Seu Vídeo Aqui!!!

————————————————————————————-

————————————————————————————

Universidades federais dizem que governo bloqueou orçamento e estão com atividades em risco

Governo anunciou contingenciamento de R$ 2,6 bilhões no Orçamento da União, mas ainda não detalhou as áreas que foram afetadas. Institutos federais também reclamaram de bloqueio.

Por Alexandro Martello, g1 — Brasília

Universidades federais afirmaram nesta quarta-feira (5) que o governo federal formalizou um bloqueio de recursos no Ministério da Educação, o que vai afetar as atividades das instituições.

O governo anunciou, no fim de setembro, um bloqueio no Orçamento da União de R$ 2,6 bilhões, mas ainda não detalhou quais ministérios sofreram o contingenciamento.

Agora, a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), disse que foi informada pelo Ministério da Educação que o bloqueio total para a educação foi de R$ 1 bilhão. Especificamente para a educação superior, é de R$ 328 milhões.

“Este valor, se somado ao montante que já havia sido bloqueado ao longo do ano, perfaz um total de R$ 763 milhões em valores que foram retirados das universidades federais do orçamento que havia sido aprovado para este ano”, explicou a Andifes.

Em razão do novo bloqueio de recursos, a diretoria da Andifes convocou uma reunião extraordinária de seu conselho pleno para esta quinta-feira para debater as ações e providências.

“A diretoria da Andifes, que já buscava reverter os bloqueios anteriores para o restabelecimento do orçamento aprovado para 2022, sem os quais o funcionamento das universidades já estava comprometido, aduziu que este novo contingenciamento coloca em risco todo o sistema das universidades”, acrescentou.

Governo anuncia bloqueio de R$ 2,6 bi em gastos do orçamento de 2022

Por fim, a Andifes diz lamentar que o novo bloqueio tenha sido imposto quase no final do ano, “mais uma vez inviabilizando qualquer forma de planejamento institucional, quando se apregoa que a economia nacional estaria em plena recuperação”.

“E lamentamos também que seja a área da educação, mais uma vez, a mais afetada pelos cortes ocorridos”, concluiu.

Entidades de ensino técnico também afirmam que sofreram contingenciamento que pode inviabilizar os trabalhos dos institutos federais (veja mais abaixo).

Em nota, o Ministério da Educação informou que se adequou ao bloqueio, em conformidade com o decreto do governo. A pasta disse ainda que, em dezembro, os valores serão desbloqueados.

“O MEC realizou os estornos necessários nos limites de modo a atender ao Decreto, que corresponde a 5,8% das despesas discricionárias de cada unidade. Segundo informações do Ministério da Economia, consoante ao que também determina o próprio decreto, informamos que os limites serão restabelecidos em dezembro”, disse o Ministério da Educação.

g1 questionou o Ministério da Economia sobre o novo bloqueio de recursos na educação e aguardava uma resposta até a última atualização desta reportagem.

Institutos federais

Em nota divulgada também nesta quarta, Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica reclamou de bloqueios no orçamento de instituições como os institutos federais.

De acordo com a nota, o novo contingenciamento da rede técnica é de R$ 147 milhões. Ao longo de todo ao ano, o valor chega a R$ 300 milhões.

“Serviços essenciais de limpeza e segurança serão descontinuados, comprometendo ainda as atividades laboratoriais e de campo, culminando no desemprego e na precarização dos projetos educacionais, em um momento de tentativa de aquecimento econômico e retomada das atividades educacionais presenciais no pós-pandemia”, escreveu a entidade do ensino técnico.

Bloqueio de R$ 2,6 bilhões

O bloqueio de R$ 2,6 bilhões no orçamento de 2022 foi anunciado em 22 de setembro. O objetivo, segundo a área econômica, foi o de cumprir a regra do teto de gastos — pela qual a maior parte das despesas não pode subir acima da inflação do ano anterior.

Os ministérios objeto dos cortes não foram divulgados naquele momento. Um decreto presidencial, editado em 30 de setembro, trouxe as tabelas com os contingenciamentos por áreas. Entretanto, ao contrário do que é habitual, o Ministério da Economia não divulgou explicações detalhando o contingenciamento por áreas.

