funcionários sempre atendem nus. Para garantir a experiência sem transtornos, Rodney adotou algumas “regras” no estabelecimento, que devem ser seguidas pelos clientes.

“A regra principal é não poder tocar no profissional. O fato de tirar a roupa não quer dizer que você pode fazer o que quiser. Ficar sem roupa dá a liberdade no meu corpo e não no da outra pessoa. Também tem a questão das fotos. Tem pessoas que vêm com malícia de querer filmar escondido, por isso a gente inibe o uso de celular, para ser usado só em casos extremos. Assim a gente preserva a imagem dos clientes”, explica o empresário.

Conforme Rodney, 60% dos clientes que vão ao local são turistas e o público é variado, desde o LGBTQIA+ a homens héteros, alguns deles até casados. Além dos cortes de cabelos e barbas, o serviço de depilação está entre os mais procurados.

Critica dos vizinhos e apoio da mãe

Rodney afirma que quando as pessoas do bairro onde ele morava souberam da barbearia passaram a criticá-lo, porém a mãe sempre o apoiou.

“Trabalhava com ações sociais e já dei aulas de dança na comunidade, por isso sou muito conhecido na região. Fiquei muito abalado com essas críticas, tive acompanhamento com o psicólogo, mas bati o pé e falei: ‘se eu fiz isso acontecer, eu vou continuar’. Minha mãe sempre me apoiou e mudei de bairro”.

Em expansão, a Barbearia Naturalista irá lançar na próxima semana o projeto da “Barbearia Locomotiva”, com uma equipe de profissionais para oferecer os serviços em cidades do interior e em outros estados do país.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Despedida a Elza Soares: parentes velam corpo no Theatro Municipal; cerimônia será aberta ao público às 10h

Uma das maiores cantoras do Brasil, Elza morreu em casa, de causas naturais, aos 91.

Por Matheus Rodrigues, g1 Rio

Corpo de Elza Soares chega ao Theatro Municipal

O corpo de Elza Soares, que morreu aos 91 anos nesta quinta-feira (20), chegou às 7h15 ao Theatro Municipal do Rio, no Centro, para o velório.

A cerimônia começou às 8h, fechada para familiares e amigos, e abriria para o público às 10h.

Pouco antes das 8h, Dilma Virna, filha e neta de Elza, chegaram ao Theatro para se despedir. Elas não quiseram dar entrevistas.

Coroas de flores eram entregues a todo momento. Uma delas foi enviada pelo prefeito Eduardo Paes (PSD).

Corpo de Elza Soares é levado para o foyer do Theatro Municipal — Foto: Reprodução/TV Globo

Corpo de Elza Soares é levado para o foyer do Theatro Municipal — Foto: Reprodução/TV Globo

Cortejo cruzará o Rio

A cerimônia no Municipal estava prevista para terminar às 14h, quando um carro do Corpo de Bombeiros fará o traslado em carro aberto da Cinelândia até o Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste.

O cortejo passará pela Avenida Atlântica, em Copacabana, onde Elza morou por muitos anos.

No Jardim da Saudade, mais um velório será realizado na Capela VIP, às 15h, restrito a familiares e amigos.

O sepultamento está previsto para as 16h, no setor do Cristo Redentor.

Morte por causas naturais

Elza Soares: um ícone da música brasileira

A informação da morte foi dada pela assessoria de imprensa da cantora: “É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais”, disse o comunicado.

O empresário Pedro Loureiro conta que Elza Soares falou a familiares em seus últimos momentos que pressentiu a morte.

Do sambalanço à eletrônica

Elza Gomes da Conceição é considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, com carreira no samba que começou no final dos anos 1950. O início veio como parte da cena do sambalanço com “Se Acaso Você Chegasse”, em 1959.

Elza Soares canta no palco do Fantástico

Nos 34 discos lançados, ela se aproximou do samba, do jazz, da música eletrônica, do hip hop, do funk e dizia que a mistura era proposital. O último disco lançado foi “Planeta Fome”, em 2019.

