Enem 2018 chega a 6 milhões de candidatos; inscrições terminam às 23h59

Por G1

Enem 2018 abre inscrições (Foto: Reprodução)

Enem 2018 abre inscrições (Foto: Reprodução)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 recebeu, até as 11h40 desta sexta-feira (18), 6 milhões de inscrições. É possível se candidatar para fazer a prova somente até as 23h59, quando se encerra o prazo.

Basta entrar no site e digitar o número do CPF e do RG, para que seja criada uma senha. Também é preciso informar um número de celular e um e-mail válidos. Confira aqui o passo a passo.

No caso dos estudantes que terão de pagar R$ 82 para se inscrever, o prazo máximo para quitar o boleto bancário é o dia 23 de maio. Mesmo que haja um feriado regional e os bancos não funcionem, a data-limite não será alterada, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

São necessários de 3 a 5 dias úteis após o pagamento para que o site do Enem registre que a participação na prova está confirmada.

Isentos também devem se inscrever

Bolsistas da rede privada, estudantes de escola pública e participantes de programas sociais, por exemplo, puderam solicitar a isenção da taxa de inscrição. O resultado dos pedidos foi divulgado em 23 de abril.

No caso dos concluintes do 3º ano do ensino médio da rede pública, o sistema de inscrição dará a isenção automaticamente, mesmo que o candidato tenha se esquecido de solicitá-la antes.

Datas das provas

O Enem acontecerá em dois domingos, nos dias 4 e 11 de novembro:

  • 04/11: 45 questões de linguagens, 45 de ciências humanas e redação.

Duração: 5h30

  • 11/11: 45 questões de ciências da natureza e 45 de matemática.

Duração: 5h (30 minutos a mais do que em 2017)

Horários das provas

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Encerramento das provas: 19h (primeiro dia) e 18h30 (segundo dia)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Grupo com fantasias da série ‘La Casa de Papel’ que tentou invadir centro de triagem é denunciado pelo MPPE

Por G1 PE

Os homens que, fantasiados da série La Casa de Papel, tentaram invadir o Centro de Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, foram denunciados criminalmente pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE). A tentativa de invasão aconteceu no dia 17 de abril.

O grupo era formado por quatro pessoas, sendo uma delas um adolescente. Os três adultos foram denunciados pelos crimes de atentar contra a segurança de serviço de utilidade pública, desacatar funcionários públicos no exercício da função, provocar alarme ou ato capaz de produzir pânico ou tumulto, além de corrupção de menor de 18 anos.

A denúncia foi oferecida pela Promotoria de Justiça de Abreu e Lima. “No dia 17 de abril os denunciados, agindo com manifesto dolo, ingressaram sem autorização no Cotel, atentando gravemente contra a segurança do estabelecimento prisional”, diz o texto da denúncia.

Com macacões vermelhos e máscaras do pintor espanhol Salvador Dalí, o grupo foi detido por agentes penitenciários e encaminhado para a Delegacia de Paulista, também na Região Metropolitana. Depois de audiência de custódia, eles foram liberados sob pagamento de fiança.

A promotoria aponta ainda que o grupo se aproximou de uma estrutura de alta segurança da unidade prisional, desencadeando desencadeado atuação imediata dos agentes penitenciários, que acreditaram estar em curso uma invasão com a finalidade de resgate de presos.

O Ministério Público afirma ainda que, além de ocasionar risco de morte, em razão da possibilidade de serem efetuados tiros contra eles, a ação dos denunciados gerou tumulto generalizado no centro de triagem.

“Grande parte dos agentes penitenciários foram mobilizados para contenção e dominação dos invasores, fato que deixou outras áreas do estabelecimento vulneráveis e ocasionou evidente perigo ao serviço prestado pelo Cotel”, aponta ainda a denúncia.

 Quatro foram detidos com fantasias da série 'La Casa de Papel' ao tentarem invadir o Cotel, no Grande Recife (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Quatro foram detidos com fantasias da série ‘La Casa de Papel’ ao tentarem invadir o Cotel, no Grande Recife (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Entenda o caso

Com macacões vermelhos e máscaras do pintor espanhol Salvador Dalí, o grupo foi encaminhado à Delegacia de Paulista, também no Grande Recife. Ao WhatsApp da TV Globo, foram enviadas mensagens informando que o grupo era composto por youtubers pernambucanos que tentavam gravar uma pegadinha.