Com o novo bloqueio no orçamento deste ano, o total de recursos contingenciados (considerando as limitações anteriores) avançou de R$ 7,9 bilhões para R$ 10,5 bilhões.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Preços de imóveis residenciais têm alta de 0,60% em setembro; confira lista dos municípios mais caros

Índice FipeZAP+ acompanha a variação do preço médio em 50 cidades brasileiras.

Por André Catto, g1

Os preços de venda de imóveis residenciais aumentaram 0,60% em setembro na comparação com o mês anterior. É o que mostra o índice FipeZAP+ de Venda Residencial, divulgado nesta quinta-feira (6).

A alta ocorre apesar de o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ter caído 0,95% no mesmo período. O IGP-M é utilizado como referência para o mercado imobiliário, especialmente para a correção de valores de contratos de aluguel.

Com o resultado do mês, o índice residencial acumula alta de 4,73% em 2022 – acima da inflação no período, de 4,01%, já considerando dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de setembro.

Quando analisados os últimos 12 meses, no entanto, o avanço dos preços residenciais ficou abaixo da inflação. A alta acumulada é de 6,25%, enquanto o IPCA avançou 7,08% e o IGP-M, 8,25%.

O Índice FipeZAP+ de Venda Residencial acompanha a variação do preço médio de apartamentos prontos em 50 cidades brasileiras – entre elas, 16 capitais – com base em anúncios veiculados na Internet.

Preço de venda

O preço médio de venda em setembro de 2022, calculado para as 50 cidades, é de R$ 8.214 o metro quadrado. A cidade mais cara da lista é Balneário Camboriú (SC), onde o metro quadrado custa, em média, R$ 10.741.

Quando consideradas as 16 capitais, São Paulo – que ocupa a segunda posição no ranking geral – lidera: R$ 10.055/m². Em seguida, estão o Rio de Janeiro (R$ 9.843/m²) e Vitória (R$ 9.794/m²). (Confira a lista completa no fim desta reportagem.)

Lançamento de imóveis residenciais desacelera em 2022

Alta nas capitais

Em setembro, 48 dos 50 municípios monitorados registraram aumento nominal e real – descontada a inflação – nos preços de venda. Entre as capitais, Manaus (AM) puxa a lista, com alta de 2,08%, seguida por Goiânia (GO), com aumento de 1,30%, e Maceió (AL), onde o avanço foi de 1,21%.

Quando considerado o balanço parcial de 2022 – de janeiro a setembro –, a alta nominal abrangeu 49 das 50 cidades. Entre as capitais, a maior alta acumulada ocorreu em Goiânia (GO), com avanço de 15,37%, seguida por Vitória (ES), que aumentou 15,15%, e Curitiba (PR): 10,87%.

No acúmulo dos últimos 12 meses, as mesmas capitais estão no topo: Goiânia (19,60%), Vitória (19,13%) e Curitiba (15,39%).

Variação do Índice FipeZAP+ nas capitais — Foto: Elaboração: g1

Variação do Índice FipeZAP+ nas capitais — Foto: Elaboração: g1

Preço médio de venda por cidade (m²); dados de setembro

  1. Balneário Camboriú (SC): R$ 10.741
  2. São Paulo (SP): R$ 10.055
  3. Rio de Janeiro (RJ): R$ 9.843
  4. Itapema (SC): R$ 9.810
  5. Vitória (ES): R$ 9.794
  6. Florianópolis (SC): R$ 9.311
  7. Itajaí (SC): R$ 8.988
  8. Brasília (DF): R$ 8.780
  9. Curitiba (PR): R$ 8.315
  10. Barueri (SP): R$ 8.153
  11. Belo Horizonte (MG): R$ 7.551
  12. São Caetano do Sul (SP): R$ 7.244
  13. Vila Velha (ES): R$ 7.173
  14. Recife (PE): R$ 6.945
  15. Maceió (AL): R$ 6.885
  16. Niterói (RJ): R$ 6.769
  17. Fortaleza (CE): R$ 6.724
  18. Osasco (SP): R$ 6.576
  19. Porto Alegre (RS): R$ 6.469
  20. São José dos Campos (SP): R$ 6.413
  21. Santo André (SP): R$ 6.231
  22. Manaus (AM): R$ 5.917
  23. Goiânia (GO): R$ 5.898
  24. Santos (SP): R$ 5.805
  25. Joinville (SC): R$ 5.793
  26. São José (SC): R$ 5.769
  27. Diadema (SP): R$ 5.767
  28. Salvador (BA): R$ 5.685
  29. Guarulhos (SP): R$ 5.619
  30. Campinas (SP): R$ 5.615
  31. Guarujá (SP): R$ 5.515
  32. São Bernardo do Campo (SP): R$ 5.502
  33. João Pessoa (PB): R$ 5.348
  34. Blumenau (SC): R$ 5.233
  35. Campo Grande (MS): R$ 4.950
  36. Jaboatão dos Guararapes (PE): R$ 4.922
  37. Praia Grande (SP): R$ 4.905
  38. Canoas (RS): R$ 4.892
  39. Caxias do Sul (RS): R$ 4.862
  40. Santa Maria (RS): R$ 4.844
  41. São José do Rio Preto (SP): R$ 4.459
  42. Novo Hamburgo (RS): R$ 4.425
  43. Ribeirão Preto (SP): R$ 4.314
  44. Londrina (PR): R$ 4.297
  45. São Leopoldo (RS): R$ 4.292
  46. Contagem (MG): R$ 4.278
  47. São José dos Pinhais (PR): R$ 4.212
  48. São Vicente (SP): R$ 4.132
  49. Pelotas (RS): R$ 4.058
  50. Betim (MG): R$ 3.420
    Média ponderada (50 cidades): R$ 8.214

