Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

NUVEM DE TAGS

Faturamento da agropecuária brasileira em 2021 deve chegar a R$1,057 trilhão, diz Ministério

A estimativa do Valor da Produção Agropecuária (VBP) para este ano é 12,4% maior do que a de 2020, quando o setor lucrou R$ 940,9 bilhões, diz o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Por G1

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil deve chegar a R$ 1,057 trilhão em 2021. O número é 12,4% maior do que o ano anterior, quando o setor faturou R$ 940,9 bilhões, e um recorde para a série histórica iniciada em 1989, conforme estimativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Apenas as plantações agrícolas representam R$ 727,7 bilhões, com um crescimento real que deve chegar a 16,1%. Boa parte do valor é por causa da soja e do milho, que juntos chegam a 65,4% do total, com a soja alcançando R$ 345,9 bilhões e o milho R$ 129,9 bilhões.

Já na pecuária o faturamento deve ser de R$ 330,1 bilhões, com alta de 5,1%, puxado principalmente pela carne bovina, que representa 45,0% do total, seguida pelo frango e pelo leite.

Os estados que se destacaram no VBP foram Mato GrossoParanáSão PauloRio Grande do SulMinas Gerais e Goiás, que juntos somam 71,2% do total.

Apesar dos dados positivos, alguns produtos também podem ter queda. É o caso da banana, da batata inglesa, do tomate e do café.

De acordo com o Ministério, as reduções são devido aos menores preços, e, no caso do café, da menor produção, que foi consequência de secas sofridas no ano passado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Corpo de jovem não identificada é encontrado na Zona Leste de SP; polícia investiga homicídio

A Polícia Civil apura o caso para tentar esclarecer quem é a garota e como ela foi morta. Cadáver foi achado na madrugada desta terça (13) em Sapopemba.

Por TV Globo e G1 SP — São Paulo

Esquina das ruas Rosas de Maio e Flor da Lua, na região de Sapopemba, Zona Leste de São Paulo — Foto: Reprodução/Google Maps

Esquina das ruas Rosas de Maio e Flor da Lua, na região de Sapopemba, Zona Leste de São Paulo — Foto: Reprodução/Google Maps

O corpo de uma jovem não identificada foi encontrado na madrugada desta terça-feira (13) na Zona Leste de São Paulo. A Polícia Civil investiga o caso como homicídio e tenta esclarecer quem é a garota e como ela foi morta.

Um morador de Sapopemba encontrou o corpo no limite com a cidade de Santo André, na região metropolitana. Ele acionou a Polícia Militar (PM), que foi ao local, na esquina das ruas Flor da Lua e Rosas de Maio.

Segundo os policiais militares, o corpo era de uma jovem de aproximadamente 17 ou 18 anos de idade. A garota estava sem documentos perto de um condomínio residencial.

A perícia da Política Técnico-Científica verificou que o cadáver não tinha sinais de violência aparentemente.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

CNH, cadeirinha, farol: veja mudanças na lei de trânsito que começam a valer nesta segunda

Dentre as alterações estão a ampliação de 20 para até 40 pontos do limite para a suspensão da CNH e o aumento da validade do documento para até 10 anos.

Por G1

As mudanças na lei de trânsito aprovadas no Congresso e sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro passado começam a valer nesta segunda-feira (12).

Dentre as alterações estão a ampliação de 20 para até 40 pontos do limite para a suspensão da Carteira Nacional de Trânsito (CNH) e o aumento da validade do documento para até 10 anos.

Longa discussão

Desde que foi apresentado pelo próprio presidente, em 2019, o texto passou por diversas mudanças na Câmara e no Senado. O projeto original foi criticado por entidades de segurança viária, que pediram, na época, diálogo e estudos técnicos para embasar as futuras regras.

O Congresso manteve ampliação do limite de pontos para a suspensão da CNH, mas acrescentou um escalonamento, conforme o nível de gravidade das infrações cometidas, e a exigência de não constar infrações gravíssimas na carteira do motorista.

Da mesma forma, as normas para o transporte de crianças, onde o governo propôs a troca da multa por advertência por escrito, em caso de não cumprimento, acabaram sendo endurecidas pelos parlamentares.

Alguns itens do texto aprovado no Congresso foram vetados por Bolsonaro na época da sanção. Parte desses vetos foi derrubada pelos parlamentares no mês passado. Elas têm relação com exames médicos e psicológicos dos condutores habilitados (veja ao fim da reportagem).

