Bovespa fecha em alta e renova patamar recorde

Por G1

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, fechou em alta nesta quarta-feira (10), renovando pontuação recorde de fechamento, com as atenções voltadas para o plenário da Câmara dos Deputados e a possibilidade de votação do texto principal da reforma da Previdência ainda nesta sessão.

O Ibovespa subiu 1,23%, aos 105.817 pontos. Na máxima do dia, chegou a 106.650 pontos – novo recorde histórico intradia. Veja mais cotações.

O dólar fechou em queda, no patamar de R$ 3,75, também à espera da aprovação da reforma da Previdência. Os índices de ações nos EUA bateram recordes, também repercutindo as expectativas por cortes de juros pelo Fed.

A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência foi agendada para esta manhã, após a Câmara concluir na madrugada desta quarta-feira a fase de discussão em plenário da reforma.

“O mercado segue confiante na aprovação da reforma da Previdência ainda nesta primeira metade de julho”, afirmou a equipe da corretora Planner, em relatório a clientes.

Investidores também repercutem declarações do Federal Reserve (BC dos EUA), Jerome Powell, em comitê na Câmara dos Deputados nos EUA, além da divulgação da ata da última decisão de política monetária do banco central norte-americano.

Powell afirmou em discurso preparado a deputados que o Federal Reserve continua pronto para “agir conforme apropriado” para sustentar a expansão econômica.

O pregão brasileiro ainda é marcado por ajuste aos movimentos das ações brasileiras listadas em Nova York, os ADRs, que foram negociados na véspera, quando não houve operações na B3 em razão de feriado no Estado de São Paulo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Prefeito e primeira-dama de Osasco têm alta 12 dias após explosão de fogueira

Por G1 SP

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, e mulher dele, a primeira-dama Aline Lins, recebem alta médica na manhã desta quarta-feira (10), informou a assessoria de imprensa da Prefeitura da cidade da Grande São Paulo.

O casal estava internado desde 28 de junho no Hospital Municipal Antônio Giglio. Naquela noite, Lins e a mulher se queimaram após uma explosão no momento em que ele acendia uma fogueira no Arraiá do Servidor (assista abaixo).

Segundo a Prefeitura, “o tratamento se dará em casa e ambos seguirão todas as recomendações médicas, retomando seus compromissos aos poucos”.

No domingo (7), o prefeito disse ao Fantástico que sentiu “um calor insuportável” no momento do acidente “É uma fração de segundos. Queimou tudo. Apesar da forte explosão, em uma fração de segundos, foram queimaduras de primeiro e segundo grau”, disse Lins.

Laudo

O Instituto de Criminalística (IC) já entregou à Polícia Civil o laudo sobre a explosão da fogueira. O documento aponta que as chamas começaram na parte debaixo da fogueira, logo depois que o prefeito de Osasco se aproximou com uma tocha acesa.

Em seguida acontece a explosão. Um fenômeno que os peritos chamam de “flash fire”, ou seja, uma chama súbita e intensa, de alta temperatura e curta duração.

Peritos concluíram que a explosão tem a ver com o jeito como a fogueira foi construída. Diversos troncos de madeira empilhados, formando uma grande pirâmide. Tudo coberto com tecido sintético. Foram colocados três litros de gasolina para que o fogo pudesse se espalhar mais rápido.

O combustível evaporou e, como a fogueira estava toda coberta com tecido, o vapor ficou confinado lá dentro, criando uma atmosfera explosiva. Os peritos dizem ainda que a fogueira foi construída por experiência, sem análise formal ou projeto prévio.

Os peritos do IC analisaram ainda a documentação do evento e descobriram que em nenhum dos dois alvarás emitidos pelos bombeiros para a realização da festa há menção específica à permissão ou proibição para fogueiras; havendo expressamente referência à proibição de eventos pirotécnicos.

Os restos de madeira e tecido forneceram as primeiras pistas. Mas foi depois de analisar, quadro a quadro, o vídeo do acidente que os peritos conseguiram entender a origem da explosão.

Uma imagem anexada ao laudo indica que as chamas começaram na parte debaixo da fogueira, logo depois que o prefeito de Osasco se aproximou com uma tocha na mão.