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

PM é morto em ataque de criminosos no Andaraí; homem em carro passou atirando

Cabo foi baleado na cabeça. Ele deixa mulher e duas filhas.

Por Bom Dia Rio

Um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Formiga foi morto em um ataque de criminosos na Zona Norte do Rio na noite desta quarta-feira (5).

O cabo Daniel Belarmino dos Santos, de 42 anos, foi baleado na cabeça quando um bandido atirou em um carro em movimento contra a viatura onde ele estava, na Rua Leopoldo, no Andaraí, próximo à Estrada Grajaú-Jacarepaguá.

O PM chegou a ser levado para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu aos ferimentos.

O cabo deixa esposa e duas filhas. Ele estava havia oito anos na PM.

PM é assassinado no Grajaú, na Zona Norte do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

PM é assassinado no Grajaú, na Zona Norte do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Atriz morre em tentativa de assalto em Marechal Hermes

Câmeras de segurança flagraram o momento em que dois criminosos tentaram abordar Eliane Loreti de Campos, de 58 anos. Ela chegou a ser levada para o Hospital Getúlio Vargas, mas morreu antes de ser operada.

Por Anna Beatriz Lourenço e Marco Antônio Canosa, Bom Dia Rio

A atriz Eliane Loreti de Campos — Foto: Reprodução/TV Globo

A atriz Eliane Loreti de Campos — Foto: Reprodução/TV Globo

Uma mulher morreu após ser baleada por criminosos que tentaram roubar seu carro em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, na noite de quarta-feira (5). Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que dois criminosos tentaram abordar a atriz Eliane Loreti de Campos, de 58 anos.

Os bandidos se aproximaram na Rua Costa Filho. Inicialmente, eles caminham pela calçada. Quando viram o carro, um dos criminosos vai para o meio da rua e fica na frente do carro, mas Eliane não parou o veículo. Ele, então, atirou duas vezes em direção a janela da motorista e saiu correndo com o comparsa.

O carro de Eliane ainda percorreu alguns metros e bateu em um poste em um cruzamento.

Os moradores chamaram o Corpo de Bombeiros do quartel de Guadalupe, também na Zona Norte do Rio. Eliane foi atingida na cabeça e chegou a ser levada para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas ela não resistiu aos ferimentos. A vítima morreu antes de ser operada.

Ação de criminosos durou 6 segundos

Carro de Eliane foi atingido por disparos do lado do vidro da motorista. Atriz morreu com tiro na cabeça — Foto: Reprodução/ TV Globo

Carro de Eliane foi atingido por disparos do lado do vidro da motorista. Atriz morreu com tiro na cabeça — Foto: Reprodução/ TV Globo

Os criminosos fugiram sem levar nada. Toda a ação dos bandidos durou 6 segundos.

Eliane era atriz e voltava do ensaio de uma peça com uma amiga, também atriz, que ficou ferida por estilhaços de vidro.