Nas redes sociais, um dos integrantes do grupo postou vídeos no início da noite do dia 16 de abril usando um macacão vermelho e máscaras de Dalí. Em seguida, foram gravadas imagens em frente a uma agência bancária que, segundo ele, fica em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

Segundo a Polícia Civil, o grupo entrou na unidade prisional portando celular e causando tumulto no local. Inicialmente, o caso foi registrado pelo delegado Diego Pinheiro, titular da Delegacia de Paulista.

Em nota, o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, recriminou a tentativa de invasão e classificou como uma “irresponsabilidade inimaginável”. Ele lembrou a tentativa de resgate que deixou 21 pessoas mortas no Complexo Prisional de Santa Izabel, no Pará, e disse que o grupo poderia “facilmente ser confundido com estes mesmos criminosos”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

BNDES estuda alongar prazos de empréstimos para incentivar investimentos

Por Luísa Melo, G1

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, disse nesta sexta-feira (18) que o banco avalia alongar os prazos de suas linhas de crédito como forma de incentivar a tomada de empréstimos pelas empresas.

A afirmação foi feita em entrevista a jornalistas após evento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

Segundo Oliveira, os estudos estão sendo feitos para todas as linhas disponíveis e os novos prazos valerão para novos contratos.

De acordo com ele, o alogamento possibilitará “um comprometimento de renda menor das empresas”, impulsionando novos investimentos.

“[As empresas] têm um espaço ainda muito pequeno de capacidade de endividamento, então a gente precisa adaptar os produtos do banco para que elas retomem o investimento mesmo durante esse processo de desalavancagem”, disse a jornalistas.

Segundo Oliveira, os estudos devem ser concluídos dentro de dois a três meses.

Oliveira destacou que, além da desalavancagem, ou seja, o pagamento de dívidas antigas, outro fator que está travando os investimentos das empresas é a alta capacidade ociosa da indústria.

Segundo ele, demanda por financiamentos deve crescer ao longo do ano e o BNDES estará preparado para atendê-la. “O BNDES reduziu seus spreads neste ano em torno de 25% a 50%. E a taxa básica, a TLP, está em 6,7% ao ano, então é uma taxa atrativa para as empresas”.

Desembolsos em queda

O presidente do BNDES disse ainda que o banco mantém a meta de desembolsar entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões em empréstimos em 2018, ainda que a recuperação da economia esteja mais lenta do que esperado.

De janeiro a março, os desembolsos de recursos do banco de fomento somaram R$ 11,15 bilhões, uma queda de 26% ante mesma etapa de 2017.

O movimento indica que a atividade no banco pode estar caminhando para o quinto ano seguido de declínio. Em 2017, o BNDES havia emprestado R$ 70,75 bilhões, queda anual de 20% e o menor nível em uma década.

“Estamos bem confiantes de que conseguiremos até o final do ano alcançar essa meta entre R$ 70 bilhões e 80 bilhões de desembolso”, afirmou Dyogo.

Oliveira disse que retomada do crescimento está sendo “gradual, mas contínua” e minimizou as revisões das provisões para o PIB deste ano.

“Para quem saiu de uma recessão tal qual nós saímos, não é nada mal crecer 2%, 2,5%, 3% em 2018. Não vamos achar que estamos numa crise. Não estamos numa crise. O que está acontecendo é que havia uma expectativa mais alta de crescimento e os analistas estão reduzindo”, disse.

Calote da Venezuela

Dyogo Oliveira disse que o BNDES ainda não recebeu do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), ligado ao Ministério da Fazenda, o repasse pela cobertura do calote de uma dívida da Venezuela.

“Ainda não foi feito o pagamento, mas isso não é necessário, o fundo paga para o banco dentro dos fluxos previstos de pagamento da operação até o final do ano, não há uma urgência sobre isso”, afirmou.

Ele reforçou que o fundo, que assegura operações de financiamento de empresas brasileiras à exportação, é superavitário e deve continuar em operação.

“Esse fundo tem um patrimônio de R$ 30 bilhões e tem um superávit acumulado durante sua existência de quase US$ 1,5 bilhão”, disse. “É um programa muito importante e que a gente tem que manter, porque o Brasil é um grande exportador e precisa continuar sendo”, emendou.