Veja as principais mudanças e como era a proposta do governo:

Suspensão da CNH por pontos

Como ficou: haverá uma escala com três limites de pontuação, para que a CNH seja suspensa:

  • 20 pontos, se o condutor tiver duas ou mais infrações gravíssimas em um período de 12 meses;
  • 30 pontos, se tiver apenas uma infração gravíssima no mesmo período;
  • 40 pontos, se não constar entre as suas infrações nenhuma infração gravíssima nesse intervalo.

No caso de motoristas profissionais, a medida foi flexibilizada: eles poderão atingir o limite de 40 pontos independente da natureza das infrações cometidas.

Como era sem as mudanças: a suspensão ocorria quando o condutor atingisse 20 pontos em 12 meses ou por transgressões específicas.

Como o governo queria: a suspensão ocorreria quando o condutor atingisse 40 pontos em 12 meses ou por transgressões específicas.

Renovação da CNH

Como ficou: estipula o prazo de dez anos para renovação dos exames de aptidão física e mental para a renovação da habilitação de condutores, de acordo com as seguintes situações:

  • 10 anos para condutores com menos de 50 anos;
  • 5 anos para condutores com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos;
  • 3 anos para condutores com 70 anos ou mais.

O texto diz ainda que em caso de indícios de deficiência física ou mental ou de progressividade de doença que diminua a capacidade de condução, o perito examinador pode diminuir os prazos para a renovação da carteira.

Como era sem as mudanças: o artigo 147 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) dizia que o exame era renovável a cada 5 anos ou, no caso de idosos acima de 65 anos, a cada 3 anos.

Como o governo queria: que o exame de aptidão física e mental fosse renovável a cada 10 anos. No caso dos idosos, acima de 65 anos, a renovação seria a cada 5 anos.

Cadeirinha para crianças

Como ficou: o uso de cadeirinhas ou assento de elevação será obrigatório para crianças de até 10 anos que não atingiram 1,45 metro de altura. O descumprimento continua sendo considerado infração gravíssima, segundo o artigo 168 do CTB, que prevê multa e retenção do veículo até a regularização da situação.

Como era sem as mudanças: crianças com idade inferior a 10 anos já deveriam ser transportadas nos bancos traseiros. O uso de dispositivos de retenção (cadeirinha, assento elevado, etc) foi determinado por uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de 2008 para o transporte de crianças de até 7 anos e meio, sem levar em conta a altura.

Como o governo queria: até 7 anos e meio, crianças poderiam ser transportadas nos bancos traseiros e com cadeirinha adaptada ao tamanho e peso. Entre 7 anos e meio e 10 anos, seriam “transportadas nos bancos traseiros” e utilizariam cinto de segurança.

Ainda segundo a proposta do governo, a violação às regras seria punida apenas com advertência por escrito. Ou seja, a advertência poderia substituir a multa e a medida administrativa (retenção do veículo) aplicadas até então.

Veja no vídeo abaixo as diferenças entre usar e não usar as cadeirinhas:

Criança na garupa da moto

Como ficou: passou de 7 para 10 anos a idade mínima para que crianças possam ser transportadas em motocicletas. O descumprimento é infração gravíssima, com multa e suspensão do direito de dirigir. Além disso, o veículo pode ser retido até sua regularização e a habilitação recolhida.

Lesão corporal e homicídio com embriaguez

Como ficou: uma das principais mudanças feitas no Congresso prevê que em casos de lesão corporal e homicídio causados por motorista embriagado, mesmo que sem intenção, a pena de reclusão não pode ser substituída por outra mais branda, que restringe direitos.

Como era sem as mudanças: a legislação diz que a prisão pode ser substituída por penas restritivas de direitos se o crime for culposo (sem intenção). Dessa forma, se um motorista embriagado ou sob efeito de drogas pratica lesão corporal e até homicídio, a condenação pode ser convertida em uma pena alternativa.

Como o governo queria: não havia mudanças nessas punições no projeto original.

Exame toxicológico (categorias C, D e E)

Como ficou: exame toxicológico é mantido. Ele serve para verificar o consumo de substâncias psicoativas que, comprovadamente, comprometam a capacidade de direção.

Quem tem menos de 70 anos também terá que se submeter ao exame a cada 2 anos e meio, independentemente da validade da CNH. Objetivo é impedir que a mudança do prazo da carteira implique em alteração na periodicidade do exame.