Em agosto, as duas estiveram em cartaz no Teatro Armando Gonzaga com a peça Abajur Lilás, texto do escritor Plínio Marcos. Além de atuar há mais de 20 anos, Eliane era professora aposentada.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Estudo em sete estados indica a polícia do RJ como a que mais mata e mais morre

Conclusão é do relatório da Rede de Observatórios da Segurança, que monitorou mais de 21mil eventos violentos na Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro e São Paulo.

Por Eliane Santos, g1 Rio

O indicador de alta letalidade para eventos envolvendo a polícia no Rio de Janeiro continua sendo uma das marcas das forças de segurança do estado. É isso que afirma o novo relatório da Rede de Observatórios da Segurança Pública, e que foi divulgado nesta quinta-feira (6).

Pelo terceiro ano consecutivo, o estudo analisou 16 indicadores (veja no quadro abaixo) de violência na Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro e São Paulo, entre agosto de 2021 e julho de 2022. O período resultou em 21.563 eventos violentos analisados nesses locais, destaca um componente racial nas ações violentas e foi batizado de “Máquina de moer gente preta: a responsabilidade da branquitude”.

O relatório mostra ainda outros recortes, como o que aponta que as ações policiais continuam representando mais da metade desses registros.

Polícia que mais mata e mais morre

No conjunto dos sete estados, os eventos ligados às polícias representam 55% do estudo, mas no Rio de Janeiro, eles chegam a 67%. O estado se destaca ainda pela violência policial, sendo o estado em que a polícia mais mata e mais morre.

Esse mesmo dado já tinha aparecido no Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2021, que mostrava o número de pessoas mortas pela polícia, e em anos anteriores, com destaque para a morte dos servidores das forças de segurança pública.

Números do estudo mostram que, no período analisado, o estado teve mais que o dobro de morte em ações de policiamento, mais que o dobro de mortes de crianças e adolescentes e mais que o triplo de feridos (veja abaixo).

Número de mortes do relatório da Rede de Observatório de Segurança 2021/2022: RJ violento — Foto: Reprodução

Número de mortes do relatório da Rede de Observatório de Segurança 2021/2022: RJ violento — Foto: Reprodução

“O Rio de Janeiro precisa de uma mudança de rumos na segurança pública o quanto antes. Repetir os velhos erros e investir em ações policiais violentas, com violações dos direitos humanos, sem inteligência ou investigação nos trouxe até aqui. Temos registrado recordes de mortes promovidas por policiais e, ao mesmo tempo, visto o crime se expandir e diversificar sua atuação, mantendo parcelas expressivas da população sob o controle violento e a exploração financeira”, diz trecho da conclusão do estudo.

Veja outros indicadores analisados e as conclusões dos outros estados:

Os 16 indicadores analisados pelo Observatório de Segurança — Foto: Reprodução

Os 16 indicadores analisados pelo Observatório de Segurança — Foto: Reprodução

  • São Paulo se destaca pela violência contra crianças e adolescentes com um aumento de 15%;
  • A Bahia teve aumento de 47% de registros de violência contra a mulher;
  • Pernambuco é o estado que mais mata mulheres trans e mais registra feminicídios no Nordeste;
  • Piauí surpreende liderando o número de linchamentos. O estado também lidera, ao lado do Maranhão, os casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes
  • O Ceará teve um aumento de 75% de chacina de um ano para o outro e é o que mais mata policiais no Nordeste.

Como foi feito o estudo

Segundo a Rede de Observatórios, o monitoramento é feito diariamente a partir de veículos de imprensa. Os pesquisadores coletam informações e alimentam um banco de dados que posteriormente é revisado e consolidado.

A Rede de Observatórios afirma ainda que busca produzir e divulgar dados confiáveis e de qualidade para que políticas públicas sejam avaliadas e implementadas.

O relatório conclui ainda que o modelo de confronto como política de segurança pública não funciona, afeta principalmente pessoas negras e pobres, e não resulta na desarticulação do crime.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Vazamento de gás tóxico em Pontal: o que se sabe e o que falta esclarecer

Uma mulher morreu e outras duas pessoas precisaram ser intubadas em cidade no interior de São Paulo. Substância ainda não foi identificada.

Por g1 Ribeirão Preto e Bom Dia Cidade

Intoxicação coletiva deixa uma pessoa morta e mais de mil saem de casa no interior de SP

O vazamento de um gás tóxico ainda não identificado em Pontal, no interior de São Paulo, assustou moradores, que precisaram buscar atendimento médico com suspeita de intoxicação, e obrigou cerca de 1 mil pessoas de diferentes bairros a deixar suas casas em diferentes bairros.

