Vizinhos salvam mulher de estupro após pedreiro tentar violentá-la em SP

Por G1 Santos

Caso foi registrado na Delegacia Sede de São Vicente, no litoral de São Paulo — Foto: G1

Caso foi registrado na Delegacia Sede de São Vicente, no litoral de São Paulo — Foto: G1

Um pedreiro foi preso em flagrante depois de invadir a casa de uma vizinha, de 63, em São Vicente, no litoral de São Paulo, e tentar estuprá-la, informou a Polícia Civil nesta sexta-feira (16). A vítima gritou por socorro ao ser atacada e chamou a atenção de vizinhos, que imobilizaram o suspeito.

Segundo informações da polícia, a aposentada estava na sala e foi surpreendida depois que o pedreiro, identificado como José dos Santos, de 49 anos, invadiu o imóvel no bairro Jóquei Clube. A porta da residência, localizada em um condomínio de casas, não estava trancada.

Conforme relato, o pedreiro agarrou a idosa, abaixou a cueca e tentou levantar a saia dela a força. Foi quando a vítima gritou por socorro e vizinhos correram para ajudá-la e retiraram o homem do local. Ele foi contido pelas pessoas até a chegada de equipes da PM, que o detiveram em flagrante.

Levado à delegacia sede da cidade, o pedreiro foi atuado em flagrante por importunação sexual e ficou preso, à disposição da Justiça. Ele estava, aparentemente, alcoolizado. Em abril desse ano, o suspeito foi detido temporariamente após ameaçar o tio com uma faca e agredí-lo.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Incêndio destrói ônibus de empresa de Sumaré; transporte segue normal nesta sexta

Por EPTV e G1 Campinas

Um incêndio atingiu a garagem da empresa de ônibus Ouro Verde, em Sumaré (SP), na noite da quinta-feira (15). Sete veículos foram destruídos pelo fogo, mas ninguém se feriu.

Nesta manhã, os coletivos que atendem as linhas municipais da cidade circulam normalmente.

A garagem da empresa Ouro Verde fica na região do bairro Nova Veneza. Segundo a Polícia Militar (PM), o incêndio começou por volta de 22h. Às 23h30, o fogo estava controlado. Quatro caminhões de combate a incêndio de Sumaré, Paulínia e Americana trabalharam no local.

Um funcionário da empresa disse à EPTV, afiliada da TV Globo, que os carros incendiados fazem parte da frota municipal, mas não estavam circulando ainda. São veículos seminovos para linhas municipais.

Funcionário evita danos maiores

De acordo com os bombeiros, as chamas só não se alastraram para outros veículos porque um dos funcionários da empresa conseguiu tirar um carro, o que impediu que o fogo se espalhasse para outras fileiras de coletivos estacionados.

“Um funcionário conseguiu tirar um dos ônibus do meio e controlar o fogo só naqueles ônibus que já estavam pegando fogo”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, Mário Bertolo.

Foram utilizados 50 mil litros de água no combate, segundo os bombeiros. As causas do incêndio serão investigadas.

A Guarda Civil Municipal informou que um funcionário da empresa viu um dos ônibus pegando fogo e acionou o Corpo de Bombeiros. As chamas se alastraram para os outros veículos rapidamente, segundo o relato.

Fogo atinge ônibus da Viação Ouro Verde, em Sumaré — Foto: Reprodução/EPTV

Fogo atinge ônibus da Viação Ouro Verde, em Sumaré — Foto: Reprodução/EPTV

A Viação Ouro Verde atua no transporte urbano nas cidades de Sumaré e Nova Odessa, além de operar linhas metropolitanas que ligam as cidades de Campinas, Americana, Hortolândia, Nova Odessa, Paulínia, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Empresário de Blumenau cria ‘bueiro inteligente’ para que lixo não caia em rede de esgoto

Por NSC TV

Cansado de ver o bueiro entupido em frente à loja, o empresário Tiago dos Santos, de Blumenau, no Vale do Itajaí, desenvolveu um filtro que segura todo o lixo que é carregado com a água da chuva. Ele batizou a criação como “bueiro inteligente”.

“O meu interesse maior é a conscientização das pessoas para mostrar o problema do plástico nos oceanos. As pessoas não acreditam, mas grande parte do lixo que está nos oceanos vem das cidades”, afirma o empresário.