A expressão era uma alusão ao episódio em que foi constrangida por Ary Barroso no programa de calouros de que participou nos anos 50. “De que planeta você vem, menina?”, ele disse. E ela respondeu: “Do mesmo planeta que você, seu Ary. Eu venho do Planeta Fome.”

“Eu sempre quis fazer coisa diferente, não suporto rótulo, não sou refrigerante”, comparava Elza. “Eu acompanho o tempo, eu não estou quadrada, não tem essa de ficar paradinha aqui não. O negócio é caminhar. Eu caminho sempre junto com o tempo.”

Desde que lançou o álbum “A mulher do fim do mundo”, em 2015, a cantora viveu mais uma fase de renascimento artístico. “Me deixem cantar até o fim”, pediu Elza em verso da música que batiza o álbum.

Começo no samba

Mais voltada para o samba, a primeira fase da cantora tem discos gravados nos anos 60 com o cantor Miltinho (1928–2014) e o baterista Wilson das Neves (1936–2017).

Fazem parte desta era lançamentos como “O samba é Elza Soares” (1961), “Sambossa” (1963), “Na roda do samba” (1964) e “Um show de Elza” (1965).

Outras fases vieram. Nos anos 70, escolheu cantar o samba de ritmo mais tradicional. A fase rendeu sucessos como “Salve a Mocidade” (Luiz Reis, 1974), “Bom dia, Portela” (David Correa e Bebeto Di São João, 1974), “Pranto livre” (Dida e Everaldo da Viola, 1974) e “Malandro” (Jorge Aragão e Jotabê, 1976).

A cantora amargou período de ostracismo na década de 1980. Pensou até em desistir da carreira, mas resolveu procurar Caetano Veloso, em hotel de São Paulo, para pedir ajuda.

Globo de Ouro: Elza Soares (1980)

O auxílio veio na forma de convite para participar da gravação do samba-rap “Língua”, faixa do álbum do cantor, “Velô” (1984).

Essa participação mostrou a bossa negra de Elza Soares a uma nova geração e abriu caminho para que a cantora lançasse, em 1985, um álbum menos voltado para o samba. “Somos todos iguais” tinha música de Cazuza (1958–1990).

Em 2002, com direção artística de José Miguel Wisnik, fez um dos álbuns mais modernos da discografia, “Do cóccix até o pescoço”. No ano seguinte, foi a vez de “Vivo feliz”, mais voltado para a eletrônica.

Elza seguia fazendo shows até antes da pandemia da Covid-19 e cantou em lives. Ela estava produzindo um novo álbum de estúdio que pode ter lançamento póstumo.

Nesta semana, ela também se apresentou em shows no Theatro Municipal de São Paulo que foram gravados para o lançamento de um DVD.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

INEP confirma Enem 2022 nos dias 13 e 20 de novembro

Portaria foi publicada no ‘Diário Oficial da União’ desta sexta-feira (21). Ministro da Educação, Milton Ribeiro, já havia divulgado as datas da prova nas redes sociais.

Por G1

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2022 serão realizadas nos dias 13 e 20 de novembro, conforme portaria publicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) no “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (21).

As datas já haviam sido divulgadas pelo ministro da educação, Milton Ribeiro, na noite de quinta-feira (20), pelas redes sociais.

A mesma portaria também divulgou que o Enade 2022 será realizado no dia 27 de novembro de 2022.

Enem 2021 registrou 3.109.762 pessoas com a inscrição confirmada, menor número desde 2005. A queda foi impulsionada pelo índice de abstenção do exame em 2020, que atingiu 55,3% do total de candidatos confirmados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Contribuição ao INSS muda em fevereiro: saiba quanto você vai pagar

Faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos foram atualizadas para 2022; novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro.