Veja o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso.

O que aconteceu?

Por volta de 19h30 da noite de terça-feira (4), moradores de Pontal, cidade de 51,7 mil habitantes na região de Ribeirão Preto (SP), começaram a sentir um cheiro muito forte, e cerca de 1 mil pessoas, segundo autoridades locais, deixaram suas casas.

Imediatamente, moradores e até animais de estimação começaram a passar mal, com sintomas respiratórios e dificuldade para respirar. Dezenas de moradores procuraram atendimento médico na Santa Casa do município. Segundo boletim de ocorrência da Polícia Civil, cerca de 70 moradores foram encaminhados ao hospital local, mas também houve atendimentos em cidades vizinhas.

Dois moradores foram intubados e encaminhados para hospitais de Sertãozinho (SP) e Ribeirão Preto (SP). Outros dois foram internados na Santa Casa de Pontal com uso de catéter de alto fluxo.

Onde aconteceu?

O vazamento foi identificado na Rua Alexandre Andruciolli, segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), mas o cheiro se espalhou para outras regiões da cidade. Ao menos cinco bairros foram afetados.

Vazamento de gás tóxico deixa uma pessoa morta e várias feridas em Pontal, SP

O que vazou?

Ainda não se sabe qual gás vazou. Há suspeitas de amônia ou cloro. Os moradores relataram que sentiram um cheiro parecido com água sanitária.

As causas do vazamento também são desconhecidas. Técnicos e especialistas da Cetesb já começaram uma investigação.

O caso também é apurado pela Polícia Civil, onde um boletim de ocorrência por uso de gás tóxico ou asfixiante foi registrado. As autoridades policiais aguardam o exame da perícia no local do vazamento e o laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre a vítima.

O que as pessoas devem fazer?

A Prefeitura orientou os moradores a usarem máscara de proteção respiratória e a deixarem imediatamente os imóveis, principalmente quem tem dificuldade de respirar ou está sentindo ardência no rosto. Ainda de acordo com a prefeitura, as casas devem ser mantidas abertas para garantir a ventilação. A prefeitura disponibilizou o número de telefone (16) 3953-9999 para informações.

Além dos Campos Elíseos, moradores dos bairros Nova Pontal, Jardim Europa, Jardim Jequitibá 1,2 e 3, Vila Adelaide e Vila Regina foram orientados a deixarem as casas e se abrigarem no ginásio de esportes Adib Damião ao menos até as 11h desta quarta-feira (5), para depois definir o encaminhamento correto das pessoas. Apesar disso, houve moradores que preferiram ir embora antes.

De acordo com prefeito Zé Carlos (PSL), caso haja necessidade, as escolas da cidade serão usadas para acolher os moradores. O prefeito também informou que a Unidade de Pronto Atendimento Municipal (Upam) vai atender pacientes em auxílio à Santa Casa, que teve reforço no efetivo na noite de terça.

Como está a situação na cidade?

A Prefeitura suspendeu as aulas nas redes pública e particular e os serviços públicos, exceto os do setor de saúde, nesta quarta-feira (5).

Em nota, a Cetesb informou que desde a noite presta atendimento em função do vazamento, assim como equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesa Civil.

“Parte do quarteirão foi evacuado pelo Corpo de Bombeiros e estão sendo feitas inspeções nos imóveis e em empresas das imediações, em busca da fonte da poluição. Até o momento, não foi encontrada nenhuma atividade que pudesse ser a causadora da contaminação. A Cetesb permanece no local investigando a provável causa da emissão de gases e monitorando a região”, comunicou.

Há vítimas?

O secretário de Governo, Abnevaldo Neves Silva, confirmou à EPTV, afiliada da TV Globo, que uma mulher morreu. A suspeita é de que a vítima, de 38 anos, era moradora de uma casa de onde a substância química teria vazado e de que ela estaria manuseando produtos de limpeza fabricados no local na hora do incidente. As circunstâncias da morte serão investigadas pela Polícia Civil.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Rótulos de alimentos mudarão no domingo; entenda as novas regras

Objetivo é melhorar a clareza e legibilidade dos rótulos e, assim, auxiliar a pessoa a fazer escolhas alimentares mais conscientes.