Prefeito de Osasco, Rogério Lins, mostra ferimentos causados por explosão de fogueira — Foto: Reprodução/TV Globo

Prefeito de Osasco, Rogério Lins, mostra ferimentos causados por explosão de fogueira — Foto: Reprodução/TV Globo

Divergências

Segundo a Prefeitura, por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa contratada para o evento, Arena VIP, sabia da montagem da fogueira, “tanto que a mesma foi feita durante o dia, no espaço da Arena, que cercou com gradil toda a área da fogueira”, diz a nota.

Já de acordo com o responsável técnico da Arena VIP, Cláudio Neemias Rebello Silva, a Prefeitura, em momento algum, informou que teria fogueira na festa.

A festa junina não tinha autorização do Corpo de Bombeiros para fazer a fogueira. Segundo Marcos Palumbo, porta-voz da corporação, como os organizadores do evento, ao apresentarem o projeto inicial, não informaram que seria feita uma fogueira, a corporação cassou no dia seguinte ao acidente o AVCB que havia autorizado a realização da festa na cidade.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Casal e criança são encontrados mortos dentro de casa com churrasqueira acesa em Guarulhos

Por Zelda Melo, Bom Dia SP — São Paulo

Um casal e uma criança de 2 anos foram encontrados mortos em casa em Guarulhos, na Grande São Paulo. Os pais acenderam uma churrasqueira dentro do quarto para espantar o frio, e a polícia acredita que eles morreram asfixiados após inalarem a fumaça.

A polícia foi acionada por vizinhos. Ao entrarem no imóvel na Rua Piauí, em Bonsucesso, os policiais não encontraram sinais de violência, mas viram uma churrasqueira acesa. O homem estava deitado na cama com a criança, e a mulher estava deitada no chão, ao lado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas as vítimas já estavam mortas.

O homem foi identificado como Uildes Lima Moreira, de 27 anos. A criança é Brenno Pinheiro Moreira. Já o corpo da mulher está sem identificação, e as digitais foram recolhidas. Em um caderno escolar da criança encontrado na casa, o nome da mãe consta como Gilmara Pinheiro de Jesus.

A perícia irá determinar a causa das mortes.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Morre o jornalista Paulo Henrique Amorim

Por G1 Rio

Morreu na madrugada desta quarta-feira (10) o jornalista Paulo Henrique Amorim, aos 76 anos. Ele trabalhou em diversas redações, inclusive na Globo.

Seu último emprego foi na TV Record, mas estava fora do ar desde o mês passado, quando foi afastado do programa Domingo Espetacular. O jornalista morreu de enfarte na capital fluminense.

Jornalista Paulo Henrique Amorim  — Foto: Divulgação / TV Record

Jornalista Paulo Henrique Amorim — Foto: Divulgação / TV Record

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bandidos libertam reféns de restaurante após balear dois policiais com tiros de fuzil no interior de SP

Por G1 Sorocaba e Jundiaí

09/07/2019 13h13  Atualizado há 14 horas


Grupo se entregou à polícia em Piedade — Foto: Reprodução/TV TEM

Grupo se entregou à polícia em Piedade — Foto: Reprodução/TV TEM

Criminosos que fizeram reféns em um restaurante que fica às margens da rodovia SP-79, em Piedade (SP), libertaram as 11 vítimas na tarde desta terça-feira (9) após quase três horas de negociação com a polícia.

O grupo de seis homens rendeu as pessoas após balearem dois policiais rodoviários durante uma tentativa de assalto a um caminhão na rodovia Régis Bittencourt, em Miracatu.

Equipes do Comando de Operações Especiais (COE) e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foram até o local. O trecho entre os quilômetros 136 e 138 ficou interditado durante as negociações.

Fuga para restaurante após tentativa de assalto

De acordo com a Polícia Militar, antes de fazerem reféns no restaurante, os criminosos tentaram roubar um caminhão na manhã de terça-feira (9), na Rodovia Régis Bittencourt, em Miracatu, interior de São Paulo. Dois policiais rodoviários federais foram atingidos por tiros de fuzil após tentarem evitar o roubo.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, os policiais estavam em operação no km 354 da rodovia quando perceberam que um caminhoneiro estava sofrendo uma tentativa de assalto.

Imediatamente, os policiais fizeram a abordagem, mas foram surpreendidos pelos suspeitos que portavam fuzis.

A quadrilha disparou contra os policiais e dois ficaram feridos. Um agente foi alvejado na perna e outro foi atingido de raspão.