Oliveira acrescentou ainda que acredita que o FGE conseguirá reaver a quantia em atraso pela Venezuela, de cerca de R$ 400 milhões.

“Temos certeza que esses valores serão pagos. A Venezuela é um país de mais de 30 milhões de habitantes, ele não vai sair fugido por aí. Eles estão em dificuldade econômica conhecida, mas um dia isso também será sueprado e nós vamos reaver o nosso dinheiro.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

INSS estima que até 20% das aposentadorias por idade pedidas por internet e telefone terão concessão automática

Por Helton Simões Gomes, G1

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deve conceder de forma automática até 20% dos pedidos de aposentadoria por idade e salário-maternidade, que, a partir de segunda-feira (21), deverão ser solicitados exclusivamente por telefone ou pela internet. Nesses casos, a concessão do benefício não demorará mais do que 30 minutos.

Essa é a expectativa do órgão, segundo José Francisco da Silva Neto, chefe de divisão de gestão e implantação de sistema da diretoria de atendimento do INSS.

INSS já concede esses benefícios de forma automática desde setembro de 2017. Essa forma de requisição convivia com o modelo antigo, em que o contribuinte podia optar por agendar uma consulta em um posto do órgão. Só que, a partir de segunda, o atendimento presencial para solicitação deixará de existir.

Juntos, aposentadoria por tempo de serviço e salário-maternidade responderam por 1,4 milhão de pedidos em 2017.

Mudanças no sistema

A concessão automática passou a ser possível após o INSS promover algumas mudanças internamente, como:

  • introduzir processo de requisição eletrônica no ano passado, já que até então tudo era feito por meio de formulários em papel;
  • integrar as várias bases governamentais de dados que devem ser checadas, como o “Meu INSS” (central de serviço para o cidadão), o CNIS (cadastro nacional de informações sociais) (CNIS) e o Prisma (sistema de benefícios sociais do governo);
  • simplificar alguns sistemas, que possuíam muitas regras para identificar fraudes, mas acabavam barrando muitas concessões instantâneas.

“A partir do momento que a gente viu que a concessão automática é possível, pensamos em encerrar o modelo convencional e antigo. Vamos direcionar tudo para o novo modelo, ou seja, é o sistema que vai checar todos os pedidos de aposentadoria. Todos serão submetidos ao sistema que irá avaliar se estão em condições.”

‘Malha-fina’ do INSS

No caso da aposentadoria, por exemplo, o sistema vai checar, entre outros detalhes, se o segurado cumpre alguns requisitos para a aposentadoria, como a idade mínima ou tempo de serviço exigidos pelas regras atuais.

Ainda assim, oito em cada dez segurados não terão o benefício concedido automaticamente. Eles terão de ir a uma agência do INSS para complementar informação ou prestar esclarecimentos. Isso ocorrerá quando o sistema identificar “sinalizações de que pode haver alguma pendência”, diz Neto. Não quer dizer, no entanto, que terão o benefício negado.

Algumas das pendências podem ser:

  • contribuição para o INSS feita pela empresa empregadora fora do prazo;
  • registro de vínculos concomitantes, o que ocorre quando, em um mesmo período, mais de uma empresa recolhe contribuições para um mesmo contribuinte;
  • existência de benefício já ativo e que seja incompatível com o pedido feito ao INSS.

“Dá para fazer uma analogia com a Receita Federal”, compara Neto. “Você faz sua declaração de Imposto de Renda e só vai até a Receita se cair na malha fina.”

Prova de fogo

Neto reconhece que, no início, a “malha fina” do INSS vai ser bastante extensa, mas tende a ser menos restritiva no futuro. “À medida que a gente for melhorando o sistema, a concessão automática vai ser ampliada.”

O processamento das informações do INSS é feito e armazenado pela Dataprevi, que mantém uma central de dados no Rio. Neto conta que já há um acordo para a estatal ampliar a capacidade assim que a demanda exigir.

“A partir do dia 21, vai ser uma grande prova de fogo. A gente vai ter que medir o volume de requisições e, à medida que for aumentando o fluxo, já está combinado que eles possam aumentar a infraestrutura lá.”