O sistema é parecido com os que são usados em outros países. Nada mais é do que a combinação de várias grades que, juntas, retém o lixo.

Para colocar o bueiro em funcionamento, o empresário demorou quase um ano. Por enquanto, não pretende fabricar o modelo para vender. Diz que é apenas uma atitude de consciência ambiental.

Empresário criou 'bueiro inteligente' para separar lixo de água da chuva em SC — Foto: Divulgação/NSC TV

Empresário criou ‘bueiro inteligente’ para separar lixo de água da chuva em SC — Foto: Divulgação/NSC TV

“O que mais me assusta é que as pessoas perderam a capacidade de se indignar com esse problema ambiental. A gente está deixando um passivo ambiental para as próximas gerações muito grande”, disse o inventor.

Barreira ecológica

Santos também faz uma outra ação pelo meio ambiente. Pelo menos uma vez no mês, ele vai até um ribeirão e retira todo o lixo levado pela enxurrada, através de uma barreira ecológica que ele mesmo construiu.

Todo o material recolhido fica em uma cesta ao lado da calçada para chamar a atenção de quem passa pelo local. A grande preocupação está no plástico, que cai e é levado para o mar.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Imposto de Renda 2018: Receita paga 6º lote de restituições nesta sexta-feira

Por G1

A Secretaria da Receita Federal paga nesta sexta-feira (16) as restituições referentes ao 6º lote do Imposto de Renda de Pessoas Físicas de 2018. Este lote também inclui restituições residuais de 2008 a 2017. As consultas foram liberadas no último dia 9.

Ao todo, serão pagos R$ 1,9 bilhão a 1.142.680 contribuintes. Desse total, R$ 1,675 bilhão referem-se ao sexto lote do IR de 2018, que contemplará 991.153 contribuintes.

O valor das restituições é corrigido pela Selic (taxa básica de juros). A correção vai de 4,16% (correspondente a 2018) a 106,28% (correspondente a 2008)

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte também pode ligar para o número 146.

Do valor total de restituições, a Receita Federal informou que R$ 206 milhões referem-se aos contribuintes idosos, com mais de 60 anos, ou com alguma deficiência física, mental ou moléstia grave, além daqueles cuja maior de renda seja o magistério.

A Receita Federal recebeu 29.269.987 declarações do Imposto de Renda dentro do prazo legal neste ano, número acima da expectativa inicial de receber 28,8 milhões de declarações em 2018.

Malha fina

No mês passado, a Receita Federal informou que foram notificados, por meio de cartas, cerca de 383 mil contribuintes que caíram na malha fina, para cobrar débitos no valor de R$ 300 milhões.

Nos últimos anos, a omissão de rendimentos foi o principal motivo para cair na malha fina, seguido por inconsistências na declaração de despesas médicas.

Para saber se está na malha fina, os contribuintes podem acessar o “extrato” do Imposto de Renda no site da Receita Federal no chamado e-CAC (Centro Virtual de Atendimento).

Para acessar o extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Após verificar quais inconsistências foram encontradas pela Receita Federal na declaração do Imposto de Renda, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora. Quando a situação for resolvida, o contribuinte sai da malha fina e, caso tenha direito, a restituição será incluída nos lotes residuais do Imposto de Renda.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Lula é interrogado em processo da Lava Jato que apura reformas feitas em sítio de Atibaia

Por Thais Kaniak, G1 PR — Curitiba

Defesa de Lula quer que ação envolvendo sítio de Atibaia seja redistribuída para São Paulo — Foto: Nelson Almeida/AFP e Reprodução/TV Globo

Defesa de Lula quer que ação envolvendo sítio de Atibaia seja redistribuída para São Paulo — Foto: Nelson Almeida/AFP e Reprodução/TV Globo

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será interrogado, em Curitiba, nesta quarta-feira (14). A audiência – referente a um processo da Operação Lava Jato – está marcada para as 14h, no prédio da Justiça Federal.

Esta será a primeira vez que o ex-presidente deixará a Superintendência da Polícia Federal (PF), onde está preso desde abril.

