Pesqueira tem seu deputado estadual após 44 anos!

16ggggggggggrvegvyegvervgereoe0er0e0b0be0bgb-300x225

Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista. Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Parabéns João Eudes. Parabéns, Pesqueira e cidades que contribuíram para eleição do nosso deputado!

Parabéns povo pernambucano pelo grande desempenho e pelo nível de consciência política que demonstrou nesta eleição. A história vai registra para sempre este grande feito. Dar condições para que Pernambuco continue crescendo, Pesqueira se engaja nesse processo e o Brasil sai das mãos daqueles que só pensam no venha a nós e vosso reino nada!…

Século XXI, Pesqueira elege seu representante na câmara legislativa. Nosso deputado que com certeza estará a defender, buscar e liderar em busco da satisfação de nossas necessidades… Depois de 44 anos. João Eudes ainda passa a ser representante e defensor dos interesses dos municípios que o apoiaram.

Pesqueira nesta eleição fez – cabelo, barba e bigode -, o pesqueirense deu um grande exemplo e cidadania, de vontade própria, e determinação ao rejeitar sem parcimônia àqueles “Cururus de trovoada”, que vêm abocanhar, a cada quatro anos votos e depois, olvidam os compromissos politiqueiros que armam com um único fim. Serem eleitos.

Deputado João Eudes nós o conhecemos, sabemos do seu potencial, da sua obstinação por tudo que faz. Portanto, estamos confiantes, tranquilos, por que temos ciência de que você irá fazer uso do seu mandato em defesa da hora, da dignidade e da defesa dos interesses do povo de Pesqueira e região.

João Eudes, você nasceu predestinado a ser líder, administrador e como tal, faça por onde seus correligionários sintam-se orgulhosos e satisfeitos por terem tido a graça e a determinação de colocar no lugar certo o homem certo. Mostre a que veio, faça por onde todos nós sintamos orgulho de termos feito a escolha certa!

Temos consciência de que sua tarefa não é nada fácil, mas com sua habilidade, com sua disposição para o trabalho – coisa que faz parte da sua índole -, conseguirás realizar o que de melhor seja para atender as necessidades e aspirações dos seus liderados e dos Municípios que estiveram ao seu lado neste pleito.

Desejo a você, a sua família e a seus correligionários que alegremente brindaram e bridarão sua vitória e que certamente ainda o farão por muito tempo.  Muitas felicidades e muita paz.

 

Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

5 de Outubro o Brasil conta com o seu voto para sair das mãos dolosas que o comanda!

16ggggggggggrvegvyegvervgereoe0er0e0b0be0bgb-300x225Estamos às vésperas de uma eleição. Esta é a porta aberta que o povo tem para mudar o quadro sombrio em que estamos enroscados. É a grande oportunidade de mudar o que aí está! O País acha-se nas mãos de uma administração incompetente, abusiva e sem objetividades para que satisfaça as necessidades de nós brasileiros. Não bastam quatro anos de puro abandono para com os princípios da ética e da moral? E da ineficiência na ordem socioeconômica. Uma administração voltada para o bem-estar de pessoas e grupos que usando a boa fé daqueles que se acomodam com migalhas advindas dos restos e/ou sobras dos que se locupletam com as armadilhas montadas estrategicamente com um único objetivo o de abocanharem inescrupulosamente os recursos, o dinheiro do povo brasileiro adquirido com tanto esforço, dedicação, hombridade!

Temos acompanhado o desenrolar da campanha política e analisado os vários discursos, argumentos e blablabás. E o que temos visto e ouvido!? São aberrações de políticos agindo com descompostura e desrespeito para com o eleitor, na tentativa de conquistar o voto. Com isto nos taxando de burros, ignorantes, sem nenhum discernimento crítico, alienados. Achando-se senhores da verdade buscam sujeitar-nos a seus caprichos e espertezas muito bem arquitetadas a fim de se darem bem!

Na verdade o que leva – evidentemente aqueles que estão no poder -, a procederem de forma fantasiosa e maquiavélica é a ganância em sempre se darem bem, em detrimento da população. Não importa o futuro, o que é bom para seu semelhante. A eles o que importa é o presente, é estarem por cima a todo custo! O uso da mídia está sendo posto em prática em prol da causa maior: o interesse individual, de apadrinhados e grupos de interesses comuns. É esse o retrato hoje do nosso País.

O que vemos em tudo isso é que a política até então desenvolvida jamais levou em conta o desenvolvimento educacional e social do nosso povo!    “A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mantém um ranking de educação em 36 países, no qual o Brasil atualmente amarga a penúltima posição, à frente apenas do México”.

“Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad) revelou que ainda existem no Brasil cerca de 13 milhões de analfabetos com 15 anos ou mais de idade. A meta estabelecida no ano 2000 era atingir uma taxa de 6,7% até 2015. É bom frisar que é no Nordeste, onde o analfabetismo é o dobro da média nacional.” Jornal do Commercio. Com esses dados podemos concluir que nossos governantes não estão dando bolas nenhuma para a educação! Quanto mais analfabetos melhor para alcançarem seus objetivos! Manter-se no poder.

Estrategicamente candidatos vão a TV, a praça pública, com propostas e argumentos na tentativa injuriosa, para enganar a boa fé daqueles que não estão preparados para receber, avalanches de informações mentirosas! Com intuito de convencê-los e dessa forma ganharem seu voto! Não pensam no futuro nem no bem-estar dos seus herdeiros, das novas gerações!

Como anda a saúde? Esta é um caos total! A segurança!… A população está aprisionada dentro de sua própria casa! Sair à rua é por em risco à vida.