Por g1

Alimentos fabricados a partir do dia nove de outubro devem ter novos rótulos

Os alimentos fabricados a partir do domingo (9) seguirão os novos rótulos determinados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para facilitar a informação para o consumidor. Segundo a agência, o objetivo é melhorar a clareza e legibilidade dos rótulos e, assim, auxiliar a pessoa a fazer escolhas alimentares mais conscientes.

A tabela de informação nutricional passará a ser branca com letras pretas para ressaltar a informação. Será obrigatória a declaração de açúcares totais e adicionados, do valor energético e de nutrientes por 100 g ou 100 ml, para facilitar a comparação de produtos, bem como o número de porções por embalagem.

Novo rótulo dos alimentos — Foto: Reprodução/Anvisa

Novo rótulo dos alimentos — Foto: Reprodução/Anvisa

Além disso, a tabela deverá ser localizada, em geral, próxima à lista de ingredientes e em superfície contínua – não poderá ser apresentada em áreas encobertas ou de difícil visualização. O número de porções também passa a ser obrigatório.

A principal mudança é a identificação na frente da embalagem, na parte superior, dos produtos com alto teor de açúcar, gordura saturada e sódio que, em excesso, podem fazer mal à saúde. “A ideia é esclarecer o consumidor, de forma clara e simples, sobre o alto conteúdo de nutrientes que têm relevância para a saúde”, explica a Anvisa.

A lupa da rotulagem frontal será obrigatória em alimentos com altos níveis de açúcar, gordura ou sódio — Foto: Reprodução/Anvisa

A lupa da rotulagem frontal será obrigatória em alimentos com altos níveis de açúcar, gordura ou sódio — Foto: Reprodução/Anvisa

Já as alegações nutricionais – que apontam características positivas do produto, como “livre de gordura trans” e “rico em vitaminas” – seguirão voluntárias, mas deverão seguir alguns critérios:

  • Caso o alimento tenha a lupa, a alegação nutricional não poderá ocupar a parte superior da frente do produto
  • Alimentos com rotulagem frontal de açúcar adicionado não podem ter alegação nutricional relativa a açúcares
  • Alimentos com rotulagem frontal de gordura saturada não podem ter alegações para gorduras totais, saturadas, trans e colesterol
  • Alimentos com rotulagem frontal de sódio não podem ter alegações para sódio ou sal

Mercadorias com prazo de validade mais longo e que já estão no mercado vão ter mais para se adaptar, como bebidas em garrafas retornáveis.

“À medida que o consumidor tem acesso as informações mais detalhadas e mais exatas dos produtos, ele passa a ter maior consciência sobre aqueles produtos que está consumindo e naturalmente, como efeito secundário, os fabricantes acham por melhorar a qualidade nutricional dos seus produtos para atender a demanda dos seus consumidores”, explica Tiago Rauber, coordenador de Padrões e Regulação de Alimentos da Anvisa.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Padre cochila, perde controle de veículo e cai em lago no Ceará

Veículo pertence à Paróquia de Groaíras, cidade no interior do estado.

Por g1 CE

Motorista perde o controle do veículo, invade pista contrária e cai em açude em Groaíras

Um padre que conduzia uma caminhonete caiu em um lago com o veículo à margem da CE-179, após perder o controle do veículo e sair da pista. O acidente ocorreu na tarde desta terça-feira (5) na estrada que liga as cidades Sobral e Groaíras, no interior do Ceará.

O acidente foi filmado por um motorista que trafegava na rodovia. As imagens mostram o momento que a caminhonete perde o controle ao bater no meio fio. Em seguida, o veículo invadiu a faixa contrária e saiu da pista, caindo em um lago.

Conforme a assessoria da Prefeitura de Groaíras, o veículo pertence à paróquia da cidade e era conduzido por um padre, que cochilou. Ele e os outros ocupantes do veículo foram socorridos com ferimentos leves.

g1 solicitou informações ao Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual (BPRE) e aguarda resposta.

