Sagui é resgatado por bombeiros em estação do metrô na Zona Oeste do Rio

Animal estava na caixa do auto-falante da estação Jardim Oceânico. Ele foi devolvido à natureza nas margens da Lagoa da Tijuca, perto de um dos acessos à estação.

Por Bom Dia Rio

Sagui é resgatado da caixa de som de metrô

Sagui é resgatado da caixa de som de metrô

Um visitante inesperado deu trabalho para o Corpo de Bombeiros, nesta terça-feira (31), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Um pequeno sagui precisou ser resgatado da caixa do auto-falante da estação Jardim Oceânico do Metrô.

O animal não tinha ferimentos aparentes e foi devolvido à natureza nas margens da Lagoa da Tijuca, que fica pertinho de um dos acessos à estação.

Sagui — Foto: Reprodução/TV Globo

Sagui — Foto: Reprodução/TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

João de Deus deixa presídio para cumprir pena em prisão domiciliar por risco de coronavírus

Aos 78 anos, ele foi condenado a quase 60 anos de prisão por crimes sexuais. Decisão impõe restrições como entrega do passaporte e proibição de frequentar a casa Dom Inácio de Loyola, onde realizava sessões espirituais em Abadiânia.

Por Rafael Oliveira, G1 GO

A Justiça de Goiás expediu, nesta terça-feira (31), o alvará de soltura para João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, cumprir a pena de quase 60 anos em prisão domiciliar, devido ao risco de coronavírus. Ele deixa o presídio de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, para ficar na casa dele, em Anápolis, a cerca de 60 km de distância. As condenações são por crimes sexuais, o que ele nega ter cometido.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou, em nota, que cumpriu nesta tarde a decisão judicial que determina a prisão domiciliar de João Teixeira de Faria. O órgão ressalta que, conforme determina a Justiça, ele será monitorado eletronicamente por tornozeleira, nos termos expressos pelo Judiciário.

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, da Comarca de Abadiânia, concedeu prisão domiciliar a João de Deus, de 78 anos, na última quinta-feira (26). A magistrada afirma que, entre outros motivos, a medida se faz necessária pela pandemia de coronavírus.

“Como se vê, embora esteja sendo acusado por fatos de extrema gravidade, o requerente é idoso, acometido por doenças graves, por isso inserido no denominado grupo de risco para infecção pelo cornavírus, principalmente diante das más condições da cela (paredes mofadas, insalubridade) propícia à disseminação da Covid-19”, escreveu a juíza na decisão.

O advogado de defesa de João de Deus, Anderson Van Gualberto, disse que pediu o cumprimento da pena em casa em razão da idade avançada e dos problemas crônicos de saúde, como remissão de câncer, hipertensão e problemas de coração.

“A decisão se valeu da gravidade do estado de saúde, bem como a impossibilidade da unidade prisional em ofertar o tratamento de saúde adequado. Por questões de segurança não será divulgado o endereço onde será cumprida a medida”, informou Van Gualberto em nota.

O promotor de Justiça Luciano Miranda, coordenador da força-tarefa do Ministério Público de Goiás que investiga os crimes cometidos por João de Deus, informou que, assim que tiver acesso ao conteúdo da decisão, vai recorrer.

Restrições

A decisão impõe restrições, como a entrega do passaporte ao Judiciário, uso de tornozeleira eletrônica e proibição de frequentar a casa Dom Inácio de Loyola em Abadiânia, onde realizava sessões espirituais, e de manter contato com vítimas e testemunhas dos processos de crimes sexuais, que tramitam em segredo na Justiça.

João de Deus também não pode sair de Anápolis. Ele deve comparecer ao Judiciário todo mês para informar as atividades exercidas na prisão domiciliar.

A decisão atende a uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça para que os Judiciários e magistrados de todo o país revejam as prisões preventivas e provisórias diante da pandemia de coronavírus.

Condenações

Em janeiro deste ano, a mesma juíza condenou João de Deus a 40 anos de prisão em regime fechado por crimes sexuais. No ano passado, ele pegou 19 anos de prisão pelos mesmos crimes. João de Deus estava preso desde o dia 16 de dezembro de 2018 no presídio de Aparecida de Goiânia.

Até esta terça-feira (31), João de Deus possui três condenações:

Até então, a juíza ainda tem 10 processos em seu gabinete aguardando respostas de Judiciários de outros estados para voltar a dar andamento aos procedimentos.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Criminosos roubam carro de voluntários com doações destinadas a famílias carentes do RJ

No veículo roubado estavam legumes, frutas e leite para alunos de projetos do Instituto Mundo Novo. Crime ocorreu na segunda-feira (30), quando voluntários levavam doações para Nilópolis.