A corrupção, esta já faz parte do cenário coletivo de grande parte da população que se sente injuriada com tantas aberrações, impunidades e desrespeitos para com a memoria do homem e da mulher de bem, deste nosso querido Brasil.

Como anda a nossa justiça, que tem como quando princípio fundamental: dura lex, sed lex.  Fernando Sabino assim se expressa: “Para os pobres, é dura lex, sed lex. A lei é dura mais é lei”. Para o rico, dura lex, sed látex. A lei é dura mais estica.

Este o exemplo que a cúpula que comanda nosso destino configura e apresenta.  Vemos e lamentamos o germe que corrói os três poderes constituídos: Executivo, Judiciário e Legislativo. São vários os crimes de corrupção em todos os níveis e de natureza inimagináveis. É evidente que existem as exceções.

No entanto os criminosos quando condenados encontram sempre legitimidade – brecha -, na lei que os proporcionam liberdades “condicionais”…

É este o Brasil que queremos! Para os homens e mulheres de bem e que acreditam num País aonde haja justiça, compreensão, respeito, dignidade e fé, há sim, uma única saída! Votar e votar pensando num amanhã promissor e feliz.

 

Por: Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, escritor, poeta e cronista.

Membro Efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

 

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pernambuco Perde Seu Líder Maior.

16jjjjjjjjgyr434v03vf - 3-rhef-vbevwvwvcwTragédia tira de Cena nossa maior esperança! Esperança de um Brasil renovado, de um país politizado, mas carente de líderes do quilate de um Eduardo Campos. Político jovem, dinâmico, ético e trabalhador, obstinado pela grandeza e crescimento do seu Estado e do seu País.

Esperança que se esvai de água a baixo porque a nação brasileira terá de aguardar – lamentavelmente -, o surgimento de um novo líder com a personalidade, o carisma e a credibilidade capaz de mudar para melhor os desmandos provocados por políticos de mau caráter e aproveitadores, que vivem a explorar a boa fé do povo usando de todos os artifícios imagináveis e possíveis para manterem-se no poder, e tornarem-se senhores de patrimônios vultosos.

Sua história de vida começa no dia 10 de agosto de 1965 quando vem ao nosso planeta. Termina no dia 13 de agosto de 2014 quando um acidente fatal o leva de volta para sua verdadeira morada…

Dia 13 de agosto de 2014 marcará para sempre a história politica de Pernambuco e do Brasil.

Os brasileiros e em particular os pernambucanos ficaram estarrecido, perplexos com a notícia do acidente que teve como consequência a morte de 7 pessoas dentre elas nosso ex-governador e Presidente licenciado do PSB Dr. Eduardo Henrique Accioly Campos. Candidato a Presidente da República. Expectativa de uma revolução, para melhor na política mesquinha e perniciosa vivida no País hoje.

Eduardo Campos tinha em mente transformar o Estado brasileiro, que hoje vive no marasmo e a caminho da hiperinflação, dos abusos de ordem social, politica e econômica. Contudo, para conseguir bons resultados tinha como entendimento que um futuro promissor estava na amarração de ações e atitudes criteriosa e dinâmica que pudesse acicatar o desenvolvimento socioeconômico e político, em favor melhoria do povo conseguindo de um nível de vida em que a dignidade e o bem-estar viessem a fazer parte da vida de cada cidadão (â) desta terra que amamos tanto.

Tinha consciência de que a corrução é uma das maiores chagas, dentre tantas outras que persegue a todos nós. Sabia que a política viciosa praticada nestes últimos anos não atende a necessidade e os anseios da sociedade, do povo por melhores dias.

Pautou sua vida em princípio, como estudante, graduando-se em economia. Neste período desenvolve suas habilidades política na militância como presidente do Diretório Acadêmico em 1985. Pernambucano da gema. Neto do ex-governador Miguel Arras e Alencar. Em 1990 filia-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), sendo eleito deputado estadual. Em 1994 é eleito deputado federal, secretário de governo e secretário da Fazenda. Reeleito deputado federal em 1998. Seu terceiro mandado como deputado federal foi até 2002, quando se tornou um dos principais articuladores do governo Lula. No ano seguinte assume o ministério da Ciência e Tecnologia, e em 2005 com a morte de seu avô Miguel Arraes, assume a presidência do seu partido o PSB. Em 2006 concorre ao governo de Pernambuco, sendo eleito e reeleito nas eleições de 2010. Comandou o Estado até abril deste ano, abdicando do cargo para poder se candidatar a Presidente da Republica. Tendo como objetivo mudar a história politica, social e econômica, em favor do homem e da mulher deste solo pátrio. O Brasil de todos os brasileiros.

Como vemos o jovem político Eduardo Campos não foi só um político habilidoso, mas um gestor voltado para o desenvolvimento do nosso Estado, pois, Pernambuco jamais alcançou em tão pouco tempo um crescimento em todos os níveis de atividades que estimularam o progresso e a esperança em dia melhores para todos os pernambucanos.

Liderança que despontava como um futuro estadista de comprovada capacidade administrativa, político hábil, arrojado e consciente do seu papel como gestor e líder. De uma inteligência vivaz e ardorosa que acreditava no ser humano desde que educado para o exercício do bem comum. Colocava em prática princípios que norteavam atitudes voltadas para a satisfação pela dos direitos e dos deveres dos cidadãos. Foi um exemplo de esposo e de pai. Assim procurou conduzir a administração pública. Onde a moral, a ética e a valorizado do individuo estava acima de quaisquer circunstâncias.

Acredito Eduardo que cada um de nós tem uma missão a cumprir e quando as realizamos chega o tempo de voltarmos ao nosso verdadeiro lugar. Que o bom Deus te proteja, bem como àqueles que contigo desencarnaram todos vocês encontrem o caminho mais breve possível do NIRVANA.