A oitiva será conduzida pela juíza federal Gabriela Hardt. Lula é réu nesta ação penal. Ele responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Conforme o Ministério Público Federal (MPF), o ex-presidente recebeu propina de empresas como a OAS e a Odebrecht por meio da reforma e decoração no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que frequentava com a família. Outras 12 pessoas são rés neste processo.

Os valores foram repassados ao ex-presidente em reformas realizadas no sítio, de acordo com os procuradores do MPF. Segundo a denúncia, as melhorias no imóvel totalizaram R$ 1,02 milhão.

Lula nega as acusações e afirma não ser o dono do imóvel, que está no nome de sócios de um dos filhos do ex-presidente.

O empresário Fernando Bittar, um dos donos do sítio, responde por lavagem de dinheiro. Interrogado pela Justiça, na segunda-feira (12), Bittar disse que achava que Lula faria o pagamento das obras na propriedade.

O pecuarista José Carlos Bumlai, que é amigo de Lula e réu por lavagem de dinheiro nesta ação penal, também será interrogado nesta quarta-feira.

Juíza substituta

Os interrogatórios, que começaram na semana passada, estão sendo comandados pela juíza federal Gabriela Hardt, substituta na 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.

Gabriela Hardt assume temporariamente os processos da Lava Jato — Foto: Reprodução

Gabriela Hardt assume temporariamente os processos da Lava Jato — Foto: Reprodução

Sérgio Moro era o juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, porém, ao aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser ministro da Justiça, se afastou do cargo.

Em 5 de novembro, Moro comunicou que tiraria férias por 17 dias e quepedirá exoneração perto da posse, ou seja, no início de janeiro.

Gabriela Hardt começou a trabalhar com Moro em 2014 e, desde então, já o substitutiu em audiências.

Seleção do novo juiz

A seleção do novo juiz é de responsabilidade do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Com a saída de Moro, o TRF-4 deve abrir um processo informando que há uma vaga aberta. Quem pode participar são os juízes federais da região sul do Brasil. Entre os interessados, assume o juiz que tiver o maior tempo de magistratura.

Sérgio Moro, ao lado de Paulo Guedes, deixando a casa de Jair Bolsonaro, no Rio, quando aceitou o convite para ser ministro da Justiça — Foto: Henrique Coelho/G1Sérgio Moro, ao lado de Paulo Guedes, deixando a casa de Jair Bolsonaro, no Rio, quando aceitou o convite para ser ministro da Justiça — Foto: Henrique Coelho/G1

Sérgio Moro, ao lado de Paulo Guedes, deixando a casa de Jair Bolsonaro, no Rio, quando aceitou o convite para ser ministro da Justiça — Foto: Henrique Coelho/G1

Lula preso

petista está preso uma uma sala especial na PF, na capital paranaense.

Lula cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão pela condenação no caso do triplex em Guarujá (SP). Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Dólar fecha em alta de quase 2%, cotado a R$ 3,82

Por G1

Dolar — Foto: Reprodução: TV Globo

O dólar fechou em alta nesta terça-feira (13), após indicações do presidente eleito Jair Bolsonaro sobre inviabilidade de votação da reforma da Previdência neste ano. O dia foi marcado ainda por alívio nas tensões comerciais no mercado externo com a divulgação de conversas entre Estados Unidos e China.

A moeda norte-americana subiu 1,96%, vendida a R$ 3,8287. Veja mais cotações. Na máxima do dia, foi a R$ 3,8307. Na mínima, marcou R$ 3,7544. É o maior patamar de fechamento desde 5 de outubro (R$ 3,8547).

Cenário político

Na véspera, o presidente eleito reconheceu que dificilmente a reforma da Previdência será aprovada neste ano. Bolsonaro deu a declaração numa entrevista coletiva ao chegar à residência dele no Rio de Janeiro.

“Por mais que o mercado precificasse que a reforma da Previdência não sairia este ano, havia alguma expectativa e, com ela caminhando para a não votação, gera algum desconforto”, explicou à Reuters o diretor de operações da corretora Mirae, Pablo Syper.

Os investidores ainda seguiram atentos às indicações de nomes para a formação do futuro governo, com especial atenção sobre o comando do Banco Central.