Por Bom Dia Rio

No meio de tanta solidariedade, o carro de voluntários do Instituto Mundo Novo, em Mesquita, na Baixada Fluminense, foi roubado nesta segunda-feira (30) com todas as doações que seriam entregues às famílias das crianças assistidas pelo projeto.

As vítimas foram abordadas por suspeitos armados, que pediram para que saíssem do carro, que é de uma voluntária. Além das doações,os criminosos também levaram os pertences dos voluntários, como conta a voluntária Bruna Simãozinho.

“Nós ficamos sem o nosso carro, sem as doações. Essas doações iam chegar para 50 crianças do nosso projeto de educação infantil e se sobrasse, daria para os nossos 200 alunos do projeto Arte com Visão”, disse Bruna.

As frutas, legumes e leite doados foram roubados que os voluntários estavam a caminho da Chatuba, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Desde março, a equipe do Instituto Mundo Novo estava ajudando as famílias da comunidade que tinham sido atingidas por uma enchente.

Informações que possam levar aos criminosos podem ser passadas para o Disque Denúncia, no telefone 2253-1177.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Aeroporto Internacional Tom Jobim reduz operação para cerca de seis voos diários em abril

Aeroporto deve ter apenas 172 voos, cerca de 2% do que foi registrado no mesmo período em 2019. Imagens mostram pátio do Santos Dumont praticamente vazio na manhã desta quarta (1°).

Por Ari Peixoto e Guilherme Peixoto, Bom Dia Rio

A partir desta quarta-feira (1º) os voos no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, na Ilha do Governador, vão reduzir drasticamente por causa da pandemia de coronavírus. Em abril, serão somente 172 voos durante o mês inteiro, uma média de 6 voos diários.

O número representa pouco mais de 2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ocorreram 6.803 voos. Em 2019, pouco mais de 14 milhões de passageiros circularam pelo aeroporto.

Imagens do Globocop na manhã desta quarta-feira (1°) mostraram o pátio do aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, praticamente vazio. De acordo com a Infraero, entre os dias 26 e 31 de março o aeroporto teve queda de 85% no volume de voos. A movimentação é tão fraca que diversas portas do terminal estão fechadas.

Balcões vazios

O Aeroporto Tom Jobim é o segundo maior do Brasil em movimento internacional e já foi palco de voos históricos, como o do Concorde em 1971, e o do Airbus A380, atualmente o maior avião do mundo, em 2016.

Na tarde de terça-feira (31), áreas públicas do aeroporto já estavam desertas. Sem ninguém nos balcões de check-in e nas mesas de restaurantes.Portas de embarque e desembarque vazias. E os taxistas esperando por passageiros que não vêm.

Antes da pandemia do coronavírus, aproximadamente 20 empresa aéreas estrangeiras e três brasileiras chegavam e partiam do Tom Jobim para centenas de destinos nacionais e internacionais. Agora, o aeroporto fica reduzido a um empresa brasileira, que vai voar para um único destino: o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

O presidente do consórcio RioGaleão, que administra o aeroporto, Alexandre Monteiro, disse que a queda na receita será astronômica.

“Em termos de queda de receita, a gente está imaginando o mês de abril basicamente zero. Temos uma receita por volta de R$ 85 milhões. Daí, vem todas as reduções de horários de funcionamento, fechamento de uma área toda nova do Pier Sul, que foi construída e inaugurada para a Olimpíada, fechamento da pista mais longa, a pista 28, temos duas pistas, uma de 3,2 km e outra de 4km”, disse Monteiro.

Ele também falou sobre a manutenção dos empregos dos 780 funcionários da concessionária.

“Um dos nortes dessas medidas era manter a equipe aqui. Home office para alguns, outros estão trabalhando aqui. Outros com escala reduzida para a gene evitar o contato. Enfim, seguindo as melhores recomendações das autoridades sanitárias”, disse Monteiro.

Todas as atividades do aeroporto serão suspensas entre 23h e 5h. Ou seja, ele ficará fechado a passageiros e aos 15 mil trabalhadores do aeroporto, desde a Polícia Civil, Receita Federal e Anvisa até os que trabalham nas pistas, nas lojas e nas praças de alimentação.

O presidente do RioGaleão está otimista, acredita que mês que vem já poderá ver mais voos no aeroporto.