Meus pesares as famílias enlutadas!

Viva Pernambuco viva o Brasil!

Sebastião Gomes Fernandes

Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Pesqueira – PE, 13 de agosto de 2014.

 

Foto: Aluísio Moreira

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

EDUCAÇAO O CAMINHO PARA O DESENVOLVIMENTO

16ggggggggggrvegvyegvervgereoe0er0e0b0be0bgbHomens e mulheres de visão e que acreditam no desenvolvimento e na evolução do ser humano, jamais prescindem do amor à causa da formação educacional dos seus semelhantes. Da humanidade!

Diante deste prognostico e da necessidade de se promover ações que levem a educação ao seu devido lugar se faz necessário agir para que esta chegue ao seu verdadeiro objetivo – Educar para a vida.

No entanto, passam-se anos e anos e a educação formal sempre a desejar! Os políticos quando de suas campanhas usam de atitudes recheada de subterfúgios, para conquistarem votos suficientes que os qualifiquem e os elejam para os cargos quer executivos quer legislativos, esquecem-se dos compromissos assumidos quando em campanha.

Estamos em plena campanha eleitoral e o que vemos?! São candidatos defendendo como prioridade a Educação! No entanto, o que temos vivenciado? Total desprezo por uma atividade que se posta em prática e executada com responsabilidade, transformaria consideravelmente a vida social, econômica e politica deste país!

O que vemos! São recursos e mais recursos empregados, ou melhor, sendo desperdiçados pelo mau uso, através de emendas parlamentares utilizadas para financiar shows de bandas pelos quatro quantos do País. Que na verdade muito pouco contribui para o progresso da população como um todo. Quando tais recursos poderiam ser empregados de maneira mais contundente e mais útil que enveredariam em favor socorro de situações de desordem sociais e econômicas.

Há quem defenda – a maioria dos nossos parlamentares -, tal pratica e atitude, pois, partem da ideia de que “todo mundo tem o direito ao lazer e à diversão”, quando esquecem ou não fazem conta dos grandes problemas que atinge a maioria dos cidadãos (âs), que vive a margem das intempéries provocada por secas cíclicas, pela fome em sua maioria crônica e até carências mínimas de condições para sobreviverem!  Estas situações não mechem com o brio dos nossos “mui dignos parlamentares”. Não são suas preocupações. O que importa são ações que levem o povão ao delírio e ao êxtase. Embriagados que são pela fanfara melodiosa que as bandas tocam. Levando-os ao delírio até. Deixando-os alheios aos problemas do dia a dia, como que drogados estejam!…

Temos consciência de que muito ainda tem-se que fazer em prol da formação educacional do povo. O progresso, o desenvolvimento e o crescimento da nação estão na dependência da formação educacional, da preservação da sua cultura e da maneira como seus cidadãos (ãs), conduzem suas vidas.

Para a aplicabilidade dos princípios que norteiam e formaliza a sociedade, os homens criaram sistemas políticos que tem como fundamentação a defesa da ordem que a natureza exige para que se viva com dignidade e satisfação plena, suas necessidades básicas pelo menos.

Mas, por enquanto o que temos visto e vivenciado são exemplos negativos e esdrúxulos que prejudicam a maioria da população. Uma vez que assume o poder o homem – políticos – esquece os outros e passa a pensar em si mesmo. Esquecem que têm uma responsabilidade sobre seus ombros e que mais cedo o mais tarde terão que prestar contas. Aqui ou alhures!

Nossos políticos deixam muito a desejar. Mas, quando se trata de eleição e de reeleições veem à praça publica, ao rádio, a TV, aos jornais e demais meios de comunicação se disponibilizar a defender e lutar por uma Educação mais eficiente, uma saúde em que o povo seja bem atendido, um transporte digno, uma justiça que aplique a lei: dura lex, sed lex. Que na verdade seja para todos, jamais aplicada apenas para os pobres e ou os desprovidos de aparatos politiqueiros. Quando na verdade o que presenciamos é na verdade um caos quase que total das nossas instituições.

Está chegando a ora de fazer uma varredura naqueles políticos de carteirinha, viciados e sugadores do erário publico! Que se apresentam como bons e amigos dos pobres, mas que na verdade são amigos de seus grupos políticos e de si mesmos. Cada vez mais ricos. De  onde vem tanta riqueza?!

Precisamos ter o cuidado e procurarmos conhecer afundo a vida pregressa desses candidatos e após uma análise sistemática tomarmos a nossa decisão e fazer valer nosso voto. É através do voto que poderemos mudar o que aí está! É na verdade o voto a maior revolução que o povo tem e pode fazer em favor da democracia e da soberania Nacional.

Só com uma educação dinâmica, fundamentada na fé e no amor a dignidade e a sobrevivência honrosa do individuo é que alcançaremos um estágio de bem-estar que nos é predestinado.

Está chegando a hora de fazermos a limpeza que hoje suja a dignidade e a honra de todos nós brasileiros. Eliminando da politica os vendilhões do templo!

Sebastião Gomes Fernandes.

Sociólogo, Escritor, Poeta e cronista.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

25 de julho dia do Escritor Nacional.

Alguém já disse: “Escrever é dar margem aos pensamentos”.

Mas, na verdade o que é e o que faz de importante o Escritor? Ora. Tem este ser uma função de grande relevância para a cultura das nações, do mundo, do local onde vive! Já imaginou a vida sem a figura do Escritor?! É por meio deste ofício que o homem – ser humano -, se compraz e se deleita. É ele quem cria personagens, imagens, fantasias e ainda nos leva a percorrer, tomar conhecimentos das historias de vidas legítimas ou arquitetadas, liberando as palavras. Que muitas vezes nos leva ao êxtase. Quer sejam alegres quer sejam cheias de amarguras! É através desta figura que o homem se comunica e se entende.