Motorista perde controle do veículo e cai em lago em rodovia de Groaíras, no interior do Ceará — Foto: Reprodução

Motorista perde controle do veículo e cai em lago em rodovia de Groaíras, no interior do Ceará — Foto: Reprodução

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Golpista se passa pelo ator Johnny Depp no Instagram e engana aposentada; vítima perdeu mais de R$ 200 mil e tenta indenização

Vítima chegou a vender carro, casa e fazer três transferências para conta de um brasileiro. Nome aparece em sites mantidos pelas ‘caçadoras de golpistas’;

Por Carlos Henrique Dias, g1 SP

A Justiça considerou improcedente a ação de uma aposentada contra um banco depois de perder mais de R$ 200 mil ao transferir o dinheiro para um golpista que se passava pelo ator norte-americano Johnny Depp e prometia um relacionamento com a brasileira. Cabe recurso.

Segundo a decisão da juíza Clarissa Rodrigues Alves, no processo de indenização, a vítima afirmou que teve o primeiro contato com o criminoso em 21 de setembro de 2020 pelo Instagram.

As transferências foram feitas para uma conta em nome de Antônio, que foi identificado pelo falso Johnny Depp como um “amigo brasileiro de seu advogado”. Os valores pedidos durante o golpe de romance foram referentes a falsas condenações em processos que supostamente envolviam a figura do ator.

Na Justiça, ela pediu a condenação do banco que recebeu as transferências em nome do brasileiro com indenização e danos materiais e morais em R$ 208,4 mil.

O banco alegou à Justiça que a moradora de Osasco, na Grande São Paulo, foi quem transferiu o dinheiro por “livre e espontânea vontade”, sem interferência da agência.

“Embora a autora afirme ter sido vítima de um golpista, nada nos autos comprova toda a sua narrativa. Note-se que a autora anexou aos autos apenas e tão somente os comprovantes de transferência bancária, que por livre e espontânea vontade efetuou, mas não junta o tal perfil do Instagram que a enganou”, escreveu a juíza em decisão foi publicada em 28 de setembro.

O golpe

Segundo apurado pelo g1, no início as conversas eram apenas sobre o cotidiano, mas, com o passar do tempo, a pessoa que afirmava ser o próprio ator contava a história de que precisava de dinheiro para o pagamento de condenações em processos que estava envolvido.

Realmente, no começo do ano, Depp estava processando a ex-mulher Amber Heard e pedindo US$ 50 milhões em danos morais por um artigo que ela escreveu no jornal “The Washington Post” em que afirmou ser vítima de violência doméstica. Heard também processou o ator em ação que pediu US$ 100 milhões.

Amber e Johnny foram condenados por difamar um ao outro no Tribunal do Condado de Fairfax, no estado norte-americano da Virgínia. O processo repercutiu mundialmente.

Ao mesmo tempo em que ocorria o embate na vida real, o golpista enganava a vítima na Grande São Paulo. Ainda segundo apurado, havia nas conversas promessas do golpista em levar a vítima para morar com ele, que estaria nos Estados Unidos.

“A pandemia contribuiu para que a Autora acreditasse em toda mentira contada pelo golpista, haja vista o abalo emocional vivenciado, a mesma só procurava uma ‘saída ou mudança de vida’, realizando até uma cirurgia plástica acreditando ir morar em Los Angeles”, defendeu a advogada no processo contra o banco.

A aposentada vendeu carro e casa para “ajudar” o falso ator. A pedido dele foram feitos depósitos na conta de um brasileiro de R$ 15 mil, R$ 40.400 e R$ 153 mil.

Após a venda da casa, do veículo e de ter tido alguns cheques bloqueados, o filho da vítima desconfiou da fraude e perguntou à mãe sobre as transações bancárias. No celular dela, ele viu as conversas.

A defesa da vítima chegou a encontrar o nome do dono da conta bancária em sites mantidos por “caçadoras de golpistas” que apontam suspeitos em transações criminosas envolvendo golpes de romance.

A mesma conta que seria de “um amigo do advogado de Depp” foi identificada pela caçadora de golpistas Glauce Lima em outro caso, quando o perfil com fotos do “médico David” conversou por sete meses com uma vítima e pediu dinheiro para vir ao Brasil.

“Infelizmente, esse tipo de golpe está acontecendo. Estamos tendo brasileiros envolvidos nessas quadrilhas. Sabemos que nenhuma dessas vítimas são culpadas, elas são vítimas. São mulheres que se apaixonaram e se deixaram levar pelo sentimento. Elas fazem essas transferências porque estão apaixonadas e querem ajudar a pessoa que pensam que amam. O Brasil não está dando a devida importância para esses golpes.”