Nesta manhã, Bolsonaro anunciou a indicação do general da reserva do Exército Fernando Azevedo e Silva, atual assessor especial do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para o cargo de ministro da Defesa.

Exterior

Ainda de acordo com a Reuters, o dia foi de alívio nas tensões comerciais no mercado externo após a divulgação de conversas entre Estados Unidos e China.

Na sexta-feira, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, retomou as discussões com o vice-primeiro-ministro da China, Liu He. Além disso, o principal negociador comercial da China, Liu He, pode visitar Washington para se preparar para as conversas entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, na cúpula do G20 na Argentina neste mês.

Intervenção do BC

O Banco Central vendeu nesta sessão 13,6 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 5,44 bilhões do total de US$ 12,217 bilhões que vence em dezembro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

No dia anterior, o dólar fechou em alta de 0,54%, vendido a R$ 3,7552.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Preços do petróleo caem 7% com preocupação sobre enfraquecimento da demanda

Por Reuters

Petróleo — Foto: Reprodução

Petróleo — Foto: Reprodução

Os preços do petróleo tiveram forte queda nesta terça-feira (13) e atingiram o patamar mais baixo em um ano diante de preocupações sobre o enfraquecimento da demanda global e excesso de oferta.

O petróleo Brent recuou US$ 4,65, ou 6,6%, a US$ 65,47 por barril, a maior perda diária desde julho.

O petróleo dos Estados Unidos caiu US$ 4,24, ou 7,1%, a US$ 55,69 por barril, na 12ª queda consecutiva, para o patamar mais baixo desde novembro de 2017. Foi o maior recuo percentual desde setembro de 2015.

“Foi como uma corrida bancária”, disse Phil Flynn, analista do Price Futures Group em Chicago.

Ambos os contratos de referência recuaram quase 30% desde as máximas de 4 anos registradas no início de outubro.

Em relatório mensal, a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) informou que a demanda mundial por petróleo em 2019 aumentará em 1,29 milhão de barris por dia, 70 mil barris por dia abaixo do previsto no mês passado. Foi o quarto corte consecutivo na previsão.

Os operadores também disseram que a queda dos preços foi desencadeada depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, postou um tweet destinado a pressionar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) a não cortar a oferta para sustentar os preços.

Trump deixou claro que quer que os preços do petróleo caiam.

“Esperamos que a Arábia Saudita e a Opep não cortem a produção de petróleo. Os preços do petróleo devem ser muito mais baixos com base na oferta!”, escreveu o presidente em um post no Twitter na segunda-feira.

Ainda pesou sobre os preços a cotação do dólar, que opera próximo de uma máxima de 16 meses, tornando o petróleo mais caro para os importadores que usam outras moedas.

“A alta produção nos EUA, juntamente com barris adicionais vindo da Arábia Saudita e Rússia, está começando a afetar os mercados do petróleo”, disseram analistas do Bank of America Merrill Lynch em nota a clientes, acrescentando: “os estoques de petróleo estão começando a aumentar mais uma vez”.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Ministro do Planejamento diz que mínimo pode ficar acima dos R$ 1.006 previstos para 2019

Por Alexandro Martello, G1 — Brasília

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, afirmou na terça-feira (13) que o salário mínimo pode ficar acima dos R$ 1.006 previstos para o ano que vem. Atualmente, o salário mínimo é de R$ 954.

O valor foi apresentado em 31 de agosto, quando o governo enviou ao Congresso Nacional a proposta de orçamento de 2019.

O cálculo do salário mínimo leva em conta, entre outros pontos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que deverá ficar acima do previsto pelo governo inicialmente.

Na prática, se o INPC for maior, o salário mínimo também aumentará.

“A gente tem uma perspectiva de que o valor do INPC venha um pouco maior do que aquilo que a gente estipulou”, afirmou Colnago nesta terça-feira ao participar de uma audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional.

Se confirmado o aumento, esta será a primeira vez que o salário mínimo ficará acima da marca de R$ 1 mil.

De acordo com o ministro, cada R$ 1 mais no salário mínimo representa R$ 304 milhões em gastos públicos. Isso porque os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos aposentados não podem ser menores do que um salário mínimo.

Fórmula do salário mínimo

O reajuste do salário mínimo obedece a uma fórmula que leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e a variação do INPC do ano anterior.