Neste dia 25 de julho chega o momento de agradecermos a estes arautos da cultura, do desenvolvimento e do crescimento intelectual da humanidade. São eles que nos proporcionam sonhos e viagens nos momentos mais raros e excêntricos, quando estamos a divagara em nossas incertezas. Por estas e outras razões é que devemos agradecer por nos agraciar com momentos prazerosos, ajudando-nos a fugir das tristezas e dos presságios da vida.

Reverenciar nossos escritores é dever de todos nós. Neste ano temos motivos os mais expressivos possíveis para prestarmos nossa homenagem a um grande homem que esteve até pouco tempo conosco e que nos legou uma das mais expressivas narrativas que nos encantou a todos. Homem este que nos deixou seguindo os preceitos e axiomas que lhe é peculiar: fazer sua viagem de volta a sua origem. Evidente que após ter cumprido seu dever como cidadão e homem predestinado a servir e ser melhor do que fora no passado. O mestre, escritor, dramaturgo, poeta, romancista, Ariano Vilar Suassuna.

“Perdemos, acima de tudo, um grande professor da ternura e da simplicidade humana. Num mundo contemporâneo maculado pelo analfabetismo afetivo, as aulas-espetáculo do mestre Suassuna eram refúgios de conhecimento e de afeto que misturavam assuntos teóricos com fábulas da cultura brasileira.” Professor Ricardo Barberena, da PUCRS.

Espero Ariano Suassuna que você continue nesta nova etapa de sua vida a contribuir com a cultura, a família, com o ser humano para que sejam melhores hoje quanto foram ontem. Sabemos que a vida não se estingue com a morte do corpo! Somos eternos!…

Exaltar, reverenciar homens e mulheres que se dedicaram e se dedicam as letras e as artes pelos seus relevantes serviços prestados e pelos resultados positivos a favor da cultura e da arte é dever da sociedade é nosso dever. Como vivemos em sociedade e tivemos a graça de nascermos e ou sermos filhos adotivos desta nossa querida Pesqueira, terra do doce, da renda e da graça, não podemos esquecer-nos dos nossos mais destacados escritores, poetas, romancistas, cronistas e contistas. Como exemplo as figuras de: Tomas de Aquino Almeida Maciel – filho adotivo, pois nasceu em Brejo da Madre de Deus; escritor e poeta. O Pesqueirense Zeferino Cândido Galvão Filho, jornalista, romancista, poeta, linguista, filósofo dicionarista, lexicógrafo e historiador; Anísio Galvão, jornalista, escritor e orador de primeira linha. José de Almeida Maciel, historiador, jornalista, professor; professor, jornalista, cronista, articulista e poeta; Frederico Bezerra Maciel – Padre, escritor e historiador e ficcionista; Augusto de Souza Duque, jornalista, cronista; Luiz Cristóvão dos Santos, escritor, jornalista e comentarista; Audálio Alves, escritor e poeta exímio artesão das palavras, nos versos livres ou nos sonetos, segundo nosso escritor Gilvan de Almeida Maciel; Luiz de Oliveira Neves, jornalista, escritor e cronista; Moacir Britto de Freitas, Agrônomo, empresário e escritor destacando-se na literatura específica da sua área de formação. Deixando-nos legados de grande expressão para o desenvolvimento da agropecuária pesqueirense, pernambucana e brasileira; José de Sá Bezerra Cavalcanti, jornalista e cronista.      Alípio Cordeiro Galvão, escritor, poeta, cronista. Artista ligado a musica, tocando diversos instrumentos de sopro, mas destacou-se ao tocar violino seu instrumento predileto. Grande compositor de musicas clássica e popular; Eliseu Magalhães Araújo, escritor e poeta. Não esquecendo nossos escritores, poetas, cronistas e jornalistas que hoje cultuam esta magnifica arte!

Felizes são aqueles que tiveram e têm a sorte de ter convivido com tantos talentos que se dedicaram a estudar e a explorar a cultura e arte em favor daqueles que carecem da mais importante ação em favor da educação formadora da construção do ser humano, como elemento peculiar ao processo de evolução que lhe é próprio.

Pesqueira, 25 de julho de 2014.

Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, escritor, poeta e cronista.

Membro efetivo e presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

CASAMENTO E COMPANHEIRISMO

16ggggggggggrvegvyegvervgereoe0er0e0b0be0bgb

Vivemos em um mundo onde as diferenças, os contrastes e as dificuldades acontecem em nossos relacionamentos levando-nos a desarmonia quer sejam no lar, quer sejam entre as pessoas do nosso convívio. Todavia para que vivamos em harmonia e em paz temos que fazer por onde as coisas andem conforme a ordem à compreensão e a confiança. E que esta confiança seja reciproca.  Podemos sim construir um ambiente fraterno e amigo desde que façamos acontecer. Devemos aprender a respeitar e ver os outros como pessoas sujeita a erros e acertos! Cabe, pois a cada um estar atento e ir à busca da sua melhora como ser predestinado, nascido para ser feliz.

Acho que uma reflexão profunda e de caráter ajuizada servirá de base para uma melhora na maneira de agir como pessoa e como ser humano que somos. Colocar sempre de frente nossa espiritualidade, verdadeira essência da nossa existência e da razão de estarmos neste plano terreno.