Grupo fez reféns em restaurante em Piedade — Foto: Arquivo pessoal

Grupo fez reféns em restaurante em Piedade — Foto: Arquivo pessoal

Segundo informações preliminares, os criminosos fazem parte de uma quadrilha de roubo de cargas. Os carros que eles usavam têm placas de Guarulhos, Barueri e Santa Bárbara D’oeste.

Ainda de acordo com a polícia, na sequência eles entraram no posto, em Piedade, e renderam pessoas que estavam dentro do restaurante. Policiais cercaram o local com ajuda do helicóptero Águia da PM.

Objetos foram apreendidos pela polícia em Piedade — Foto: Thiago Ariosi/TV TEM

Objetos foram apreendidos pela polícia em Piedade — Foto: Thiago Ariosi/TV TEM

Com o grupo foram recolhidos seis coletes, três fuzis, duas pistolas, onze carregadores e grande quantidade de munição. Já os celulares e os documentos dos ladrões foram encontrados queimados.

“Tudo leva a crer que era uma quadrilha que agia em roubo de carga e aqui tivemos as condições de prendê-los depois de uma longa negociação”, explica o tenente coronel da PM Vanclei.

Ações criminosas no interior de SP — Foto: Diana Yukari/Arte G1

Ações criminosas no interior de SP — Foto: Diana Yukari/Arte G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Maioria das contribuições em consulta pública pede proibição do glifosato no Brasil

Por G1

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta terça-feira (9) os resultados de uma consulta pública sobre o uso do agrotóxico glifosato, o pesticida mais usado no país: a maioria das pessoas ou instituições que participaram pedem a proibição do produto no país. No entanto, segundo a Anvisa, por experiência de consultas anteriores, muitas respostas são consideradas sem valor técnico.

A pesquisa recolheu sugestões para alteração do registro e fez a pergunta: “Você é a favor da manutenção do uso de glifosato no Brasil com o estabelecimento de restrições?”. A opção mais votada (50,02%) optou pela resposta “Não, o glifosato deve ser proibido no Brasil, porque causa danos à saúde das pessoas”.

Procurada pelo G1, a Anvisa afirma que esse campo de pergunta permitia múltiplas escolhas, sendo que “o percentual de discordância com a propostas não representa um posicionamento absoluto”.

A agência disse também que as perguntas deste campo trouxeram assuntos que não são de regulação da Anvisa, como a questão ambiental.

Na segunda posição, ficou a resposta “Não, o glifosato deve ser proibido no Brasil, porque causa danos aos animais silvestres” (36,07%).

Completam a lista de mais escolhidas: “Não, o glifosato deve ser proibido no Brasil, porque causa danos às florestas e matas” (35,01%); e “Não, o glifosato deve ser proibido no Brasil, porque estimula o uso de plantas geneticamente modificadas na agricultura e sou contrário ao uso de transgênicos” (31,40%).

A resposta “Sim” ficou na penúltima colocação (8ª), com 18,39% das respostas.

“A função deste campo do formulário foi de identificar se a contribuição que a pessoa gostaria de fazer estava ou não relacionado ao objeto de regulação da Anvisa”, disse a agência.

Em outra pergunta: “De modo geral, qual sua opinião sobre o texto em discussão?”. O resultado foi:

  • Concordo: 26,47% (1218 pessoas)
  • Concordo Parcialmente: 21,01% (967)
  • Discordo Integralmente: 41,59% (1914)
  • Discordo da necessidade de regulamentação: 10,93% (503)

Segundo a Anvisa, esta pergunta refletiu um posicionamento mais realista dos participantes da consulta.

Próximos passos

O próximo passo, agora, é a avaliação da consulta pública pela diretoria da Anvisa. Após essa análise dos resultados, um colegiado de quatro diretores vota se o pesticida deve ou não ser proibido no país. Eles vão apresentar suas justificativas técnicas sobre a decisão.

Participaram da pesquisa 4.602 pessoas, sendo 11 de fora do país. Entre as participações do Brasil, os estados de São Paulo (1221), Paraná (836) e Rio Grande do Sul (522) foram os que mais responderam à consulta.