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Laboratório de crack é descoberto em quarto de criança de 2 anos

Por G1 DF e TV Globo

Um homem de 28 anos foi preso em flagrante na noite da quarta-feira (17), em Samambaia Sul, no Distrito Federal, pela suspeita de manter um laboratório de produção de crack no quarto da filha, de 2 anos.

Segundo a Polícia Militar, Bruno Luís da Silva foi denunciado por comerciantes do centro de Taguatinga, que disseram estranhar o comportamento dele.

 Crack encontrado em cama de criança de 2 anos em Samambaia, no DF, junto de brinquedos (Foto: Polícia Militar do DF/Divulgação)

Crack encontrado em cama de criança de 2 anos em Samambaia, no DF, junto de brinquedos (Foto: Polícia Militar do DF/Divulgação)

Os policiais revistaram o veículo do suspeito, onde encontraram meio quilo de crack no porta-luvas, e em seguida foram para a casa dele, na quadra QR 501.

No local, os PMs descobriram que a droga era fabricada dentro do quarto da filha de 2 anos do suposto traficante. A droga, uma balança de precisão, uma faca e um martelo estavam em meio aos brinquedos e às roupas da menina.

 Porta do quarto onde crack era produzido em casa de Samambaia, no DF (Foto: TV Globo/Reprodução)

Porta do quarto onde crack era produzido em casa de Samambaia, no DF (Foto: TV Globo/Reprodução)

Barras de crack e pequenas porções, prontas para serem distribuídas, foram flagradas em cima da cama da garota. Dez quilos da droga foram apreendidos no local. A polícia avaliou o material em R$ 50 mil.

Também foram apreendidos DVDs piratas e mídias vazias. “Suspeitamos que ele entregava os DVDs junto da droga. Fica ali o ambulante vendendo a droga e disfarçando que está vendendo DVD”, disse o sargento Renê Brito, que atendeu a ocorrêcia.

 Facas, tesouras e balança de precisão eram guardados em quarto infantil, segundo a PM (Foto: Polícia Militar do DF/Divulgação)

Facas, tesouras e balança de precisão eram guardados em quarto infantil, segundo a PM (Foto: Polícia Militar do DF/Divulgação)

O material apreendido foi recolhido, colocado em caixas de papelão e levado para a 32ª Delegacia de Polícia, em Samambaia Sul, que investigará o caso. A menina de 2 anos foi deixada com os avós.

G1 não conseguiu contato com a defesa do suspeito até a última atualização desta reportagem.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Oito suspeitos de envolvimento na morte do Capitão Oliveira são mortos em confronto com a polícia de Sergipe

Por G1 SE, Aracaju

 Capitão Oliveira, comandante da Caatinga de Sergipe (Foto: Reprodução/TV Sergipe)

Capitão Oliveira, comandante da Caatinga de Sergipe (Foto: Reprodução/TV Sergipe)

Na madrugada desta sexta-feira (18), três pessoas foram presas e outras oito morreram em confronto com a Polícia Civil de Sergipe na Operação Rubicão deflagrada para prender os suspeitos de envolvimento na morte do Capitão Manoel Oliveira, executado a tiros dentro de um veículo em uma estrada do município de Porto da Folha (SE) no dia 4 de abril. A operação ocorre nos estados de Sergipe e Bahia.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a ação foi coordenada pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), que se baseou nas informações checadas através do número 181 e investigação policial. Dos oito mortos, que segundo a polícia reagiram a prisão, dois foram no Bairro Santa Maria, em Aracaju (SE), dois em Poço Redondo (SE), um em Paulo Afonso (BA), dois em Barreiras (BA) e mais um no município de Luíz Eduardo Magalhães (BA).

Ainda segundo a SSP, a ação contra o comandante da Caatinga mantém relação com um trabalho contra a pistolagem na Região Norte da Bahia e Alto Sertão de Sergipe. “A operação aconteceu em setembro de 2017 e prendeu um trio relacionado com o crime de pistolagem na Bahia, Sergipe e Alagoas e tinha como foco em Pedro Alexandre, na Bahia”, diz a nota.

A Delegada Geral da Polícia Civil, Katarina Feitoza, disse que um dos mortos, Antônio Brás, tem relação com a morte do deputado estadual Joaldo Barbosa, ‘Nêgo da Farmácia’, em 27 de janeiro de 2003. “Antônio Bras é um dos participantes da quadrilha. Foram cumpridos 10 mandados de prisão em Sergipe e Bahia. Oito desses suspeitos ousaram reagir, e como a gente já esperava, porque são uma quadrilha altamente organizada e armada, reagiram e entraram em confronto com os policiais”, conta.