Para que nossa espécie tenha continuidade – como criaturas felizes e compromissadas com o bem-estar e o desenvolvimento do planeta e da própria espécie -, é necessário que aja entre duas pessoas que se amam um acordo tendo como base um relacionamento amoroso, respeitoso. A nós humanos se faz necessário além do apenas ato de ajuntamento, uma convivência em que cada parceiro tenha sua participação e responsabilidade diante do processo de aprimoramento pessoal e coletivo que se tem a desenvolver neste pouco tempo de aprendizado que passamos neste planeta.

É aqui na verdade onde a vida nos proporciona os meios e condições indispensáveis para que coloquemos em ação nosso compromisso para com o equilíbrio de tudo o que a natureza nos proporciona a fim de ser melhores do que fomos… E que ao mesmo tempo tenhamos bons resultados hoje, amanhã e sempre, pois é isso o que queremos.

Para que haja melhoria e crescimento harmonioso, no casamento é fundamental que os parceiros se entendam e que o companheirismo seja a célula embrionária e fecunda a fim de possibilitar uma vida dinâmica e promissora.

Um bom relacionamento exige da cada parceiro: paciência, compreensão, comprometimento, respeito, diálogo, confidência, sinceridade, amor, afeto e carinho. Só assim será possível ao casal coordenar e equilibrar as dificuldades, as diferenças e os dissabores que a própria vida se encarrega para lhes apoquentar. Se souberem por um freio nessas incongruências, aí sim, ter-se-á a paz tão desejada.

A psicóloga Izabel Santa Clara diz: a importância do companheirismo dentro de um relacionamento amoroso é fundamental. “O companheirismo é aquele que participa da vida ou das ocupações do outro em qualquer relação que se estabeleça com as pessoas. Nenhum relacionamento se sustenta sem companheirismo, falo de participar um da vida do outro, importar-se com as coisas do outro. Geralmente, o companheirismo é colocado à prova quando um dos cônjuges, ou o próprio casal, passa por algum problema”.

Oque na realidade sustenta o casamento é sem dúvida o tipo de companheirismo que se vive a todo instante. E este é sim um dos grandes problemas que o casal enfrenta no seu dia a dia.

“Melhor é serem dois do que um,…” (Ec 4.9-12)

 O que poderemos tirar de bom nesta assertiva?Chama-nos a atenção para o que é fundamental na vida do casal. Levam-nos a fazer uma reflexão sobre a importância do relacionamento a dois. O ser humano carece de uma vida social enérgica e eficaz. Não é característica sua viver no isolamento. Jesus quando tratou do casamento fez referencia a necessidade de que os cônjuges assumam o compromisso de viverem até que a morte os separe! Mas, o convívio a dois carece de muito empenho e compreensão entre parceiros, caso contrário não haverá chance de se cumprir tal orientação.

A harmonia do casal depende da compreensão e da maleabilidade de cada parceiro quanto ao enfrentamento dos problemas diários, para se chegar a paz e a felicidade que tanto queremos. Um casamento fundamentado nos princípios cristãos e com final feliz.

De princípio o companheirismo só será efetivo e promissor se cada cônjuge tomar consciência da parcela que cada um tem, e daí agir com prudência e dignidade.  Esposo, ao longo da jornada da vida, jamais deixe a sua companheira para trás! Esposa, ao longo da marcha da vida jamais deixe o seu companheiro para trás. Se caírem, um levantará o outro!” Eclesiastes.

Levando-se em consideração esta afirmativa de Eclesiastes, temos uma grande responsabilidade para com nosso parceiro (a). Não devemos relaxar da nossa parcela de apoio, contribuição, carinho, afeto e fraternidade.

Temos durante nossa vida uma tarefa a ser cumprida e cada um tem que enfrentar as circunstâncias adversas que na maioria das vezes nos levam ao desânimo e a frustações.  Na jornada da vida, estamos sujeitos a prováveis perdas!            Perdas financeiras, de pessoas queridas, danos à saúde, estrago da vitalidade do corpo, e de alguns sentimentos que mantém o relacionamento acalorado.

“Em dias e noites geladas da vida, não procurem se aquecer em guaridas individuais; não acendam fogueiras particulares. Diante destas situações procurem se aquecer mutuamente, e permanecerem juntos, procure a Deus juntos, chorem juntos, compartilhem seus medos e incertezas, dividam as cargas, porque casamento é companheirismo, é proporcionar calor humano nas noites de inverno da vida.”Pr. Paulo César Nunes do Nascimento.

Deve o casal concentrar suas forças contra as adversidades em comum. Compete, no entanto aos esposos e esposas, ao encararem as adversidades, não lutarem entre si; concentrem-se em suas forças e lutem contra tais competidores. Tenham como lembrança que a jornada da vida a dois é extensa e para que nos mantenhamos em harmonia temos que sermos amigos, jamais inimigos; parceiros, não rivais; companheiros, não adversários. Mostre companheirismo, no estender das mãos para o companheiro que cai ao longo da trajetória da vida e no aquecimento mútuo nas “noites frias da vida”!

“Esposos e esposas, literalmente, mantenham um ao outro aquecido! Proporcionem aquecimento mútuo! Não neguem um ao outro. Não privem um ao outro de intimidade e proximidade (1Co 7.3-5). Ofereçam um ao outro o calor dos seus corpos!”

“Ao longo da jornada da vida a dois, enfrentamos circunstâncias adversas que nos levam ao desânimo, que provocam frustrações, e que nos levam à sensação de que não dá mais.” Pr. Paulo César Nunes do Nascimento.

Carecemos de muita discrição e de muito amor para o enfrentamento das adversidades que nos fazem companhia na estrada da vida!

 

Pesqueira, 22 de julho de 2014.

Por: Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

É lamentável deixamos escapar o hexa!