“A expectativa é que a gente, já em maio, comece a ter mais voos. Não ter uma situação tão drástica quanto abril, e paulatinamente evoluindo até o fim do ano”, disse Monteiro.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Voluntários da Grande SP produzem e doam máscaras para profissionais da saúde

Proteção é produzida por alunos da faculdade de Guarulhos.

Por Rafael Ihara, Bom Dia SP — São Paulo

Alunos de uma faculdade de Guarulhos, na Grande São Paulo, produzem e doam escudos faciais para profissionais da saúde. A proteção é deve ser usada como máscara para dar ainda mais segurança aos médicos e enfermeiros.

O professor de engenharia Sebastião Garcia Júnior estava inquieto sem saber como contribuir para ajudar os profissionais de saúde durante a crise do coronavírus. Ele decidiu juntar uma das turmas da faculdade e produzir escudos faciais nos laboratórios do Centro Universitário Eniac . “Ficou evidente a necessidade, por conta dessa pandemia, de poder ajudar de alguma forma, né. E ajudar de fato. Fazer algo efetivo. Não só olhar e deixar passar.”

É uma linha de montagem que começa com o recorde de grandes placas de acetato. Tudo à mão, com estilete. Elas precisam caber em um espaço da máquina de corte a laser – que vai desenhando a proteção com exatidão e rapidez. O processo dura pouco mais de um minuto.

Na sequência, as peças vão para outra parte da montagem: um mesão onde se juntam e viram o protetor.

Os 18 alunos envolvidos no projeto revezam-se em turnos. O primeiro grupo trabalha das 8h às 13h e o segundo grupo assume até o fim da tarde.

Escudos faciais produzidos e doados por alunos de faculdade de Guarulhos — Foto: Reprodução/TV Globo

Escudos faciais produzidos e doados por alunos de faculdade de Guarulhos — Foto: Reprodução/TV Globo

As doações são destinadas aos profissionais de saúde de Unidades Básicas de Saúde e Hospitais de São Paulo e Guarulhos.

Todos os escudos são seguros e respeitam as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

FACULDADE DE GUARULHOS

  • Quer ajudar? Acesse innovation.org.br ou entre em contato para doar matéria prima: 11 99312-5080 (WhatsApp)

GRUPO DE VOLUNTÁRIOS DA DRA. PATRÍCIA

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Niterói anuncia testagem em massa contra o coronavírus

Lote com 40 mil kits chegará dos Estados Unidos na quarta-feira (1). Município já tem transmissão comunitária.

Por G1 Rio

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou neste domingo (29) que fará testagem em massa de pacientes suspeitos de Covid-19.

Pessoas com sintomas leves serão examinadas, sobretudo em comunidades carentes — o protocolo mínimo, adotado em outras cidades, é testar apenas pacientes graves e profissionais da saúde.

“Niterói será a primeira cidade do Brasil [a ter] uma testagem massiva e uma logística de quarentena. Vamos retirar as pessoas de seu local de moradia para evitar a propagação do coronavírus”, disse o prefeito.

“Nós teremos 40 mil testes já a partir do próximo fim de semana e estamos estruturando os centros de quarentena”, emendou.

Os kits chegarão dos Estados Unidos na quarta-feira (1). O cronograma de testagem e o processo de isolamento ainda serão anunciados.

“Nós estamos entrando em uma nova fase de combate dessa pandemia. Essa fase é a testagem massiva da população com sintomas respiratórios leves. Ou seja, não vamos ter mais o critério de testar apenas profissionais de saúde e pacientes internados. Vamos começar uma testagem massiva na nossa rede de saúde e em locais específicos para identificar mais rapidamente quem tem a presença do vírus”, detalhou o secretário de Saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira.

A estratégia, segundo Oliveira, é semelhante à adotada em Cingapura e na Coreia do Sul. “Na Coreia a taxa de letalidade está em 1%; na Itália, 10%”, comparou o secretário.

Prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, em coletiva pela internet sobre coronavírus — Foto: Repdrodução/Internet

Prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, em coletiva pela internet sobre coronavírus — Foto: Repdrodução/Internet

“Já imaginaram o que pode acontecer no país se uma pessoa contrair a doença e ela mora com dez pessoas em uma casa de uma comunidade carente?”, indagou Neves.

“Vamos implementar a testagem massiva, através dos médicos de saúde. Será de maneira planejada e coordenada”, disse o prefeito de Niterói.