Como era sem as mudanças: condutores das categorias C, D e E, como caminhoneiros, motoristas de van e ônibus, com CNH com validade de 5 anos devem fazer o exame no prazo de 2 anos e meio. Para condutores idosos o prazo é 1 ano e meio. Se reprovado, tem suspenso o direito de dirigir pelo período de 3 meses.

Como o governo queria: eliminar a obrigatoriedade do exame.

Luz diurna nas estradas

Como ficou: seguiu o projeto do governo de manter obrigatório o uso de faróis acesos durante o dia em rodovias de pista simples. Porém, retira a obrigatoriedade do uso quando essas vias estiverem em perímetros urbanos.

Como era sem as mudanças: uma norma de 2016 dizia que o condutor era obrigado a manter o farol aceso de noite e dia “nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias”, sejam essas de pista simples ou não — em caso de descumprimento, a infração é média.

Como o governo queria: o texto dizia que os veículos sem luzes diurnas de rodagem (conhecidas pela sigla em inglês DRL), deveriam manter acesos os faróis mesmo durante o dia, em rodovias de pista simples, túneis e sob chuva, neblina ou cerração.

O projeto afirmava ainda que a infração para quem não acendesse a luz seria leve. No entanto, seria aplicada apenas “no caso de o proprietário ser pessoa jurídica e não haver identificação do condutor”.

Multa mais branda para capacete sem viseira

Como ficou: a lei altera trecho do Código de Trânsito que trata da obrigatoriedade do uso do capacete, retirando a menção sobre a viseira. O não uso da viseira no capacete ou dos óculos de proteção ganhou um artigo separado na lei, tornando-se infração média, e não mais gravíssima. Porém, também passa a ser infração média usar a viseira levantada. Antes, era infração leve.

Como era sem as mudanças: o artigo do CTB sobre regras para motociclistas obrigava o uso de capacetes sempre com viseira ou óculos de proteção, considerando seu descumprimento infração gravíssima e com suspensão do direito de dirigir.

Existia ainda uma resolução específica sobre o uso incorreto da viseira: ela dizia que que o motociclista não pode conduzir a moto com a viseira levantada nem com óculos de proteção fumê. Nesse caso, seria aplicada a punição prevista no artigo 169 do CTB, que previa infração leve.

Como o governo queria: da mesma forma como foi aprovado.

Documento em carro com recall

Como ficou: a lei torna o recall uma condição para o licenciamento anual do veículo a partir do segundo ano após o chamamento.

Como era sem as mudanças: não havia impedimento para emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) caso o veículo não tenha passado por algum recall.

Como o governo queria: a proposta era impedir que o CRLV fosse emitido somente na hora da venda de um veículo, se o proprietário anterior não tivesse realizado algum recall.

Outras mudanças

Multas administrativas

A lei dá a isenção de pontos na carteira de motorista em algumas situações de infrações de natureza administrativa, por exemplo:

  • conduzir veículo com a cor ou característica alterada;
  • conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório;
  • portar no veículo placas em desacordo com as especificações e modelos estabelecidos pelo Contran;
  • deixar de atualizar o cadastro de registro do veículo ou de habilitação do condutor.

No entanto, a aplicação das penalidades e medidas administrativas continuam.

Advertência em vez de multa

O texto define que para infrações leves ou médias deve ser imposta a penalidade de advertência por escrito, em vez de multa, se o infrator não tiver cometido nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

Atualmente, a legislação já permite essa possibilidade se a autoridade de trânsito “entender esta providência como mais educativa” e desde que o motorista não tenha cometido a mesma infração nos últimos 12 meses.

Cadastro positivo

A mudança cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), em que serão cadastrados os condutores que não tenham cometido infração de trânsito sujeita a pontuação nos últimos 12 meses.

O cadastro positivo vai possibilitar que estados e municípios concedam benefícios fiscais e tarifários aos condutores cadastrados.

Cai exigência de aula noturna

Termina a obrigatoriedade de aulas práticas noturnas no processo de habilitação.

Comunicação de venda

Antes, o prazo para que o vendedor do veículo fizesse a comunicação de venda junto ao Detran era de 30 dias. Agora, com a nova regra, o limite é de 60 dias, após decorrido o prazo de 30 dias para que o novo proprietário providencie a transferência do registro. A nova legislação também abre a possibilidade de que esse procedimento seja eletrônico.