Uma catástrofe jamais imaginada! Se assim pudermos qualificar o que aconteceu no último dia 8 corrente! Brasil em campo. Disputa das semifinais da Copa do Mundo 2014 em nosso território.  Aproximadamente 200 milhões de brasileiros a torcer cheios de esperança em mais uma vitória. No entanto, após dez minutos de jogo esvai-se o sonho tão sonhado!

Será que é maldição?! O destino não nos dá o direito de conquistarmos títulos mundiais de futebol em nossos domínios?! Em 1950 chegamos a final. Perdemos para o Uruguai e 2014 sofremos mais uma derrota vergonhosa, decepcionante pelo placar de 7X1, em favor da Alemanha.

Temos consciência de que não estávamos com uma equipe devidamente estruturada. Se fizermos uma análise das partidas anteriores ao desastre do dia 8, vamos verificar que em nenhum momento a nossa seleção nos transmitiu tranquilidade, segurança. Foram sempre resultados arrastados e sem motivações capazes de nos tornar confiantes e esperançosos!… Face a resultados pífios em sem qualquer entusiasmo.

Estamos diante das semifinais evidente que a disputa fica mais acirrada e mais competitiva, pelo valor técnico e organizacional da equipe que tivemos a enfrentar. A Alemanha! Com uma boa performance e disposta a conquistar o seu espaço.

Bola em jogo. Dez minutos corridos e equilíbrio em campo. Em seguida surge uma cobrança de escanteio, gol da Alemanha. Desse momento em diante a seleção brasileira perde as estribeiras. Dentro de 6 minutos aproximadamente surgem mais quatro gols termina o primeiro tempo! Nossos meninos ficam perdidos! Perdem o equilíbrio, a noção de jogo. Ninguém se entende mais. Erros infantis e mais erros. A seleção sofre um blecaute! Levando-nos a acreditar que aquele dia não era o dia do Brasil. Foram soltos os “cachorros” para morderem e transmitirem a doença da cegueira os tornando os bobos da “corte”!

Vem o segundo tempo, nós brasileiros quando se trate de futebol, paixão nacional! Só desiste quando do último momento, quando não tem mais jeito… Acreditávamos em uma reação em que pelo menos amenizasse o placar. Mas a armação do nosso selecionado estava, continuava em abulia. Perdidos feito menino buchudo, atacados por vermes e lombrigas que sugara-lhes o sangue, as forças e o bom senso e o equilíbrio!  Daí surge ao decorrer da partida mais 2 gols Alemães e no finalzinho o gol de honra dos brasileiros.

Com este resultado ficamos nos torcedores boquiabertos, nocauteados, desacreditando no que se nos apresentava ao vivo em campo e na TV. Uma vergonha nacional! Estávamos derrotados! Tinha fugido dos pés e da cabeça dos nossos jogadores o hexacampeonato tão sonhado, tão desejado. Por outro lado sabemos que no jogo todo e possível. Se se estiver a jogar duas situações estão disputadas – face à regra do jogo -, vitória ou derrota. Nesse caso a derrota coube a seleção brasileira, adiando assim o sonho do hexa.

Fica certamente uma lição para nossos dirigentes futebolísticos, técnico e até jogadores: devemos ao enfrentarmos qualquer compromisso – não importa a área e ou atividade que se tenha a desenvolver – ter consciência da responsabilidade que se assume e que se tenha respeito para com a causa que está para ser defendida, trabalhada.

É na verdade muito difícil se encontrar uma desculpa ou um motivo pelo qual passou nosso selecionado naquele, 8 de julho de 2014.

Arrisco uma opinião: acho que faltou um melhor e maior preparo psicológico do grupo e um bom esquema tático. O Felipão me parece que negligenciou nestes dois aspectos, bem como se pode observar que não havia um segundo plano tático para mudar o quadro traçado a fim de se buscar uma melhor e mais eficiente alternativa de jogo.

 

Pesqueira, 10 de julho de 2014.

Sebastiao Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e cronista.

Membro Efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes – APLA.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Fim dos festejos Junino!  

Hoje 29 de junho de 2014 acabam oficialmente os festejos no mês de junho. Vale lembrar que foram três personalidades históricas – homens que viveram em busco de si mesmos e de motivação para servirem bem e com respeito àqueles seus irmãos em Cristo.

O primeiro a ser reverenciado homem e Santo – Santo Antonio. Nasceu em Lisboa 1195, filho de família cristã, recebeu os primeiros ensinamentos educacionais da própria família. Seu nome Antonio que dizer: “o que não tem preço; o lutador”. Fez seus estudos através dos ensinamentos de Santo Agostinho em Coimbra, titulando-se e recebendo o hábito de Frei em 1210. Em 1220, torna-se franciscano. O primeiro dos festejados nas festas juninas. Dia 13 de junho especificamente.

Mas o que o caracteriza com o bom Santo Casamenteiro e padroeiro dos namorados foi a sua disponibilidade e poder de oratória que lhe era peculiar, simpático as causas familiares e dotado de uma visão humanitária e carismática tenha com meta ser um servo a serviço do bem-estar das moças que pretendiam arranjar um bom par – um bom marido.

Em sua biografia vamos encontrar o seguinte episódio. Há uma lenda que nos conta a seguinte história: “duas moças não tinham dinheiro para o dote, e, portanto não conseguiam arranjar marido para casar, Santo Antônio teria jogado um saquinho de moedas pela chaminé das duas moças desamparadas. Este episódio teria dado origem à sua fama de ajudar as moças a encontrarem marido”.

Todas estas artimanhas usadas pelo Santo, fez com que o povo trouxe para a nossa cultura popular os folguedos juninos reverenciando-o como o Santo casamenteiro querido das nossas mocinhas necessitadas!…

No dia 24 do junho passado comemorou-se o São João, do qual já tecei comentários em artigo anterior. Cabe hoje trazermos a você leitor alguns momento interessantes que o grande Simão Pedro nos deixou.