A polícia também acredita que o grupo tenha envolvimento com as mortes do presidente da Câmara Municipal de Carira, Jailton Martins, um vereador de Poço Redondo e um ex-prefeito do município de Pedro Alexandre, na Bahia. “Eram pessoas muito perigosas e todas identificadas. A operação continua e haverá desdobramentos em todo o final de semana, possivelmente na próxima segunda-feira”, disse o assessor de comunicação da SSP, Lucas Rosário.

A ação contou com auxílio da Polícia da Bahia onde foram presos três envolvidos, que vão ser conduzidos ao Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), em Aracaju.

Operação Rubicão

A SSP explicou que o nome da operação faz referência a um rio italiano que não poderia ser atravessado pelas tropas romanas por conta de uma lei, mas, ao ser afrontado, Júlio César decide fazê-lo e sua ação culmina numa guerra civil. A expressão “atravessar o Rubicão” significa a tomada de uma decisão perigosa, pensar grande, ou ainda, ultrapassar fronteiras, defrontando-se com um caminho duvidoso e potencialmente perigoso.

O crime

O comandante do Pelotão da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ceopac), capitão Manoel Oliveira, foi executado a tiros na noite do dia 4 de abril dentro de um veículo em uma estrada do município de Porto da Folha (SE), Alto Sertão do Estado.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP), homens armados, em dois veículos Corolla, abordaram o oficial da PM e efetuaram vários disparos, próximo ao local onde fica a sede da unidade da Policia Militar.

O capitão Oliveira tinha 42 anos e fundou o Pelotão da Caatinga em 2008. Essa unidade da polícia atuava no alto e no Baixo Sertão do Estado combatendo todo tipo de crime.

 Polícia acredita que fardamento foi utilizado pelos autores do crime contra o Capitão Oliveira (Foto: SSP/SE)

Polícia acredita que fardamento foi utilizado pelos autores do crime contra o Capitão Oliveira (Foto: SSP/SE)

Fardamento

Polícia Federal analisa o material genético presente nos fardamentos da Polícia Militar de Sergipe, encontrados às margens da rodovia entre os municípios de Feira Nova a Graccho Cardoso, no sertão sergipano. O DNA para ajudar na identificação de possíveis suspeitos do crime.

Segundo a SSP, a polícia investiga se essas fardas teriam sidos usadas pelos envolvidos na morte do capitão. O material foi analisado pela perícia da Polícia Civil sergipana.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Homem procura a polícia após ser acusado na web de usar seringa para infectar pessoas com HIV

Por Matheus Fazolin, G1 Itapetininga e Região

Homem foi vítima de acusações em Boituva (SP) (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Homem foi vítima de acusações em Boituva (SP) (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Um homem registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Boituva (SP), nesta terça-feira (15), após ser acusado em publicações de redes sociais que estaria infectando pessoas com o vírus HIV por meio de uma seringa com o próprio sangue.

Ao G1, José Francisco de Roma, de 28 anos, afirmou que estava procurando emprego no momento em que foi fotografado em uma das ruas da cidade.

Após registrar o boletim de ocorrência, José foi a um posto de saúde do município para fazer exames e provar que não era portador da doença. O exame deu negativo para HIV, Sífilis e outras doenças, diz o morador.

“Fui dar uma volta na cidade, distribuir currículos, e acontece isso. Sou acusado por uma coisa que não fiz e por ter uma doença que não tenho”, afirma José.

 Após publicações, José foi ao posto de saúde de Boituva (SP) fazer exames de HIV e outras doenças (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Após publicações, José foi ao posto de saúde de Boituva (SP) fazer exames de HIV e outras doenças (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

A esposa dele, Atalice Dias, conta que ficou sabendo das mensagens na noite de segunda-feira (14) e, ao ver a publicação no celular de uma amiga, ficou assustada com o conteúdo do texto que acompanhava a foto.

“Fiquei sem palavras, meu mundo caiu e minha cabeça começou a doer… Nunca achei que isso poderia acontecer”, diz.

Atalice ainda disse que tentou ir à delegacia da cidade no mesmo dia em que viu, mas estava fechada. A Polícia Civil informou que está investigando o caso e procura por quem disseminou as informações.