Indicação do condutor infrator

Antes, o prazo para que o proprietário indicasse o condutor responsável pela infração era de 15 dias, contado a partir da notificação da autuação. Agora, este prazo foi ampliado para 30 dias.

Defesa prévia

Outro prazo ampliado foi o que garante o direito de defesa em caso de multas. Antes, o condutor tinha até 15 dias, contados da data de expedição da notificação, para entrar com a defesa, de acordo com o estabelecido em resolução do Contran. Agora, este prazo passará a constar no CTB e não será inferior a 30 dias, também contados da data de expedição da notificação.

Escolas de trânsito

O lei prevê a criação de “escolas públicas de trânsito” para crianças e adolescentes. O intuito é oferecer aulas teóricas e práticas sobre legislação, sinalização e comportamento no trânsito.

Vetos derrubados

Em março passado, o Congresso derrubou 3 dos 13 vetos feitos pelo presidente Bolsonaro ao texto aprovado na Câmara e no Senado. Eles têm relação com exames médicos e psicológicos dos condutores habilitados.

Um deles trata dos profissionais que realizam os exames de aptidão física, mental e de avaliação psicológica a quem quer tirar carteira de habilitação.

Bolsonaro havia vetado o dispositivo que restringia a realização desses exames aos médicos e psicólogos peritos examinadores com titulação de especialista em medicina do tráfego e em psicologia do trânsito.

Para o governo, “não é crível que os profissionais que não dispõem dessa titulação não possuam prática necessária para a realização de tais exames”.

Bolsonaro também tinha vetado outro dispositivo, que impunha a infratores, além de curso de reciclagem, exame psicológico para os casos de acidente grave, condenação judicial por delito de trânsito e risco à segurança do trânsito. O Congresso restaurou a regra.

Também foi derrubado o veto a um dispositivo que permite que os médicos e psicólogos peritos examinadores que não tiverem a titulação de especialista terão o direito de continuar a exercer a função de perito examinador pelo prazo de 3 anos até que obtenham a titulação exigida.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Baile funk no Complexo da Maré provoca aglomeração

A festa atravessou a noite e atrapalhou o descanso dos moradores. Homens armados circulavam entre os frequentadores.

Por Guilherme Peixoto, Bom Dia Rio

Imagens registradas pelo Globocop na manhã desta segunda-feira (12) mostraram o fim de um baile funk na Vila do João, comunidade do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. A festa, com aglomeração e som alto, atravessou a noite.

Moradores afirmaram que o evento atrapalhou o descanso de quem vive na região. No meio dos frequentadores era possível ver homens armados. Um deles carregava um fuzil e tinha uma pistola na cintura.

O fim de semana também teve outras aglomerações. A Prefeitura do Rio interrompeu quatro festas irregulares até a madrugada de domingo (11). Em Botafogo, na Zona Sul, uma das festas acontecia em uma sauna no sábado à tarde. Segundo os agentes, tinha mais de 70 pessoas aglomeradas no local.

Os fiscais também estiveram em eventos em Bento Ribeiro, na Zona Norte, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste e no Centro da cidade. Todos os estabelecimentos foram multados e interditados pelas equipes de fiscalização.

Na sexta-feira (9), a Prefeitura do Rio de Janeiro flexibilizou algumas medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Funcionários da LG recusam proposta de indenização e iniciam greve na fábrica em Taubaté

Na última semana, empresa sul-coreana anunciou fim da produção na fábrica no interior de São Paulo, o que pode impactar na demissão de cerca de 700 trabalhadores.

Por G1 Vale do Paraíba e Região

Funcionários recusaram proposta de indenização oferecida pela LG e iniciaram uma greve na fábrica de Taubaté (SP). Na última semana, a empresa anunciou o fim da produção na cidade, com o fechamento da divisão de celulares e a transferência do setor de monitores e notebooks para Manaus

O fim da produção da sul-coreana em Taubaté deve afetar cerca de 700 dos 1 mil trabalhadores da unidade. A LG deve manter apenas os setores de call center e assistência técnica na cidade.

A votação aconteceu na porta da fábrica na manhã desta segunda-feira e a proposta da LG para indenizar os trabalhadores que serão demitidos foi recusada. Na assembleia, os trabalhadores também aprovaram uma greve por tempo indeterminado.