Por Marta Cavallini, G1

O valor das contribuições dos trabalhadores ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai mudar a partir de fevereiro. Com o reajuste do teto dos benefícios, de R$ 6.433,57 para R$ 7.087,22, foram atualizadas também as faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos.

Com o reajuste de 10,16% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), quem ganha menos vai contribuir menos para o INSS, e quem ganha mais, vai contribuir mais.

Esses novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro, pois são relativos aos salários de janeiro. Os recolhimentos relativos aos salários de dezembro de 2021 e efetuados em janeiro deste ano ainda seguem a tabela anterior.

Quanto você vai pagar

Com a reforma da Previdência de 2019, as alíquotas de contribuição passaram a ser progressivas, ou seja, cobradas apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa. Assim, se o trabalhador ganha mais de um salário mínimo, ele paga 7,5% de alíquota de contribuição sobre R$ 1.212 e outros percentuais no que exceder esse valor, de acordo com a tabela abaixo:

Novos valores de contribuição ao INSS — Foto: Juan Silva/G1

Novos valores de contribuição ao INSS — Foto: Juan Silva/G1

Por exemplo: um trabalhador que ganha R$ 1.500 pagará 7,5% sobre R$ 1.212 (R$ 90,90), mais 9% sobre os R$ 288 que excedem esse valor (R$ 25,90), totalizando R$ 116,82 de contribuição.

Já quem ganha R$ 4.500 terá a seguinte contribuição, seguindo as faixas de valores da tabela acima:

  • Paga 7,5% sobre R$ 1.212: R$ 90,90 de contribuição
  • Mais 9% sobre R$ 1.215,35, que é a diferença de R$ 2.427,35 de R$ 1.212: R$ 109,38
  • Mais 12% sobre R$ 1.213,68, que é a diferença de R$ 3.641,03 de R$ 2.427,35: R$ 145,64
  • Mais 14% sobre R$ 858,97, que é a diferença de R$ 4.500,00 de R$ 3.641,03: R$ 120,26
  • Total de contribuição: R$ 466,18

Simulações de contribuições

A pedido dog1, Emerson Lemes, diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), calculou como fica a contribuição para pessoas com diversos salários. Quem ganha até 1 salário mínimo pagará R$ 1,68 a menos por mês em relação ao ano passado.

Já todos que recebem acima de R$ 7.087,22 pagarão a contribuição máxima de R$ 828,39 – R$ 76,40 a mais em relação ao ano passado (R$ 751,99). Isso ocorre porque a contribuição é limitada ao teto da Previdência Social.

Veja na tabela abaixo:

Valores de contribuição ao INSS — Foto: Economia g1

Valores de contribuição ao INSS — Foto: Economia g1

Benefícios do INSS têm reajuste de 10,16% e teto sobe para R$ 7.087

Mudança com reajuste de salários

De acordo com os cálculos de Lemes, somente os salários a partir de R$ 6.541,55 terão aumento no valor da contribuição em relação a 2021.

Isso ocorre, segundo ele, porque, com a tabela progressiva, momentaneamente os trabalhadores que não tiveram reajuste de salário terão a redução de contribuição. A exceção fica por conta dos trabalhadores que, em janeiro de 2022, tiverem reajustes de salários.

“A tabela foi reajustada, mas os salários das pessoas ainda não foi, então elas pagarão menos até que seus empregadores lhes deem reajuste”, explica.

Se houver reajustes dos salários durante o ano, haverá mudança nas contribuições por conta do reenquadramento nas faixas de contribuição.

“Se o trabalhador recebe R$ 2 mil e, em abril, tiver seu salário reajustado para R$ 2.200, até março ele vai pagar R$ 161,82, e a partir de abril pagará R$ 179,82”, exemplifica.