A esposa contou que o marido dela está sendo alvo de comentários maldosos. “Ficam olhando para ele, encarando…”, diz.

O casal tem três filhos e mora em Boituva há cerca de oito anos. Ele vieram da cidade de São João do Piauí, no estado do Piauí, em busca de emprego e oportunidades de trabalho.

Boato foi espalhado em diversas redes sociais pelos moradores de Boituva (SP) (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Boato foi espalhado em diversas redes sociais pelos moradores de Boituva (SP) (Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação)

Início do boato

Segundo Atalice, houve um boato na cidade há alguns dias de que um homem estaria perfurando outras pessoas com uma seringa com sangue infectado de HIV.

Ainda segundo ela, uma das vítimas teria encaminhado áudios pelo WhatsApp alertando a população e teriam confundido o marido dela com este homem.

A Polícia Civil de Boituva informou que não recebeu nenhum boletim de ocorrência referente ao assunto e o hospital da cidade também não deu nenhuma entrada de pessoas relatando ter sido atacada por seringa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ex-governador de MT, sete deputados e mais 50 são denunciados por esquema de fraude no Detran

Por G1 MT

O ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (MDB), sete deputados estaduais e mais 50 pessoas foram denunciados pelo Ministério Público (MP-MT). Eles são suspeitos de participação em um esquema fraudulento que teria desviado cerca de R$ 30 milhões do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

G1 tenta contato com a defesa dos denunciados.

O desvio é investigado na Operação Bereré, deflagrada em fevereiro deste ano. A organização teria fraudado uma licitação e abriu uma empresa fantasma para acobertar o esquema, segundo a denúncia.

Além de Silval, foram denunciados:

  • José Eduardo Botelho (PSB), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT);
  • Mauro Savi (PSB), deputado estadual;
  • José Domingos Fraga (PSD), deputado estadual;
  • Wilson Santos (PSDB), deputado estadual;
  • Baiano Filho (PSDB), deputado estadual;
  • Ondanir Bortolini (PSD), deputado estadual;
  • Romoaldo Júnior (PMDB); deputado estadual;
  • Pedro Henry; ex-deputado federal;
  • Paulo Taques; ex-chefe da Casa Civil
  • Silvio César Côrrea, ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa

De acordo com o MP, os denunciados devem responder, entre outros, por crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro. Confira aqui a lista completa dos denunciados.

Neste mês, o deputado Mauro Savi foi preso durante a segunda fase da operação, chamada de Bônus.

Além de Savi, foram presos Paulo e Pedro Jorge Taques, primos do governador Pedro Taques (PSDB), e os empresários Roque Anildo Reinheimer, Claudemir Pereira dos Santos, vulgo ‘Grilo’, e José Kobori.

De acordo com o MP, o esquema começou a vigorar em 2009, quando o ex-presidente do Detran-MT, Teodoro Lopes, o Dóia, assumiu o cargo no órgão, sob a indicação de Mauro Savi.

Ele fez acordo de delação premiada com o MP. Segundo Dóia, o esquema começou na gestão de Silval.

De acordo com o depoimento dele, os investigados se organizaram, “a fim de garantir a continuidade do contrato, formando uma rede proteção em troca do recebimento de vantagens pecuniárias”.

Ao todo, 30% do valor recebido pelas empresa vencedora do contrato era repassado ao integrantes da quadrilha.

Investigação

A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas.

A primeira fase da Operação Bereré aconteceu em fevereiro deste ano e investigava um esquema que desviou dinheiro do Detran, com o apoio de políticos, por meio de empresas de fachada.

Em nota, o governo diz que o contrato com a empresa EIG Mercados Ltda (antiga FDL), por meio da qual teriam sido desviados recursos públicos do Detran, foi rompido após a primeira fase da operação, em fevereiro, e que “tomou todas as medidas administrativas necessárias para evitar prejuízo ao erário”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Avião monomotor desaparece em região de mata em Urucurituba, no interior do AM

Por G1 AM

Comunitários ajudam em buscas por aeronave desaparecida em Urucurituba (Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde de Urucurituba)

Comunitários ajudam em buscas por aeronave desaparecida em Urucurituba (Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde de Urucurituba)

Um avião monomotor de matrícula PR-RCJ desapareceu, nesta quarta-feira (16), ao passar por uma região de floresta situada no município de Urucurituba, distante 207 km de Manaus. A informação foi confirmada pela Força Aérea Brasileira (FAB) nesta tarde.