A proposta de indenização social apresentada varia de R$ 8 mil a R$ 35,8 mil, conforme tempo de trabalho na empresa. Pela proposta, os trabalhadores demitidos também teriam plano médico até janeiro de 2022 e PLR.

Proposta de indenização social:

  • Admitidos a partir de 01/01/2020: R$ 8.000,00
  • 02 a 07 anos completos: R$19.353,00
  • 08 a 13 anos completos: R$ 30.000,00
  • 14 a 18 anos completos : R$ 32.901,00
  • Acima de 19 anos completos: R$ 35.804,00

A empresa foi procurada para comentar sobre o assunto, mas não retornou até a última atualização da reportagem.

LG vai encerrar produção em Taubaté

Fim da produção em Taubaté

A LG anunciou o encerramento global da produção de celulares e a transferência da linha de monitores e notebooks para a fábrica de Manaus (AM), onde já produz aparelhos de ar-condicionado, geladeiras e outros eletrodomésticos da chamada linha branca.

A decisão de encerrar a produção em Taubaté está ligada principalmente na saída da sul-coreana do mercado de celulares. A fábrica no interior de São Paulo era a única da companhia no país voltada para a produção de smartphones.

Com a queda na produtividade da planta, a empresa decidiu pela transferência do setor de monitores e notebooks para outra unidade.

A decisão de deixar o mercado de celulares ocorreu após sucessivas perdas no setor. Desde o início do ano, a empresa falava sobre a possibilidade, chegando a comentar com a imprensa na Coreia sobre a intenção de vender o nicho para outra empresa. Apesar disso, as tentativas de negociação não tiveram sucesso.

Terceirizadas da LG seguem em greve após anúncio de fim da produção em Taubaté

Cadeia produtiva

A medida não impacta apenas a LG, mas as empresas terceirizadas. Ao todo, três empresas fornecem insumos e montagem de celulares para a sul-coreana, duas delas em Caçapava e outra em São José dos Campos.

De acordo com o sindicato, após o anúncio as empresas informaram também o fechamento, porque a maior parte da demanda de produção seria da LG. Com isso, cerca de 430 trabalhadores devem ser demitidos, a maior parte mulheres.

A entidade marcou também para esta segunda-feira (12) um protesto em frente a fábrica pedindo que a empresa abra negociação também para minimizar os impactos para os funcionários terceirizados.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Mercado financeiro sobe estimativa de inflação para 4,85% em 2021 e vê alta menor do PIB

Expectativa de crescimento do PIB recuou para 3,08% neste ano, e analistas também passaram a prever uma alta maior do juro básico da economia. Previsões fazem parte de boletim semanal do Banco Central.

Por Alexandro Martello, G1 — Brasília

Os economistas do mercado financeiro elevaram a estimativa de inflação para este ano e também passaram a projetar uma alta menor do Produto Interno Bruto (PIB).

As informações estão no boletim de mercado, conhecido como relatório “Focus”, divulgado nesta segunda-feira (12) pelo Banco Central (BC). Os dados foram levantados na semana passada em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Inflação

Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, a expectativa do mercado para este ano subiu de 4,81% para 4,85%.

Com isso, a previsão de inflação do mercado continua acima da meta central deste ano, de 3,75%. Pelo sistema de metas, não haverá descumprimento se a inflação oscilar entre 2,25% e 5,25% em 2021.

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

Em 2020, pressionado pelos preços dos alimentos, o IPCA ficou em 4,52%, acima do centro da meta para o ano, que era de 4%, mas dentro do intervalo de tolerância. Foi a maior inflação anual desde 2016.

Para 2022, o mercado financeiro subiu de 3,52% para 3,53% a estimativa de inflação. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%.

Produto Interno Bruto

No caso do Produto Interno Bruto de 2021, os economistas do mercado financeiro reduziram a estimativa para o crescimento de 3,17% para 3,08%. Foi a sexta queda seguida do indicador.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Para 2022, o mercado manteve em 2,33% a estimativa de expansão do PIB.

A expectativa para o nível de atividade foi feita em meio à pandemia da Covid-19, que tem afetado o nível de atividade da economia mundial.

Taxa básica de juros

O mercado financeiro também elevou de 5% para 5,25% sua previsão para taxa básica de juros, a Selic, no fim de 2021. Com isso, o mercado passou a esperar uma alta maior dos juros neste ano.

Em meados de março, na primeira elevação em quase seis anos, a taxa básica da economia foi aumentada pelo BC para 2,75% ao ano.