Para tanto conheçamos um pouco da sua história: “Ele era das terras perfumadas de rosas de Betsaida, próxima ao lago de Genesaré, na desembocadura do rio Jordão, mas se estabelecera em Cafarnaum, onde proliferavam os pequenos vinhedos e se fazia a pesca abundante. Casado, tinha filhos. Em siro-caldeu, chamavam-no Cefas; em grego, apelidavam-no Petros, significando pedra, rocha”.

São Pedro era um homem simples, verdadeiro e por vezes quase infantil. Nele vamos encontrar três períodos: antes de conhecer Jesus, o tempo que com Ele conviveu, e os anos após do Mestre e amigo – Jesus.

De certa feita foi a uma pregação de Jesus e a partir desse momento ficou encantado com o que ouviu e viu. Depois desse admirável encontro com o Mestre em seu sermão nunca mais foi o mesmo. Começa aí a jornada difícil, mas honrosa de um cristão a serviço do Pai em favor dos seus semelhantes.

Pelo seu comportamento diante dos seus familiares, parentes e amigos, pois os tratava como irmãos e companheiros de jornada apesar de sua ignorância cultural, o fizeram merecedor da confiança do Jesus. Desde então não mais deixou de acreditar no amor. Apesar de alguns momentos de fraqueza com exemplo o ter negado Jesus por três vezes. Mas isto tem como objetivo mostrar a nossa pequenez diante da Divindade e da pujança que muitas das vezes pensamos ter. Mostra-nos ainda o quando somos pobres e pequeninos diante de Deus.

Todavia o que representa São Pedro para os festejos juninos? Dentre os homenageados São Pedro faz parte dos três Santos juninos e por isto tem a honra de fechar o ciclo festivo do mês de junho!

Que o nosso bom Santo possa por meio do altruísmo o que é justo e bom para nos presentear com momentos de verdadeira alegria e prosperidade por toda a vida ao longo desta que na verdade é eterna. Que homens e mulheres tirem alguns momentos do seu dia para fazerem uma reflexão sobre a beleza e a grandiosidade que a vida nos tem a proporcionar. Pois só depende de cada uma um amanhã melhor. Desde que nos preocupemos com o dia de hoje. Que nestas reflexões encontremos motivo para amar, agradecer e praticarmos a caridade. Que outros festejos juninos sejam cada vez melhor e que contribuam para a melhoria de todos, a caminho do bem.

Pesqueira, 29 de junho de 2014.

Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Membro Efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Arte – APLA

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

VIVA SÃO JOÃO!

Festas juninas ou festas dos santos populares são celebrações que acontecem em vários países historicamente relacionadas com a festa pagã do solstício de verão, que era celebrada no dia 24 de junho, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano) e cristianizada na Idade Média.’’

Celebrações essas particularmente importantes no Norte da Europa  – Dinamarca, Estónia, Finlândia, Letônia, Lituânia, Noruega e Suécia -,  encontradas também na Irlanda, partes da Grã-Bretanha, França, Itália, Malta, Portugal, Espanha, Ucrânia, outras partes da Europa, e em outros países como Canadá, Estados Unidos, Porto Rico, e Austrália.

Comemorar o São João no Brasil faz parte da nossa cultura. Festejos que chegou até nós trazida pelos portugueses que se enraizou e hoje faz parte da nossa tradição que nos proporcionam alegria e satisfação quando de sua chegada. Neste festejo evidencia-se dois momentos que caracteriza a fé do cristão por meio de orações de agradecimentos e de satisfações do ego de cada participante. Uma vez cumpridas os cerimoniais religiosas vem em seguida momentos profanos. A festa propriamente dita para aqueles que são festeiros.

Tais comemorações têm sua autentica manifestação no nordeste brasileiro como festejos dinâmicos e garbosos a alegrar os corações de todos os forrozeiros desse rincão nordestino! O povo esbalda-se e dedicam-se a um dos maiores eventos culturais da região. Pelo resto do país muito pouco se faz para abrilhantar referida comemoração. O São João é a verdadeira festa caipira do nosso querido nordeste. Terra de homens e mulheres – cabra da peste -, expressão popular usada no sertão nordestino do Brasil. O cabra da peste também cantada pelo nosso mais famoso sanfoneiro o eterno Luiz Lua Gonzaga. Cujo nome da canção é na verdade “Cabra da Peste”.

Com esta e outras canções Gonzagão e outras expressões da nossa musica regional nos leva a festejar o São João com sentimentos característicos desse querido rincão brasileiro. Pelo que vemos e acompanhamos as comemorações não só do São João, mas de Santo Antonio e São Pedro, nossos santos populares.

Mês de junho tem como incentivo o período junino que traz consigo o signo da alegria e das manifestações populares através dos acordes de instrumentos musicais como: a sanfona (acordeão), do pandeiro, do triângulo, do tambor, zabumba, violão, cavaquinho, o bandeiro e do reco-reco. Mês que mexe com o brio do sertanejo que procura expressar suas emoçõespor meio da musica que exalta o sertão! Que canta as alegrias e tristeza dessa gente tão sofrida, mas forte e dinâmica. Capaz de enfrentar as augura da seca que sazonalmente os castigam.

Diante de todos esses presságios o sertanejo é verdadeiramente um forte! Como meio de esquecer as intempéries passadas se beneficiam deste mês de junho e aproveitam para personificar de forma simples mais cheia de motivação e de estimulo seus anseios em busca de externar o que de danoso está em seu interior. Todavia, em contra partida exteriorizam o que de ruim se encontra acumulado dentro de si e que precisa ser jogado fora.