“Em resumo, quem ainda não teve reajuste de salário e recebe entre o mínimo e o teto terá redução de contribuição. No caso de salário de R$ 1,3 mil, por exemplo, vai pagar R$ 1,68 a menos do que pagava no ano passado até ter o reajuste. No caso de salário de R$ 6 mil, vai pagar R$ 15,11 a menos”, explica.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Após nova ameaça de morte a vereadora, Câmara de Porto Alegre deve intensificar medidas de segurança

Daiana Santos (PCdoB) já havia denunciado mensagens intimidadoras em dezembro do ano passado, ao lado de Laura Sito (PT), Matheus Gomes (PSOL) e Karen Santos (PSOL), todos da bancada negra.

Por Gustavo Foster, g1 RS

A vereadora de Porto Alegre Daiana Santos (PCdoB) voltou a receber ameaça de morte por e-mail nesta segunda-feira (17). Em vídeo publicado nesta quinta (20) em suas redes sociais, a parlamentar afirmou que a mensagem tem conteúdo racista e lesbofóbico, com tom mais agressivo do que os ataques anteriores.

“Tem sido mais constante e com conteúdo cada vez mais intimidador. O tom é mais violento do que nas outras vezes. Por que o ódio a esses cinco corpos negros que ocupam um lugar na Câmara (se refere aos membros da bancada negra)? São negros, mulheres e membros da comunidade LGBTQIAP+, isso tem que ficar muito objetivo. Nós somos minorias e estamos representados aqui de forma legítima”, afirma a vereadora.

A presidência da Câmara Municipal afirma trabalhar em medidas para garantir a segurança dos parlamentares (veja abaixo).

A vereadora relata ainda que precisou mudar sua rotina por conta dos ataques, que já foram denunciados à Polícia Civil.

“Não estou mais dormindo na minha casa, tive que alterar minha rotina, mudar uma série de coisas no meu dia-a-dia, até por segurança da minha família. Tenho certeza que esses ataques se devem à minha atuação”, diz.

Vereadora relata ameaças nas redes sociais — Foto: Reprodução/Twitter

Vereadora relata ameaças nas redes sociais — Foto: Reprodução/Twitter

Ataques são investigados pela polícia

Desde o início dessa legislatura, em que a Câmara de Vereadores de Porto Alegre viu crescer de cinco para 11 o número de mulheres e de um para cinco o número de vereadores negros, os ataques a esses grupos se intensificaram: em dezembro, quatro vereadores da bancada negra – inclusive Daiana – registraram boletim de ocorrência após ameaças de morte. O vereador Matheus Gomes (PSOL), também da bancada negra, afirma ter recebido pelo menos sete ataques desde o início do mandato.

No domingo (16), o Fantástico mostrou que grupos neonazistas cresceram 270% no Brasil em 3 anos, com forte presença no RS. Estudiosos temem que presença online transborde para ataques físicos. Um estudo mostra que existem pelo menos 530 núcleos extremistas, um universo que pode chegar a 10 mil pessoas, que costumam disseminar ódio a mulheres, negros, judeus, membros da comunidade LGBTQIAP+, nordestinos e imigrantes.

O conteúdo do e-mail recebido pela vereadora já está sob posse da delegada Andrea Mattos, da Delegacia de Combate à Intolerância. De acordo com a vereadora, o e-mail é assinado por um codinome usado regularmente por grupos da internet que cometem ataques a minorias. Segundo a delegada, o caso já está sendo investigado, com o objetivo de identificar o responsável pelos ataques.

“Não estamos medindo esforços, e diversas medidas já foram tomadas. Algumas dependem de cooperação internacional”, diz Andrea Mattos.

Câmara de Vereadores promete mudanças

Ainda que a Câmara de Vereadores esteja de recesso até 1º de fevereiro, o novo presidente da Casa, Idenir Cecchim (MDB) garantiu que já deu início a um processo de mobilização que deve gerar mudanças nos processos de segurança da Câmara. Além disso, Cecchim afirma que marcou uma reunião com Nadine Anflor, chefe da Polícia Civil do RS, para discutir o combate aos ataques.