Para o fechamento de 2022, os economistas do mercado financeiro mantiveram expectativa para a taxa Selic em 6% ao ano, o que pressupõe alta do juro básico também no próximo ano.

Outras estimativas

  • Dólar: a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 subiu de R$ 5,35 para R$ 5,37. Para o fechamento de 2022, permaneceu estável em R$ 5,25 por dólar.
  • Balança comercial: para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2021 subiu de US$ 55 bilhões para US$ 55,30 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado avançou de US$ 51 bilhões para US$ 54 bilhões de superávit.
  • Investimento estrangeiro: a previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil neste ano permaneceu em US$ 55 bilhões. Para 2022, a estimativa avançou de US$ 62,2 bilhões para US$ 64,4 bilhões.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Paulo Gustavo segue internado e boletim médico diz que situação do ator é crítica

Marido do comediante, o médico Thales Bretas, informou que Paulo Gustavo ‘vem respondendo de certa forma satisfatória’ aos tratamentos. Mas o parceiro do ator completou que o quadro clínico ‘está difícil’.

Por G1 Rio

Paulo Gustavo com o marido, Thales Bretas, em foto postada no Instagram nesta sexta-feira (9). — Foto: Reprodução/Instagram/@thalesbretas

Paulo Gustavo com o marido, Thales Bretas, em foto postada no Instagram nesta sexta-feira (9). — Foto: Reprodução/Instagram/@thalesbretas

O ator e comediante Paulo Gustavo segue internado na UTI de um hospital na Zona Sul do Rio desde o dia 13 de março por conta de complicações decorrentes da Covid-19.

O marido de Paulo Gustavo, o médico Thales Bretas, postou nas redes sociais neste domingo (11) que o quadro clínico de Paulo está difícil.

O boletim divulgado pela equipe médica informou que a situação clínica do ator é crítica porque surgiram complicações hemorrágicas a que ele vem respondendo “de certa forma satisfatória”. Veja abaixo a íntegra do boletim.

“Às fístulas bronco-pleurais identificadas e tratadas somaram-se a complicações hemorrágicas, mas que vêm respondendo, de certa forma satisfatória, à reposição dos fatores da coagulação deficitários. A situação clínica do paciente é crítica e todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação. Todos os equipamentos necessários para o suporte da vida, como a ventilação mecânica e a ECMO continuam sendo necessários. A família do ator agradece todo o carinho e orações e pede que continuem a enviar boas energias para a recuperação de todos os que se encontram na luta contra o vírus.”

Em sua postagem no Instagram, com uma foto no Santuário de Fátima, em Portugal, Thales disse que “o quadro clínico do meu amor está difícil, mas para ele nada é impossível, e nem pra Ele, nosso Deus, e essa dupla poderosa vai trazer ele de volta pra casa.”

Microcirurgia

Paulo Gustavo passou por novo procedimento na sexta-feira (9), quando os médicos informaram que o ator apresentou estabilidade após a intervenção.

Cinco dias antes, o ator foi submetido a um procedimento para correção de uma fístula bronco-pleural.

A fístula ocorre quando há uma comunicação anormal entre os brônquios e a membrana que reveste os pulmões. O problema gera uma passagem de ar que pode ser prejudicial.

No boletim de sexta, a equipe médica disse que uma nova fístula bronco-pleural foi identificada no pulmão do ator na noite de quinta (8).

O boletim seguia dizendo que as manobras terapêuticas transcorreram com sucesso e Paulo Gustavo seguiria em estabilidade clínica.

“O quadro geral mantém o otimismo da equipe profissional, mesmo levando-se em conta a gravidade que existe em todos os pacientes em uso de ventilação mecânica e de ECMO”, acrescenta a equipe médica no texto.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

MPRJ cria Coordenadoria-geral de Segurança Pública para monitorar atividades policiais

Procurador-geral de Justiça Luciano Mattos explica a atuação da Procuradoria nos casos dos meninos desaparecidos em Belford Roxo, do assassinato da vereadora Marielle Franco e da suspeita de rachadinha envolvendo Flávio Bolsonaro.

Por Bom Dia Rio

Ministério Público do RJ cria coordenadoria para acompanhar trabalho das polícias

A Coordenadoria-geral de Segurança Pública do Ministério Público do Rio começa a funcionar nesta segunda-feira (12). O órgão vai monitorar as atividades das polícias no estado.