Neves afirmou ainda que neste sábado (28) o município confirmou a transmissão comunitária de coronavírus — quando não é mais possível saber de onde uma pessoa pegou Covid-19.

“Nós vamos chorar muitos mortos. Mas Niterói vai sofrer menos”, disse o prefeito.

O prefeito afirmou haver na cidade 42 casos de Covid-19, com um morto, e um óbito está em investigação. Vinte e cinco estão em isolamento domiciliar, e nove, internados — cinco deles em UTIs. Sete já tiveram alta.

Medidas já tomadas

Desde o dia 23, apenas serviços essenciais estão funcionando, como farmácias, mercados, supermercados, postos de combustíveis, padarias, pet-shops, clínicas médicas e odontológicas, laboratórios de imagem e clínicas de vacinação, hotéis e clínicas veterinárias para casos de urgências.

Estão fechados restaurantes, bares, museus, teatros, parques, praças públicas, shopping centers e acesso às praias da cidade.

Foi aberto um concurso on-line para contratação emergencial de 456 profissionais de saúde no Município.

A prefeitura arrendou o Hospital Oceânico, em Piratininga, para abertura de 140 leitos de UTI exclusivos para coronavírus.

Semana passada também começou a sanitização de calçadas, ruas, hospitais e comunidades com mesma tecnologia usada na China. Equipes distribuíram ainda 80 mil kits de limpeza para comunidades por meio do Programa Médico de Família. Cada kit contém sabão em pó, álcool, água sanitária e sabão líquido.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Prefeito de São Bernardo é internado na UTI, após piora em quadro de coronavírus

Orlando Morando (PSDB), de 45 anos, testou positivo na quarta-feira (25), e estava em quarentena. Médico visitou prefeito neste domingo (29) e constatou baixa oxigenação.

Por Fabricio Lobel, TV Globo

Prefeito Orlando Morando (dir.) em visita a hospital de São Bernardo do Campo — Foto: Gabriel Inamine/Prefeitura de São Bernardo do Campo

Prefeito Orlando Morando (dir.) em visita a hospital de São Bernardo do Campo — Foto: Gabriel Inamine/Prefeitura de São Bernardo do Campo

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), de 45 anos, foi internado neste domingo (29) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Luiz, unidade de São Caetano do Sul, após ter seu quadro respiratório agravado em decorrência do coronavírus.

Segundo a Prefeitura de São Bernardo, município da Grande São Paulo, nesta semana, ele estava em quarentena em casa, mas neste domingo, o médico passou em sua residência e constatou que a oxigenação estava muito baixa. Diante de maior risco, decidiu encaminhá-lo ao hospital para cuidados na UTI, visando sua recuperação.

Morando apresentou os primeiros sintomas na segunda-feira (23). Na quarta-feira (25) testou positivo para o Covid-19 e depois disso o prefeito não apresentou melhoras.

Teste positivo

O resultado positivo foi divulgado por ele em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, onde Orlando Morando, tossindo muito, comunicou o teste positivo para o coronavírus e mostrou o documento.

“Tomei e vou continuar tomando todas as medidas para proteger a cidade. Fui para linha de frente e infelizmente vou aqui comunicar a vocês que também fui atingido. É triste? É triste, né?! Tá aqui meu exame, que diferente do presidente da República, não tenho medo de mostrar. Infelizmente deu positivo. É muito triste, porque não queria que isso tivesse acontecido, mas estou firme”, afirmou Morando.

“Como deu positivo, infelizmente vou ter que ficar em isolamento agora por 14 dias, a contar do dia de ontem [terça] quando tive o diagnóstico. Vou continuar trabalhando aqui da minha casa, fazendo as conferências. Espero que Deus me dê saúde para continuar trabalhando”, declarou.

A esposa do prefeito de São Bernardo, deputada Carla Morando, também anunciou que testou positivo para a doença.

“Eu já tinha feito o teste, o resultado acabou de chegar e também deu positivo para o coronavírus. As crianças já estão isoladas e eu o Orlando faremos a quarentena juntos. Temos fé em Deus que logo logo tudo isso vai passar, mas mesmo na quarentena vou ficar trabalhando de casa. Agradeço as palavras de carinho e apoio que estamos recebendo. Que Deus proteja a todos”, declarou a deputada estadual.