Para o salário mínimo de 2019, portanto, a fórmula determina a soma do resultado do PIB de 2017 (alta de 1%) e o INPC de 2018. Como só será possível saber no início do ano que vem a variação do INPC de 2018, o governo usa uma previsão para propor o aumento.

Além da inflação e do resultado do PIB, no reajuste do mínimo de 2019 está embutido uma compensação pelo reajuste do mínimo deste ano, que ficou abaixo da inflação medida pelo INPC.

Este é o último ano de validade da atual fórmula de correção do mínimo, que começou a valer em 2012. O próximo presidente da República, Jair Bolsonaro, ainda não informou qual será sua proposta para o salário mínimo de 2020 em diante.

Bolsa Família

Na audiência pública no Congresso Nacional, o ministro do Planejamento também informou que o orçamento do Bolsa Família para o ano de 2019 ainda não foi recomposto, apesar de determinação do presidente Michel Temer.

“Estamos trabalhando nisso. Até hoje, não achamos o espaço [no orçamento]”, declarou Colnago a parlamentares.

O governo enviou no final de agosto ao Congresso Nacional uma proposta de orçamento de 2019 contendo autorização para gastos de R$ 15 bilhões com o programa no próximo ano, mas as necessidades do programa são de R$ 30 bilhões. O Bolsa Família atende 13,9 milhões de famílias de baixa renda.

Para que a dotação fosse recomposta, teria de ser enviada uma mensagem modificativa ao Legislativo – o que ainda não aconteceu.

Os recursos do Bolsa Família e de outros programas foram bloqueados para que a chamada “regra de ouro” não seja descumprida. Os desequilíbrios da regra de ouro em 2019 estão estimados pelo governo, na peça orçamentária, em R$ 258,17 bilhões. Se a regra de ouro for descumprida, o presidente em exercício pode incorrer em crime de reponsabilidade.

Essa regra impede que o governo contraia dívida para cobrir despesas correntes, como o pagamento de salário de servidores. A lei admite que o governo se endivide apenas para fazer investimentos, que podem depois se refletir em crescimento da economia e em aumento da arrecadação.

Por isso, além de não autorizar R$ 15 bilhões para o Bolsa Família, também não foram liberados para gastos R$ 201,705 bilhões em benefícios previdenciários e R$ 30 bilhões do Benefício de Prestação Continuada (BPC) – pagamento de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família.

Além disso, também não estão autorizados o pagamento de R$ 9 bilhões em subsídios e subvenções econômicas e R$ 2,474 bilhões para Compensação ao Fundo do Regime Geral de Previdência Social.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PRF aumenta fiscalização nas estradas para combater crimes ambientais

Por Jornal Nacional

A Polícia Rodoviária Federal aumentou a fiscalização nas estradas para combater crimes ambientais. Entre eles, um tipo muito comum, mas difícil de detectar.

Um caminhão seguia do Maranhão para o Mato Grosso do Sul com mais de quinhentas estacas de aroeira, espécie ameaçada. O motorista e o dono da carga foram presos.

Em Cariri do Tocantins, a polícia prendeu pai e filho que levavam 79 aves, entre elas araras vermelhas, em risco de extinção. Só nos primeiros nove meses de 2018, quase 1,3 mil crimes ambientais foram flagrados nas BRs de todo o país.

Outra prática criminosa comum nas estradas nem sempre é fácil de detectar, mas causa grandes danos ao meio ambiente, à nossa saúde e à dos animais: é a fraude que aumenta a poluição gerada por caminhões.

Em São Paulo, os policiais apreenderam um caminhão que presta serviço aos Correios usando diesel proibido e sem o aditivo obrigatório. O veículo tinha até um dispositivo para esconder a fraude. Situações assim se espalham pelo país. Outro caminhão, que também trabalha para os Correios, foi apreendido em Araguaína, no Tocantins.

No Brasil, os veículos a diesel fabricados desde 2012 são obrigados por lei a usar tecnologia que reduz os gases tóxicos. Para escapar das fiscalizações, os caminhoneiros trocam mensagens e combinam até desvios. Em Gurupi, no Tocantins, o motorista foi multado em R$ 120 mil.