“Vamos reunir todas as informações relacionadas à segurança pública para que possamos orientar todas as promotorias que tenha interface com esse tema. faremos essa atuação de forma estratégica a partir dos dados e do monitoramento que vamos realizar a partir dessa procuradoria. A coordenação cai dar todo o suporte para o exercício dessa atividade”, disse o procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos.

Meninos desaparecidos

desaparecimento dos três meninos em Belford Roxo era um dos dos casos acompanhado pelo extinto Grupo de Atuação Especial de Segurança Pública (Gaesp).

Ao analisar as fitas de segurança da área onde foram vistos pela última vez, a Polícia Civil acabou não vendo o último registro dos garotos – trabalho que acabou sendo feito pelo Ministério Público.

“O levantamento dessas imagens foi feito a partir de um corpo pericial que continua atuando plenamente na estrutura do Ministério Público junto à Coordenação de Segurança e Inteligência. Só que, a partir de agora, ao invés de enviar materiais como este ao Gaesp, enviará aos promotores que estarão na linha de frente”, afirmou o promotor, dizendo que não há nenhuma novidade sobre o caso.

Casos especiais

Segundo ele, o Gaesp tinha um número restrito de promotores. A ideia, afirma o procurador-geral, é facilitar o trabalho que promotores que trabalham na área de segurança pública.

Mattos afirmou que crimes investigados pelo Ministério Público que envolvem a possível participação de agentes de segurança não cairão no esquecimento.

“Há promotores especializados cuidando desses temas. Ao invés desses casos ficarem concentrados em apenas um órgão, cada um deles será cuidado por um promotor”.

Marielle

Caso de repercussão mundial, o assassinato da vereadora Marielle Franco. Nos últimos meses, a investigação parece ter parado de avançar. O procurador-geral

“Fizemos uma análise de como seria nossa atuação em casos que exigem uma ação coletiva especializada. Estávamos fazendo ajustes. Em fevereiro ou início de março, percebendo que o caso Marielle tem diversas outras investigações que estão relacionadas, criamos uma força-tarefa apenas para cuidar desses casos e montamos essa equipe com as duas promotoras que já participavam anteriormente. Isso evitaria perda ou atrasos na investigação. Então, são as mesmas promotoras que agora estão cuidando desse casos e dos outros casos que estão relacionados. É uma força-tarefa criada para que possamos concluir essa investigação o mais rápido possível”.

Rachadinhas

Outro caso importante sob responsabilidade do Ministério Público do Rio de Janeiro é a investigação das supostas “rachadinhas” que envolveriam o gabinete do então deputado estadual, e agora senador, Flávio Bolsonaro, e Fabrício Queiroz.

O Grupo de Atribuição Originária Criminal (Gaocrim), que cuidava da investigação, também foi extinto.

“A atribuição do caso Flávio Bolsonaro é da Procuradoria-geral, não tem nenhuma relação com esse grupo. Na verdade, existia um grupo chamado Gaocrim e isso causava alguma confusão porque, na verdade, não era um grupo – era uma assessoria do procurador-geral. Enquanto o caso tramitar tendo como foro o Órgão Especial de Justiça, a atribuição não é de nenhum promotor, é do procurador-geral de Justiça, que tem que cuidar. E o caso está na Justiça. O Ministério Público continua acompanhando e está em fase de recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Planejamento

Segundo o procurador-geral, foram apenas seis dias úteis de transição, o que atrapalhou bastante sua entrada no cargo.

“Temos que organizar, montar a estrutura. O Ministério Público hoje é uma instituição grande, com várias frentes de trabalho. Mas já estamos organizados. A coordenação é uma demonstração disso. A prioridade será a segurança pública. Daremos total atenção a esse tema. Também daremos atenção ás demais áreas. Vivemos um momento delicado por conta da questão da pandemia, mas estamos estruturados e organizados para que os promotores possam atuar em defesa da sociedade”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dólar abre a semana em queda

Na sexta-feira, moeda norte-americana fechou em alta de 1,83%, a R$ 5,6745, mas recuou 0,71% na semana.

Por G1

dólar opera em leve queda nesta segunda-feira (12), com os investidores de olho na cena política local e nos números ainda preocupantes da pandemia de coronavírus.

Às 9h38, a moeda norte-americana caía 0,67%, a R$ 5,6365. Veja mais cotações.