A deputada estadual Carla Morando e o marido prefeito de São Bernardo do Campo. — Foto: Divulgação

A deputada estadual Carla Morando e o marido prefeito de São Bernardo do Campo. — Foto: Divulgação

Ciclo do novo coronavírus - transmissão e sintomas — Foto: Aparecido Gonçalves/Arte G1

Ciclo do novo coronavírus – transmissão e sintomas — Foto: Aparecido Gonçalves/Arte G1

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Idoso que morreu com Covid-19 não seguiu isolamento até ter sintomas: ‘Era muito ativo’, diz neto

Segundo neto de aposentado, apesar de idoso restringir um pouco saídas de casa, ele manteve passeios esporádicos pela região central de Sorocaba (SP), onde morava sozinho.

Por Mayco Geretti, G1 Sorocaba e Jundiaí

Apesar da indicação de isolamento social, idoso mantinha rotina de passeios esporádicos na rua — Foto: Arquivo pessoal

Apesar da indicação de isolamento social, idoso mantinha rotina de passeios esporádicos na rua — Foto: Arquivo pessoal

O aposentado José Joaquim Magalhães, 92 anos, é a primeira morte confirmada da Covid-19 em Sorocaba (SP), segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Ao G1, o neto afirmou que apesar das orientações de isolamento, José mantinha a rotina de passeios pela região central da cidade até as vésperas de apresentar os sintomas.

“Ele foi orientado, mas morava sozinho e era muito ativo. Tinha muitos amigos pela região central de Sorocaba e sabemos que os passeios, embora possam ter diminuído um pouco, continuaram. É difícil proibir a movimentação de alguém que sempre foi autônomo”, diz Alexandre Rabelo.

José começou a apresentar os sintomas na terça-feira (24) e foi levado para um hospital particular da cidade, onde ficou internado com sintomas de gripe. Na quarta-feira (25) ele foi levado para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) com problemas no coração e morreu manhã de sábado (28). Segundo a Prefeitura, José tinha diabetes.

Sem direto a despedida

O neto de José relata que o protocolo de segurança imposto pela Covid-19 impediu que o idoso fosse velado. Após o óbito, uma funerária da cidade preparou o corpo em caixão lacrado e o sepultamento ocorreu de forma imediata.

José com o neto Alexandre Rabelo: idoso era independente e tinha rotina ativa  — Foto: Arquivo pessoal

José com o neto Alexandre Rabelo: idoso era independente e tinha rotina ativa — Foto: Arquivo pessoal

“É uma sensação muito estranha, pois alguém que teve uma história tão rica, que tinha tantos amigos na cidade que gostariam de se despedir, precisa ser enterrado assim, às pressas, como algo que está contaminado. O velório faz parte da despedida”, lamenta o neto.

Segundo ele, José era viúvo e vivia sozinho. Como não manteve contato com familiares nos dias que antecederam os sintomas, não há ninguém de sua família que tenha ficado em isolamento total como medida de segurança após o teste positivo de Covid-19 feito no idoso.

A Prefeitura de Sorocaba esclarece que, embora a família possua jazigo no Cemitério da Saudade, ela foi informada da impossibilidade do sepultamento naquele local.

Isso porque a Instrução Normativa da Secretaria de Serviços Públicos e Obras prevê que vítimas do coronavírus sejam enterradas apenas no Cemitério Municipal Santo Antonio, entre as opções municipais. Diante disso, a família optou pelo encaminhamento do corpo para um cemitério particular da cidade.

Primeira morte confirmada

A morte do idoso foi a primeira morte por coronavírus confirmada pela Prefeitura de Sorocaba. Em nota enviada no sábado a Secretaria da Saúde (SES) informou que a confirmação do diagnóstico foi feita por laboratório particular.

Segundo a Prefeitura, os dois outros casos confirmados de Covid-19 da cidade são de pessoas que se encontram em isolamento social e em bom estado de saúde.

Segundo o boletim mais atualizado, divulgado no sábado, a cidade passou de 199 para 222 casos suspeitos que aguardam resultados de exames. Deste total, 42 encontravam-se internados (11 em UTI). Quatro óbitos são investigados. O total de descartados por resultado de exames passou de 28 para 30.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

‘Estamos com medo’, diz cacique após entrada e saída de aldeias serem controladas para evitar coronavírus

Indígenas de Tocantínia dizem que não são acompanhados e orientados por órgãos estaduais e federais em meio à pandemia.