Na pergunta “Esta é a primeira vez que você participa de uma consulta pública da Anvisa?”, mais de 90% (4193 pessoas) responderam que sim.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Polícia do DF investiga venda de atestados assinados por médicos que já morreram

Por Samyra Galvão, Vinícius Leal e Afonso Ferreira, TV Globo e G1 DF

Venda de atestados assinados por médicos que já morreram é investigada pela Polícia Civil do DF  — Foto: Polícia Civil do DF/Divulgação

Venda de atestados assinados por médicos que já morreram é investigada pela Polícia Civil do DF — Foto: Polícia Civil do DF/Divulgação

A Polícia Civil (PCDF) investiga dentro do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), no Distrito Federal, um suposto esquema de venda de atestados assinados por médicos que já morreram. Segundo as apurações, um desses documentos foi apresentado no Ministério da Justiça.

Um servidor da pasta ficou afastado do trabalho por sete dias após entregar um atestado assinado em 5 de maio de 2018 por um médico ortopedista do HRT. No entanto, de acordo com a PCDF, o profissional faleceu em dezembro de 2017, data anterior à emissão do documento (veja foto acima).

Apesar dessa situação ter ocorrido apenas no ano passado, o caso somente veio à tona em 2019. O delegado da Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf), Miguel Lucena, disse que vai intimar os servidores que estavam em atendimento no turno em que o atestado foi emitido.

“Vamos verificar todos os casos registrados, intimar os servidores e aprofundar a investigação.”

Em nota, o Ministério da Justiça afirmou que instaurou um procedimento em dezembro de 2018 para apurar situação. O processo tramita sob sigilo na Corregedoria-Geral da pasta.

A Secretaria de Saúde apontou que a direção do HRT “está colaborando com as investigações policiais e vai adotar as medidas necessárias conforme cada caso”.

O Conselho Regional de Medicina (CRM) informou que, nos últimos oito meses, analisou 300 denúncias de atestados falsos. Segundo a entidade, as suspeitas são repassadas à Justiça e à Polícia Civil.

Caso Ruby

O Hospital Regional de Taguatinga (HRT), alvo das investigações da PCDF, é o mesmo onde uma operação do Ministério Público e da corporação cumpriu mandados de busca e apreensão na última sexta-feira (5).

Os investigadores também foram a outros endereços em Ceilândia e em Taguatinga ligados à Ruby Lopes – ex-supervisora do HRT suspeita de integrar um esquema de venda de cirurgias e de leitos na rede pública de saúde.

Durante a operação, os agentes apreenderam atestados, receitas e carimbos médicos. O delegado responsável pelo caso, Leonardo de Castro, afirmou que os itens apreendidos “corroboram a suspeita de que, além da venda de cirurgias, ela também praticava a venda de atestados médicos e de medicamentos”.

Ruby ficou conhecida por ser a primeira transexual a trabalhar na Câmara Legislativa do DF. Já, no hospital de Taguatinga, ela foi exonerada do cargo após o G1 revelar a suspeita de fraude.

O advogado de Ruby Lopes, Radam Nakai, disse que “o cargo da ex-servidora não a permitia gerenciar o agendamento de cirurgias”. Sobre os materiais apreendidos, ele respondeu que Ruby “levava os documentos para casa, mas não usava”.

No caso dos carimbos, afirmou que sua cliente “costumava guardá-los para devolver aos médicos”.

Se comprovada a participação da ex-servidora no esquema, ela vai responder pelos crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica e falsificação de documento público.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Divulgado o calendário de pagamento do abono salarial PIS-Pasep 2019-2020

Por G1

O abono salarial PIS-Pasep 2019-2020, ano-base 2018, começará a ser pago a partir de 25 de julho, de acordo com o calendário publicado nesta quarta-feira (10) no Diário Oficial da União.

O calendário de recebimento leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição, para servidores públicos. O PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e é pago na Caixa Econômica Federal. O Pasep é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil.

Quem nasceu nos meses de julho a dezembro ou tem número final de inscrição entre 0 e 4 receberá o benefício ainda no ano de 2019. Já os nascidos entre janeiro e junho e com número de inscrição entre 5 e 9 receberão no primeiro trimestre de 2020. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do trabalhador até 30 de junho de 2020, prazo final para o recebimento.

O valor do abono pode chegar a 1 salário mínimo (R$ 998) e é associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Portanto, quem trabalhou um mês no ano-base 2018 receberá 1/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 2 meses receberá 2/12 e assim por diante. Só receberá o valor total quem trabalhou o ano-base 2018 completo.