“A Câmara demonstra total apoio institucional aos vereadores e contra os ataques e vai trabalhar para denunciá-los. Precisamos levar a sério todas as ameaças. Marquei uma reunião com a Polícia Civil para discutir esse assunto na semana que vem”, garante Cecchim, que tomou posse no início do ano.

O vereador afirma que haverá maior controle na identificação das pessoas que entram no plenário, diz que já solicitou a instalação de uma proteção de vidro entre os parlamentares e a galeria, onde ficam os vereadores, e deslocou um agente de segurança, que ficava no corredor do gabinete da presidência, para o corredor onde ficam os gabinetes da bancada negra.

Para a vereadora, o apoio institucional é um ponto de partida importante para o combate estrutural aos ataques:

“Não nos sentimos seguros para transitar no espaço interno da Câmara de Vereadores, imagina em ações na rua. Isso é também uma responsabilidade da Casa, pois são ataques a parlamentares. O prefeito Sebastião Melo, por exemplo, não se mobilizou nem se manifestou sobre nenhuma das nossas denúncias, e acho que isso tem uma representatividade grande”, diz Daiana.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Vídeo de ‘delivery com égua’ que viralizou em SC foi feito para criticar alta no preço de combustíveis

Imagens foram feitas na noite de 12 de janeiro em Xaxim, no Oeste catarinense, e chegou a mais de 421 mil visualizações em uma das postagens.

Por Caroline Borges, g1 SC

O vídeo que mostra Bernardo Malaquias Betinelle, de 19 anos, cavalgando em uma égua com uma caixa de entrega nas costas em Xaxim, no Oeste catarinense, viralizou nas redes sociais. A imagem dá ideia de que o jovem é um entregador de comida, mas a gravação foi feita uma única vez, segundo ele, propositalmente para chamar a atenção sobre a alta no preço dos combustíveis.

Até a tarde desta quinta-feira (20), a publicação tinha alcançado mais de 421 mil visualizações.

“Foi um jeito de tentar chamar a atenção [sobre o preço dos combustíveis], mas eu não imaginava que iria ser desse jeito. Não imaginava”, disse.

Jovem de 19 anos mora em Xaxim, no Oeste catarinense — Foto: Arquivo Pessoal

Jovem de 19 anos mora em Xaxim, no Oeste catarinense — Foto: Arquivo Pessoal

As imagens foram feitas na noite de 12 de janeiro, após o jovem deixar o Centro de Tradições Gaúchas (CTG) da cidade, ir até a lanchonete do tio, que fica na área central, e encontrar alguns amigos. Ele conta que não fez nenhuma entrega e usou os equipamentos de um funcionário do estabelecimento.

A ideia inicial era postar as imagens em uma rede social e compartilhar com alguns amigos e familiares. No entanto, depois de ser postado, o vídeo foi compartilhado diversas vezes e Bernardo e a égua, chamada de Belinha, viraram atração na região.

Jovem que viralizou nas redes sociais após publicação de vídeo em que simula entrega  — Foto: Arquivo Pessoal

Jovem que viralizou nas redes sociais após publicação de vídeo em que simula entrega — Foto: Arquivo Pessoal

Animal de 4 anos apareceu em vídeo que viralizou nas redes sociais — Foto: Arquivo Pessoal

Animal de 4 anos apareceu em vídeo que viralizou nas redes sociais — Foto: Arquivo Pessoal

O jovem, que mora no interior da cidade e trabalha com a comercialização de MDF já fez entregas, mas usava uma motocicleta. Segundo ele, o animal tem quatro anos e está sempre junto dele.