A satisfação plena de suas alegrias nos salões de baile e nas ruas coloridas onde se veem manifestações folclóricas: quadrilhas, cirandas, cavalhadas, forró pé de serra, xotes e baião.

As danças que compõem o repertorio dos festejos juninos no nordeste brasileiro são: o forró que lhe é peculiar e outros ritmos aparentados tais que o xote, o baião, o reisado, o samba-de-coco entre outras, características da cultura regional.

O que caracteriza nossa festa junina são os trajes típicos e amatutados – que em algum momento fez parte marcante da nossa cultura nordestina. Em primeiro lugar destaca-se a queima das fogueiras, o traje matuto, o chapéu de palha e o forró que ganham destaque.

Festejar o São João é alegria do povo nordestino em particular. Viva o São João. Viva o Nordeste. Viva o Brasil.

 

Pesqueira, 23 de junho de 2014.

Sebastião Gomes Fernandes, Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Membro efetivo e Presidente da Academia Pesqueirense de Letas e Artes – APLA

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

  

Pesqueira lança seu pré-candidato a deputado estadual.

Neste último dia 2 de maio de 2014, exatamente às 19 horas, as lideranças politicas da nossa querida Pesqueira, presente algumas de Sanharó e Arcoverde, juntamente com a chapa majoritária pré-candidata ao comando do Estado e ao Senado Federal, lançada pela frente popular, juntam esforços em busca do melhor para Pesqueira, região e o Estado como um todo.

É lançado o nome de João Eudes Machado Tenório nosso amigo, guerreiro, trabalhador e grande administrador, pois estas suas qualidades jamais poderão ser questionadas! Pesqueira quando de suas duas administrações viveu dias áureos em que se viu a nossa Pesqueira forte, dinâmica e próspera.

Em 2014 o futuro de Pesqueira esta mais uma vez em nossas mãos, em nossa vontade de mudança e de ver o progresso social, econômico e político em pleno vapor. Sem mentiras e sem demagogia. Tendo como alicerce a esperança na realização plena da comodidade da coletividade.

É chegada à vez de todos os Pesqueirenses irmanados em uma só corrente elegerem o seu legitimo representante na Assembleia Legislativa. Deixar de lado toda e qualquer posição ideológica e ou partidária, pois o que está em jogo é o futuro da nossa Pesqueira. Somos donos e responsáveis pelo nosso bem-estar ou pelo nosso mal estar, tanto quanto pelo crescimento do rincão onde vivemos.

Estamos em pleno século XXI em que está em voga a tecnologia. Que está a exigir da cada cidadão (â), conhecimento, determinação e vontade de fazer com que as coisas andem para frente. Queremos um Município, um Estado, um País onde prevaleça o cumprimento do dever com responsabilidade e critérios éticos? E assim sendo cabe a cada um de nós usarmos de bom senso e o discernimento para que possamos levar a feito à busca do nosso progresso.

Neste ano nós pesqueirenses, pernambucanos e brasileiros, temos a chance de promovermos a grande mudança que se faz fundamental para que tenhamos um Município, um Estado e um País livre, democrático e bem-sucedido. O momento atual, e a política macabra e injuriosa implantada no país, por um sistema político implantado e administrado nos últimos 12 anos de governo voltado para beneficiar quem faz parte do grupo e a ele se agregou. Os exemplos estão aí: escândalos como o do mensalão, da Petrobras entre outros que nos deixam desacreditados no nosso destino como país e potência a caminho do futuro.

Diante do que presenciamos se faz necessário levar em conta uma tomada de decisão corajosa e firme para que tenhamos um país com uma política voltada para o desenvolvimento social, econômico e politico tendo como base a satisfação plena da família brasileira. E família implica em viver as amarguras, as incertezas, e as dificuldades com bastante fé, harmonia, determinação e coparticipação visando o seu destino, da nação e do território onde vive.

Só vejo um caminho. O voto! Este sim é sem dúvida a forma mais conveniente e ordeira de se proceder a uma alteração do que aí está.

Nós Pesqueirense e pernambucanos temos a oportunidade de fazer com que a política pernambucana siga seu rumo a caminho da modernidade, da presença do político comprometido com o presente e com o futuro. Gente que tenha credibilidade e disposição para fazer de Pernambuco e do Brasil uma nação próspera, e que seu povo viva em paz e prosperidade. E este futuro está em nossas mãos. Depende da nossa escolha do nosso voto! A quem devemos depositar nossas esperanças no futuro? Evidente que na pré-chapa: para Governador Paulo Câmara, Vice-Governador Raul Henry, Senador Fernando Bezerra Coelho e nosso deputado Estadual João Eudes Machado Tenório.

Basta de tanta hipocrisia, de tanta incompetência, do mal uso do dinheiro público, de tanta roubalheira! Precisamos acordar dessa letargia que nos vem escravizando e nos tornando capachos de políticos mentirosos, aéticos e sem escrúpulo.

Pra frente Pesqueira, Pra frente Pernambuco, Pra frente Brasil!!!

 

Pesqueira, 03 de maio de 2014.

Sebastião Gomes Fernandes.

Sociólogo, Escritor, Poeta e Cronista.

Deixe aqui sua Mensagem




1 - Os campos marcados com asterico (*) são de preenchimento obrigatório.
2 - Dados pessoais como email e telefone não serão divulgados.

1 Pessoa já Comentou

  1. claudio disse:

    O povo do bairro Santo Antonio precisa muito de ajuda, pois fazem mais de dois anos que este bairro está sem fornecimento de água. Ajude-nos e conseguirá muitos eleitores agradecidos.