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias em 2018. É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) ano-base 2017.

Calendário de pagamento do PIS

Calendário de pagamento do PIS — Foto: Reprodução/DOU

Calendário de pagamento do PIS — Foto: Reprodução/DOU

Calendário de pagamento do Pasep

Calendário de pagamento do Pasep — Foto: Reprodução/DOU

Calendário de pagamento do Pasep — Foto: Reprodução/DOU

Mais de 2 milhões não sacaram o benefício do ano-base 2017

Segundo balanço divulgado pelo governo federal na semana passada, o abono salarial PIS-Pasep 2018-2019, ano-base 2017, pagou um total de R$ 17,3 bilhões entre julho do ano passado e junho deste ano para 22,5 milhões de trabalhadores.

Mais de 2 milhões de pessoas, entretanto, não sacaram o abono, o que representa cerca de 8% do total de trabalhadores com direito ao benefício. Com isso mais de R$ 1,3 bilhão retornarão ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), fonte usada para pagamento de benefícios como o abono e o Seguro-Desemprego.

Segundo informou o Ministério da Economia, o trabalhador que perdeu o prazo para sacar o benefício “deverá buscar orientações em uma das unidades de atendimento da Secretaria de Trabalho ou entrar em contato com Central de Atendimento 158 para se informar acerca das medidas que deverá tomar”.

Para saber se tem direito e como sacar

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação.

Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/PIS, em Consultar Pagamento. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, precisam procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Cantor gospel baleado na cabeça segue internado em estado grave no RJ

Por Bom Dia Rio

Cantor gospel é baleado na cabeça durante tentativa de assalto em Duque de Caxias

Cantor gospel é baleado na cabeça durante tentativa de assalto em Duque de Caxias

O cantor gospel Elyon Sosthenes, baleado no pescoço e cabeça em uma tentativa de assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na madrugada de segunda-feira (8), segue internado em estado grave, segundo o último boletim médico.

De acordo com uma postagem em uma rede social feita pelo irmão do cantor na noite de segunda, ele foi operado no Hospital Adão Pereira Nunes, onde segue internado, e está estável. Segundo a mensagem, as próximas 48 horas serão fundamentais para a recuperação.

Elyon foi abordado por criminosos, que atiraram contra o carro. Policiais militares o encontraram dentro do carro, após o veículo bater.

Elyon Sosthenes foi baleado em assalto a carro em Imbariê, em Duque de Caxias.  — Foto: Reprodução/Redes sociais

Elyon Sosthenes foi baleado em assalto a carro em Imbariê, em Duque de Caxias. — Foto: Reprodução/Redes sociais

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Batida entre micro-ônibus e caminhão deixa 5 mortos e 13 feridos em rodovia da Bahia

Por G1 BA

Uma batida entre um caminhão e um micro-ônibus que presta serviço para a prefeitura da cidade de Capela do Alto Alegre, a cerca de 235 km de Salvador, deixou cinco mortos e outros 13 feridos, no KM-364 da BR-324, na noite desta segunda-feira (8), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Segundo a PRF, o acidente aconteceu entre as cidades de Riachão do Jacuípe e Tanquinho. As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levadas para o Hospital Municipal de Riachão do Jacuípe.

Informações preliminares apontam que o micro-ônibus prestava serviço para a Secretaria Municipal de Saúde de Capela do Alto Alegre, e que transportava 17 pessoas que foram realizar exames médicos em Salvador.

As causas do acidente ainda não foram determinadas, mas a PRF suspeita de que o caminhão diminuiu a velocidade para passar em um quebra-mola, quando foi atingido no fundo pelo micro-ônibus. Ainda segundo a PRF, chovia no momento da batida.

Com a exceção do motorista do caminhão, que ficou ferido, todas as vítimas são do micro-ônibus. Três pessoas estão internadas no Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana. Uma delas tem estado de saúde grave e as demais, estável. Entre as vítimas que estão no Clériston Andrade, está uma criança de 7 anos, que perdeu a mãe no acidente.

Das oito pessoas que foram socorridas para o Hospital Municipal de Riachão do Jacuípe, três já foram liberadas. Os nomes das vítimas e informações sobre as demais vítimas ainda não foram divulgados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.