Bife a cavalo

Após a repercussão, Bernardo virou ‘garoto propaganda’ da lanchonete do tio. Em uma publicação nas redes sociais, o jovem anunciou que o ganhador de um sorteio promovido pelo estabelecimento com resultado em 14 de fevereiro vai receber a entrega feita com a égua.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Elza Soares morreu no mesmo dia de Garrincha, quase 40 anos depois

‘Eu sonho muito com o Mané. O maior amor da minha vida foi ele’, disse Elza em entrevista a Bial há 4 anos. Bicampeão do mundo pela seleção também faleceu no dia 20 de janeiro, mas em 1983.

Por g1 Rio

morte da cantora Elza Soares nesta quinta-feira (20), aos 91 anos, acontece no mesmo dia da de Garrincha, com quem teve um relacionamento por 17 anos. O craque do Botafogo e bicampeão mundial pela seleção brasileira também morreu no dia 20 de janeiro, mas quase 40 anos antes: em 1983.

Elza se declarou ao jogador em entrevista de 2018 no programa Conversa Com Bial 

“Eu sonho muito com o Mané. O maior amor da minha vida foi ele.”

O relacionamento com o craque, que era casado, foi julgado pela sociedade. A cantora foi apontada como a responsável pela separação do jogador.

Também no programa, ela disse que Garrincha prometeu a ela o título da Copa de 1962. Na época, Pelé era o craque do time, mas acabou se contundindo — e quem brilhou foi o “marido de Elza”, como ela mesma se referiu.

“Ele me prometeu e disse: ‘Olha criola, essa Copa eu vou dar pra você, vou fazer gol pra você (…) Eu nunca gostei de ser mulher de fulano. Eu sou eu. Não era preciso ser mulher do Garrincha pra ser a Elza Soares. O Garrincha era marido da Elza Soares.”

Elza e Garrincha tiveram um filho em 9 de julho de 1976: Manoel Francisco dos Santos Júnior, o Garrinchinha. Aos 9 anos, a criança morreu em um acidente de carro.

A informação da morte da cantora no Rio de Janeiro foi confirmada pela assessoria de imprensa de Elza.

“É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais”, diz o comunicado enviado pela assessoria da cantora.

A carreira

Elza Gomes da Conceição é considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, com carreira no samba que começou no final dos anos 50. O início veio como parte da cena do sambalanço com “Se Acaso Você Chegasse”, em 1959.

Nos 34 discos lançados, ela se aproximou do samba, do jazz, da música eletrônica, do hip hop, do funk e diz que a mistura é proposital. O último disco lançado foi “Planeta Fome” em 2019.

“Eu sempre quis fazer coisa diferente, não suporto rótulo, não sou refrigerante”, comparava Elza. “Eu acompanho o tempo, eu não estou quadrada, não tem essa de ficar paradinha aqui não. O negócio é caminhar. Eu caminho sempre junto com o tempo.”

Desde que lançou o álbum “A mulher do fim do mundo” em 2015, a cantora viveu mais uma fase de renascimento artístico que. “Me deixem cantar até o fim”, pediu Elza em verso da música que batiza o álbum.

Sucessos

Pautada sobretudo pelo suingue da cadência do samba, a primeira fase áurea da cantora abarca discos gravados por Elza nos anos 60 com o cantor Miltinho (1928 – 2014) e com o baterista Wilson das Neves (1936 – 2017).

Fazem parte desta era lançamentos como “O samba é Elza Soares” (1961), “Sambossa” (1963), “Na roda do samba” (1964) e “Um show de Elza” (1965).

Outras fases vieram. Nos anos 70, escolheu cantar o samba de ritmo mais tradicional. A fase rendeu sucessos como “Salve a Mocidade” (Luiz Reis, 1974), “Bom dia, Portela” (David Correa e Bebeto Di São João, 1974), “Pranto livre” (Dida e Everaldo da Viola, 1974) e “Malandro” (Jorge Aragão e Jotabê, 1976).

A artista amargou período de ostracismo na década de 1980 e, quando pensou em desistir de cantar, bateu literalmente na porta de Caetano Veloso, em hotel de São Paulo, para pedir ajuda.