Na sexta-feira, o dólar fechou em alta de 1,83%, a R$ 5,6745, mas encerrou a semana com queda de 0,71%. No acumulado do mês, o dólar ainda acumula alta de 0,83%. No ano, o avanço é de 9,39% frente ao real.

Saiba o que dizem senadores favoráveis e contrários à CPI da Pandemia

Cenário

No exterior, permanece o otimismo sobre a recuperação da economia dos Estados Unidos em meio à aceleração da vacinação, mas o aumento em números de casos de Covid-19 em outras partes do mundo ainda preocupa.

Na cena doméstica, as atenções estão voltadas para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar eventuais omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia de Covid.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, marcou para a quarta-feira (14) a análise em plenário da determinação do ministro Luís Roberto Barroso para que o Senado instale a CPI.

O número de mortes por coronavírus no Brasil chegou a 353,3 mil, com a média móvel permanecendo acima de 3 mil por dia.

A pesquisa Focus do Banco Central, divulgada nesta segunda, mostrou piora nos principais indicadores. A projeção do mercado para a inflação de 2021 subiu de 4,81% para 4,85%. A expectativa dos analistas para a alta do PIB (Produto Interno Bruto) caiu de 3,17% para 3,08%. A estimativa para a taxa básica de juros ao final do ano subiu de 5% ao ano para 5,25% ao ano. Já a taxa de câmbio ao fim de 2021passou de R$ 5,35 para R$ 5,37.

“Embora as incertezas externas e domésticas sigam presentes, a elevação da taxa Selic, bem como os preços de commodities mais elevados, tende a se refletir em fluxos comerciais favoráveis, abrindo espaço para uma volta do fluxo de dólares para o país”, avaliou, em relatório, o banco Itaú.

Na agenda de indicadores, a a Fundação Getulio Vargas mostrou que a inflação para o consumidor da terceira idade (IPC-3i ) registrou no primeiro trimestre variação de 1,54%, passando a acumular avanço de 6,20% em 12 meses.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Bares e restaurantes estão liberados para funcionar no Rio nesta sexta; praia e cachoeiras seguem proibidas

Rio de Janeiro flexibiliza nesta sexta-feira (9) algumas medidas restritivas para conter avanço da Covid-19. Expediente dos estabelecimentos deve acontecer até as 21h

Por G1 Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro flexibiliza nesta sexta-feira (9) as medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19. Portanto, ficam liberados para o funcionamento:

  • Bares
  • Lanchonetes
  • Restaurantes
  • Quiosques da orla
  • Clubes

No entanto, o expediente deve acontecer até as 21h e, após esse horário, o estabelecimento deve funcionar no serviço de delivery.

Apesar da autorização para o funcionamento desses estabelecimentos, outras medidas do período chamado de “pausa emergencial” permanecem. Ou seja, praias, parques, cachoeiras e outros continuarão proibidos (confira a relação completa no fim do texto).

O governo estadual, por sua vez, ainda não se pronunciou sobre uma possível flexibilização.

Eduardo Paes: “Adoraríamos abrir a cidade. Não dá ainda”

O que pode abrir e horário

A partir de sexta-feira (9), até as 21h*:

  • Bares
  • Lanchonetes
  • Restaurantes
  • Quiosques da orla

*Após esse horário, podem funcionar apenas delivery.

Também a partir de sexta, das 11h às 21h:

  • Clubes

Entre 12h e 21h

  • Serviços

Das 10h às 18h

  • Comércio*

*Segundo a prefeitura, “as atividades no interior de shopping, centros comerciais e galerias de lojas, deverão funcionar observando as restrições de horário”.

E das 12h às 21h

  • Museus
  • Zoológico
  • Galerias
  • Bibliotecas
  • Cinemas
  • Teatros

Continua proibido

  • Ficar na areia da praia
  • Comércio de ambulantes
  • Danceterias e boates
  • Entrada de ônibus intermunicipais fretados com turistas
  • Eventos
  • Parques e cachoeiras
  • Festas públicas e particulares
  • Rodas de samba
  • Feiras, exposições e congressos
  • Exercícios e esportes coletivos*

* Continuam proibidos exercícios e esportes coletivos, inclusive circuitos e similares, orientados por professores de educação física, seja em áreas abertas ou fechadas, como academias e outras áreas particulares.

A prefeitura informou que também não é permitida “pelada” em praças, quadras e afins. Somente atividades individuais estão liberadas.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.