‘Caçadoras de golpistas’

Caçadoras de golpistas: mulheres desmascaram criminosos que prometem romance na web

Diferentemente de outros países, como os Estados Unidos, o Brasil não tem estatísticas oficiais sobre golpes de romance virtual. No entanto, um grupo de mulheres passou a monitorar e guardar informações sobre este tipo de crime.

Alguns materiais já foram encaminhados e usados pela polícia. O caso foi mostrado no Fantástico.

Segundo Crystal Brasil, que também se identifica como “caçadora”, alguns pontos podem ser um alerta para um perfil impostor: quase nenhuma resposta pública a comentários, nenhum parente entre os amigos e poucas fotos pessoais, que são escolhidas a dedo para impressionar, como fotos com crianças, animais e cozinhando.

As caçadoras de golpistas usam a chamada “busca reversa de imagens” para tentar desmascarar os golpistas. São ferramentas de pesquisas que indicam em quais sites uma determinada foto aparece.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Polícia desmantela call center do falso empréstimo em São Gonçalo e precisa de ônibus para levar presos

Segundo as investigações, os valores dos golpes variavam entre R$ 300 e R$ 80 mil. Eles usavam cartilha que orientava a conduta na hora de ligar para as vítimas.

Por Anna Beatriz Lourenço, Felipe Freire e Guilherme Santos, Bom Dia Rio

Polícia prende em São Gonçalo 14 integrantes de uma quadrilha que aplicava golpe do empréstimo consignado

A Polícia Civil prendeu em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, na noite da última terça-feira (4), 14 pessoas que fariam parte de uma quadrilha que aplicava o golpe do crédito consignado. Os criminosos ligavam fingindo que eram do banco e pegavam os dados pessoais das vítimas. Com eles, faziam empréstimos e ficavam com o dinheiro. Um ônibus foi usado para transportar os suspeitos.

De acordo com os agentes da 75ª DP (Rio do Ouro), os envolvidos vão responder por associação criminosa. A Justiça estipulou fiança de R$ 3 mil para cada um.

Segundo a polícia, os estelionatários entravam em contato com as vítimas com a informação de que elas tinham caído no golpe do falso empréstimo. E que, para cancelá-lo, eram necessários documentos e fotos.

As vítimas passavam e, com as informações, os dados eram usados para contrair os empréstimos em nome das vítimas, mas o dinheiro ficava com a quadrilha.

Quadrilha presa pelo golpe do falso empréstimo em São Gonçalo usava cartilha para orientar abordagem das vítimas — Foto: Reprodução/ TV Globo

Quadrilha presa pelo golpe do falso empréstimo em São Gonçalo usava cartilha para orientar abordagem das vítimas — Foto: Reprodução/ TV Globo

A delegacia espera que mais vítimas entrem em contato para fazer a representação pelo crime de estelionato.

Ainda de acordo com as investigações, o grupo aplicaria golpes em vítimas de outros estados, como Paraná e Minas Gerais. As principais vítimas eram idosos.

“Nós descobrimos que a empresa antigamente era situada em Belo Horizonte, ela estava atualmente sediada aqui, aí fizemos uma operação lá, aí nós fomos no nono andar, conseguimos pegar duas empresas em funcionamento”, afirmou o delegado Jorge Maranhão.

Ônibus é usado para transportar presos por golpe do falso empréstimo em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

Ônibus é usado para transportar presos por golpe do falso empréstimo em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo

A quadrilha alugava salas que funcionavam como centrais para aplicação do golpe. Eles também utilizavam uma cartilha que orientava como as vítimas deveriam ser abordadas. O delegado acredita que o grupo fazia entre 10 e 20 vítimas por dia.

“Eles trabalham como sistema de call center, com várias salinhas. E cada atendente em uma”, disse Maranhão.

Segundo as investigações, os valores dos golpes variavam entre R$ 300 e R$ 80 mil. Trinta computadores foram apreendidos. Documentos também foram levados. Todo o material ainda passará por uma perícia.

“Isso aqui sirva até de orientação para que as pessoas não fornecerem nenhum tipo de documento, quando for solicitado, de qualquer banco. Se tiver qualquer dúvida, ligue para o gerente, vá ao banco. Jamais mande foto da identidade para qualquer local”, finalizou o delegado.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.