O auxílio veio na forma de convite para Elza participar da gravação do samba-rap Língua (Caetano Veloso, 1984), faixa de álbum pop do cantor, “Velô” (1984).

Essa participação mostrou a bossa negra de Elza Soares a uma nova geração e abriu caminho para que a cantora gravasse e lançasse, em 1985, um álbum menos voltado para o samba, “Somos todos iguais”, com música de Cazuza (1958 – 1990).

Em 2002, sob a direção artística de José Miguel Wisnik, apresentou um dos álbuns mais modernos dela, “Do cóccix até o pescoço”. No ano seguinte, foi a vez de “Vivo feliz”, mais voltado para a eletrônica.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ômicron responde por quase todos os resultados positivos de Covid no Brasil

Pesquisadores analisaram 208 mil amostras. Em 13 estados, a ômicron já é responsável por 100% dos casos de Covid. Nos outros 13 e no Distrito Federal, aparece em cerca de 90%.

Por Jornal Nacional

Cinquenta e um dias depois da confirmação dos primeiros casos, a ômicron já responde por quase todos os resultados positivos de Covid no Brasil.

Das variantes do coronavírus, a ômicron foi a que se espalhou mais rápido pelo Brasil. É o que mostra um estudo da Rede Corona-ômica, ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Os pesquisadores analisaram 208 mil amostras. Em 13 estados, a ômicron já é responsável por 100% dos casos de Covid. Nos outros 13 e no Distrito Federal, aparece em cerca de 90%.

O virologista Renato Santana, que participou da pesquisa, compara a velocidade de transmissão da ômicron com a da variante anterior, a delta.

“A variante delta, que circulava no nosso país em cerca de 100% dos casos, demorou cerca de 20 a 25 semanas, ou seja, cerca de quase 4 a 5 meses para atingir 100% das infecções. A ômicron, em apenas seis semanas, ou seja, um mês, um mês e meio desde a sua introdução, já atingiu 100%”, explica o virologista da UFMG Renato Santana.

Uma rede particular de laboratórios, que contribuiu com amostras e análises na pesquisa, disse que com a ômicron a quantidade de testes de Covid que dão positivo disparou.

“Na verdade, nunca foi visto em nenhuma outra epidemia ou pandemia do mundo. A gente saiu de dezembro com 8% de positividade, para a primeira semana de janeiro com quase 40% de positividade. Hoje, a gente está em 50% de positividade”, afirma Alessandro Ferreira, vice-presidente do Grupo Pardini.

O avanço da ômicron não aparece só nos dados reunidos pelos pesquisadores. Pode ser medido também pela população, que tem visto os casos aparecerem na família, na vizinhança e a grande procura por testes de Covid. Embora a maioria dos casos seja leve, graças principalmente à vacinação, os especialistas lembram que a ômicron não é inofensiva.

“Mesmo tendo uma proporção menor de casos graves, esse número absoluto de casos graves ainda é um número muito preocupante. Ele vai gerar um estresse sobre o sistema de saúde, dos hospitais, prontos-socorros, e pode ser que a gente tenha problemas em atender todas as pessoas que de fato necessitem ser atendidas pelo sistema de saúde, porque tem um caso que não é tão leve assim afinal”, explica o professor da Unesp Roberto Kraenkel.

Claudio Maierovitch, sanitarista da Fiocruz, reforça que medidas de proteção individual recomendadas durante toda a pandemia – como máscara, evitar aglomerações e esquema vacinal completo – continuam valendo.

“Ainda tem uma proporção muito grande de pessoas que não receberam a dose de reforço, e já está demonstrado em vários estudos que a dose de reforço é mais importante ainda para ômicron, para evitar que as pessoas sejam internadas ou até mesmo que venham a ter doença grave e morrer”, afirma o sanitarista Claudio Maierovitch.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.