“A PRF qualifica como autor tanto o condutor do veículo, quanto o proprietário do veículo. É observado que muitas empresas, com grandes frotas, praticam esse tipo de crime a fim de economizar e colocam em risco a nossa sociedade”, diz o policial rodoviário federal Daniel de Oliveira.

Os Correios declararam que aguardam o envio da documentação da Polícia Rodoviária Federal para aplicar as penalidades previstas, em contrato, contra as empresas terceirizadas flagradas com combustível adulterado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Caso Vitória: laudos não indicam digitais de pedreiro em carros periciados em Araçariguama

Por Carlos Dias, G1 Sorocaba e Jundiaí

Vitória Gabrielly foi encontrada morta às margens de estrada rural em Araçariguama — Foto: Reprodução/TV TEM

Vitória Gabrielly foi encontrada morta às margens de estrada rural em Araçariguama — Foto: Reprodução/TV TEM

Um dos três réus presos pela morte da menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, não esteve em nenhum dos carros periciados na região de Araçariguama (SP), segundo informações obtidas pelo G1, nesta terça-feira (13). Em junho, a estudante saiu de casa para andar de patins e foi encontrada morta em um matagal oito dias depois. O inquérito da Polícia Civil apontou que a vítima foi assassinada por engano.

Conforme um dos laudos periciais ao qual o G1 teve acesso, não houve compatibilidade das impressões digitais colhidas no carro com as de Júlio Cesar Lima Ergesse, o servente de pedreiro preso por participação no crime com Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes– todos moradores de Mairinque.

No entanto, outros laudos do Instituto de Criminalística de São Paulo concluíram que Vitória foi morta com um golpe “mata-leão”, provavelmente no dia 8 de junho, quando desapareceu, e que havia material genético dela sob as unhas de Júlio.

Com relação ao casal, cães farejadores sentiram o odor de Bruno no local onde o corpo foi encontrado, às margens de uma estrada rural em Araçariguama, no bairro Caxambu.

Os advogados de defesa de Júlio, Marcelo Ergese Machado e Glauber Bez, afirmam que o réu não é culpado pelo homicídio e que irão provar durante a primeira audência marcada para o dia 27 de novembro.

“Temos provas de que o Júlio não participou do homicídio. Não foram encontrados indícios dele no local do crime e o material genético da menina embaixo da unha dele não quer dizer nada. Tal prova isoladamente não prova a participação no homicídio”, diz Bez.

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, Júlio e Bruno deram entrada na Penitenciária de Tremembé II, no dia 20 de julho e Mayara no mesmo dia na Penitenciária Feminina de Tremembé I.

O caso

Vitória Gabrielly foi encontrada morta oito dias depois de desaparecer ao sair de casa para andar de patins. Câmeras de segurança registraram os últimos momentos da menina em uma rua da cidade, próximo ao ginásio de esportes (assista ao vídeo acima).

Segundo a polícia, a vítima foi morta por engano em um acerto de contas por dívida de tráfico de drogas. A hipótese era investigada desde o início do caso e, conforme a polícia, foi confirmada por uma testemunha ouvida no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa, na capital paulista.

A testemunha, que teve a identidade preservada, disse que recebia ameaças de morte por dever R$ 7 mil a um traficante, e que tem uma irmã com as mesmas características físicas de Vitória. Disse ainda saber que o traficante punia familiares de devedores.

O primeiro preso pela morte de Vitória foi o servente de pedreiro localizado após uma denúncia. O rapaz chegou a dar seis versões sobre o desaparecimento da menina.

Júlio afirma que saiu de Mairinque com o casal e foi até Araçariguama achando que buscariam droga. Entretanto, diz que Mayara obrigou a menina a entrar no carro.

O pedreiro disse à polícia que foi deixado em uma rua na volta para a cidade onde mora e que, portanto, não sabia o que aconteceu depois disso. A informação foi negada em depoimento pelo casal.

corpo foi encontrado no dia 16 de junho, às margens de uma estrada de terra, após o cachorro de um catador de recicláveis indicar o local ao dono. O enterro da menina reuniu cerca de duas mil pessoas no cemitério da Araçariguama.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

contato@encartenoticias.com
jencartnoticias@gmail.com