Por G1 Tocantins

Líder de aldeia diz que indígenas nao receberam orientações — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Líder de aldeia diz que indígenas nao receberam orientações — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Indígenas de Tocantínia, município da região central do estado, restingiram o acesso às aldeias para evitar a disseminação do novo coronavírus. Desde que as notícias sobre a doença começaram a surgir, os grupos evitam sair da aldeia. Além disso, a entrada de outras pessoas no local é controlada.

“Estamos com medo. Se chegar aqui nos Xerentes vai acabar tudo porque nós somos poucos”, disse o cacique Valdemar Sõiti Xerente. Entre os indígenas da região não há nenhum caso suspeito da Covid-19. (Veja o vídeo abaixo)

Em uma das aldeias, com cerca de 450 indígenas, as orientações sobre a prevenção da doença foram dadas no posto de saúde faz parte da Secretaria de Saúde do Índígena. Os profissionais da unidade monitoram os grupos para saber se alguém vai apresentar algum sintoma.

Os indígenas disseram que órgãos e entidades não fizeram acompanhamento e que as primeiras informações sobre a doença chegaram através de rede social e jornais de TV. Para eles faltam ações dos governos estadual e federal.

Segundo o cacique Valdeci, o sentimento é de desamparo, já que muitas atividades pararam e as pessoas ficaram desassistidas. “A gente como líder sabe das dificuldades de cada família, das pessoas que moram na comunidade. Alguns têm sua renda, agora tem umas famílias que dependem exclusivamente da sua luta de trabalho e do dia a dia”, contou.

As aulas nas aldeias foram suspensas, mas os mais jovens brincam e jogam bola em grupo. “Faltou esse acompanhamento aqui na aldeia”, disse o professor Manoel Xerente.

O cacique Valdemar Sõiti Xerente, de outra aldeia, disse que foi alertado através de uma ligação. “Uma pessoa ligou que nem falou o nome. Só para nós tomarmos cuidado, andar pouco na cidade. Ninguém vai atoa, só para comprar alguma coisa”, disse. Na aldeia em que ele vive moram 70 pessoas e a comunidade está assustada.

A Fundação Nacional do Índígena (Funai) foi procurada para comentar as declarações da comunidade, mas não se posicionou.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Governo anuncia R$ 40 bi para financiar salário do trabalhador de pequenas e médias empresas

Empréstimo cobrirá dois meses de folha e será limitado a dois salários mínimos por funcionário, informou o presidente do BC. Empresas não poderão demitir no período.

Por Fábio Amato, Guilherme Mazui e Luiz Felipe Barbiéri, G1 — Brasília

O governo federal anunciou nesta sexta-feira (27) uma linha de crédito emergencial para pequenas e médias empresas e que vai financiar salários pelo período de dois meses.

Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o programa vai disponibilizar no máximo R$ 20 bilhões por mês, ou seja, R$ 40 bilhões em dois meses.

De acordo com Campos Neto, porém, o dinheiro vai financiar, no máximo, dois salários mínimos por trabalhador.

Isso significa que quem já tem salário de até dois salários mínimos continuará a ter o mesmo rendimento. Entretanto, para os funcionários que ganham acima de dois salários, o financiamento ficará limitado a dois salários mínimos.

No caso de um funcionário que ganhe, por exemplo, R$ 5 mil por mês, vai ficar a critério da empresa complementar o valor acima de dois salários mínimos.

Ainda de acordo com o presidente do BC:

  • o financiamento estará disponível para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano;
  • o dinheiro será exclusivo para folha de pagamento;
  • a empresa terá 6 meses de carência e 36 meses para pagar o empréstimo;
  • os juros serão de 3,75% ao ano.

Além disso, informou o presidente do Banco Central, as empresas que contratarem essa linha de crédito não poderão demitir funcionários pelo período de dois meses.

“O dinheiro vai direto para a folha de pagamento. A empresa fecha o contrato com o banco, mas o dinheiro vai direto para o funcionário, cai direto no cpf do funcionário. A empresa fica só com a dívida”, disse Campos Neto.

De acordo como presidente, a previsão é que sejam beneficiadas pela medida 1,4 milhão de pequenas e médias empresas do país, num total de 12,2 milhões de pessoas.

Campos Neto afirmou que o 1,4 milhão equivale ao total de pequenas e médias empresas do país com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano.

Participação de bancos privados

A operação do programa será feita em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e bancos privados.

De acordo com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, do total de R$ 40 bilhões que serão ofertados, 75% virão do Tesouro Nacional e outros R$ 15% de bancos privados, que assinar os contratos com as empresas e vão repassar o dinheiro do financiamento direto na conta dos trabalhadores.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.