A aeronave desaparecida decolou de Itaituba, no interior do Pará, às 7h10 (hora local) e tinha previsão de pousar no Aeródromo de Flores, em Manaus, por volta de 7h55 (hora local).

Um helicóptero H-60 Black Hawk FAB foi engajado nas buscas, que se concentram a cerca de 160 km a sudeste da capital amazonense. O Salvaero Amazônico coordena a operação.

As buscas também são realizadas pela Polícia Militar e pela Defesa Civil do município, com auxílio da Saúde e comunitários. Até 17h50 desta quarta-feira (16), a aeronave não havia sido localizada. Ainda não há informações oficiais sobre a tripulação e passageiros.

Segundo a PM de Urucurituba, moradores de uma fazenda informaram que viram o avião voando próximo às árvores e depois desaparecendo em meio a vegetação.

O subsecretário de saúde do município, Otoniel da Cruz Souza, disse que a prefeitura da cidade recebeu uma ligação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para notificar o desaparecimento da aeronave.

Segundo ele, o proprietário da aeronave desaparecida soube do ocorrido e chegou de avião no município por volta de 14h30. Ele teria feito buscas aéreas, mas não conseguiu localizar o monomotor. O G1 não conseguiu contato com ele.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Criança morre com suspeita de raiva humana; chega a seis o número de mortes investigadas no Pará

Por G1 PA, Belém

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) confirmou mais uma morte de paciente com suspeita de raiva humana, no Arquipélago do Marajó. Até terça-feira (15) foram notificados 12 casos, com seis mortes, sendo um confirmado para a doença. Quatro crianças seguem internadas na Santa Casa de Misericórdia, em Belém; além de uma criança e um adulto no Hospital Regional de Breves. A maioria em estado considerado grave.

De acordo com a Sespa, coletas sorológicas foram realizadas em todos os pacientes que foram internados, inclusive os que morreram. As coletas foram encaminhadas para o Instituto Pasteur, em São Paulo, referência no diagnóstico de raiva.

Prevenção

Equipes da Vigilância Epidemiológica e Vigilância em Saúde estão no local para investigar as suspeitas, em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) e Ministério da Saúde.

 Sespa enviou 1.000 doses de vacinas antirrábicas e 300 frascos de soros antirrábico para região do Marajó. (Foto: Reprodução/TVCA)

Sespa enviou 1.000 doses de vacinas antirrábicas e 300 frascos de soros antirrábico para região do Marajó. (Foto: Reprodução/TVCA)

A Secretaria ainda reforça que intensificou as ações na região. Foram enviadas na segunda-feira (14) 1.000 doses de vacinas antirrábicas e 300 frascos de soros antirrábico. As ações se concentram na localidade de Rio Laguna, cerca de 70 km de Melgaço, onde residem aproximadamente 1.000 pessoas na comunidade. Até o momento já foram vacinadas 500 pessoas e entregues mosquiteiros para essa população.

Todos os pacientes apresentam quadro semelhante, com sinais e sintomas como febre, dispneia, cefaleia, dor abdominal e sinais neurológicos – paralisia flácida ascendente, convulsão, disfagia (dificuldade de deglutir), desorientação, hidrofobia e hiperacusia (sensibilidade a sons, principalmente agudos).

Histórico

Segundo a Sespa, casos confirmados de raiva humana no Pará não ocorrem desde 2005, quando 15 foram registrados no município de Augusto Corrêa e três em Viseu, nordeste paraense. Todos foram infectados por transmissão de morcego hematófago. No caso de Portel, no Marajó, os últimos casos de raiva humana ocorreram em 2004, atingindo 15 pessoas, também todas transmitidas por morcego.

 Morcegos hematófagos podem transmitir a raiva. Os últimos casos confirmados de raiva humana no Pará foram em 2005 e transmitidos pelo animal. (Foto: Adapec/Divulgação)

Morcegos hematófagos podem transmitir a raiva. Os últimos casos confirmados de raiva humana no Pará foram em 2005 e transmitidos pelo animal. (Foto: Adapec/Divulgação)

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.